PLACAR

Sabalenka mantém invencibilidade com Ostapenko e volta à semi

Foto: Internazionali BNL d'Italia

Roma (Itália) – Abrindo a quarta-feira na quadra central do Foro Italico, a bielorrussa Aryna Sabalenka manteve sua invencibilidade nos confrontos com a letã Jelena Ostapenko e mais uma vez saiu vitoriosa. A número 2 do mundo se classificou para as semifinais do WTA 1000 de Roma ao derrotar a rival pela terceira vez, marcando parciais de 6/2 e 6/4 em 1h13 de confronto.

De volta à semi de Roma, repetindo a campanha de 2022, Sabalenka tenta agora disputar sua primeira final no saibro italiano. Ela espera agora pela vencedora do duelo entre a compatriota Victoria Azarenka e a norte-americana Danielle Collins, que medem forças mais tarde e decidem quem será a rival da vice-líder do ranking na briga por um lugar na decisão.

Jogadora com mais bolas vencedoras na temporada, Sabalenka ultrapassou a marca de 400 no decorrer da partida. Ela entrou em quadra com 396 winners e anotou mais 12 contra Ostapenko, que conseguiu 18, mas também cometeu 18 erros não forçados contra 11 da bielorrussa.

Esta foi a 32ª vitória da bielorrussa sobre uma rival do top 10 e a terceira em três jogos contra Ostapenko, porém a primeira no saibro. Sabalenka havia derrotado a letã em Zhengzhou 2019, quando cedeu apenas três games à rival, e depois em Dubai 2023, em jogo bem mais parelho e vencido de virada.

Controle bielorrusso desde o começo

Já no primeiro set da partida, Sabalenka mostrou que não daria chances a Ostapenko e por pouco não começou quebrando de cara, deixando escapar dois break-points. Após sofrer para confirmar o saque, a letã amargou uma sequência ruim e perdeu os próximos cinco games, com duas quebras consecutivas. A número 2 do mundo então se manteve firme até fechar por 6/2.

Ostapenko conseguiu equilibrar mais as ações na segunda parcial, foi mais consistente e deu mais trabalho à bielorrussa. Porém, Sabalenka cresceu nos momentos importantes, obteve uma importante quebra no sétimo game e depois apenas precisou administrar a vantagem até o final para derrotar a letã mais uma vez e se garantir nas semifinais do torneio romano.

Subscribe
Notificar
guest
11 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leonardo
Leonardo
4 dias atrás

Curioso como o tenis feminino tem suas peculiaridades. A Ostapenko nunca ganhou da Sabalenka, mais que isso, nos 3 jogos a Sabalenka atropelou a Ostapenko, que por sua vez tem Iga de freguesa. E Iga tem um H2H bastante favoravel contra Sabalenka 7×3, não podemos dizer freguesa, porque quem viu os jogos sabe que são super disputados, apesar da Iga acabar ganhando a maioria. Tem estilos de jogo que incomodam um jogador e contra outro até facilitam a jogada. Por exemplo, Nadal até 2017 castigava Federer com o top spin alto no backhand. Já Djokovic pegava essa bola na subida e voltava um missel para o Nadal. O que era uma arma do Nadal, contra Djokovic era uma jogada que deixava ele vulneravel. Voltando ao tema inicial, a Iga tem que estudar esses jogos para entender como Sabalenka consegue anular o ataque da Ostapenko com tanta eficiencia.

Edilene Martins de Miranda
Edilene Martins de Miranda
4 dias atrás
Responder para  Leonardo

Que venha danni collins pra ela atropelar também vai ser outra final entre ela e iga e agora ela vai com sangue no olho pois aquela final em madrid ela quer reverter vai ser uma super hiper final de gigantes eu sou aryna sabalenka a brabaaaaaaa

Leonardo
Leonardo
4 dias atrás

Bom, eu também espero que de a logica e tenhamos mais uma final de Iga x Aryna. Mas se isso acontecer, mesmo com sangue nos olhos o favoritismo de Swiatek é ainda maior. Roma é um saibro lento, diferente de Madrid que pela altura, apesar de ser saibro, aca sendo como uma quadra rapida, a bolinha voa, e isso favorece Sabalenka. Lembrando que das 3 vitorias de Sabalenka, 2 foram no Finals que é uma super rapida coberta e outra foi em Madrid 2023 que é outra rapida pela altura.

Refaelov
Refaelov
3 dias atrás
Responder para  Leonardo

Finals masculino sim, sempre é um sintético coberto beeem veloz, no feminino varia bastante, ano passado em Cancum foi outdoor com btt vento..

José Nilton Dalcim
Admin
3 dias atrás
Responder para  Refaelov

Bem veloz? A Arena O2 era igual Monte Carlo rssrs

Edilene Martins de Miranda
Edilene Martins de Miranda
4 dias atrás

Aryna campeã a brabaaaa tem nome maravilhosa vamosssss com tudoooo ary esse título é seu eu estarei aqui torcendo e vendo vc atropelar todassssd urullllll ela é a brabaaa do tênis representa ohhhhhhh Sabá Sabá olé olé olá Sabá Sabá

Fernando Romero
Fernando Romero
4 dias atrás

A Sabalenka vai precisar mesmo de torcida contra a Collins. Eu também gostaria de ver nova final Swiatek x Sabalenka mas acho que a Collins vai melar isso aí.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
4 dias atrás
Responder para  Fernando Romero

A Collins pra ganhar da Sabalenka terá que quebrar um tabu. Acho que ela nunca ganhou da Sabalenka ou pelo menos tem um histórico negativo contra ela.

Fernando Romero
Fernando Romero
4 dias atrás

Tudo tem a primeira vez2

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
4 dias atrás

A Ostapenko deve ter algum problema com as bielorrussas. Nunca ganhou da Sabalenka e acho que também nunca ganhou da Azarenka.

Neto
Neto
4 dias atrás

Não gosto da Sabalenka. Mas gosto ainda menos da Ostapenko. Então, segue o jogo.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE