PLACAR

Alcaraz escapa em grande estilo

Foto: AELTC

Frances Tiafoe mais uma vez levou Carlos Alcaraz ao limite, numa ameaça maior do que havia sido a do US Open de 2002, mas o já experiente espanhol voltou a mostrar seu poder de reação e conseguiu arrancar uma duríssima virada de 2 sets a 1, com direito a show na série decisiva.

Jannik Sinner, que havia passado por teste semelhante na rodada anterior frente a Matteo Berrettini, desta vez impôs sua autoridade sobre o sérvio Miomir Kecmanovic. Super aplicado, mostrou-se atento ao saque, à devolução e acima de tudo pareceu outra vez confortável na transição à rede, fatores essenciais no piso de grama.

Este é o nono Slam consecutivo em que Alcaraz atinge ao menos as oitavas de final. Na verdade, ele fez isso em 10 dos 14 de que já participou e a única vez que falhou na quarta rodada foi lá mesmo em Wimbledon, em 2022. Desde então, ganhou três troféus e fez mais duas semis, tendo como ‘pior’ campanha as quartas do Australian Open deste ano. É um tremendo currículo para seus 21 anos.

Sinner começou antes no primeiro nível, mas está um pouco atrás. Atinge as oitavas pelo quinto Slam seguido e de 13 de seus 19 torneios já disputados. Ele somava quatro presenças em quartas até enfim fazer a semi de Wimbledon do ano passado e desde então ganhou um troféu e fez outra semi em Paris. Sua evolução é franca e evidente.

O duelo entre Alcaraz e Tiafoe foi o melhor até agora deste Wimbledon. O americano não sentiu dificuldade com seu forehand virado, um pouco porque a grama hoje faz a bola subir mais, porém também porque o espanhol não explorou tanto os slices. E assim Tiafoe bateu à vontade na bola, com confiança muito grande, a ponto de somar mais winners até mesmo no segundo set que perdeu.

O momento crucial foi, é claro, o quarto set. Apesar da pressão, Alcaraz não permitiu um único break-point e viveu um momento de grande tensão quando sacou com 30-30 no 4/4. Aí é onde se percebe toda sua capacidade. Disparou no tiebreak, aproveitamento pequena queda de intensidade de Tiafoe, e daí em diante mandou na partida. Fez um quinto set quase irrepreensível – cedeu apenas três pontos de saque, ainda que tenha acertado apenas 50% dos primeiros -, com certeza consciente de que Tiafoe bateu na trave, na sua melhor apresentação da temporada. Foi sua 12ª vitória em 13 partidas que vão ao quinto set.

Por culpa da chuva, nenhum dos dois favoritos sabe contra quem jogá no domingo. Sinner aguarda um canhoto, Ben Shelton ou Denis Shapovalov, que ainda começavam a partida, mas não vejo qualquer um deles com mais de 30% de chance em condições reais. Já Carlitos tem tudo para enfrentar o também canhoto Ugo Humbert, que está a apenas um tiebreak da vitória sobre Brandon Nakashima, o que seria um confronto inédito para o atual campeão.

Os outros dois classificados já conhecidos obedeceram a lógica. Tommy Paul desta vez jogou firme e não deu a menor bola para Alexander Bublik – curiosamente, aplaudido ao fechar um game com saque por baixo -, enquanto Grigor Dimitrov prevaleceu sobre Gael Monfils sem sustos. Paul será amplo favorito contra Fabio Fognini ou Roberto Bautista, em que o italiano lidera por 2 sets a 1, e Dimitrov deve ter o jogo mais difícil, caso Daniil Medvedev confirme diante de Jan-Lennard Struff.

Gauff confirma, Raducanu sonha

Os dois quadrantes de oitavas de final da parte inferior da chave feminina são totalmente díspares. Enquanto quatro cabeças de chave irão duelar por uma vaga na semi, grupo formado pelas americanas Coco Gauff, Emma Navarro e Madison Keys e a batalhadora italiana Jasmine Paolini, o outro setor não tem qualquer favorita, já que três cabeças foram batidas nesta sexta-feira.

Gauff chega às oitavas com apenas 10 games perdidos, embora duas adversárias tenham sido muito fracas, e por isso Navarro pode complicar as coisas, já que tirou Naomi Osaka e agora Diana Shnaider, numa virada imponente. Já Keys mostrou seu poder de fogo contra Marta Kostyuk e é favorita contra Paolini, que superou um primeiro set duro e depois atropelou Bianca Andreescu.

Se Gauff mira quartas no único Slam em que ainda não foi tão longe, Navarro tenta pela segunda vez superar as oitavas, tendo falhado em Paris. No duelo entre a 2ª a 17ª do ranking, Coco ganhou o único já feito, em Auckland de janeiro. Quadrifinalista de Wimbledon em 2015 e 2023, Keys é favorita nesse reencontro com Paolini, que reúne a 7ª e a 13ª do mundo. A vice de Roland Garros nunca havia ganhado partidas em Wimbledon até este ano.

Com um troféu de Slam na prateleira, Raducanu ainda tem a torcida a seu lado, mas desde o título do US Open de 2021 nunca mais tinha vencido dois jogos seguidos de Slam. Atual 135ª do mundo, fará impensável duelo contra a 123ª, a australiana Lulu Sun, a grande surpresa vinda do quali.

Numa partida tensa e longa, Badosa foi corajosa o tempo todo para tirar Daria Kasatkina e chegar pela terceira vez nas oitavas. Nunca enfrentou Donna Vekic, que ocupa um nobre 37ª lugar do ranking e tem um vasto currículo de 44 Slam disputados e uma quartas em Melbourne.

O que esperar do sábado

– Bia tem seu primeiro grande desafio do torneio ao encarar de forma inédita Collins, 11ª do ranking e em grande fase desde março. Jogo será por volta das 9h30 na quadra 3. A brasileira não pode permitir quebras precoces.
– Djokovic fecha a Central contra Popyrin. Australiano tirou um set em Melbourne de janeiro e nunca fez oitavas de Slam. Um tenista que sabe fazer um pouco de tudo, mas sua cabeça flutua muito.
– Norrie é freguês de Zverev, porém jogar na Central e com o público pode lhe dar maior motivação. Se alemão sacar como tem feito, entra como amplo favorito.
– Mais dois sul-americanos em quadra: Tabilo tenta surpreender Fritz, dois jogadores que ergueram troféus na grama na semana passada, e Comesana é zebra contra Musetti. Não podem ser descartados.
– Iga Swiatek ganhou todos os quatro jogos contra Yulia Putintseva, 35ª do mundo e que ganhou Birmingham dias atrás.
– Elena Rybakina tenta oitavas pelo quarto ano seguido. Carol Wozniacki, que quase caiu para Leylah Fernandez, não vence uma top 10 desde 2018.
– Ons Jabeur contra Elina Svitolina pode ser o grande confronto da rodada feminina. A ucraniana tem 3 a 1 sobre a duas vezes vice do torneio. Promessa de muita habilidade e variação em quadra.

O grande lance do dia

48 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
9 dias atrás

como joga esse espanhol

Vinícius
Vinícius
9 dias atrás

Alcaraz me surpreendeu positivamente hoje, todo mundo sabe que o maior e Se sobre o espanhol é sua oscilação, e isso aconteceu hoje porém no momento mais importante do jogo, ele foi lá e fechou a porta para o Tiafoe, o americano até teve um 0-30 no 5-5 no 4 set porém o espanhol buscou o game jogando, foi mérito dele essa virada, e sim o Tiafoe sentiu e caiu de nível mas tbm mérito do espanhol que soube ficar firme quando chegou o clímax.
Eu tenho medo do que o alcaraz vai se tornar se um dia ele deixar de oscilar ou mesmo que oscile, saiba jogar como foi hoje,pois se ele conseguir manter esse nível aí, sinceramente não tem jogadores que possam vencer ele não.
Tudo caminha para um alcaraz vs Paul e dimitrov ou medvedev vs sinner nas QF, espero que seja dimitrov pois gostaria de ver ele em um jogo de QF contra Sinner dessa vez no piso que ele gosta, diferente de RG que ele foi presa fácil.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
9 dias atrás
Responder para  Vinícius

Em Miami também.
Também acho que será na grama.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
9 dias atrás
Responder para  Vinícius

Bem, incrívelmente em 2014 Dimitrov depois de vencer Queens, bateu Murray em Sets diretos nas Quartas de WIMBLEDON 2014 . Fizeram FINAL no MASTERS 1000 de Miami com SINNER batendo em Sets diretos. A fé remove montanhas meu caro Vinícius. Abs!

Paulo A.
9 dias atrás

Dalcim, há alguma agência brasileira qie vende ingressos para Wimbledon?

João Sawao ando
João Sawao ando
9 dias atrás

Dalcim. Um assunto que não tem nada a ver.mas o tênis para quem consegue rodar o mundo e um grande esporte. Você conhece outras culturas e aprende outras línguas ou e obrigado a aprender….vide lun sun tenista neozelandesa filha de chinês. Fala inglês chinês e francês. Roger Federer acho que fala 5 idiomas. Bruno kuzuhara nasceu no Brasil neto de japonês naturalizado americano fala inglês português e japonês. Vou só falar mais um o Thiem austríaco fala alemão inglês e francês quando namorou a kristina mladenovic.vemos até o exemplo de alguns famosos como jo soares que também falava vários idiomas. Esse não era tenista rs.eu também tive um tio filho de japonês que falava 5 idiomas. Também não era tenista. Eu tentei ser tenista profissional nem de longe consegui nunca fui campeão carioca mas meus pais falaram na época de juvenil quer jogar tem que aprender línguas aprendi inglês , francês e japonês

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
9 dias atrás

Incrível mas qualquer matéria sobre JANNIK SINNER no Site TênisBrasil, ZERO de comentários. Tanto lá quanto aqui , todo mundo não perdoa o jovem Italiano rs . Pelo menos inovaram no Blog com o Papinho que é muito chato o jogo completo do garoto, que pra mim continua sendo o único Semi – finalista sem erro. Alcaraz surpreendentemente tem mais aceitação mesmo também tendo SLAM pra cima do ” goat ” rsrs. Abs !

Jonas
Jonas
9 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não se referiram ao jogo do Sinner e sim à falta de emoção dele.

Gustavo
Gustavo
9 dias atrás
Responder para  Jonas

O óbvio precisa ser dito, afinal

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
9 dias atrás
Responder para  Gustavo

Jogo completo, meu caro . Inclusive voleou barbaridade no último. Deve ser muito chato ver um cara com um Forehand devastador . Seu estilo ” ICEBORG” jamais será entendido por aqueles que se acostumaram década e meia com presepadas em quadra…Abs!

José Yoh
José Yoh
8 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Com o fim do Big 3, percebo uma certa confusão mental nos seus torcedores: quem será o próximo que eu irei torcer?

Sinner tem o estilo de jogo do Djokovic, mas o coportamento de um Borg, que nada parece com o do sérvio.

Alcaraz parece mais o jogo do Federer, mas o comportamento do Nadal.

Alguns ficam em dúvida se preferem o comportamento ou o estilo de jogo.

Abs

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
8 dias atrás
Responder para  José Yoh

Onde assino, caro Yoh. Literalmente na mosca …Abs!

Jonas
Jonas
8 dias atrás
Responder para  José Yoh

Foi longe agora, viajou. Depois que o Djoko parar ninguém é obrigado a torcer pra outro tenista. Podem simplesmente acompanhar jogos de outros tenistas, coisa que já faço há tempos.

E sobre Sinner, eu provavelmente não vou torcer na mesma intensidade que torço pelo Djoko, mas não tenho nada contra. Pra mim é como Medvedev, Zverev, Rune, Dimitrov etc, tenistas que eu gosto de assistir, simples.

O Gustavo fez uma afirmação simples, dizendo que pra ele é chato assistir ao Sinner, mas se referindo claramente ao jeito de ser do italiano, frio e sem expressão.

Já eu prefiro ver Sinner jogar do que o Alcaraz, por exemplo.

Gustavo
Gustavo
8 dias atrás
Responder para  Jonas

Perfeito!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
8 dias atrás
Responder para  José Yoh

Djoko, Nadal e Alcaraz têm muito sangue nos olhos, coisa que o Federer não tinha muito e o Sinner quase nada.

O estilo do Sinner é um Djoko 2.0 no fundo de quadra, mas ainda muito aquém perto dos slices, voleios e drops do sérvio.

Acho que nenhum torcedor do Big 3 vai torcer pra outro jogador da mesma maneira, fazendo vários sacrifícios e sofrendo horrores. Já disse isso antes e o Jonas repetiu hoje.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
8 dias atrás
Responder para  José Yoh

Ah, o jogo do Alcaraz só parece com o do Federer em agressividade. O resto não tem nada a ver.

João Sawao ando
João Sawao ando
8 dias atrás
Responder para  José Yoh

E por aí….esperamos que daqui 3/4 anos apareça um fenômeno…..sera o João Fonseca?

Gustavo
Gustavo
8 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Pode ter jogo completo e ser chato de assistir, ué.

José Yoh
José Yoh
8 dias atrás
Responder para  Jonas

Tenho uma impressão que os torcedores de um jogador se identificam com suas atitudes e por isso torcem por ele. Eu particularmente gosto mais do jeito do Sinner do que o do Alcaraz (ainda não tenho preferência).

E gostava mais do estilo Federer do que do Nadal ou Djoko.

Abs

Jonas
Jonas
8 dias atrás
Responder para  José Yoh

Depende, eu torço pelo Djoko porque gosto do jogo dele, pra mim é uma aula de tênis. É o tenista mais completo do circuito e em pouco tempo estará aposentado.

Não gosto das milongas que o sérvio fazia, parece ter parado com isso. Gosto desse lado dele de soltar a emoção, quebrar raquete etc.

O Federer eu gostava muito de assistir, o Nadal era um tédio. Mas não gostava da cara paisagem do suíço o jogo inteiro.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
8 dias atrás
Responder para  Jonas

Será que teremos um abaixo assinado ou um plebiscito para ter comentários nas matérias que o Sinner for o ator principal?
Só faltava isso mesmo.

Jonas
Jonas
8 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Kkkk dessa turma não duvido nada.

Gustavo
Gustavo
8 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Kkkkkkk

Paulo F.
Paulo F.
9 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Esse papo de que o jogo do Sinner é chato vem do teu próprii segmento.
Sei
A conferir
Rsrsrsrsrs abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
8 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Jura ??? . Segmento ? . Não tens nem noção das bobagens que postas . Estás perdidinho no momento kkkkkkkk. Abs!

Vinícius
Vinícius
9 dias atrás

Tava vendo no twitter que a Sakkari não chega a 2° Semana de um slam faz 2 anos, e ela é top 10 a quase 3 anos, ou seja nos últimos 2 anos ela ficou basicamente o top 10 sem ser uma das 16 melhores jogadoras de slam, isso para min evidencia o quão ruim é o calendário da WTA que é exagerado de torneios 500-1000 e da jogadores medíocres como ela a chance de ter um bom ranking sem ser uma boa jogadora e sim eu entendo que alguem vai argumentar que ranking é consistência e blá blá blá, porém façam o exercício no masculino, não tem um jogador que esteve ou está no top 10 nos últimos 2-3 anos que não esteve entre os 16 de um slam nos últimos 2 anos, sabe pq?pq o slam na atp conta demais, pq é uma grande pontuação,logo importa, para WTA os slam é só mais torneio qualquer, a WTA banalizou seu ranking enchendo com seus torneios de 1000 e 500 pontos, e assim eu sou sempre a favor demais, porém quando vc olha uma jogadora como a Maria Sakkari que atualmente está subindo no ranking (8 do Mundo) vc começa a se questionar se esse calendário não está inflado demais.
E assim a Maria é uma ótima pessoa, esforçada, não tenho nada contra ela, eu sou contra a essa enxurrada de torneios da WTA que proporciona jogadoras nota 6-7 como ela serem top 10 sem precisar brilhar em slam, é bizarro.

José Yoh
José Yoh
8 dias atrás
Responder para  Vinícius

Isso que vc apontou faz bastante sentido. Mas acho que o esforço de jogar vários desses torneios menores não é nada fácil, então creio que as coisas ficam meio equilibradas mesmo. Jogar vários torneios desgasta muito fisicamente.

Veja por outro lado que o Big 3 nos últimos anos praticamente só se esforçou nos slams e se mantiveram no topo, também não acho isso muito justo.

Abs

Luiz Henrique
Luiz Henrique
8 dias atrás
Responder para  Vinícius

Pega aquela temporada que o Murray terminou em primeiro do ranking e vai ver que ele superou o Djokovic por causa de vários ATPs 500 que ele disputou. Se fosse pelos grandes torneios, o Djokovic terminaria em primeiro.

Paulo A.
9 dias atrás

Dalcim, parece que a carreira da Luísa Stefani como duplista deu uma estagnada, não? Parece que a nova parceria não engrenou como era de se esperar. E o fim da parceria com o Léo Azevedo parece que a afetou bastante ou seria apenas uma má fase?

Luiz Fernando
Luiz Fernando
8 dias atrás

Quando os mimados da eterna nextgen perdem o esporte ganha, boa Shelton…

Ronildo
Ronildo
8 dias atrás

Por favor Dalcim, poderia explicar o que significa forehand virado?

Ronildo
Ronildo
8 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Obrigado

Luiz Fernando
Luiz Fernando
8 dias atrás

Iga irreconhecível no set 2, q acaba de perder. Se voltar a ser regular deve vencer o terceiro, mas está sob risco…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
8 dias atrás
Responder para  Luiz Fernando

Meu Deus, q dia da Iga, quantos erros. Mas a d estaria não tem nada a ver com isso. E a chave se abre com a ausência das duas principais tenistas da atualidade…

E mudando de assunto, Bia vencia p 40, a chuva interrompeu a partida por um período curto, e agora está 44. Mas isso infelizmente não é inesperado…

Neri Malheiros
Neri Malheiros
8 dias atrás

Dalcim, no jogo de estreia, contra a mexicana Renata Zarazua, me chamou a atenção a atitude agressiva de Emma Raducanu ao comemorar o ponto junto à rede quando abriu 40 a 0 ao sacar para fechar a partida com 5 a 3. Após trocas de bola e um drop shot de Zarazua para surpreender a adversária, Raducanu venceu com um contragolpe do lado oposto. A seguir, ela se aproxima ainda mais da rede e com o punho fechado brada alguma coisa enquanto encara de maneira acintosa sua oponente.

Não sei se anteriormente houve algum desentendimento que tenha motivado essa reação. Mas é evidente que comportamentos assim certamente seriam incompatíveis e inconcebíveis nos primórdios do tênis e no seu período de amadorismo. Com a profissionalização do esporte, obviamente que as regras comportamentais e outras mais também precisaram ser adaptadas aos novos tempos. Imagino que provocações claras e desabafos como o famoso ‘come on’ só aí foram incorporados ao circuito como algo aceitável, ou estou enganado?

Você pode esclarecer quais são os limites atuais para evitar atos desrespeitosos entre os competidores durante um confronto e quais são as punições previstas?

Felipe
Felipe
8 dias atrás

Não tenho ideia da gravidade da lesão de Emma, ​​então não posso comentar sobre sua decisão de se retirar, mas direi que se você concorda em jogar com Andy em sua despedida em Wimbledon, você precisa tornar isso uma prioridade tão grande quanto o torneio de simples.

Gustavo
Gustavo
8 dias atrás
Responder para  Felipe

E a mamãe Murray não gostou… postou no Twitter e ainda fechou a conta kkkk.

Sra. Judy, a Emma priorizou sua carreira. Raramente duplas mistas são uma prioridade tão grande quanto as simples…

João Sawao ando
João Sawao ando
8 dias atrás
Responder para  Gustavo

Acho que nem simples ela joga…

Cleber Lima
Cleber Lima
8 dias atrás

Bia perde para a Chuva, Dalcim não tem outro título do blog mais propício para seu comentário de hoje, fica a sugestão. Incrível como a Bia toma 8 games seguidos, melhora, volta a dominar novamente volta a Chuva ou seja mesma situação e ela não consegue mudar o script

Refaelov
Refaelov
8 dias atrás
Responder para  Cleber Lima

9 games seguidos amigo…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
8 dias atrás

Bia perdeu, como postei antes nenhuma surpresa, infelizmente…

Por fim Djoko, que performance incrível. Física e tecnicamente. Nem parece q foi operado recentemente. Fortíssimo candidato ao titulo, talvez o maior favorito…

João Sawao ando
João Sawao ando
8 dias atrás

Dalcim .e agora quem ganha no feminino?

evaldo.moreira
evaldo.moreira
8 dias atrás

Bia sendo Bia, e Bia perdendo como sempre….

Esse negocio que perdeu a confiança e não sei o que mais, meu consenso é que isso não corrobora com essa tese de jogo dela em quadra, dito isto, melhor nem entrar em quadra desse jeito, e é irritante ver que as pausas que ocorreram e ela volta do mesmo jeito, pelo amor de Deus.

Collins voltou, mudou de atitude, começou a erra menos, calibrou o saque e mandou ver, venceu a partida, porque tomou atitude, e com certeza o staff dela, orientou melhor que o staf da Bia, pronto e sem mimimi.

Ok, é 20 do mundo, merece…merece, principalmente pelos feitos do ano passado. O que aconteceu ??? O que houve ?, as entrevista aquém do esperado, nos deixando um pouco confuso, não há esclarecimentos contundentes, mas falta de confiança ??? Como assim, mental fraco ??? Não creio que o mental dela seja fraco, acho muito bom a força mental dela, mas que se perdeu em algum momento sim, com certeza, mas algum problema ela deva ter, será que é a lesão no ombro ? Não acredito, ela não seria ingênua, a chegar no ponto de fazer umas bobagens dessa, vamos aguardar.

E por fim, Alcaraz que jogo, que quinto set bem disputado, só que ficar esperto com o saque, e se Sinner continuar neste ritmo, semi-final com certeza, se confirmarem, será um jogo eletrizante, vamos aguardar.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon