PLACAR

Zverev destaca bom desempenho e enaltece Marozsan

Foto: Tomás Diniz Santos/South Florida Stadium

Miami (EUA) – Em um jogo duro contra o embalado húngaro Fabian Marozsan, o alemão Alexander Zverev conseguiu se impor e bateu o rival, que chegou às quartas de final do Masters 1000 de Miami com duas vitórias sobre top 10, sem sustos e em sets diretos. Após a vitória, o germânico falou sobre seu desempenho em quadra e principalmente a tranquilidade que mostrou nos momentos decisivos.

“Você envelhece, é simples assim. É sobre amadurecer, sobre perceber que se você fez tudo que pode na preparação, se fez tudo que pode fora da quadra, se você levanta de maneira correta, então mesmo se perder, tudo bem, porque vai sentir que fez tudo o que podia. Então levei talvez mais anos do que outros para perceber isso”, comentou Zverev, garantindo estar cada vez mais maduro em quadra. O alemão é apontado como favorito para ir à final no Joiabet cassino com cotação de 1.5 contra 2.5 do búlgaro Grigor Dimitrov.

“Eu me senti bem (em quadra), mas tenho me sentido bem durante toda a semana até agora. Acho que ele foi um adversário muito duro. Já joguei contra alguns caras classificados no top 20 e senti que ele estava jogando um tênis inacreditável. Estou feliz por ter feito outras coisas bem também, caso contrário teria sido extremamente difícil”, acrescentou o alemão.

O bom desempenho de Marozsan na partida e em Miami como um todo foi destacado pelo atual número 5 do mundo. “Para ser honesto, se você tem um recorde de 4 a 2 contra top 10 e antes desta partida tinha 4 a 1, isso significa que tem qualidades. Só precisa ser paciente o suficiente e também jogar bem semanalmente. Se fizer isso semanalmente, não há razão para que ele não chegue no top 10”.

Além de analisar as possibilidades para o futuro de seu último adversário, Zverev também comentou sobre a grande fase de Jannik Sinner e o que o italiano pode alcançar no circuito. “Ele venceu o Australian Open, venceu Roterdã e está o quê, 19 a 1 até agora este ano? Acho que se você tem esse tipo de estatística, é muito lógico que você esteja no caminho certo”, falou o alemão.

“É uma estatística como (Novak) Djokovic e (Roger) Federer começaram assim em seus melhores anos. Rafa (Nadal) começou assim acho que uma vez só na carreira. Se ele continuar assim, não será apenas o número 1 do mundo, mas também será pelos próximos dez anos. Mas cabe a mim, a Carlos (Alcaraz), a Daniil (Medvedev), a Novak tentar impedi-lo”, acrescentou.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
João Sawao ando
João Sawao ando
19 dias atrás

Dalcim.vamos ouvir falar mais do marozsan?

José Nilton Dalcim
Admin
19 dias atrás
Responder para  João Sawao ando

Acho que sim, Ando. Ele tem um tênis bem completo e me parece adaptável tanto ao saibro como ao sintético.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da decisão em Monte Carlo

Medvedev em outro ataque de fúria e desconta na raquete

PUBLICIDADE