PLACAR

A desafiadora grama com portas abertas

Jack Draper. (Foto: ATP)

Ainda não se sabe se Novak Djokovic terá condições de jogar Wimbledon ou, mesmo que o faça, como estará fisica e mentalmente para o maior desafio de qualquer tenista profissional. Por isso mesmo, a curta temporada masculina de grama, que começou de forma mais lenta nesta semana e que promete pegar fogo com os dois fortes ATP 500, parece estar mais do que nunca com portas bem abertas.

Se tirarmos da conta o favoritismo sempre natural de Nole, o único nome com histórico de peso neste piso é Carlos Alcaraz, nada menos que o atual campeão de Queen’s e de Wimbledon. Ainda assim, Carlitos soma apenas 18 partidas na superfície, das quais venceu 16 e as últimas 12 consecutivas. Defender títulos e chegar com todos os holofotes após a conquista tão importante em Roland Garros sempre geram cobrança adicional.

Fato interessante é que nomes relevantes como Jannik Sinner e Alexander Zverev jamais ganharam um título na grama. O alemão já disputou 18 torneios, nos quais ganhou 33 vezes, e o italiano já está com oito tentativas e apenas 12 vitórias. Ambos jogarão Halle, um piso costumeiramente mais veloz do que Wimbledon, e quem sabe esse currículo possa aumentar de forma tão positiva que os coloquem em situação ainda mais destacada para o Slam londrino. Vale ressaltar que Sinner fez quartas e semi em Wimbledon nos últimos dois anos, em ambos barrados por Djokovic, enquanto Sascha jamais passou de oitavas por lá.

Talvez por isso valha a pena ficar de olho no já veterano Grigor Dimitrov, o top 10 atual com mais vitórias no piso depois de Nole, com um total de 42. É bem verdade que, em 32 torneios, ele só levantou um título e isso foi lá em Queen’s de exatos 10 anos atrás, mesma temporada que fez seu único resultado expressivo em Wimbledon, com a semi. No entanto, é fato que Dimitrov revive um momento de tênis sólido e confiante. O ATP 500 de Londres será ótimo teste, com eventual cruzamento com Alcaraz na penúltima rodada.

Dos outros grandes do circuito atual, Daniil Medvedev, Alex de Minaur, Hubert Hurkacz, Stefanos Tsitsipas e Taylor Fritz também já tiveram o gostotinho de levantar ao menos um troféu, algo que ainda falta a Andrey Rublev e Casper Ruud. Confesso no entanto que o polonês tem meu maior destaque nesse grupo. Além de semi de 2021 e vencedor de Halle na temporada seguinte, Hubi tem armas que podem funcionar bem. Medvedev até fez semi no ano passado em Wimbledon, uma coonsiderável surpresa, porém numa chave muito propícia. Fritz por sua vez ganhou duas vezes Eastbourne, falhando nos torneios maiores. De Minaur acaba de ganhar na Holanda, vive o maior momento da carreira e a grama é algo mais natural para ele, que poderia fazer mais não fosse a falta de primeiro saque contundente.

Por tudo isso, Matteo Berrettini me parece no momento o homem que todo cabeça ou top 10 precisa tentar fugir. Deixou escapar neste domingo em Stuttgart seu quinto troféu na grama, mas ainda assim tem 40 vitórias em 49 possíveis na grama. O finalista de Wimbledon e campeão de Queen’s em 2021 tem um jogo bem talhado para a superfície, onde resolve a instabilidade do backhand com slice precioso. A eterna dúvida é o quanto aguentará fisicamente uma longa série de jogos. O italiano estará já em Halle nesta próxima semana.

Não se pode jamais desprezar a experiência de Andy Murray e seus oito títulos e mais de 100 vitórias na grama e quem sabe velhos heróis, como Richard Gasquet, Adrian Mannarino e Milos Raonic, ainda consigam causar buracos nas chaves. Se fosse apostar em ‘zebras’, no entanto, eu preferiria ficar com os jovens canhotos Jack Draper e Ben Shelton ou ainda mais com o saque poderoso de Alexander Bublik. O britânico de 23 anos faturou enfim seu primeiro ATP em Stuttgart, possui grande chance de se garantir na lista de cabeças de chave em Wimbledon e pode desafiar Alcaraz logo na segunda rodada de Queen’s.

Os números históricos da grama

Nos longos tempos em que o tênis era jogado mais na grama do que no saibro – o piso sintético só apareceu no circuito no finalzinho da década de 1960 -, o norte-americano e multicampeão Don Budge aparece como o grande bicho-papão, tendo vencido 91% de seus 55 jogos oficiais, período em que ganhou cinco títulos de primeira linha. O maior colecionador de troféus, no entanto, foi o compatriota Bill Tilden, com 10.

Quando o tênis se tornou profissional, a grama foi gradativamente sumindo do calendário. Três Grand Slam mantiveram o piso, mas o US Open mudou para har-tru já em 1974 e depois adotou o sintético, enquanto a Austrália seguiu até 1985. Wimbledon permaneceu como o grande desafio.

Os torneios também fizeram essa adaptação e hoje a grama resiste apenas na Europa, com calendário curto na Holanda, Alemanha e Inglaterra, com um torneio ainda na Espanha, todos com a meta de aquecer para Wimbledon. Com a lamentável saída de Newport, local que chegou a sediar o US Open no amadorismo, os EUA enfim aposentaram a grama.

Mesmo com esse panorama tão reduzido, Roger Federer e Pete Sampras ainda se tornaram os ‘reis’. O suíço ganhou 19 títulos e incríveis 192 partidas, muito acima das 10 conquistas do norte-americano. Stan Smith e Jimmy Connors ergueram nove troféus e depois vem uma lista grande, onde figuram John McEnroe, Lleyton Hewitt e os ainda ativos Djokovic e Murray, todos com oito.

Na questão numérica de vitórias, atrás das 192 de Federer, surgem Connors (185) e John Newcombe (164). Curioso ver que Hewitt anotou 129, acima das 121 de McEnroe, as 118 de Murray, as 116 de Becker e as 115 de Djokovic. Note-se que Sampras terminou com ‘apenas’ 101 vitórias.

Federer também possui a mais longa série de vitórias anotadas na grama, que são de 65 consecutivas, um domínio de superfície que só é inferior ao de Rafael Nadal no saibro, que chegou a 81. Atrás do suíço, aparecem Borg (41) e Djokovic (34).

E mais

– Marcelo Melo e Rafael Matos engrenaram e conquistaram Stuttgart com campanha dura. O mineiro de 40 anos chega assim a seu sexto troféu de duplas na grama, lista que inclui Wimbledon e dois Halle, e soma agora 38 na carreira. O canhoto gaúcho ganha o segundo do ano e o oitavo no total.
– Bia Haddad faz inédita aparição na grama alemã e o fortíssimo 500 de Berlim exigirá esforços. Começa contra Alexandrova, top 15 sobre quem tem 3 vitórias, e se vencer encara a favorita Gauff. A canhota ainda irá jogar em Bad Homburg antes de Wimbledon, onde defende oitavas e mais 240 pontos.
– Depois de duas boas aventuras em challengers na grama inglesa, João Fonseca ganhou convite para mais um 500, o fortíssimo Halle. Embora pudesse ter sacado um pouco melhor e explorado mais a rede, o garoto carioca me agradou pela devolução bem adaptada. Vai pegar o australiano James Duckworth, que veio do quali, e é 101º.
– Fonseca também está garantido no quali de Mallorca da outra semana e aguarda três desistência para entrar no quali de Wimbledon.
– Meligeni entrou no challenger de Ilkley, Wild está a quatro vagas da chave de Eastbourne da próxima semana e Monteiro tem lugar no quali de Mallorca.
– O complexo de Halle fica na… avenida Roger Federer. A homenagem ocorrou lá em 2012.
– Os dois primeiros torneios femininos da grama mostraram o quanto Liudimila Samsonova é perigosa nessas superfícies velozes e deram título para Katie Boulter, uma britânica de 30 anos que continua ascendendo no circuito.
– Muito bom foi ver que Bianca Andreescu voltou forte e que Karolina Pliskova, vice de Wimbledon em 2021 e dona de três WTA na grama, ainda pode ‘aprontar’.

250 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
29 dias atrás

não vejo “portas abertas”. o grande Alcaraz deverá dominar com ainda mais facilidade que no ano passado

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

FEDERER ETERNO GOAT, “o grande Alcaraz deverá dominar com ainda mais facilidade que no ano passado”? Sinto em dizer, mas você me dá pena, pela falta de base híbrida de inserção delirante. Ora, se o nó cego do Novak Djokovic conquistou três slams em 2023, e se o mesmo terminou o referido ano como líder do ranking, como é que Carlos dominará o circuito com “mais facilidade que no ano passado”? E mais: estamos já na metade da temporada de 2024 e, assim sendo, como é que o espanhol terá um domínio tão arrasador, se Sinner já conquistou seis torneios no total e é o atual número um? Carlos não tem tal soma de troféus em sua estante no ano corrente, e se iguala ao italiano apenas no quesito Grand Slam, ou seja, cada qual levou um para casa. Para completar, Jannik lidera a corrida dos campeões com 1400 pontos de vantagem sobre Carlos, enquanto este ostenta apenas a terceira colocação, atrás do alemão amarelão Alexander Meneghel. Juntando os cacos da sua avaliação sem pé nem cabeça, concluo que sua postagem não tem a menor serventia, primeiro porque tem como base o que não houve 2023, e segundo porque tem como referência uma temporada de 2024 que já está na metade, sendo que Carlos começou a mostrar a que veio somente a partir do último mês. E antes que você me venha com tolices do jeito futebolês de ser, lhe informo que não, eu não torço para Jannik Sinner, meu propósito é “apenas” esclarecer o quanto você está batendo cabeça…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
27 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

VALMIR, ele deve estar falando apenas da temporada de grama, mas de igual forma, como está em seu texto, não tem serventia, mesmo porque, ano passado não foi tão fácil como parece o escrito acima.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

O cara venceu Queen’s ( Novak novamente pulou ) e na sequência WIMBLEDON pra cima do Sérvio. Tem agora 2500 pontos a defender . Com JANNIK SINNER mordido na parada e como Alcaraz ainda não se mostrou 100% , provavelmente vai ser mais difícil agora . Ao menos, a meu ver . Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Como dissemos, nada será mais fácil como escreveu um tal de “Federer eterno GOAT”.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, pois então que ele aprenda a especificar melhor o que sai de sua cabeça e morre num espaço de foro público. Sobre a defesa que você faz do careta, esta não ajuda em nada, já que sua oração é proferida na condicional, a saber: “ele deve estar falando”. Juro que não consigo entender, não me entra na cabeça essa falta de clareza no que se propõe a dizer e a feira serial de equívocos que fulano e sicrana emanam de suas mentes criativas, beira a irresponsabilidade. Juntando os cacos( novamente ), o pretenso FEDERER ETERNO merece todo nosso respeito, mas minha defesa, jamais. Nesse caso, prefiro ser advogado do diabo, aliás, que belo filme…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

VALMIR, não o defendi, visto que são recorrentes sua postagens cheias de paixão pelo suíço, mas sem nenhum senso crítico real. O que quis fazer foi dizer que em minha opinião ele falava apenas da temporada de grama.
Sobre o filme Advogado do Diabo, é excelente mesmo, contando com a sempre magistral interpretação de Al Pacino e a belíssima (como é bela!) Charlize Theron.
Dizem e é verdade, que os atores/atrizes são muito bem produzidos para entrarem em cena, tornando-os sempre bonitos, exceto a própria Charlize no clássico Monster, que a transformaram numa mulher feia. Mas, na copa de 2010, na África do Sul, sua terra natal, ela foi flagrada pelas câmeras do estádio, no meio das arquibancadas, belíssima, como nas telas.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, há cerca de três anos escrevi um poema chamado “A Revolução dos Feios”, no qual faço referência a Macabéa, a protagonista de “A Hora da Estrela”, de Clarice Lispector, mais tarde vivida de forma brilhante pela atriz Marcélia Cartaxo, no filme homônimo da Suzana Amaral. Claro que a beleza convencional é uma realidade, no entanto, prefiro acreditar que beleza, na maioria dos casos, é algo subjetivo. Eu, por exemplo, acho Aryna Sabalenka, Björk, Frances Tiafoe e Michael Stipe, além da própria personagem Macabéa, uma gente bonita e charmosa. Quanto ao tal FEDERER II, o releguei ao lado sombrio da minha mente…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Puxa VALMIR, infelizmente não concordo com o Michael Stipe nem o Tiafoe, mas se fosse o James Blake, certamente concordaríamos também.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

NADA A REFUTAR, É SUBJETIVO…

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
25 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

O comentário dele me pareceu uma resposta ao post do Dalcim. Ele começa falando “Não vejo portas abertas”, porque o post do Dalcim se intitula “A desafiadora grama com portas abertas”. Então, ele não especificou porque o post do Dalcim já trata da temporada da grama.

E cá estou eu dando uma ade advogado de FEDERER O GOAT ETERNO! rsrs

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Rafael Azevedo

Engraçado mesmo.
O Dalcim realmente deu a entender que as portas estão abertas, mas ele, O Eterno, diz que será ainda mais fácil para Alcaraz, como se ano passado, fosse um passeio no parque.
Vencer Djokovic no 5 set na grama, deve ter sido uma tarefa bem fácil mesmo.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Rafael Azevedo

RAFAEL AZEVEDO, sinto em dizer, mas você chegou tarde, já esgotei minha colaboração quanto ao referido tema, tricotando com o sapiente LUIZ FABRICIANO…

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
23 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Sem problemas, Valmir.

Por se tratar de um blog, as respostas normalmente são orientadas ao conteúdo e não ao autor da postagem, com algumas exceções pontuais. Sua indagação ao comentário do colega acima poder a mesma de outros, então só repassei a minha visão para contribuir ao debate. Você realmente não precisa responder ao meu post. Em nenhum momento esperei por isso.

Última edição 23 dias atrás by Rafael Azevedo
Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
23 dias atrás
Responder para  Rafael Azevedo

RAFAEL AZEVEDO, não tenho a menor dúvida de que você contribuiu, e muito, ao se reportar a mim reiterando o que o discernido LUIZ FABRICIANO já havia me dito…

Sandra
Sandra
29 dias atrás

Que bom que você voltou ? rsss Dalcim, vi dois comentaristas enterrando Djokovic ! Que Djokovic não ganha mais nada !Vc já enterrou ele também ? Já estou vendo Nadal empolgadinho , não duvido nada que ganhe as olimpíadas nos pares.

Sandra
Sandra
29 dias atrás

Sou obrigada a voltar novamente , Com quantos anos Federer ganhou seu último slam ? E a última pergunta , estou torcendo muito pelo João Fonseca , mas será que não estao muito apressados já jogando atp 500 ?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Sandra

SANDRA, lembro de um comentário seu outro dia, torcendo para que João recebesse convite para Roland Garros. Existe slam nível 250 ou slam nível challenger, por exemplo?

Refaelov
Refaelov
28 dias atrás

E o Heide vejam só, depois da participação no podcast afirmando q “gostaria de fazer uma temporada de fato na grama”.. só deve msm voltar a aparecer em quadra pro Qualy de Wimblendon(para surpresa de ninguém).. mas temos q ser compreensivos, n dá pra exigir q qlqr trabalhador atue por 4 semanas seguidas sem uma posterior folga desse mesmo montante após.. Saudações!

Ronildo
Ronildo
28 dias atrás

É muito difícil ser Emma Raducanu no circuito! A jovem tem milhões em patrocínios além de ter batido recordes e conquistado um slan com menos de 20 anos. As adversárias em geram entram “mordidas”, com muita gana para vencer Raducanu. O que sempre representa uma dose de energia extra a favorda adversária. Raducanu, ao contrário, já entra em quadra como uma vencedora na profissão e na vida. Deve haver até momentos em que se questione os motivos de precisar lutar tanto por mais uma vitória, tentando alcançar mais motivação. Hoje Raducanu quase chegou na final do torneio. Porém sua adversária como sempre estava muito, e certamente mais motivada. Além do mais à partir da metade do terceiro set Raducanu teve contra si uma terrível maldição local/temporal que fazia a sacadora perder o game, e a contagem estava a favor da adversária, também britânica, o que definitivamente selou a derrota de Raducanu por 6/4 no saque dela. Acredito que Raducanu tem que se poupar mesmo nestes torneios menores. Apenas assegurar que está bem física e tecnicamente para entrar bastante motivada em Wimbledom. Aliás se eu fosse estrategista da carreira dela, e seria muito melhor estrategista que seus pais que detonaram sua carreira depois do US Open 2021, aconselharia ela a apenas se manter saudável na temporada de saibro para focar na grama e na quadra dura.

Andre Borges
Andre Borges
28 dias atrás
Responder para  Ronildo

E tem dois agravantes que atrapalham demais o jogo da Raducanu. Primeiro que toda vez colocam uma adversária do outro lado da quadra e segundo que as bolas são muito redondas.

Última edição 28 dias atrás by Andre Borges
Ronildo
Ronildo
28 dias atrás
Responder para  Andre Borges

Mas aí, com estes agravantes, ela teria que contratar a NASA para tentar solucionar os problemas de jogo para ela, André. Ou outra agência científica. Cuidando para não contratar o pessoal da OceanGate que implodiu o submarino Titan ano passado. Porque de implosão ela já está saturada!

Última edição 28 dias atrás by Ronildo
Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Andre Borges

ANDRE BORGES, você é muito criativo, eu adorei sua avaliação sobre o teor abobrético da postagem do RONILDO. Raducanu não tem jogado nada porque é uma menininha deslumbrada, até porque, há meses que ela voltou ao circuito pós contusão, ou seja, o que ela não tem jogado não se justifica…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Ronildo

OH! POBRE MENINA RICA…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, em qual ano você acha que a Raducanu voltará jogar?

Ronildo
Ronildo
27 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Olha, ela tem tudo pra fazer final em Wimbledom2024. Essa é minha espectativa. Porém sabemos que há muitos percalços na vida dos tenistas, então não é algo líquido e certo!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, nesse caso, a outra finalista em Wimbledon/2024 será Sofia Kenin, ou seja, será a final dos sonhos rolando na grama. Dos teus sonhos…

Ronildo
Ronildo
27 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Certamente Valmir!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
25 dias atrás
Responder para  Ronildo

Olha, Ronildo, não tô com pena da Raducanu não. Inclusive, se ela visse minha conta bancária, quem ficaria com pena seria ela de mim. Isso se antes não caísse dura pra trás.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
28 dias atrás

Nossa, Dalcim… quantos números! Só espero que não tenha deixado cair nenhum ZERO no chão…
E uma pergunta: é verdade que o Guilhermo Villas, depois de perder na primeira rodada de WB, disse ” – Grama é para as vacas”? E que eu saiba, nunca mais voltou…

A grama eu acho um piso bonito de se ver, dá um ar bem diferente ao esporte. Mas a manutenção é custosa. E não há muitos jardineiros especializados neste tipo de grama. No Brasil, então… A maioria dos clubes está fazendo no almoço pra comer na janta.
Não é de se estranhar que sul-americanos não costumam se dar bem lá . A maioria acaba “pastando”.
Quem sabe o João Fonseca?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Obrigado. Eu achava que era o Villas.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Já ouvi dizer isso do Safin!

Flávio
Flávio
26 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Maurício Luís vc uma vez sugeriu que o tênis masculino não é melhor que o feminino kkkk, embora eu dizia que é injusto comparar, pois o nível do tênis masculino é outro agora como vc disse esta piada, então será que vc voltou pra realidade ou ainda está em sono profundo? Kkk

Maurício Luís *
Maurício Luís *
25 dias atrás
Responder para  Flávio

Continuo dizendo que o tênis masculino não é melhor que o feminino. E a qual piada você se refere? Não entendi. Eu fiz é uma pergunta pro Dalcim sobre esta declaração “Tênis é para as vacas”.
Eu vejo assim; não tem essa de melhor nem pior. É diferente. E é questão de gosto também.
Quem gosta de força, tem halterofilismo, braço-de-ferro. Gosta de velocidade? Tem os 100 e 200 m rasos no atletismo. E por aí vai.
Já quem gosta de grunhidos, tem no tênis masculino e no feminino. A diferença é que elas o fazem mais agudo.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
28 dias atrás

Nobres, abaixo um vídeo (chamada) oficial de Wimbledon 2024:

https://www.youtube.com/watch?v=0HSHAsnyi14

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
28 dias atrás

Dalcim, vi você respondendo que jamais se atreveria em “enterrar” Djokovic. Como você não é de ficar em cima do muro, quero saber sua opinião:

Djokovic ganha ainda outro Slam antes da aposentadoria ?

Volta a ser numero 1 novamente ?

Marcelo Reis
Marcelo Reis
28 dias atrás

Dalcim, o Jack Draper tem 22 anos. Faz 23 só em 22/12. Ajuste aí! Abraço.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
28 dias atrás

Dalcim, o que aconteceu com Nick Kyrgios?

Eu nunca mais ouvi falar dele. Ele se aposentou, se machucou, voltará nessa temporada ainda?

Era o meu tenista favorito depois do Federer…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Aproveito pra perguntar: se um tenista fica um tempo muito longo sem jogar por problema de saúde – tipo 3 a 4 anos – tem direito a ranking protegido também?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
28 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

O mínimo de 6 meses e o máximo de 1 ano . A partir daí perde direito ao Ranking protegido, meu caro Maurício. Abs!

Sandra
Sandra
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Vc poderia então me explicar como o Raonic quase não joga há muito tempo e consegue entrar nos torneios ?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Sandra

Ele é apenas TOP 155 no Ranking atual. Quem não daria CONVITE para alguém que fez história hoje com 47 Aces ( recorde absoluto em partidas de 3 Sets ) . Murray recebeu o seu hoje para as Olimpíadas, cara Sandra…Abs!

Sandra
Sandra
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Obrigada

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Correção: Milos foi e voltou tantas vezes, que TênisBrasil esclareceu que o cara está novamente com Ranking Protegido . A informação do Convite Olímpico a Murray está valendo. Sorry, Sandra! . Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Brigadão, Sérgio.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
27 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Poxa!

Que desastre isso pra mim…

Dois tenistas tão espetaculares e interessantes de assistir como Federer e Kyrgios dando adeus quase que ao mesmo tempo.

José Alexandre
José Alexandre
28 dias atrás

É o piso mais suscetível a zebras, mas acredito na polarização Sinner/Alcaraz, devem ganhar os 500 e fazer a final de WB.

Gustavo
Gustavo
28 dias atrás

Berrettini vive machucado e quase não joga. Mas quando joga, faz bonito. Nessa temporada, dos 5 torneios que jogou, foi à final em 3.

– Vice Challenger 175 Phoenix
– Campeão ATP 250 Marrakesh
E agora finalista do ATP 250 Stuttgart

Detalhe: em 3 pisos diferentes!

Arthur
Arthur
28 dias atrás

Federer, o rei da grama

Júlio
Júlio
28 dias atrás
Responder para  Arthur

Onde o Djokovic deixou o Federer comendo grama kkkk

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
28 dias atrás
Responder para  Júlio

Exato. 19 Conquistas contra 8 do Sérvio. Primeiro o fujão de Queens e Halle , precisa ultrapassar Pete Sampras com 10 . Ainda em QUARTO ao lado de Big Mac e Lleyton Hewitt , tá feia a coisa pro ” goat” kkkk Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
28 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Feia?
Djokovic é apenas top5 em vitórias na grama, mas, só 7 canequinhos de Wimbledon.
Horroroso!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Feia a coisa em número de Conquistas. Difícil o confuso LF 2 entender qualquer texto. Dificilmente o ” goat ” sai desta colocação. Rsrsrs, Abs !

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ok, trivicampeão no único torneio que interessa. Ah, mas foram 94 winners, hunf hunf!

Kkkkkkk, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

OCTACAMPEAO em WIMBLEDON (batendo o Sérvio em 2012) . PENTACAMPEÃO no USOPEN consecutivo( batendo o Sérvio em 2007 , 2008 , 2009 ), quem da Kombi inventou que somente o primeiro é que interessa??? kkkkk, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não foi campeão em 2009 e depois o Craque o bateu consecutivamente em 2010 e 2011, além da final de 2015. Terminou 3×3.

Eu disse que Wimbledon é o torneio que realmente interessa na grama. Nenhum dos outros é Big Title e o GOATaço só os jogou em 2008/2009 e na má fase 2017/2018.

A conferir, abs!

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Nossa, que “problema” tendo SETE conquistas em Wimbledon, sendo TRÊS em cima DELE.

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Queen’s e Halle não são M1000, então não são Big Titles.
E Big Titles não é coisa da minha cabeça, é da ATP.
Mas quem seria a ATP perto de Sérgio Ribeiro, não é mesmo?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Errado. bigtitles foi inventado apenas em 90 , longe do início da Era Profissional. E com o grave erro de não ter um único MASTER 1000 na Grama Sagrada. Roger Federer conseguiu a Proeza de vencer 65 partidas CONSECUTIVAS na superfície, saíndo da GIRA de Saibro Europeu onde venceu SETE ” bigtitles” . Já Djokovic perdeu todas as 3 FINAIS que atingiu na Grama Rápida. Quantos bigtitles teria o Suíço se ATP colocasse apenas 1 nesta superfície ? Somente em Halle possui DEZ conquistas…Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Queen’s tem a mesma velocidade de Wimbledon. Halle é mais rápida de fato.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Pois é, que tal queixar-se, em carta formal à ATP?

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Com carta formal ou não à ATP, o argumento do Sérgio continua válido.

Realmente se houvesse Masters 1000 em grama, Roger provavelmente teria um número mais elevado de títulos desse nível.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Se.
Se ele tivesse feito apenas um ace no 40×15 (e olha que ele era muito bom nisso), talvez nem esse Blog existisse mais.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
24 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Tanto era bom que só naquele game fatídico ele cravou dois! rs Mais um e teria fechado o jogo.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Exatamente o que escrevi antes.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
25 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Aí Djoko jogaria mais torneios na grama e com base no histórico de ambos em WB…

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
24 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

O histórico em Wimbledon não pode ser negado, mas isso, por si só, acho insuficiente…

Apenas em Halle, pra se ter ideia, o Federer tem 10 títulos. Domínio incrível. E lá, a grama é ainda mais rápida.

Acho difícil supor que o Djoko faria melhor do que o Federer fez nesses torneios com melhor de 3 sets e em grama mais rápida.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Júlio

No sentido figurado sim, enquanto que no sentido literal foi ele que comeu a grama de Wimbledon várias vezes e ainda fez cara de que estava gostosa em 2019.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Não atoa teus seguidores repetem as bobagens do Piloto da Turbinada. Qual o h2h entre ” goat” e Pete Sampras ????. O Note -Americano é o segundo em conquistas na superfície….kkkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não foram jogadores da mesma época, enquanto o suíço enfrentou o GOAT e perdeu 3 finais de Wimbledon mesmo. Gildokson e 99% da torcida choram o 40-15 até hoje.

Rsrs, abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

*enfrentou 50 vezes

Belarmino Jr
Belarmino Jr
28 dias atrás
Responder para  Arthur

Dá grama e hards.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Números no hard:

GS: 14×11
Finals: 7×6
M1000: 29×22

GOATaço dono do piso com facilidade.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Outra bobagem. O Craque Suíço possui 71 Conquistas nas hards contra 60 do ” goat “. Não vamos falar no Saibro pois área é do Touro Miúra disparado …kkkkkk. Abs,!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Bobagem ser superior em TODOS os Big Titles? O Terceirão só ganha em 250 e 500, para os quais ninguém liga. Também é freguês no h2h com 20×18 e 7×4 em Slams.

50 >>>>>>>> 39

Sem choro e abs!

Antonio Gabriel
Antonio Gabriel
27 dias atrás

Dalcim, você citou ai vários números sobre os poucos torneios de grama na era profissional, mas se nos resumimos apenas a Wimbledon, a coisa fica toda entre RF, ND e PS certo?

Sandra
Sandra
27 dias atrás

Dalcim, o que está havendo , todos jogadores queriam jogar as olimpíadas , afora estão fugindo ?

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Realmente, ir do saibro para a grama e voltar para o saibro, e depois para as hards imediatamente, parece muito difícil se você estiver sujeito a lesões ou, realisticamente, não tiver chance de ganhar uma medalha.

Ou você é jovem o suficiente para que a próxima vez que jogar em 2028 seja em quadra dura antes do USO e você terá apenas 25 anos.

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás
Responder para  Sandra

Muitos não vão pq não conta ponto e não dá dinheiro. A Badosa este ano escolheu pegar o wild card para jogar os slams (US open e wimbledon) em vez de ir para Paris para as olimpíadas. Mas eu não perderia por nada. Olimpíadas, para a maioria dos atletas, é o auge.

Após a desistencia da Sabalenka, o pessoal falando que em geral “os tenistas grandes desistem das Olimpiadas”

Corta pra Serena Williams (4), Rafael Nadal (2), Roger Federer e Andy Murray (2) na lista de campeões olímpicos recentes!

Djokovic não subiu no topo do pódio olímpico (tem um bronze em Pequim) mas buscou essa medalha insistentemente! Nunca vou esquecer dele em prantos ao ser eliminado pelo Delpo no Rio!

Têm tenistas que desistem? Sim!

E real acho que a Sabalenka perdeu motivação por ter que ir como neutra. E acho q nem poderia falar q é por isso sob pena de se insurgir contra o governo de Putin… e a gente sabe o q pode acontecer… morrer “acidentalmente” no elevador, no avião, na escada…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Gustavo

“NÃO VOU JOGAR AS OLIMPÍADAS por causa das regras da WTA em relação aos torneios obrigatórios. Neste momento da minha carreira, especialmente com todos os problemas que enfrentei nos últimos meses, tenho que cuidar da minha saúde”, ou seja, GUSTAVO, era só o que faltava uma tenista importante prejudicar sua carreira, por conta de um patriotismo tolo enquanto motivo principal de sua desistência da olimpíada. Você deveria era deixar a confraria do JOSÉ NILTON um pouco de lado e prestar mais atenção no que lê em TenisBrasil, se é que lê…

Gustavo
Gustavo
26 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Vc poderia ter terminado o teu comentário no “desistência da olimpíada”. Mas continuou pq gosta de ser agressivo e desrespeitar e diminuir e xingar os outros. Não sabe ou não quer debater de forma respeitosa e pacífica.
E eu não quero conversar com alguém tóxico assim.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Gustavo

GUSTAVO, adeus pra você também…

Sandra
Sandra
23 dias atrás
Responder para  Gustavo

Concordo

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás

Andy Murray está confirmado para jogar as Olimpíadas este ano e então este é o momento perfeito para lembrar a todos que ele é o único jogador a defender com sucesso uma medalha de ouro olímpica de simples.

Rei retornando ao seu trono.

Fernando
Fernando
27 dias atrás

Oi Dalcim! Se o Murray tem 100 vitórias na grama, Dimitrov é o terceiro concorrente com mais vitorias no piso, depois do Djokovic e do Murray, e não o segundo, depois do Djokovic. Abraço!

Nando Parrado
Nando Parrado
27 dias atrás

Dalcim, por favor, não diga que Federeré “rei” da grama. Isso poderia até ser justificado pela questão da idade ao ter perdido 2014 e 2015 pra Djokovic (eu acho q não, pois nesses dois torneios ele chegou voando), mas depois de WImbledon 2019, na maior amarelada de todos os tempos, acho que não dá mais pra colocar o suíço nesse posto.
Ou o rei é Sampras, que eu acho q é, ou é Djokovic, q ainda foi prejudicado pela ganância de Wimbledon em não fazer a edição de 2020, tendo em vista que o único que realmente se mostrou capaz de vencer o sérvio em Wimbledon foi Murray, por o britânico já em 2018 tava já contratando advogado pra ver o INSS

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Assim como não podemos diminuir Federer na grama por causa de 2019, não podemos dizer que Djokovic não é excelente e expressivo na mesma apenas porque ele não participa de Queen’s e Halle, não?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Pra manter a minha coerência numérica, 8 é maior do que 7. Não brigo com números. Porém, não é um domínio absurdo como o Nadal no saibro e nem bastante expressivo como o do Djoko na quadra dura. Agora se você quiser entrar em subjetividades, o sérvio venceu mais Wimbledons parrudos (5×3).

Nando Parrado
Nando Parrado
26 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Mas aí é q tá, só por conta de Wimbledon 2020 isso já se torna relativo.
E em relação a Sampras vs Federer, o 8×7 não é tão simples, tendo em vista que na época de Sampras a medicina esportiva era outra, ou vc acha que foi o acaso que fez em 2018, o top 10 ter 7 tenistas com 30 anos ou mais?
Federer ganhou dois Wimbledon’s depois dos 30, e ainda fez 3 finais, se Sampras tivesse chegado inteiro no mínimo até os 35 anos, quantos mais Wimbledon’s ele teria? Pq em 7 finais tem 100% de aproveitamento. Eu não acho que ele chegaria as 14 de Nadal, mas uns 11 ou 12 títulos ele teria

Paulo Almeida
Paulo Almeida
26 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Concordo que Djoko era favorito para Wimbledon 2020 num cenário sem pandemia, já que Federer estava afastado por lesão, mas teria que provavelmente enfrentar o Nadal na final e não teria sido nada fácil, víde o confronto épico de 2018; o espanhol também fez semi em 2019.

Em relação a hipóteses (o famoso se, se, se), cada um faz a sua, mas eu tenho minhas dúvidas. A quadra de Wimbledon mudou em 2001 de acordo com fontes oficiais e as bolinhas também ficaram maiores (aí acho que foi em 2002), tornando o jogo mais lento e com mais trocas. Saretta falou muito disso no Ace Band Sports. Sampras caiu na segunda rodada em 2002. Será que teria vencido mais algum Wimbledon só no saque-e-voleio? Eu não creio.

De qualquer forma, como disse no começo, na grama as coisas são mais equilibradas e o suposto rei tem vantagem mínima.

Abs.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
27 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Foi quase que inexplicável o suíço não ter conseguido fechar aquele jogo, ainda mais com 2 matchpoints e no saque.

Apesar disso foi um Showzaço dele em cima do Djokovic – coisa que o próprio sérvio comentou há poucos dias. O suíço foi superior em praticamente todos os números daquela partida. Ele merecia mais…

Até naquelas trocas mais longas de bola, área em que o Djoko leva vantagem, o Federer mostrou equilíbrio.

Também relativamente aos erros não – forçados do suíço, eles foram poucos, mesmo com aquele número assombroso de bolas vencedoras!

Acho que isso e tantas outras conquistas do suíço nessa superfície ainda o credenciam como o rei da grama.

Mas quando lembro desse jogo eu sempre me pergunto o que estaria passando pela cabeça de Roger no exato momento daqueles dois matchpoints.

Terá sido amarelada mesmo ou excesso de confiança e um certo descuido por pensar que já estivesse tudo acabado?

Bom, quem sabe um dia o próprio Federer revele isso.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Até Ljubicic já revelou , Rodrigo. Federer inexplicavelmente não foi pro Ace . Contava que Djokovic erraria na troca ( passadas ) . O Sérvio mostrou porque tem a melhor devolução da história. Embora confessasse que na segunda foi pro lado errado e pegou no susto. O maior mérito do Suíço foi continuar até o 13 x 12 do Quinto Set disparando golpes vencedores pra todo lado. E Djokovic se virando com a competência habitual. Na mais longa FINAL da história do All England Club . É óbvio que pra torcedores de futebol, o que valeu foi o resultado ou “amarelada” do Craque Suíço. Abs!

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

O que vale, como em tudo, é com quem ficou o troféu.
Sem choro!
rsrsrsrs Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Teus comentários sobre Tênis , na maioria envolvem futebol, e tua postura é a de quem está em lugar errado. Rsrsrs, Abs !

Paulo F.
Paulo F.
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Falou aquele que prefere tenistas e despreza outros como o clube de futebol escolhido e contra os rivais.
Sei
A conferir
rsrsrsrsrsrs ! Abs!

Nando Parrado
Nando Parrado
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Foi inexplicável aquilo. Se fosse Verdasco fazendo aquilo, até hj os fãs de Federer falariam em amarelada, mas Federer, que tem nas costas duas semi de US Open com MP em cima do sérvio e derrota, que tem um Finals que ele sequer entrou em quadra, que tem um US Open que chegou tendo sido quebrado o torneio todo duas vezes, mas só no primeiro set foi quebrado 3 vezes pra o sérvio, nesse caso a galera gosta de exaltar a partida.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Não sei quanto tempo acompanhas caríssimo Parrado , mas o Dono de 103 ATPs , e HEXACAMPEÃO do FINALS , jamais fugiria de uma FINAL , principalmente tendo batido Nadal e Djokovic em sequência, pra levar um Caneco no mesmo Torneio. Não saber que o Suíço se lesionou na véspera contra Stan é desconhecimento. Entrou a meia boca na FINAL da Davis, e no ano seguinte entrou para fazer FINAL contra o mesmo Djokovic. Na boa, se fosse pra fugir seria contra Nadal em RG , pois ele e Sérvio perderam TODAS as FINAIS. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Isso Nando, inverter o resultado, só para agradar os próprios fãs (perdedores) virou habitual da casa. Nem o próprio Federer enaltece tanto esse jogo.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

O informadissimo L.F . 2 , já deve saber que o Suíço colocou à frente de todos os seus jogos contra Nadal e Djokovic, o de 2001 quando aos 19 , evitou o OCTA de Sampras , como seu jogo inesquecível. Veja o documentário que vais perceber que ele não teria motivo algum pra enaltecer esta derrota . A de 2008 contra Nadal no mesmo All England Club , é considerada por experts como a que rivaliza com Borg x Big Mac em 80 , no mesmo local .És fraquinho mesmo nas análises….Rsrsrs, Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Mas ele não enaltece. Quem faz isso sempre é o Sr.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

E como não enalteceria uma atuação primorosa , aos 38 anos , do Rei da Grama. Vimos o sufoco que o Rei do Saibro levou agora com a mesma idade, de Zverev em RG, onde tem até estátua. Acorda SR Fabriciano rs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Resolva aí, please. Ele enaltece ou não.
Num comentário, dizes que sim, noutro não.
Difícil, não?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Que tal pedir ao teu filho pra interpretar os comentários ? . Em nenhum deles Federer enalteceu coisa alguma . Quem enalteceu a FINAL de 2019 fui eu . Tá feia a coisa , Sr Fabriciano rs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Deixe meu filho fora disso e resolva você mesmo sua carência.
Eu disse que você é que escreve hora sim, hora não.
Você está falando por Roger Federer e não há coerência em suas falas.

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

A Seleção Brasileira deu show para cima da Itália em 1982.
Mas quem ganhou a partida e depois a Copa foi a Itália.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Depois daquele Pênalti absurdo de Gentile não marcado, rasgando a camisa de Zico , a Itália ficou com o Caneco ( a vantagem do empate era do Brasil ) , mas o reconhecimento com o Timaço de Tele Santana . A partir daí mais da metade dos jogadores foi comprada pelos Italianos, com direito até a Rei de Roma rsrs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

De fato foi penalty não marcado mesmo. Uma tristeza.
O que ninguém pode afirmar é que se o Brasil tivesse tido o direito de fazer tal cobrança, que o goleirão Dino Zoffi não teria evitado o gol ou se o matador de canarinhos Paolo Rossi não teria produzido mais um.
O problema foi a justiça italiana ter liberado o dito cujo às vésperas da copa para detonar o Brasil.
O fato, que ninguém mudará é que aquela seleção é conhecida por muitos, como a que fez o futebol mais bonito da história (eu também acho – tinha 12 anos), mas é uma que demonstrou que apesar da beleza, não conquistou seu objetivo, ficando abaixo do quarto lugar.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Não acredito que li este teu comentário pra variar. O matador de canarinhos com quase todo o mesmo time, apanhou ( com um golaço de Nelinho ) na Copa Anterior exatamente para o Brasil. A tua é viver de comentar resultados e pelo visto futebol também não é tua praia …Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Outra bobagem. A Seleção de 70 entrou para história mundial como a que jogou o melhor futebol. Zagallo escalou 5 camisas 10 juntos no ataque. Procure saber quais eram…Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

A de 70 jogou o melhor futebol e foi campeã. É assim que times e atletas sagram-se campeões: quando fazem o seu melhor.
A de 82 jogava em ritmo de samba, com Júnior (o famoso Capacete) e Luiz Ayrão como compositores. Só não combinaram com o “matador” de canarinhos para que não estragasse a festa.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

A de 82 jogava com ultrapassagens ( sabes o que é isso ??? e troca de posições entre Cerezo , Falcão, Sócrates e Zico que levou Guardiola ao êxtase, segundo o próprio. Um novo conceito de futebol . Acho difícil que entendas qualquer coisa que foi escrita . Fique com matador de canarinhos que quando vinha ao Brasil dava risadas da própria cagada que deu …rsrs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Esse é seu grande problema. Não entende o escrito e acusa a outra parte.
Jamais preferi ou fiquei com o “matador” de canarinhos. Releia onde escrevi que para mim, foi o futebol mais bonito apresentado por uma seleção. O fato é que tomou 3 gols da Itália e foi eliminada e isso, nem você, tampouco os canarinhos mudarão.
Se fosse ginástica rítmica, talvez esse time ganhasse um 10 e se classificasse, porque a Itália, nem de longe se apresentava bonito quanto os verde-amarelos, especialmente na primeira fase que se classificou com 3 empates. Aja jogo feio.
Parei esse tema por aqui.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
25 dias atrás
Responder para  Paulo F.

E daí?

A seleção brasileira de 82 deixou de ser considerada a melhor, apesar da derrota?

Resposta: não.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
25 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

A melhor é de 1970.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
24 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Olha, há quem defenda que a de 82 era melhor até que a de 70, viu…

Mas mesmo que se discorde disso, não há o que discutir quando comparamos a seleção brasileira de 82 com a seleção italiana de 82, certo?

A brasileira era superior a ela e a todas as demais. E mesmo assim perdeu o caneco.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Talvez aqui já haja uma tentativa de resposta dele, caro Rodrigo:
Obs: e se você se pergunta, imagina aquela senhora do dedo apontando como quem dizia, falta só um?

https://www.linkedin.com/posts/cunharaphael_brandingpessoal-mentalidade-socialselling-ugcPost-7208421425060229120-BYEr?utm_source=share&utm_medium=member_ios

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Deverias saber mas pra variar não sabes . Este dedinho pra cima foi introduzido por Jimmy Connors na FINAL de Wimbledon 82 contra John McEnroe que virou folclore . Jimbo mostrou que somente faltava UM no Quinto Set depois de dois Tiebreaks. E colou ….rsrs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Isso não muda nada do que falei.
Se foi Connors ou o papa Pio IX o inventor, o fato é que ela queria a mesma coisa.
Seu grande problema continua sendo o mesmo.

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

O AELTC errou ao não fazer a edição de 2020 sem a menor dúvida.
Era só ter feito o torneio sem público.

Nando Parrado
Nando Parrado
26 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Dinheiro do seguro falou mais alto, e eles próprios acabaram transformando Wimbledon em um torneio descartável.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Torneio descartável, jura ??? . A tendência é ampliação para 38 quadras que somente não acontecerá, se a justiça não acatar as desapropriações. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

Para mim, o pior foi fazer um torneio impedindo russos de jogar e não dar pontos aos campeões, ou seja, fez média com todos e não agradou ninguém.
Djokovic teve que ganhar duas vezes para levar os 2 mil pontos.

Roberto Canessa
Roberto Canessa
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Mas ali quem tirou os pontos foi a ATP, e q foi justíssimo, por sinal, afinal, oq Rublev e Medvedev fizeram pra não puderem jogar?
Pela lógica, era pra ter barrado Agassi e Roddick na época que os EUA invadiram o Afeganistão, mas não fizeram.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Roberto Canessa

Exato . O nosso amigo acima como sempre bem informado , não sabe que os SLAM são com a ITF . A ATP , como bem dissestes, foi quem tirou os pontos , caro Canessa . Abs !

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Roberto Canessa

Eu sei que foi a ATP. Essa resposta serve ao sempre criador de caso SR também, afinal, o ranking é da ATP e não de outra instituição.
Quis aludir à injustiça de barrar russos e não distribuir pontos, ou seja, puniram até quem não era russo.
Na minha opinião, o torneio deveria acontecer da mesma maneira de sempre.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

“… DJOKOVIC, Q AINDA FOI PREJUDICADO pela ganância de Wimbledon em não fazer a edição de 2020”. Diletos colegas de confraria, juro que me esforcei ao máximo, para manter a calma mediante tal escrotice, que é o cúmulo da falta de sensibilidade e discernimento. Milhões de pessoas enfermas pelo mundo e outros tantos milhões morrendo em série, e o você, NANDO, parado nessa defesa criminosa que faz de Djokovic. O que você quis dizer com “ganância”, já que o torneio não foi realizado naquele ano? O que você queria? Que Wimbledon/2020 fosse uma espécie de Adria Tour de maiores proporções? Tenha santa paciência!!!!!!!!!

Nando Parrado
Nando Parrado
26 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Filhão, não se se você sabe, mas Wimbledon tinha um seguro que em caso de não realização do torneio eles seriam reembolsados em 100 milhões de euros.
Não ache que foi coincidência eles não terem realizado não.
Fizeram um cálculo e viram que sem público a receita seria muito baixa, e resolveram não realizar e receberem 100 milhões, o torneio poderia ter sido realizado, poderia jogar pra uma data mais na frente. A Premier League estava sendo realizada.
Eles não fizeram por conta do dinheiro, tenha certeza disso.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Nando Parrado

NANDO PARRADO, você acha que só Wimbledon faz seguro do seu aberto de tênis? O fez apenas em 2020, é isso? E se a questão foi “ganância”, por que não forjar um motivo, para abocanhar a assombrosa quantia antes? Ou será que não havia seguro antes, mesmo com grandes marcas envolvidas no referido torneio? Eis uma ideia, absurda mas oportuna: o mundo já fervia com ataques terroristas muito antes de 2020, inclusive a países da Europa, dentre os quais, a grande puxa-saco Inglaterra, que é aliada histórica dos EUA, ou seja, já que não havia seguro do torneio de Wimbledon até então, bastava que se alegasse risco de um ataque a bomba nas dependências do mesmo, e o montante financeiro estaria ajuizado, não acha? Por favor, PARRADO, não seja tolo!!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
27 dias atrás

Senhores Paulo Almeida e Sérgio Ribeiro
Primeiramente, torço pro Murray. Não sou djokovete e nem federete.
“Segundamente”, mesmo não sendo fã de nenhuma das duas beldades acima, informo que já sei de cor e salteado todos os números deles, de tanto que um fica apresentando pro outro (fica feio dizer ‘jogando na cara’, né? Ôps… falei…).
O fato é que até o presente momento, não vi ninguém mudar de lado. Porque não é questão de números, nem de quem joga + bonito, nem de quem é + querido… É questão de simpatia, torcida. Coisa do coração.
Isso de GOAT é um título extraoficial criado pelas torcidas. Alguém já viu algum tenista com troféu de GOAT?
Tudo é passageiro no esporte. Pelé era uma quase unanimidade. Hoje, a geração milenium só quer saber de Messi, Cristiano Ronaldo & Cia. Pelé? ” – Já ouvi falar…”
Então é isso por enquanto. Por mim, podem continuar esses seus debates. Mas fazer a cabeça do outro? Pó isquecê.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Pode ter sido criado pelas torcidas, mas já tomou vida própria e é assunto entre os profissionais do meio e agora em qualquer esporte.

Sim, continuaremos sempre, com a presença de muitos outros. Aliás, quem deu a ignição nessa pasta foi o Arthur.

Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Na boa , caro Maurício . A história do Tênis e’ riquíssima e muitos não a conhecem mesmo.A ERA do Big 3 está no seu ocaso e aproveitar até o último instante e’ o que faço. Só que de Björn Borg, passando por GUGA ( Sampras ) , até chegar no meu atual Tenista favorito ( Carlos Alcaraz) , após a aposentadoria de Roger Federer, tem muito coisa a se discutir sadiamente. Aqueles que preferem outros assuntos, que pulem os comentários. O Sr Paulo Almeida, não é preguiçoso, procura se atualizar , e o que é enfado pra maioria , pra mim é diversão. Enquanto Novak Djokovic ( o mais eficiente Tenista da história) , não for definitivamente aceito como GOAT pela grande maioria , debates neste fórum acontecerão. Fica frio que falta pouco rs . Abs !

Marcelo Costa
Marcelo Costa
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Pra pular os comentários aja dedo pra rolar a tela, de tanto que vocês monopolizam a página.
Mas ok faz parte debater as certezas de cada um, pena que ninguém está errado.

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
27 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Eu acho que o Murray se situa numa categoria abaixo ao do Djokovic e do Federer. E nem me refiro aos números em si, mas ao jogo do britânico mesmo.

No entanto eu concordo com o que vc disse: torcida é coisa do coração.

Abs.

Ronildo
Ronildo
27 dias atrás

Wimbledom promete grandes atuações dos dois grandes tenistas do momento, Alcaraz e Sinner. As partidas de Alcaraz são sempre uma espécie de show e são um deleite para os fãns de tenis que apreciam um tenis bem jogado com a dose certa de ofensividade. Alcaraz representa a evolução do tênis que na última década foi dominado por tenistas com viés defensivo e de contra-ataque. Domínio este efetivado após envelhecimento de Roger Federer, que por duas décadas encantou o mundo com seu tênis clássico e ofensivo. Wimbledom poderia, em algum momento no passado, ter Gustavo Kuerten como campeão, ao menos uma vez. Porém infelizmente o super-carismático Guga alimentou um terrível preconceito contra a grama (no tênis) e aproveitava a temporada de grama para descansar e restaurar seu físico depois de duras batalhas no saibro. Quando começou a perceber que também poderia se dar bem nesta superfície, afinal foi deveras um dos tenistas mais habilidosos e de melhor saque em todos os tempos no tênis, já estava na pior fase de sua vitoriosa carreira

André Aguiar
André Aguiar
26 dias atrás
Responder para  Ronildo

Pois é, Ronildo, foi bom o João Fonseca ter ganhado o J300 de Roehampton e alcançado as QF em Wimbledon no ano passado. Serviu para ele afastar qualquer possível bloqueio em jogar bem na grama durante a sua promissora carreira profissional.

Ronildo
Ronildo
26 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Verdade André. Interessante que ao que parece a ATP desistiu de fazer master 1000 na grama. Ninguém fala mais nada.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
25 dias atrás
Responder para  Ronildo

O Djoko jogaria mais na grama se tivesse masters 1000 por lá.

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás

Novo recorde:

47 aces do Milos Raonic contra o Norrie, superando Ivo Karlovic (45) em maior número de aces em uma partida melhor de 3!

Que pena todas as suas lesões ao longo da carreira. Ele ainda é capaz de muito e o fato de ter quebrado um recorde mundial hoje prova isso.

Essa é uma vitória enorme para Milos também, derrotando Cam Norrie. Impressionante de ver.

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás

Pessoal precisa entender que o João é um tenista em formação. O legal de acompanhar ele é justamente perceber o desenvolvimento de um torneio pro outro, como melhorou o saque, ganhou mais condicionamento pra aguentar partidas longas, ajustou o toss, ficou mais paciente na troca de bola, etc. É um processo, e ele está evoluindo absurdamente rápido, por sinal. Mas caso queiram ver um tenista pronto, pra comemorar vitória atrás de vitória, então é melhor vocês focarem no Sinner, no Alcaraz, nesse tipo de jogador que já chegou lá.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Gustavo

É difícil pra torcedor de futebol,
entender que grande precocidade a lá Nadal e Alcaraz é exceção. Mas na rapidíssima Halle , ele mostrou que está evoluindo a cada minuto. Já acredito que João possa a lá SINNER e Alcaraz, beliscar o ATP FINALS Next Gen 2024 . A conferir. Abs !

Ronildo
Ronildo
26 dias atrás

Alcaraz tinha um bloqueio mental em RG. Isso afetava sua carreira apesar de já ter vencido mais que qualquer um nesta idade. Superado este super desafio de vencer RG, não há limites à partir de agora. A título de comparação: Federer só não emplacou 2 anos seguidos vencendo todos os slans no mesmo ano porque encontrou o mais terrível saibrista de todos os tempos em finais de RG. Mas quanto à Carlos Alcaraz, quem poderá detê-lo?

Ronildo
Ronildo
26 dias atrás
Responder para  Ronildo

Respondendo à pergunta: amanhã Jack Draper poderá detê-lo. Porém conforme sabemos slans são outros quinhentos!

Vitor
Vitor
26 dias atrás

Dalcim, boa tarde!
O que esperar da Bia nesse Wimbledon?
Será que a falta de confiança está atrapalhando ela ou realmente ela está se adaptando a este nível ainda?
Att

Gustavo
Gustavo
26 dias atrás

Estão decorrendo na Rússia os Jogos do BRICS 2024. Como a Rússia foi proibida de participar nas Olimpíadas devido à guerra de agressão que lançou contra a Ucrânia, Putin decidiu criar uma alternativa, surgindo assim os Jogos do BRICS (O jogo dos BRICS acontece de forma anual desde 2016 com exceção de alguns anos, ano passado foi na África do Sul).
A Rússia lidera com vantagem o quadro de medalhas, mas há um pequeno detalhe: em muitas competições há apenas atletas russos. Como muitos dos países participantes não tem atletas em muitas modalidades, a Rússia compete sozinha em muitas delas. O Brasil participa com 110 atletas.

Assim até eu ganho medalha kkkk

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás

Prezado Dalcim, vendo a foto de Andy Murray na matéria que enaltecia a vitória em sua partida de #1.000 na carreira, me veio novamente uma curiosidade que há tempos tenho e não lembrava de perguntar.
Pois bem, no logotipo de sua camiseta está AMC.
Acho que é uma marca própria, tipo Andy Murray e o que seria o C, caso seja realmente uma marca dele?
Valeu!

Marcelo F
Marcelo F
26 dias atrás

Dalcim… você acha que Djokovic joga em Wimbledon? Eu acho que sim.

Sandra
Sandra
26 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Concordo

Gustavo
Gustavo
26 dias atrás

E o Rublev segue destemperado e tendo chilique…

Ronildo
Ronildo
26 dias atrás

Marat Safin 4 × Pete Sampras 3

Que jogo foi este! Lances espetaculares!

https://youtu.be/o8yAWUbsZcM?si=2JJe2QPstDKtCLH2

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Ronildo

Este jogo foi no MASTER 1000 de Toronto 2000 . Safin bateu Sampras por 6 x 3 , 3 x 6 , 7 x 6 . No jogo seguinte bateu de novo na FINAL do USOPEN 2000 a Pistol Pete em Sets diretos, caro Ronildo. Evidente que um jogador deste calibre era também da ” entressafra” da Kombi kkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Esse eliminou o Federer no AO 2005 pelo menos, enquanto Hewitt e Roddick só fizeram alguma coisa antes do auge do suíço. Sobre o resto dos não-rivais à altura, é melhor nem comentar.

A conferir, rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Ranking ATP 2004 : 1. Roger Federer , 2.Andy Roddick, 3. Lleyton Hewitt , 4.Marat Safin, 5 . Andre Agassi , 6. Carlos Moya , 7. Tim Hemnan , 8 . Guillermo Coria , 9 . David Nalbandian, 10 . Gaston Gáudio ( Juan Carlo Ferrero se lesionou durante a Temporada) . Ps . 6 Ex-N 1 do Mundo presentes . Quem é o SR pra chamar de BAGRES estes ATLETAS ??? . Ou vir com papinho de Entressafra ??? . Cresça SR Paulo Almeida rs . Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ruud foi número 2 do mundo, Berrettini já foi sexto. E daí? Gaudio já sabemos que foi uma aberração que inclusive levou bicicleta no Finals 2004.

Estou falando dos Big Titles de Hewitt e Roddick a partir de 2004. Vai achar só uns M1000 do americano e ZERO do australiano. Safin era 84° do mundo no AO 2004 e subiu posições graças à final. Só o russo foi rival à altura quando não estava tomando vodka nas baladas e sendo eliminado precocemente de vários torneios.

Bagre aí só o Gaudio. Seria o quarto Rei Mago se fosse possível. Já o restante da lista vivia só do nome e não fazia frente.

A conferir, abs!

Ronildo
Ronildo
25 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Veja lances de Gáudio vs Nalbandian, que tinha eliminado Guga, que tinha eliminado Federer em RG 2004.

https://youtu.be/Nu2X5F_Rhps?si=N8dueqpma4-t1ZmD

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás
Responder para  Ronildo

Já disse em outra pasta: evento casual.

Guga já estava avariado em 2004 e Federer era uma negação completa no piso ainda, vide as eliminações em sets diretos para 2 bagres desconhecidos na primeira rodada de RG em 2002 e 2003.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Ronildo

Não adianta, caro Ronildo. Um grande Saibrista de 3 x 3 com GUGA. O Sr o chama de Bagre. Em 2005 depois de 12 conquistas com 1 SLAM e 4 MASTER ( 2 nas duras) , Rafael Nadal já assume o TOP 2 . E em 2007 , Novak o 3 e Murray o 4 . Falácia da Kombi é insistir que Atletas deste porte …deixa pra lá. Abs!

Ronildo
Ronildo
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Mas diga-se de passagem: Gáudio não errava com aquela esquerda de uma só mão!

Luiz G
Luiz G
26 dias atrás

Oi, Dalcim! Ótimo texto e muita expectativa para as surpresas que a grama reserva.

Só uma correção: a Boulter ainda não tem 30 anos, não, está com 27!

Grande abraço!

Sandra
Sandra
26 dias atrás

Dalcim já teve algum jogador masculino adolescente precoce ganhando torneios ? No feminino sim , as mulheres sempre são mais precoces ! rsss

Heitor
Heitor
25 dias atrás

Estranho para mim que os fãs de tênis falem tanto sobre querer fazer o jogo crescer e atrair um público maior e então, quando as Olimpíadas chegam, uma grande oportunidade de abrir o esporte para mais jogadores casuais, é tudo “nao, slam é o q importa”.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás
Responder para  Heitor

Os dois são Big Titles, mas Slam sempre será mais importante pelo status, premiação e pontos no ranking.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Sempre será mais Importante porque Djokovic além de não vencer ainda chora . SLAM tem 4/ano. OURO OLÍMPICO a cada 4 anos. Que se dane a briga da ITF com a ATP ( cisma de não dar pontos) . Não existe Golden SLAM se não obtiver a Conquista Olímpica. Pergunte a Serena e Steffi Graf ….Daí que o Sérvio vai até de muletas na sua última oportunidade. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

E daí que é de 4 em 4 anos? O torneio é disputado em melhor de 3, tem 6 partidas até a final e dura 8/9 dias, assim como os Masters 1000 atualmente, sendo que só valia 750 pontos em 2012 (metade de um Finals). Portanto, não queira dar peso superior a de um Slam (altamente risível) só porque o GOAT dos esportes não tem o ouro (aliás, o Federer também não tem).

Sem choro, rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Parece que vives em outro Planeta. As declarações dos principais jogadores não batem com as TUAS impressões. Federer, Nadal , Djokovic ( ” o que mais me motiva é jogar pelo meu País “) . Difícil para um fanático entender o que sentem os jogadores. Sem discussões, pois já vi que não vale a pena . Alcaraz e SINNER também devem ser malucos…rs. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Viver em outro planeta é achar que um torneio de 8 dias em melhor de três sets (que computou no máximo 750 pontos em 2012) vale mais do que um de duas semanas em melhor de 5 sets que dá 2000 pontos ao campeão. Antes de 2008, o torneio era desprezado pela maioria dos atletas inclusive. Sampras nunca disputou uma Olimpíada.

Só falta o Sr. SR dizer que o recordista olímpico Andy Murray é o GOAT. Haja fanatismo para não reconhecer os principais recordes do tênis.

Kkkkkkkk, a conferir, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Não acompanhas nada do Esporte. Qual foi um dos principais motivos da briga ITF e ATP em relação as Olimpíadas além da baixa pontuação??? . Pesquise e não postes bobagem. Três Sets foi exatamente a ITF cedendo para não competir com os eventos ATP . Quem é Sampras ( fraco na Davis) chegou a perder pra Corretja na Grama e em casa . Roddick é quem salvou o USA com 3 pontos. A FIFA fez o mesmo com o Futebol Olímpico deixando apenas 3 acima dos 23 para não ” competir com a Copa ” . Depois de Andre Agassi e Steffi Graf a mentalidade mudou radicalmente entre os jogadores. Federer e Stan juntos recebendo o Ouro foi algo muito mais que especial. Para um fanático exacerbado tudo que Djokovic não seja recordista não presta. Já deixastes de ser engraçado Sr Paulo Almeida. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não achei nada sobre o torneio inteiro em 5 sets. A final eu sei que era até 2016.

Não disse que não presta, só que não tem peso de Slam ou superior. Se fosse um torneio de 2 semanas em 5 sets, aí sim teria. Já disse em outra pasta que poderia valer pelo menos 1200 pontos. É especial, um Big Title, mas não é o mais importante. Simples.

Quem é Sampras? Aquele que tem 14 Slams e já disse um monte de verdades. Uma você adorava repetir: o Finals é o QUINTO Slam. Por que parou?

Rsrs, abs!

Guilherme
Guilherme
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Pra mim o peso no Tenis é:

Slam
Finals
Olimpíadas/Davis
Masters 1000
500
250
Challengers

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Guilherme

Só não concordo com a Davis aí, que é um evento por equipes. Colocaria à parte.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

E as Olimpíadas não são figurinha ? Jogam como Equipes com as medalhas sendo computadas também para o País . Daí Novak Djokovic não parar de repetir ” jogar pelo meu País ” . Não é possível kkkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Achei que a disputa pelo ouro em SIMPLES dependesse só de UM jogador. Vai ver depende de um monte que nem a Davis.

Deve ser possível mesmo, kkkkkk, abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

2 + 2 continua sendo 5 PA.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
23 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Exactly.

Heitor
Heitor
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Sim, sim. Eu quis dizer sobre a discussão de alguns atletas optarem por não ir às olimpíadas e preferir card para slam por ex

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Heitor

Ok!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Ok coisa alguma. Quem tem chance de levar o Ouro não pensa duas vezes. Raríssimas exceções do TOP 10 é que não participam . Paula Badosa tá ruim de vencer WTA 250 kkkkkkkk. Abs!

Gustavo
Gustavo
24 dias atrás
Responder para  Heitor

Já q o assunto é olimpíadas, esta semana os EUA divulgou as roupas que os atletas vão usar nas cerimônias de abertura e encerramento.

Lindíssimas!!! Baita bom gosto do Ralph Lauren

Já as do Brasil… cafona, feia, sem graça. Po, qdo um estilista vai vestir a delegação olímpica de um país ele vai vestir os corpos mais belos, perfeitos e atléticos do mundo, não ressaltar isso deveria ser crime.

Schuster
Schuster
24 dias atrás
Responder para  Heitor

Concordo Heitor, nas Olimpiadas representa seu pais, e nao somente os amantes de tenis veem os jogos, mas outras pessoas, por ser um evento enorme acabam tendo contato com outras modalidades.
E perder as Olimpiadas pode ser muito mais doloroso que perder un Grand Slam, ja que tem outra oportunidade depois de meses…..

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Schuster

Onde assino caríssimo Schuster?. ABS !

Felipe
Felipe
25 dias atrás

Acho que a ITF deveria parar de dar wild card para jogadores dos países de cada slam.

Slams são eventos globais e é injusto que apenas 4 nacionalidades no mundo se beneficiem de wild carda só por causa de onde nasceram.

Nando Parrado
Nando Parrado
25 dias atrás

Dalcim, Olimpíadas é adeus pra Murray e Nadal? Você acredita nisso?

samuel
samuel
25 dias atrás

Djoko ta chegando e vai jogar Wimbledon

Última edição 25 dias atrás by samuel
Maurício Luís *
Maurício Luís *
24 dias atrás

Achei interessante este vídeo. Primeiro título da Maria Esther Bueno. Wimbledon 1959.
https://youtu.be/SzNH_XTGaqw

André Aguiar
André Aguiar
24 dias atrás

Não lembrava que o Fritz rompera o menisco em Roland Garros 2021 e que voltara um mês depois em Wimbledon, onde foi eliminado pelo Zverev na R3. Depois seguiu jogando normalmente até o final daquela temporada.
É uma boa notícia para o Djokovic, que inclusive conversou com o americano há poucos dias.
Mas, a meu ver, o sérvio não cometerá a imprudência de voltar em Wimbledon. Só o faria se tivesse alguma chance de título, o que não é o caso, com o joelho recém-operado.
Visando a Olimpíada, acho mais provável ele voltar no saibro de Hamburgo ou Bastad, a exemplo do que fará o Nadal.

Última edição 24 dias atrás by André Aguiar
Maurício Luís *
Maurício Luís *
24 dias atrás
Responder para  André Aguiar

O sérvio é bem + velho que o Fritz. É outra situação.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Sim, é, mas sempre foi mais resistente e melhor fisicamente que o americano.
Isso deve entrar na conta também.

Felipe
Felipe
24 dias atrás

Marcelo Rios sobre as quadras de grama:
“A grama são para as vacas”

Federer e Djokovic não responderam isso porque estavam ocupados demais vencendo 15x wimbledon

Entao tijolo (saibro) é para construção civil kkkk

Marcelo Costa
Marcelo Costa
24 dias atrás
Responder para  Felipe

Se você joga, já jogou qtas vezes na grama??
Mas faz assim vai até Florianópolis e procura um famoso morador local e diga sua opinião tão eloquente pra ele

Felipe
Felipe
24 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Piada

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Puxa Marcelo, o Felipe só reproduziu uma frase do Rios e complementou que Djokovic e Federer discordam dele, pois, são exímios jogadores na grama.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
23 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Rios disse que saibro é pra usar em construção civil??

Felipe
Felipe
23 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Sim. Obrigado por explicar.
E o colega tampouco entendeu a tiraçao de sarro com o saibro após a frase do rios

Heitor
Heitor
24 dias atrás

Carlos Alcaraz irritado com o novo teste de regras da ATP, onde o cronômetro para saque inicia automaticamente 3 segundos após cada ponto.

Disse que se sentiu pressionado e chamou a nova regra de “louca” e “ruim”. Diz que vai reclamar com os chefes da ATP.

O tênis está obcecado em encurtar tudo o que for possível, sem perceber que não há nada melhor do que um rali de 30 shots em 7-7 40-40 no quinto set seguido de um intervalo de 45 segundos para que o público e os jogadores possam se recuperar.

Joselito
Joselito
23 dias atrás
Responder para  Heitor

Acho que poderia ser algo automático e baseado na quantidade de trocas que houve no ponto imediatamente anterior.
Se for um ace, 15 segundos. Se houve até 10 trocas, 20 segundos, até 20, 25 segundos, acima de 20, 30 segundos.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
23 dias atrás
Responder para  Joselito

Puxa, e quem iria ficar fazendo esse tanto de análises em cada ponto?
Só aí já iam pelo menos uns 4 segundos.

André Aguiar
André Aguiar
23 dias atrás
Responder para  Heitor

Certíssimo, Heitor. O preparador físico Edu Farias comentou num podcast do TB sobre a necessidade desses segundos a mais entre pontos longos para a recuperação do tenista. A ATP está enxergando problema onde não existe problema, uma vez que o bom senso dos juízes tem prevalecido nessa questão.

Gustavo
Gustavo
24 dias atrás

Ganhando ou perdendo Alcaraz felicita sempre publicamente os seus adversários e nunca apresenta desculpas para uma derrota.

Atitude de classe.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Gustavo

Quem não faz assim?

Paulo F.
Paulo F.
24 dias atrás

Que horas Carlos, o Invencível, joga em Queen’s hoje?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
24 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Gilvan das touradas deve saber.

Paulo A.
Paulo A.
24 dias atrás

Apesar do atraso, venho registrar minha grande satisfação com a atuação do nosso Joãozinho no atp 500 alemão. É espantoso o que esse garoto joga. E me atrevo a dizer que ele virá a jogar muito bem na grama no futuro, pois tem todas as armas para isso. Se pegar uma chave favorável no qualy de WB não será surpresa alguma ele ter boas vitórias, ainda que não chegue à chave principal. É um assombro o talento dele. Quanta sorte a nossa.

Sandra
Sandra
24 dias atrás

Dalcim , como vejo a maioria dos jogadores confirmar os saques ,não vejo ninguém perdendo com exagero , faço minha pergunta , e mais fácil sacar na grama ?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

John Isner foi o tenista que mais jogou tie-breaks na carreira ( certo? ), Por ser um grande sacador, ou seja, dificilmente era quebrado, mas como se valia basicamente do saque, dificilmente quebrava também.

Ronildo
Ronildo
24 dias atrás

Uma pena Alcaraz ter perdido cedo em Quen’s. Pela idade, poderia iniciar uma sucessão de conquistas neste torneio e chegar a 10 títulos consecutivos. Mas enfim. Nada como uma derrota prematura para ajudá-lo a manter o foco e ficar mais esperto para conquistar novamente Wimbledom. Quanto ao britânico Draper, capaz de chegar em Wimbledom com 2 torneios vencidos na grama. Aí vai aterrorizar os adversários.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Ronildo

Mas Alcaraz perder já havia aparecido em sua bola de cristal, uai.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
23 dias atrás

ME SINTO MUITO TRISTE, POR CONTA de tenistas como Goran Ivanisevic, Sofia Kenin, Richard Kracijek, Flavia Pennetta, Gastón Gaudio, Sloane Stephens, Albert Costa e Petr Korda, terem conquistado grand slam, e gente que sempre jogou bola pra caramba, como Álex Corretja, Magnus Norman, Guillermo Coria, David Nalbandian, Vera Zvonareva, Marcelo Ríos, Karolina Plisková, Nick Kyrgios e Dinara Safina, não terem conquistado nenhum nível 2000, enfim, é como se se tratasse de inversão de valores…

Última edição 23 dias atrás by Valmir da Silva Batista
André Aguiar
André Aguiar
23 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Dinara Safina?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
23 dias atrás
Responder para  André Aguiar

POR QUE?! QUAL O PROBLEMA, ZÉ?! Desenvolve ao menos uma vez na vida…

Última edição 23 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Paulo Almeida
Paulo Almeida
23 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Sem Zverev na lista, sem credibilidade.
E Goran fez outras finais de Wimbledon, logo merecia pelo menos um.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
23 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

PAULO ALMEIDA, achei que você tinha dito que estava tudo acabado entre nós, ao se reportar com a esparrela de que me deixaria falando sozinho pela milésima vez. À parte a falta de personalidade, vamos ao que interessa: outra vez essa meritocracia rasteira, pautada na balela quantitativa?! Não há nada no meu post que relacione os nomes que citei com números de finais alcançadas ou coisa parecida, ou seja, fui coerente ao não listar gente amarelinha como Alexander Meneghel, já que vivo descendo-lhe a ripa nas descendências desta confraria, e o mesmo raciocínio vale para Goran, um tenista apenas mediano em sua época de “ouro”. A propósito, era só o que faltava, minha suposta burrice relativizar a quantidade de “outras finais de Wimbledon” deste, ou o título em Roland Garros do homem-zebra Gastón Gaudio, ou ainda o da mulher-zebra Flavia Pennetta no US Open, com o inegável talento de Marcelo Ríos e de Dinara Safina, por exemplo. Ora, por favor, P.A.!! Só faltava você me cobrar pelas ausências do grosso Mark Philippoussis e da apenas modelo Anna Kournikova…

Última edição 23 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Paulo Almeida
Paulo Almeida
22 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Não, caro Valmir. Eu te deixo falando sozinho quando o assunto já está encerrado e você insiste em ficar com a palavra final, apenas isso. Sem drama.

A “balela quantitativa” é o que importa e não um suposto “talento” que não traz resultados. Sinto em te desapontar, mas os nomes por você citados não mereceram mais Slams do que Zverev e Ivanisevic. Só vou concordar que Gaudio e Philippoussis são bagres.

A conferir!

Ronildo
Ronildo
23 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Dinara Safina jogava muito tênis?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
23 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, se lhe satisfaz, sim, “Dinara Safina jogava muito tênis”. Próxima, por favor…

Ronildo
Ronildo
23 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Humm, lembro que na época que ela jogava era consenso que sua superioridade sobre as demais se devia pela força dos golpes. Mas enfim, era uma tenista muito dedicada à carreira e ao que parece ficou esgotatada e parou cedo para preservar a saúde.

Você esqueceu de Caroline Wozniacki.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
22 dias atrás
Responder para  Ronildo

CLARO QUE ESQUECI DE WOZNIACKI, RONILDO, pelo simples fato de ela não ser mais que uma Albert Costa trajando saia, só isso. Sobre Dinara Safina, foda-se o “consenso” a seu respeito, posto que foi criado por terceiros, via de regra, com o rabo preso à audiência e à ditadura do aspecto quantitativo, ou seja, são os mesmos que avaliam que fulano e sicrana são bons pra cacete, só porque têm nível 2000 na estante, como se Gaudio e Pennetta fizessem alguma diferença na ordem das coisas…

Gustavo
Gustavo
23 dias atrás

Carlos Alcaraz já treina no All England Club. Como vencedor de Wimbledon, ele é membro do clube e pode utilizar as instalações

Ele quer usar as instalações antes de Wimbledon, por isso perdeu cedo no Queens

Ehehehe

Gustavo
Gustavo
23 dias atrás

Diego Forlán tinha 16 anos quando abandonou o tênis para se concentrar na carreira no futebol.

Agora com 45 anos, ele joga tênis fora do Uruguai pela primeira vez na carreira e perdeu apenas três jogos nas duas últimas partidas no circuito ITF de Lima.

Um homem de muitos talentos

Gustavo
Gustavo
23 dias atrás

O top 10 do wta indo para Wimbledon:

Iga: não se importa muito com a grama

Coco: forehand precisa de ajustes

Aryna: lutando com a sua cabeça

Elena: doente

Jess: ritmo insuficiente + bloqueio nas quartas de final

Marketa: lesionada pouco antes de Wimbledon

Jasmine: não tem muito a ver com a grama

Qinwen: o mesmo que Jasmine

Maria: bloqueio na R1em slam

Ons: bloqueio em final de slam

Felipe
Felipe
23 dias atrás

“ele provê e protege” … e tsitsipas fornece o que exatamente? Com certeza não é slam. Talvez oportunidades para outros jogadores vencerem a partida?

Marcelo F
Marcelo F
23 dias atrás

Dalcim, sabe porque Jenson Brooksby ainda não voltou? Se não me engano, a pena dele ia terminar em março de 2024.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon