PLACAR

Alcaraz: ‘Tenho que jogar meu melhor contra Novak’

Foto: Corinne Dubreuil/ATP Tour

Turim (Itália) – Semifinalista do ATP Finals em sua primeira participação no ATP Finals, Carlos Alcaraz se recuperou ao longo da semana em Turim. Depois de ter sofrido uma derrota para Alexander Zverev, o espanhol conseguiu duas vitórias em sets diretos contra Andrey Rublev e Daniil Medvedev. Assim, garantiu o primeiro lugar do Grupo Vermelho e confirmou o duelo contra o número 1 do mundo e hexacampeão Novak Djokovic.

Alcaraz e Djokovic já se enfrentaram quatro vezes no circuito, com duas vitórias para cada lado. Este ano, foram três três confrontos, com duas vitórias do sérvio em Roland Garros e Cincinnati, enquanto o espanhol levou a melhor na final de Wimbledon. O reencontro entre os dois primeiros colocados do ranking está marcado para este sábado às 17h (de Brasília).

“É um dos desafios mais difíceis que vou enfrentar: Jogar contra o Novak no ATP Finals, onde ele venceu seis vezes. Novak é Novak. Ele é o melhor jogador do mundo atualmente. Ele perdeu apenas seis partidas este ano, é inacreditável. Vou jogar meu melhor tênis e me divertir da mesma forma que fiz nas últimas partidas”, avaliou Alcaraz, que tem seis títulos na temporada e busca a 17ª final da carreira.

“Estou animado para jogar contra o Novak. Ele sabe o que precisar fazer nas fases decisivas em eventos como este. Acho que ele usará essa experiência amanhã e jogará seu melhor tênis. Ele vai tentar me pressionar bastante na partida, basicamente, vai ser fiel ao seu estilo. Então, tenho que que estar pronto para isso”, acrescentou o espanhol de 20 anos, que é o mais jovem semifinalista do torneio desde seu compatriota Rafael Nadal em 2006.

A respeito da vitória por duplo 6/4 sobre Daniil Medvedev no último jogo da fase de grupos, o vice-líder do ranking destacou o aspecto mental da partida e também o fato de ter cuidado bem de seus games de serviço. “Acho que a coisa mais importante que fiz hoje foi permanecer forte mentalmente. Houve alguns games no meu saque em que tive mais dificuldade”.

“O tempo de resposta dele é incrível e ele coloca muita pressão no seu saque. Manter a calma e ficar forte mentalmente nesses momentos foi a chave para me dar uma chance de vencer essa partida. Neste momento, penso que se continuar neste nível, terei hipóteses de vencer o torneio”.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE