PLACAR

Sinner estende seu domínio para a grama

Foto: Terra Wortmann Open

Depois do primeiro Masters 1000, do Grand Slam inédito e da chegada ao número 1, Jannik Sinner agora também completou seu quadro de versatilidade, ao conquistar o único piso em que ainda não havia feito sequer finais.

O troféu no 500 de Halle, o 14º da carreira, foi exigente e o italiano passou por diversas dificuldades, incluindo uma decisão duramente disputada contra o polonês Hubert Hurkacz, em que o império dos serviços determinou dois tiebreaks.

É bem verdade que Sinner foi muito econômico no jogo de rede e esmerou-se no excelente primeiro saque e numa movimentação notável no fundo de quadra. O trabalho perfeito de pernas permitiu quase sempre a execução muito equilibrada dos potentes golpes de base. Ou seja, fez o que o tênis de hoje requer sobre a grama: pouca variação e total consistência no uso da força.

Com esses predicados, entrará muito bem cotado para Wimbledon, sem lacuna expressiva para o atual dono do título, Carlos Alcaraz, ou para o multicampeão Novak Djokovic. E ainda com a vantagem nada desprezível de estar com a confiança no ápice e ao mesmo tempo nada a perder, já que até mesmo a liderança já está garantida quando o Slam da grama acabar.

Alcaraz, como eu temia, sentiu a pressão da defesa do título de Queen’s, a mudança de superfície e o jogo perigoso do canhoto Jack Draper. Vai precisar de um sorteio confortável para evitar sustos precoces no All England Club.

Nole desembarca em Londres com a esperança de ainda competir em Wimbledon, em busca do oitavo triunfo. Não sei se é a decisão correta, embora entenda a ânsia de disputar um Slam, a magia de Wimbledon e as derradeiras chances de novas façanhas. A grama no entanto é sempre traiçoeira e ainda mais para quem vem de lesão nas articulações. Se o ouro olímpico é tão importante, o sensato talvez fosse permanecer no saibro.

Os 500 desta semana também mostraram que Hurkacz e Tommy Paul serão adversários perigosos e que Alexander Zverev ainda precisa de um ‘upgrade’ para ter realmente chances na grama. O norte-americano me deixou com excelentes impressões porque reuniu saque, devolução, jogo de rede e golpes de base em proporções muito boas. Está merecendo um lugar no top 10, o que pode justamente vir em Wimbledon.

Enquanto isso, o circuito feminino deixou preocupações com abandonos de tanta gente importante, como Aryna Sabalenka, Elena Rybakina, Ons Jabeur e Vika Azarenka, sem falar na atual campeã de Wimbledon Marleta Vonsdousova. Ao menos, Rybakina, que também lutará por um bi, manteve inscrição em Eastbourne e tentará uma preparação mais adequada. 

A compensação da semana foi o firme retorno de Jessica Pegula, uma tenista que tem predicados para a grama e ainda está devendo nos Slam, onde teima em cair antes das semifinais. Quem sabe, os astros estejam se alinhando a seu favor.

Os brasileiros se testam na grama

  • Bia Haddad segue sem achar seu melhor jogo, não foi nada bem em Berlim e terá uma chance de reagir em Bad Homburg. Pega uma alemã lucky-loser na estreia, mas pode encarar Bianca Andreescu em seguida.
  • Thiago Wild enfim vai desafiar a grama ao entrar em Eastbourne, onde há boa chance de enfrentar Taylor Fritz na segunda rodada. Thiago Monteiro tentou Mallorca, mas não furou o quali.
  • Depois da boa experiência em Halle e apresentações na grama em nível muito satisfatório, Joao Fonseca joga o quali de Wimbledon ao lado de Felipe Meligeni e Gustavo Heide. Não se surpreendam se todos chegaram ao menos na terceira rodada. Laura Pigossi também joga e aguarda chave.
161 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
José Alexandre
José Alexandre
19 dias atrás

Sinner favorito pra Wimbledom, torcer pra uma final contra Alcaraz. Fonseca as portas de sua primeira participação em Slam, na torcida para que chegue pelo menos a última rodada do quali.

Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
19 dias atrás

esse italiano é fogo de palha em Slams… prevejo que o grande Alcaraz vencerá Wimbledon com ainda mais facilidade que no ano passado

Maurício Luís *
Maurício Luís *
19 dias atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

Fogo de palha? Mas ele foi campeão na Austrália… Deve ser um fogaréu, hein?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
19 dias atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

Juro que não entendi . Fogo de palha em SLAM ??? . Ganhou o AOPEN sem ceder nenhum break Point pra Djokovic na Semi e caiu na Semi de RG em 5 Sets para Carlos Alcaraz. Chegou com justiça ao N 1 e foi encarar a rapidíssima Halle ( quantos fogem dela ? rs ) e levou com propriedade seu primeiro Título na superfície. De Carlitos falam da dificuldade de defender Títulos . Com apenas 21 já defendeu em Indian Wells , Madri e Barcelona. Fez bem em ser dos primeiros a chegar no All England Club. Sinal que a derrota em Queen’s ligou o alerta . Abs!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
18 dias atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

Como é que o sujeito pode ser “fogo de palha em Slams”, se acabou de conquistar o Australian Open em janeiro e de fazer semi em Roland Garros?

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Federer eterno GOAT

kkkk
Levou invertida do próprio segmento de torcida por esta asneira!

Sandra
Sandra
19 dias atrás

Dalcim, será que a contusão foi tão grave assim do Djokovic? Não consigo imaginar que ele se arriscaria em Wimblendon se ele não tivesse certeza ..

Refaelov
Refaelov
18 dias atrás
Responder para  Sandra

Sei q são esportes diferentes mas, me lembro por exemplo do Arrascaeta sofrendo lesão semelhante nas semi finais da libertadores 2019 e voltando a atuar menos de 3 semanas após realizar uma artroscopia..

Maurício Luís *
Maurício Luís *
19 dias atrás

A foto do Sinner e do Hubert Hurkacz com os troféus de Halle me lembrou o desenho animado “A corrida maluca”. O italiano é a cara do Professor Aéreo e o polonês é a cara do Peter Perfeito.
E essa transição do saibro pra grama não é nada fácil. O ranking vira uma gangorra nesta época do ano. Tem muito saibrista que subiu e agora… vai “pastar”.
A folclórica frase ” Grama é para as vacas”, pra alguns tenistas, é a iminência da vaca ir pro brejo.

Danilo
Danilo
19 dias atrás

Alguém acredita que o Djokovic liga mais para os jogos olímpicos do que Wimbledon?

Sempre foi nítida a inveja que o sérvio tem do suíço, e sabendo que a sua carreira está perto do fim, assim como suas chances de GS, ele decidiu de forma desesperada fazer a cirurgia e a reabilitação o mais rápido possível para tentar igualar o recorde de torneios do suíço em Wimbledon. Ele com certeza não contava com a derrota para o Alcaraz no ano passado e está desesperado em busca do recorde. Não se contenta com o recorde de GS: onde há alguma façanha possível, principalmente se for do suíço ele fica fissurado em perseguí-la. Mais uma demonstração de um ego inflado que quer a todo custo superar aqueles que possuem mais admiração que ele, mesmo tendo ganhado menos.

É capaz que essa decisão seja totalmente errada, mas aposto que o sérvio está tão obcecado em igualar ou superar o suíço, que ele nem está pensando com cautela e decidiu ir pro tudo ou nada. A conferir…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
18 dias atrás
Responder para  Danilo

Percebo também uma inveja, ao ler isso, mas, não é no sérvio não.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Esse sempre chorou lágrimas de sangue em relação ao Djoko.

E na verdade ele quer mais Slams, não importa onde a essa altura da carreira.

Jonas
Jonas
18 dias atrás
Responder para  Danilo

Ele liga pros dois… pois considera título grande e é mesmo.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
18 dias atrás
Responder para  Danilo

Perfeito! Assino embaixo. Mas no maior e melhor slam de todos, Roger continuará a ser rei.
E o fato de Novak ter sido atropelado por Alcaraz no ano passado, tornou sua tarefa esse ano mais difícil, pois agora tem o Sinner junto com o Alcaraz pra ganhar o slam, e são os dois favoritos independente das condições do sérvio.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
18 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Se o sérvio foi atropelado em 5 sets e ganhou 3 slam 2023 imagine o trivice do sérvio.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

De acordo com esse raciocínio, o suíço foi atropelado por 3×2 em 2014 e 2019 e obliterado por 3×1 em 2015.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
18 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Talvez somente Alcaraz e Sinner juntos para parar o sérvio mesmo.
Só não sabia que agora o tênis é de 2 contra 1.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
18 dias atrás
Responder para  Danilo

O mundo do tênis prefere a admiração de Danilo ao invés dos recordes de slam, atp finals, masters 1000, semanas como número 1 e temporadas como número 1.
Tá sertis!

Jansen
Jansen
18 dias atrás
Responder para  Danilo

Djoko vai pra wimbledon passar vergonha, 36 anos e morto com farofa, se pegar um Top 10 nas oitavas já vai direto pra Paris, a não ser que dê muita sorte como sempre deu nesses sorteios que só pega chave mamão com açúcar, fora isso não tem mais condições.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
17 dias atrás
Responder para  Jansen

A culpa dos recordes de Djoko é do terceirão que perdeu 4 finais de slam e 3 de atp finals para o goat.

Pedro Dias
Pedro Dias
19 dias atrás

Mestre, assistiu o filme da aposentadoria do Federer? O que achou?

Uma coisa que sempre né chama atenção em qualquer coisa de bastidores é como o Murray é um cara bacana.

Alexandre G.
Alexandre G.
18 dias atrás
Responder para  Pedro Dias

Onde está passando isso?

Gustavo
Gustavo
18 dias atrás
Responder para  Alexandre G.

Prime video

Schuster
Schuster
19 dias atrás

Sinner deve levar Wimblendon ! Neste momento está nascendo um Big 2 ! A conferir …..

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
18 dias atrás
Responder para  Schuster

Qualquer denominação de Big, seja 2, 3 ou 4, com números insipientes dos atuais postulantes, é pura forçação de barra.
Veja que tivemos Pete Sampras, por um longo tempo, como o maior vencedor de Slams da história, com a companhia próxima de gente muito grande, como Agassi, Borg, Lendl etc e em nenhum momento criaram um grupo para eles, como o atual Big4(3,2,1).
Chamar Alcaraz e Sinner de Big, menos, muito menos…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
17 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Parece que o rapaz não é muito bom de conta também. Em 2002 Sampras atingiu o SLAM 14 . Nada de longo tempo. O que aconteceu em 2009 em WIMBLEDON com Pete assistindo de Camarote??? rsrs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não sou matemático, mas sei que a diferença é de 7 anos e 28 GS.
Hoje, parece ter sido muito pouco, uma vez que o maior de todos já tem 10 de frente sobre o americano. Agassi, seu maior rival, continuou longe, com “apenas” 8.

Paulo A.
Paulo A.
18 dias atrás

Dalcim, quem você acha, dos rapazes brasileiros, mais provável de furar o quali? E o que a Laura deveria fazer na grama para ter mais chances?

Última edição 18 dias atrás by Paulo A.
Paulo A.
Paulo A.
18 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Pensei que iria sugerir ela jogar no saque e voleio, rs.

Paulo H
Paulo H
18 dias atrás

Caso Djokovic abra mão de Wimbledon, como recomenda a prudência, minha torcida vai para o atual número 1, Jannik Sinner, que no ano passado fez uma semifinal muito disputada com o próprio Djoko.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Paulo H

Foi 3×0, com tiebreak só no 3° set. O jogo de 2022 é que foi absurdo, com uma virada espetacular do sérvio. Aquela passada cruzada de esquerda deslizando em open stance é uma das maiores jogadas da história.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
18 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Paulo, eu ainda acho que o backhand open stance mais íconico da história foi na final do FINALS 2012, quando o Djokovic aplicou o golpe no match point contra o Federer, então maior tenista da história e recordista de títulos de Finals.

Por mais que Wimbledon tenha um peso grande, o jogo contra o Sinner não era uma final, e nem em um match point contra o Federer.
Não lembro de uma match point tão impactante com todos os elementos que citei acima, até porque não vi o último ponto nos principais torneios.

DALCIM, você recorda de algum ponto espetacular no match point em uma final de Slam ou FInals envolvendo tenistas tão gabaritados ?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
17 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Concordo plenamente com a falha de Federer.
Sua expressão com a passada foi: que m***a fiz!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
17 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Danilo, certamente a passada de 2012 (na paralela) foi mais icônica e importante, mas acho que a de 2022 foi mais difícil, pois Djoko se esticou mais ainda e caiu no chão depois, imitando o homem-pássaro. Outra passada memorável foi de direita na cruzada contra o Nadal em Wimbledon 2018, salvando um break com cara de match point.

A pergunta não foi pra mim, mas houve a passada do Zverev contra o próprio Djoko no Finals 2018.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
17 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Nem pra mim, mas prova cabal que somente assistem jogos do ” goat ” . Se botar algumas de Sampras…O Nobre Danilo se deixou levar pela efusiva comemoração do Sérvio e num match point . Mas Papai Federer botou com açúcar e com afeto no seu ponto forte… rsrs. Quem quiser conferir aparece rapidinho através do Google e YouTube na sequência ( final ATP FINALS 2012 ) . Abs!

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
17 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Nobre Sérgio Ribeiro, vi todos os match points dos títulos do SAMPRAS em Slams e Finals e não tem nenhum golpe especial no último ponto, a grande maioria foram erros dos adversários e aces do americano.

Slams:
https://www.youtube.com/watch?v=AzLn73iIaXo

Finals:
1991 – https://www.youtube.com/watch?v=l4cXFcUzEbI
1994 – https://www.youtube.com/results?search_query=atp+finals+1994
1996 – https://www.youtube.com/results?search_query=atp+finals+1996
1997 – https://www.youtube.com/results?search_query=atp+finals+1997
1999 – https://www.youtube.com/watch?v=MFUmjBN3OdU

Só lembrando que primeiramente postei meu ponto de vista comparando o match point do finals 2012 com a passada no Sinner (WB 2022).

Depois apenas humildemente perguntei se o Dalcim lembranva de algum match point em final de Slam ou Finals tão espetacular quanto do sérvio em 2012. O Dalcim não lembrou de nenhum rapidamente e eu tb não, simplesmente pq é raro. Certamente se você lembrasse de algum teria citado.

Abs !!!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Como disse ao PA ontem, não estraçalha não.
O ponto era o match-point do fenomenal Novak Djokovic – somente isso.
Daí vem alguém tentando embolar tudo para justificar o que não tem justificativa.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
17 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Fui ver o match point do Zverev, mas não chega nem perto da plasticidade da passada do Djokovic no Finals 2012. Primeiro pq a finalização do Zverev ele bate meio desengonçado na terminação do golpe, segundo pq a bola correu a quadra meio sem peso. Foi mais uma defesa do que propriamente um contra-ataque contudente e rasante como do Djoko. Ademais, não era uma partida envolvendo dois gigantes do esporte, os melhores tenistas da história no piso hard.

Quanto a passada no Sinner, concordo que foi mais difícil, até pq Djokovic chegou atrasado na bola e a aderência na grama prejudicar a execução do bachhand de open stance.

Façamos assim nobre:

Mais difícil: contra o Sinner
Mais importante: contra o Federer

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Perfeito, você concordou comigo, rs.

A passada do Zverev eu lembrei de cabeça, não cheguei a ver o replay antes de postar. Djoko fez um jogo muito ruim naquele dia; acho que foi quebrado 4 vezes, 3 seguidas. O fim de 2018 foi meio ruim amargando 2 derrotas em finais.

Em finais envolvendo o Big 3, o match point contra o Nadal ali no quadradinho em Miami 2014 também foi especial.

Abs!

Vinícius
Vinícius
18 dias atrás

Dalcim vc não acha que o djokovic ir para wimbledon, caso ele jogue, é um sinal que ele acredita que esse é seu último ano competindo pelo título ou talvez que seja seu último ano jogando?pq assim eu concordo com você que seja uma temeridade, mas talvez ele(djokovic) entenda que daqui 1 ano ele não consiga jogar wimbledon de forma competitiva(tendo uma chance de ser campeão) e ele já tá mostrando sinais de queda do físico, então talvez ele entenda que esse ano é a última chance e mesmo que isso possa comprometer as olimpíadas, ele quer tentar
É um bom motivo ou vc ainda acha que não vale o risco?

Wilbert Ferraz
Wilbert Ferraz
18 dias atrás

Novak nao vai jogar, ele só quer bagunçar a chave pra dificultar para os cabeças. Na vespera do jogo dele, ele vai dar out.

Oscar
Oscar
18 dias atrás
Responder para  Wilbert Ferraz

Sim, como cabeça 2 pode colocar Sinner X Alcaraz na semi.

Marcos
Marcos
18 dias atrás
Responder para  Wilbert Ferraz

Mas ele só faz bagunça mesmo. Foi até o final para desistir e tirou a chance da medalha olímpica de sua parceira de duplas. Ele só faz o que lhe interessa.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
18 dias atrás
Responder para  Marcos

Impressionante como pegam uma historinha isolada, sem nenhum conhecimento de causa, para tentar denegrir a imagem de um gigante, muito maior que isso.
E o jatinho que ele pagou do próprio bolso, para levar uma criança da Europa aos EUA para um tratamento de saúde, bagunçou a vida de quem?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Marcos

A dupla mista foi eliminada na semifinal, portanto ele não desistiu de final nenhuma e sim da disputa do 3° lugar.

João Sawao ando
João Sawao ando
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Mas deixou a parceira na mão por não disputar o bronze….

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  João Sawao ando

Terrível isso!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Wilbert Ferraz

Você não sabe o que vai acontecer. Além disso, ele não tem mais interesse no número 1 para “avacalhar” a chave. Vocês sofredores inventam cada teoria da conspiração pior do que a outra.

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Wilbert Ferraz

Ele não está no direito dele de tentar participar do torneio até o último segundo?

João Sawao ando
João Sawao ando
15 dias atrás
Responder para  Wilbert Ferraz

Ele vai entrar e parar no meio do jogo devido ao joelho

Porkuat
Porkuat
18 dias atrás

Eu gosto da atitude do Sinner em quadra, não reclama de nada e esta sempre focado esteja ganhando ou perdendo a partida, mas depois que acabou o jogo ontem ele não mostrou emoção nenhuma, parecia que tinha ganhado uma partida de domingo no clube ao meio dia, já com pressa pra ir embora kkkkkk.

Marcelo F
Marcelo F
18 dias atrás
Responder para  Porkuat

Também gosto disso nele, dessa sobriedade. Assim deve ser um tenista, na minha opinião. Torcerei por ele assim que o Nadal parar de vez. Não gosto do Alcaraz ficar colocando o dedo no ouvido após um grande ponto, como que pedindo aplausos. Acho pedante. Rune também faz isso. E outros. Monfils faz o tempo todo (mas esse não conta, pois acha importante dar show em detrimento de mais regularidade). Imaginem se Federer fosse fazer isso também a cada belo ponto. Ia fazer toda hora… Tomara que o João Fonseca não adquira esse péssimo hábito.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
18 dias atrás
Responder para  Marcelo F

Assista então mais jogos , meu caro . Carlos Alcaraz é tudo de bom para o Esporte . Um verdadeiro desportista na acepção da palavra e já com multidão de apreciadores . Podes crer . Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Já deu vários chiliques que eu descrevi há pouco tempo.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
18 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Logo quem vem falar de chiliques. Na mesma idade Carlos Alcaraz a nível de comportamento da’ um banho em Djokovic e porque não, também em Roger Federer. Já e’ admirado por todo o Circuito. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
18 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ainda bem que também admitiu os chiliques do Federer, que continuaram durante toda a carreira e até com ele bem velhinho, vide quando isolou a bolinha em RG 2019 contra Nadal e encheu o saco do juiz em Xangai 2019 contra Zverev.

Esse é o bom rapaz exemplar dentro e fora de quadras segundo alguns. Rsrs, abs!

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

A cada ponto precisa receber orientação da equipe.
Será que para fazer o número 2 também consulta o Ferrero para ser orientado?
Sei
A conferir!
rsrsrsrsr Abs!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
18 dias atrás

É CADA ABÓBORA SEM SENTIDO que leio nas dependências desta confraria. Se realmente Alcaraz “sentiu a pressão da defesa do título de Queen’s”, minha avaliação é que ele irá se borrar todo em Wimbledon, já que defenderá os 2000 pontos adquiridos neste torneio em 2023. E mais: argumentar que “a mudança de superfície” também o influenciou negativamente na defesa 500 contos de Queen’s, soa contraditório, defasado e bizarro, posto que o espanhol foi campeão no mesmo Queen’s no ano passado, advindo do mesmo saibro, ou seja, se era para sentir o peso da passagem da terra alaranjada para a grama, que o martírio lhe ocorresse em 2023. Moral da história: a priori, o espanhol foi o experiente Alcaraz, ao se despojar a la vontê na grama de Queen’s, para, em seguida, se tornar inexperiente, por sentir a pressão de ter que defender o título de um “mero” nível 500 com grama no entorno. Juntando os cacos verificados por seu analista, pobre dele em Wimbledon…

Rafael
Rafael
18 dias atrás

Se o sérvio resolver participar é porque tem certeza que tem condições. Aí, ele é muito favorito!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
18 dias atrás
Responder para  Rafael

Um pouco menos de fanatismo caía bem, não é mesmo caríssimo Rafael ? . Mas já podes se considerar membro honorário da poderosa Kombi …rsrs. Abs !

Moncho Sabella
Moncho Sabella
18 dias atrás

Dalcim, algo que tenho pensando, essa e a próxima temporada serão importantes para Alcaraz e Sinner, no sentido de saber até onde eles podem chegar.
Pq hj o sarrafo são 24 GS e 7 Finals, e me parece que ganhar um ou outro slam por temporada torna esse recorde difícil. Me parece que se eles conseguirem daqui pra o final de 2025 mais uns 3 GS, já comecem a pensar numa possibilidade de chegar nesse número.
Claro que temos que saber também até onde os tenistas vão conseguir esticar a vida-útil daqui a 15 anos. Pq pode ser que daqui a 15 anos um tenista de 40 anos ainda esteja competitivo.

OBS: Pode até passar despercebido, mas Federer fez quartas de GS com 40. Quer queira, quer não, foi algo muito foda.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
18 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Pois é, já tem gente aqui mesmo colocando-os como “Big2”.
Parece piada!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
18 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Piada é o Sr não saber que Federer e Djokovic aos 22 anos , possuíam somados 2 SLAM. SINNER e Alcaraz somados já possuem 4 SLAM e Carlitos com 21 recém completados . Ambos são os favoritos para WIMBLEDON 2024 . A denominação BIg 3 somente surgiu após 2011 com o Sérvio já aos 24 anos . Não dá pra projetar realmente nada ainda . Hoje Djokovic e Alcaraz se encontraram falando em Espanhol nas quadras de treino , e Sérvio com proteção no joelho mas afirmando que vai jogar segundo O MARCA . Mas será a primeira vez em uma década que eu não o cravaria como favorito absoluto. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
18 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Cara, vira esse disco!
Sua referência circular cansa.
Federer e Djokovic com 22 anos eram Big o que? Big nada!
Você mesmo escreveu: “não dá para projetar realmente nada ainda.”
Isso, por acaso é diferente do que escrevi?
Implicância gratuita, que coisa chata!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
18 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Não fique nervosinho atoa. És uma pessoa estranha mesmo. SINNER e Alcaraz tem mais SLAM que Djokovic e Federer na mesma idade e jogam mais que ambos até os 22 . Difícil não é Sr fanático ? . Mais acima está apontando 2011. Federer já tinha 30 anos . Que dificuldade criatura!!!. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
17 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

E daí que têm mais Slam na mesma idade? E dái?
Quem apontou 2011, eu? Onde?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Obrigado pela edição do final do comentário Dalcim.
Realmente, extrapolei e não devia.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Interpretação parece que não é seu forte. O colega quis dizer que são os dois tenistas que se diferenciam dos demais e com certeza vão dividir os grandes títulos pelos próximos anos caso não apareça alguém.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Não Belarmino Jr, ele não quis dizer isso.
Ele mistura as coisas, para confundir, pois não consegue defender seu ponto de vista com argumentos lógicos. Mencionou o ano 2011 que eu sequer havia usado como referência, aliás, isso é recorrente.
Não me venha dizer que não sei interpretar, para defender quem sempre que ser o dono da verdade.
Alcaraz e Sinner são hoje os dois melhores jogadores do momento. Daí, achar que eles serão como o Big3, daqui 15 anos, são outros 500. E isso foi o ponto de início dessa conversa.
Passe bem!

Ronildo
Ronildo
17 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Muito bem lembrado Sérgio. É realmente impressionante Alcaraz já possuir 3 slans e já ser considerado favorito em Wimbledom. Se cacifar, chegando aos 4 slans, será favorito também no US Open. É como Ferrero falou certa vez: “Não há limites para o potencial de Alcaraz”. Acredito que ele conseguirá vencer os 4 slans num mesmo ano no mínimo umas duas vezes.

Luciano
Luciano
18 dias atrás
Responder para  Moncho Sabella

Sinceramente não vejo esses caras chegando e tampouco ultrapassando 24 Majors. Mas só o tempo dirá!

Alexandre G.
Alexandre G.
18 dias atrás

Dalcim, mais um título da dupla Hsieh/Mertens.
Essa asiática é muito habilidosa e tem muita visão de quadra, e fez toda a diferença na final.

Sandra
Sandra
18 dias atrás

Dalcim , se alguém convidasse o Heide ou o João Fonseca para jogar pares , eles poderiam ou não teriam ranking?

Renato
Renato
18 dias atrás

Vamos ver se vai chegar ao segundo Slam, ou se verá Alcaraz abrir vantagem maior.

Evaldo Moreira
Evaldo Moreira
18 dias atrás

É tanta lorota, que nem em gibi, cabe mais..kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Poxa via, vamos ao que interessa, esse Sinner é dos grandes, cara bem sólido, teve batalhas das grandes em Halle, e venceu, meus parabéns.

Já Alcaraz, não creio que deva ter sentido a pressão, me passa a impressão que já ta ganho o jogo, mas na hora H, minha impressão apenas, claro que, não vi o último dele contra o Draper, ainda vou ver, e tirar as minhas conclusões, e peo que se comenta, ligou o sinal de alerta.

Como mencionei no parágrafo anterior, esqueci de escrever ali no meio, claro que impressão vai ocasionar em algumas situações, mas dito isto, alcaraz veio de um grande titulo em roland Garros, são uase duas semanas jogando no saibro, dai a transição para a grama, é muito dificil realmente, dai eu creio que ele deva ter sentido o piso, e não a pressão de defender o título, mas respeito o mestre escreveu, mas é a minha opinião de momento.

sobre o sérvio vir a Wimbledon, ai o cara é doido realmente, mas enfim, quer vir jogar, então ele acredita que tenha boas condições de jogar, faturar o título, já é outra conversa….falaram ai abaixo, em relação ao Arrascaeta, que fez o procedimento cirurgico, mas esqueceram de avaliar , que ao voltar da cirurgia, o ele nem voltou tão perto assim da forma antiga, ah a grama é a mesma, sim, é a mesma, então Nole não chegará nas melhores condições fisicas, mas se passar da primeiria semana, ah kombeiros, esse sérvio vai dar trabajo, muy trabajo, kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk

Ronildo
Ronildo
17 dias atrás

Tomara que Alcaraz e Sinner fiquem de lado opostos na chave. Seria fantástico haver uma final entre eles porque uma semifinal entre os dois certamente seria a final antecipada e isso não seria nada bom para o torneio. Lembrando que a final de RG entre estes dois fenômenos de carisma e simpatia bateu recordes de audiência e será assim se também fizerem final em Wimbledom.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
17 dias atrás
Responder para  Ronildo

Ficarão com certeza, se um certo sérvio não resolver se arriscar a tomar outro tombo, desta vez na grama. E de quebra bagunçar todo o chaveamento.

Ronildo
Ronildo
17 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Acredito que ele vai entrar em Wimbledom e abandonar depois do primeiro jogo. Se não abandonar a primeira partida em andamento.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
17 dias atrás
Responder para  Ronildo

Agora fiquei curioso nobre Ronildo… Ele abandonaria por qual motivo durante ou após o primeiro jogo ?

Ronildo
Ronildo
16 dias atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Saudações Danilo.

É tendência dos últimos eventos. O joelho sofre mais na grama. Ele vai se ver obrigado a parar para não piorar as condições do joelho. Teria que pegar um tenista muito ruim para passar incólume em uma partida de 3 sets. Mas se pegar um cara que fará ele correr muito pra salvar pontos, não vai ter como Danilo.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
16 dias atrás
Responder para  Ronildo

Pensei que vc pactuava com a idéia absurda do sérvio participar do sorteio, jogando ou não, apenas para tentar evitar que Sinner e Alcaraz fique em lados opostos no quadrante.

Ronildo
Ronildo
15 dias atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Não Danilo. Mesmo porque de nada adiantaria uma estratégia louca destas se Alcaraz estiver bem física e mentalmente. Ele é super favorito para vencer o torneio.

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Pergunto de novo: ele não está no direito dele de tentar participar do torneio até o último segundo?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
16 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Ah, sim. Com certeza. Todo mundo tem o direito de se arriscar. Boa sorte a ele. Vai precisar de muita.

Ronildo
Ronildo
17 dias atrás

Sinner é um cara muito aplicado. Gosto muito dele. Ele tem uma vontade imensa de vencer. É uma pessoa super educada e respeitosa. Um grande número 1 para representar o tênis. Porém Alcaraz tem mais habilidade com a raquete. Se tiver uma cabeça boa assim como Sinner, será praticamente imbatível por muito tempo no circuito, perdendo apenas algumas partidas de menor importância. Pete Sampras de vez em quando perdia na primeira rodada do torneio depois de uma grande conquista. Certamente foi a melhor maneira que arranjou para poupar físico. Não vejo limites para as conquistas de Alcaraz.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
17 dias atrás

MINHA PROVIDENCIAL AVALIAÇÃO sobre esta confraria: quanta falta faz o discernimento e erudição do PERIFERIA, da MANU, do BAROCOS e da MARIA RANAVALONA DE IMERINA…

Ronildo
Ronildo
16 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Estou em dúvida se sua avaliação é mesmo providencial Valmir!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, você está “em dúvida” se minha “avaliação é mesmo providencial”, decerto por considerar o fato de que também fazemos parte da confraria em questão. Mas a meu ver, entre mortos e combalidos, você é dos poucos que se salvam do patamar rasteiro…

Carlos Pereira
Carlos Pereira
17 dias atrás

Acho o Skinner um bom jogador! Mas acho que falta uma chama! O Alcaraz passa por cima dele em qualquer piso!

Robert
Robert
17 dias atrás

Dalcim, você acha que algum desses maratenistas teria vencido Wimbledon se a ATP não tivesse padronizado os pisos em 2008?

Jonas
Jonas
17 dias atrás
Responder para  Robert

Nadal foi finalista em 2006…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
17 dias atrás
Responder para  Jonas

2006 e 2007. Djoko semi em 2007.

Hewitt campeão em 2002. André Sá e Nicolás Lapentti quadrifinalistas, Flávio Saretta eliminou o campeão do Australian Open trocando bola no fundo.

É fácil demais destruir a desculpa esfarrapada do Federer prejudicado por pisos mais lentos.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
17 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Volte para Escola caro Piloto rs Professor Saretta num jogo de quase 100 ENFS bateu o Sueco , mas te ensinou quando começou a padronização. A principal não aprendestes. Federer acabou virando um baseliner ( o que o fez vencer 15 SLAM entre 2003 e 2009 , mas abandonou o saque voleio do seu ídolo Pete Sampras. Abs !

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Eu que acabei de dar aula e foi de graça. Voce também está precisando voltar para a escola e ver uns vídeos do Federer em 99/2000 para descobrir que ele já nasceu baseliner. Nunca foi um jogador só de saque-e-voleio. Sugestão: final de Basel contra o Haas.

De nada e abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Federer já estava a frente do seu tempo , daí adaptar para Baseliner sem problemas . Se considerarmos Borg ( 5 ) , Connors ( 2 ) e Agassi ( 1 ) vez , Baseliners, somente estes 3 venceram até 2001 em WIMBLEDON . O resto todos Saque Voleio . Abs!

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sérgio Ribeiro sabe “tanto” de tênis que sequer sabe que Roger Federer nasceu baseliner.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Puxa PA, não estraçalha de primeira não!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Sempre!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
16 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Não sei porque sumiu meu comentário aqui . Mas esqueci de te lembrar Federer 3 x 2 Sampras em WIMBLEDON 2001 , e que estilo ambos jogadores praticaram … Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
17 dias atrás
Responder para  Robert

A única mudança que ocorreu no piso de Wimbledon com registros oficiais foi em 2001 e as bolas ficaram maiores em 2002, ou seja, antes do auge do terceiro da história em cima de Philippoussis e Roddick. Nas quadras duras não há qualquer registro de mudança, sendo que nos anos 90 os baseliners já ganhavam vários torneios. O resto é lenda de terceirete, Robert Souza/Belarmino.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
17 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Nem vou responder tamanha bobagem. O Dalcim já o fez N vezes … Rsrsrs , Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Claro que não vai, já que não tem como negar o óbvio.

A conferir, rsrs, abs!

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Robert

Já ouviu falar de Hewitt?

Carlos Pereira
Carlos Pereira
17 dias atrás

Borg venceu muitas vezes em sequência RG e WB em uma época que os pisos eram realmente muito diferentes. Como explicar! Como explicar também que RN venceu RG na grama e RF não fez nenhum jogo decente contra RN em RG?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
17 dias atrás
Responder para  Carlos Pereira

Backhand Simples contra o Spin infernal de Forehand do CANHOTO. WAWRINKA ganhou FINAL de RG pra cima de Djokovic, mas a bolinha acima de sua linha de cintura , também somente apanhou em Paris. O ” goat ” com seu excepcional Backhand de 2 mãos perdeu TODAS as FINAIS e amarga um 2 x 8 no mesmo local . Simples assim, caro Carlos rs. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ganhou 2 vezes e uma terminou em título. Bem melhor do que 6×0.

Kkkkk, abs!

Paulo F.
Paulo F.
15 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Esse Sérgio Ribeiro não cansa de passar vergonha.

André Aguiar
André Aguiar
17 dias atrás

João Fonseca tem hoje 17 anos e 10 meses e é o n° 215 do ranking.
Dando os seus primeiros passos como profissional, já há quem manifeste alguma impaciência e até decepção com as suas derrotas. Para esses especialmente, sugiro dar uma olhada nesses dados do início da carreira de alguns tenistas que são ou já foram ao menos top 5.

Idade em que chegou pela primeira vez ao top 100:

Nadal: 16a 10m

Alcaraz: 18a
Federer: 18a 1m
Zverev: 18a 1m
Djokovic: 18a 2m
Sinner: 18a 2m
Murray: 18a 5m
Rune: 18a 9m

Tsitsipas: 19a 2m
Dimitrov: 19a 8m
Rublev: 19a 8m
Guga: 19a 11m

Wawrinka: 20a 1m
Ruud: 20a 3m
Thiem: 20a 5m
Medvedev: 20a 9m

Idade em que ganhou o 1° título da ATP:

Nadal: 18a 2m (Sopot)
Alcaraz: 18a 2m (Umag)

Rune: 19a (Munique)
Djokovic: 19a 2m (Amersfoort)
Sinner: 19a 3m (Sofia)
Zverev: 19a 5m (St Petersburgo)
Federer: 19a 6m (Milão)
Murray: 19a 9m (San Jose)
Rublev: 19a 9m (Umag)

Tsitsipas: 20a 2m (Estocolmo)
Guga: 20a 9m (Roland Garros)

Ruud: 21a 2m (Buenos Aires)
Wawrinka: 21a 4m (Umag)
Thiem: 21a 8m (Nice)
Medvedev: 21a 11m (Sydney)

Dimitrov: 22a 5m (Estocolmo)

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
17 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Show de bola esse levantamento estatístico !!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Vixe, tem gente aqui que vai pirar ao saber que Djokovic ganhou seu primeiro ATP mais novo que Roger Federer.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Esse ATP era tão fraquinho que a família Novak acabou comprando seus direitos. Daí existir o famoso Belgradao 250. Torneio que ” goat ” conseguiu perder na última edição… rsrs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Tua necessidade de atormentar é tão grande que antes de ler, quer aparecer.
O primeiro ATP do gigante foi em Amersfoort.

Paulo F.
Paulo F.
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Não apenas ATP, Djokovic também ganhou Grand Slam mais novo do que Federer.

Gustavo
Gustavo
16 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Vao nada. Para esses números só contam qdo convém kkkk.

Gustavo
Gustavo
16 dias atrás
Responder para  Gustavo

Para esses, números só contam qdo convém***

Gustavo
Gustavo
16 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Dei like, bem interessante

Paulo A.
Paulo A.
16 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Parabéns por compartilhar conosco. Muito bom mesmo.

Andrea Patresi
Andrea Patresi
17 dias atrás

Dalcim, de 1968 pra cá só 8 vezes um tenista que tava perdendo uma final de GS de 2×0 virou, porém de 2020 pra cá, 4 vezes isso aconteceu, a última vez tinha sido em 2004, ou seja, quase 20 anos.
2 vezes Medvedev, uma Zverev e uma Tsitsipas, isso indica algo sobre essa geração? Talvez indique que seja uma geração talentosa mas com mental fraco?

Ronildo
Ronildo
16 dias atrás

Lamento pelo Wild. Fritz venceu ele na malandragem e os pontos do jogo monstram tudo! No início no cumprimento Fritz desafiou Wild: “Vamos ver quem saca melhor!” Wild topou o desafio e no primeiro set nenhum sacador cedeu break-point. Então no tie-break Wild sacou e fez 1-0. Depois Fritz fez 2-1. Wild sacou e continuou com 100% de aproveitamento, 3-2 para Wild. Então Fritz percebeu que chegou o grande momento: sacou e perdeu o ponto, olhou para Wild sorrindo e disse: “Relaxa!”. Porém venceu o próximo ponto. Wild foi sacar com de 4-3, podendo fazer 6-3 se confirma-se os dois saques. Porém exatamente neste momento ele se mostrou confuso pois segundo sua percepção tinha vencido o desafio pra ver quem sacava melhor, pois só podia significar isso o “relaxa” que Fritz falou para ele depois de ceder um ponto com o saque. Este momento de indecisão foi crucial para decidir a partida pois desestabilizou a concentração que Wild tinha mantido até então e fez com que perdesse os dois pontos dos saques revertendo o placar a favor de Fritz para 5-4. Fritz, motivado com o acerto de sua estratégia, sacou de forma confiante e fechou o tie-break em 7-4, vencendo o primeiro set por 7/6.
À partir daí, Wild, que já tinha se dado conta que foi enganado desta forma bem malandra pelo adversário, ainda continuou jogando um excelente tênis, mas não conseguiu manter o mesmo padrão do primeiro set pois estava contrariado consigo mesmo e assim sendo foi quebrado uma vez, perdendo o segundo set por 6 a 3.

Foi assim que entendi a partida do Wild depois de analisar friamente ponto a ponto este jogo de exatos 1 hora e 16 minutos de duração.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
16 dias atrás
Responder para  Ronildo

Pobre garoto ingênuo!

Ronildo
Ronildo
15 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Sim! Mas apesar de tudo, Wild jogou muito bem. Está com jogo afiado para Wimbledom.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
15 dias atrás
Responder para  Ronildo

Pobre garoto ingênuo II!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás

JOSÉ NILTON, por que o espaço de respostas aos comentários “desaparece” da página, após alguns dias da postagem do seu artigo?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

JOSÉ NILTON, e por que foi assim programado?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
14 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

JOSÉ NILTON, vou acreditar em você…

Ronildo
Ronildo
15 dias atrás

O adversário ideal para Wild na primeira rodada é Djokovic. Ele não desperdiçaria esta oportunidade e a chave abriria com excelentes oportunidades até as quartas de final.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
15 dias atrás
Responder para  Ronildo

Seria ótimo para o Meligeni também.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, na atual conjuntura, creio que daria empate, no quesito espancamento de raquetes. Vi a performance do brasileiro outro dia e, mediante eficiência deste, minha avaliação é que ele pode engrossar o caldo pra cima do outro nó cego…

Última edição 15 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Ronildo
Ronildo
15 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Então Valmir. Se Wild jogasse com a mesma eficiência que jogou contra Fritz, acho que Djokovic teria dificuldades em encontrar seu jogo.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás
Responder para  Ronildo

RONILDO, nem vou levar a sério essa esparrela de última hora, e você já deveria saber que não baseio minhas opiniões em jogos ou torneios isolados. E por favor, não permita que sua expertise acima da média se deixe influenciar pela patriotice de muitos…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
15 dias atrás

MAIS UMA VEZ, ELA FOI COERENTE e estacionou em seu patamar natural do último um ano e meio mais ou menos, ou seja, entre a primeira e a segunda rodadas dos desfiles. E depois Homburg é que é ruim…

evaldo.moreira
evaldo.moreira
15 dias atrás

Boa noite,
Bia sendo Bia, perdendo como sempre…e uma atrás da outra.
Não sei o que esboçar sobre o assunto, já falamos de tudo..tudo, e sina é a mesma, mas vmos ver o que dar para ela fazer em em Wimbledon,

Última edição 15 dias atrás by evaldo.moreira
Gustavo
Gustavo
15 dias atrás

Andy Murray e Jamie Murray jogarão Wimbledon juntos em duplas masculinas pela primeira vez.

Que bela maneira de terminar a carreira, no maior torneio de todos, e com seu irmão.

Gustavo
Gustavo
15 dias atrás
Responder para  Gustavo

Pessoalmente, prefiro que ele se aposente assim, ao invés das Olimpíadas, mas é ele quem decide, óbvio kkkk

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
14 dias atrás
Responder para  Gustavo

Se jogar duplas em WIMBLEDON porque não jogaria a modalidade nas Olimpíadas??? . Seria a despedida gloriosa do maior Campeão Olímpico Masculino . Isto porque as Irmãs WILLIAMS são imbatíveis no geral…Abs!

Guilherme
Guilherme
15 dias atrás

por que Roddick não diz que Murray está aproveitando a lesão para chamar a atenção enquanto difama Djokovic? O preconceito da mídia sobre o tênis é terrível.

Guilherme
Guilherme
15 dias atrás

Andy Murray estará no sorteio de Wimbledon e esperará até o último momento para decidir sobre sua participação em sua última partida em Wimbledon, enquanto continua a reabilitação após uma cirurgia nas costas.

“Quero ter essa oportunidade, por isso vou aguardá-la o máximo que puder para ver se me recupero bem.”

O deep state do tênis está usando seu fantoche Roddick para tentar manipular o público para ver Djokovic como um vilão e Andy Murray como um santo do tênis. Até Stevie Wonder pode ver a agenda.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
15 dias atrás

Até o momento, pouco + de 32% dos internautas votaram que Djokovic deve participar de Wimbledon porque é favorito.
Também acho… favorito a levar um tombo.
E tem uns me vindo aí com a tal da Teoria da Conspiração dizendo que o sérvio vai se inscrever só pra fazer o Sinner e o Alcaraz ficarem do mesmo lado da chave.
O ‘hómi’ já é recordista de Slams, recordista de ponta do ranking, campeão do escambau… Por que iria perder tempo fazendo uma picuinha infantil e ridícula dessas? Faz favor!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
14 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Boa Maurício!
Análise isenta de torcida!

Paulo F.
Paulo F.
14 dias atrás

Bom dia.
Alcaraz e Sinner ficaram do mesmo lado.
As viúvas já começaram a lamuriar pela “sorte” do GOAT?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
14 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Avacalhou o sorteio direitinho.

Rsrsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
14 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Calma Betty . Se sentir algo larga sem pestanejar. E’ de longe o que mais abandonou entre membros do Big 3 … Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
14 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Melhor do que fugir antes da batalha começar.

A conferir, rsrsrs, abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
14 dias atrás

Bom… Well… Já que o senhor Nole, ilustre recordista intergalático de tudo que é estatística, teima em se arriscar, aqui vai um conselho.
Faça um curso de queda com o Neymar. O rapaz tem curso de mestrado e é PhD na matéria.
B I A – – – – Continuo aqui, esperando sentado num sofá de vime bem confortável, que a nossa guerreira saia dessa má fase.
E a esperança, essa palavra tão bonita, continua.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
14 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Djoko >>>> Medicina

Fato!

Vítor Barsotti
Vítor Barsotti
14 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Vixe! Nem na trollagem dá pra levar essa, Paulo…

Felipe
Felipe
14 dias atrás

Opinião impopular: grama é para futebol, não para tênis

Ronildo
Ronildo
14 dias atrás

Gente, que sorteio mega super baba foi esse para Djokovic!

Guilherme
Guilherme
14 dias atrás
Responder para  Ronildo

Vá lá jogar contra os adversários dele para ver se vc tb vai ganhar

Guilherme
Guilherme
14 dias atrás
Responder para  Ronildo

Vá lá jogar contra os adversários dele para ver se vc vai achar baba

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon