PLACAR

Torcida empurra, Gauff vira e conquista seu 1º Slam

Foto: Darren Carroll/USTA

Nova York (EUA) – Depois da frustração em sua primeira final de Grand Slam, sendo dominada pela polonesa Iga Swiatek no ano passado em Roland Garros, a norte-americana Coco Gauff aproveitou a força da torcida e seu grande momento no circuito para conquistar seu primeiro título de Slam, batendo a bielorrussa Aryna Sabalenka de virada na decisão deste sábado, com o placar final de 2/6, 6/3 e 6/2, em 2h03 de confronto.

A grande vitória de virada na final foi a 18ª nos últimos 19 jogos, conquistando seus três maiores títulos neste período em escalada. Ela começou com o WTA 500 de Washington, depois foi para o WTA 1000 de Cincinnati e agora faturou o US Open. O ótimo momento de Gauff vai levá-la à terceira colocação no ranking da próxima segunda-feira, a melhor da carreira. Como prêmio de consolação, Sabalenka assumirá a liderança pela primeira vez.

Gauff também manteve sua invencibilidade em finais nesta temporada, vencendo as quatro que disputou. Aos 19 anos de idade, ela se tornou a 38ª adolescente a conquistar um título de Grand Slam desde o começo da Era Aberta e a 12ª a conquistar o US Open. A última a alcançar tal feito fora a britânica Emma Raducanu, em 2021.

Somente outras quatro tenistas da casa conseguiram disputar a final do Grand Slam norte-americano antes de completar 20 anos: Serena Williams (1999, 2001), Venus Williams (1997), Tracy Austin (1979, 1981) e Pam Shriver (1978). Desta lista, apenas Gauff, Serena e Austin conseguiram faturar o título como adolescentes.

Começo foi complicado para Gauff

O jogo não começou nada bom para a tenista da casa, que entrou em quadra um pouco nervosa e jogando de forma mais passiva. Sabalenka se aproveitou da situação e foi para cima, quebrando logo no primeiro game, para abrir 2/0 na sequência. Gauff até esboçou reação de chegou a empatar por 2/2, mas depois disso foi dominada pela bielorrussa, que anotou mais duas quebras, salvou dois break-points e venceu os quatro games seguintes.

Gauff também sofreu no início na segunda parcial e precisou salvar dois break-points logo no primeiro game. Contudo, ela conseguiu ir se soltando, enquanto do outro lado Sabalenka foi perdendo a mão. A tenista da casa conseguiu uma quebra importante no quarto game e salvou um também crucial break-point no quinto para manter a vantagem. Ela então administrou o placar até o final, empatou a partida e forçou a disputa do terceiro set.

Domínio da norte-americana no final

A virada para o terceiro set foi também um divisor de águas, com o domínio passando para as mãos da tenista da casa, que foi arrasadora e venceu os quatro primeiros games da parcial decisiva. Sabalenka chegou a pedir um atendimento médico na coxa direita após o 4/1, conseguiu devolveu uma das quebras em seguida, mas logo depois voltou a perder o saque. Então não houve mais chances para a bielorrussa, com Gauff confirmando de zero no último game.

Empurrada pela torcida nos momentos mais duros, Gauff mostrou grande poder de luta e não desistiu frente as adversidades. Após cometer 10 erros não forçados só no primeiro set, ela anotou apenas mais 9 nos dois seguintes e terminou com 19, somando 12 bolas vencedoras. Por sua vez, Sabalenka teve 25 bolas vencedoras, mas também disparou 46 erros não forçados, 17 deles no último set.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE