PLACAR

Wozniacki diz estar mais leve e confiante para 2024

(Foto: Omnium Banque Nationale)

Melbourne (Austrália) – Ex-número 1 do mundo, a dinamarquesa Caroline Wozniacki surpreendeu o mundo do tênis ao anunciar, em junho de 2023, o seu retorno ao circuito profissional, após menos de três anos de aposentadoria. Nessa volta às quadras, a jogadora de 33 anos disputou apenas três torneios e teve como destaque a campanha até as oitavas de final no US Open, caindo em três sets para a campeã Coco Gauff.

Já garantida na chave principal do Australian Open após receber convite da organização, Carol participou do mais recente episódio do podcast The AO Show e afirmou que se sente confiante para voltar ao Melbourne Park quatro anos depois de sua última aparição no torneio. Ela também comenta que precisava dar um tempo na carreira e que a pressão agora é muito menor sobre ela.

“Estou muito confiante e confortável para entrar nesta nova temporada, tendo disputado esses três torneios anteriores e sabendo que meu jogo é ótimo, e agora fisicamente eu só precisava melhorar um pouco mais. Acho que ter esse grande equilíbrio na minha vida realmente contribuiu para que eu sinta que estou jogando um tênis incrível e muito mais livre.”

“Eu precisava de uma pausa depois de jogar tantos anos, e não senti falta nenhuma de rebater bolas até que de repente eu simplesmente voltei a querer, com uma mentalidade completamente diferente e acho que foi também por isso que senti que bati na bola melhor do que nunca, porque não havia pressão, nem razão para me estressar com nada”, acrescentou.

Na entrevista, a campeã de 2018 do Grand Slam australiano revelou também que o retorno ao circuito profissional não estava em seus planos e aconteceu quase por acaso. “Mandei uma mensagem para meu amigo, com quem jogo regularmente ao longo da minha carreira, e disse: ‘Ei, podemos marcar um bate-bola uma vez por semana, só para que eu possa suar, relaxar e fazer um pouco de cardio?’. Foi assim que tudo começou, foi realmente inocente. Eu não tinha nenhum outro motivo além de apenas tentar voltar à forma depois que James nasceu”, explicou.

Sem disputar um partida oficial desde setembro, Wozniacki disse por fim que se sente fisicamente muito bem, mas que não tinha ideia de como seu corpo reagiria à intensidade do esporte competitivo, ainda mais para alguém que abandonou a carreira por causa de uma artrite reumatoide crônica.

“Eu não sabia onde isso seria e o que era possível. Para eu me sentir tão bem fisicamente e forte, tenho muito orgulho disso. “Ter que aprender a dar pequenos passos e retroceder, sem ter pressa, foi mentalmente um pouco difícil. Porque sempre fui a pessoa que diz ‘vai, vai, vai’, a mil por hora o tempo todo.”

“Ao mesmo tempo, acho que também aprecio meu corpo, o que ele tem sido capaz de fazer e o quão forte ele é. Eu escolhi realmente desenvolver um pouco da força em alguns lugares que estavam faltando no meu corpo, e realmente colocá-lo na melhor forma da minha vida”, completou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE