PLACAR

Rybakina: “No fim do jogo, não tinha mais pernas”

Foto: Corinne Dubreuil/FFT

Paris (França) – Eliminada nas quartas de final de Roland Garros, Elena Rybakina lamentou a queda de rendimento físico na partida contra Jasmine Paolini nesta quarta-feira em Paris. A número 4 do mundo, que já vinha sofrendo com problemas de saúde durante a temporada, relatou que não estava conseguindo se mover bem no final do jogo.

“Acho que no final, eu não tinha mais pernas. Não importa quais condições, se for lenta ou rápida, eu deveria estar me movendo melhor”, disse Rybakina após a derrota para Paolini com parciais de 6/2, 4/6 e 6/4 em 2h03 de partida.

“Como eu estava dizendo, estive lutando um pouco com problemas de saúde nas últimas semanas, então acho que está tudo junto”, explica a cazaque, que não jogou o WTA 1000 de Roma porque ficou doente na semana do torneio. “Mas no final, não importam todas essas coisas, que talvez estivessem acontecendo fora da quadra. Eu ainda consegui chegar às quartas de final. Acho que é um resultado muito bom”.

“Não vou me aprofundar nesse assunto, mas tenho trabalhado demais e acho que tive muitos altos e baixos. Por enquanto, os problemas de saúde têm sido com alergias e dificuldades com sono, então é um pouco diferente do ano passado, quando tive uma lesão nas costas e me retirei do torneio. Estou tentando lidar com isso da melhor maneira possível e tenho que me preparar e estar pronta para os grandes eventos como Grand Slams e WTA 1000″, explicou a jogadora de 24 anos.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Rybakina também reconheceu os méritos de Paolini na partida desta quarta-feira. “Ela jogou muito bem, começou muito melhor do que eu estava e se movendo bem. Eu comecei um pouco devagar e ela foi agressiva desde a primeira bola. Então, estava apenas tentando encontrar meu jogo, mas no final, não foi o meu dia. É claro que não estou muito feliz com o desempenho, mas acontece. É tênis. Não todo dia você pode jogar bem”.

23 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Luiz Correia
Luiz Correia
17 dias atrás

Fraca hein. Não aguenta 3 sets? As mulheres deveriam jogar 5 sets nos Slam. Pra elas, ganhar um Masters 1000 ou um Slam é a mesma coisa. Isso tinha que mudar.

Marcos RJ
Marcos RJ
17 dias atrás
Responder para  Luiz Correia

Fraca interpretacao de texto, da sua parte

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
17 dias atrás

Fico imaginando se as “meninas” tb jogassem melho de 5 sets, onde teriam que administrar melhor o físico.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
17 dias atrás

Jogo de três sets com 48 hs de descanso. Tá de brincadeira. Top 4

Marcelo Reis
Marcelo Reis
17 dias atrás

Amigos, conhecem o princípio da igualdade?

Ele pressupõe que as pessoas colocadas em situações distintas sejam tratadas de forma desigual. Como assim? É dar um “tratamento isonômico às partes, isto significa tratar igualmente os iguais e desigualmente os desiguais, na exata medida de suas desigualdades” (ipsis litteris da lei)

Por que acham que as mulheres são menos velozes no atletismo? Na natação? Por que arremessam menos longe? Por que não saltam tanto como os homens? Por quê?

No tênis, é a mesma coisa: 3 sets são uma tentativa de dar isonomia a elas. Se o corpo delas não se adapta bem a 5 sets, por que as colocaríamos nesta situação? Para vê-las desmaiar?

Reflitam.

José Nilton Dalcim
Admin
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Muito bem colocado, Marcelo.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Fora a questão da vida fora do esporte. A maternidade, por exemplo. Vamos pegar um casal de tenistas como exemplo. Alex de Minaur e Katie Boulter. Se os dois quiserem ter um filho e a Boulter engravidar, ela terá que se afastar do circuito durante o período de gestação visando o bem estar dela e da criança enquanto que o Alex de Minaur poderá disputar os torneios sem nenhum problema durante o gestação da Boulter. Será que dá pra perceber que existe diferença entre o organismo da mulher e do homem e que a mulher precisa de mais cuidados?

Rodrigo
Rodrigo
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

como é bom ver brasileiros inteligentes. Ótimo comentário

Fernando Romero
Fernando Romero
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Você está com toda a razão quanto a diferença física homem x mulher. Mas dizer que estava sem pernas no fim é brincadeira. Top4, profissional, 48 horas de intervalo, temperatura amena. Ela estava sem pernas desde o primeiro game, é a verdade.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
17 dias atrás
Responder para  Fernando Romero

Xará, ela tem alergia respiratória que atrapalha seu sono! Ou seja, ela não recupera seu físico adequadamente

MARIA
MARIA
16 dias atrás
Responder para  Fernando Romero

Ela vem enfrentando problemas sérios de saúde, uma vez que estava com gastroenterite e dificuldade para dormir! Esses problemas vai minando a energia de qualquer um!

romulo
romulo
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Marcelo Reis,
Fico muito feliz com o seu comentário claro, lúcido, inteligente. É um alento. Parabéns.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Marcelo, muito sensato

Marcelo Krebs
Marcelo Krebs
17 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Que ladainha

Oscar
Oscar
16 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Até concordo que mulheres e homens são diferentes, mas o resto é baboseira. Isso de princípio de igualdade é só quando convém, como na premiação.
E seu argumento acabou justificando pq alguns torneios não pagam igual homens e mulheres. Simplesmente é menos exigente, portanto o público prefere o masculino.

Marcelo Reis
Marcelo Reis
16 dias atrás
Responder para  Oscar

Olá!

Não sei se há torneios que ainda pagam menos às mulheres, ou seja, torneios em que não há equidade. Cite alguns casos, por favor. Até onde sei, os principais torneios pagam igual, mas nunca parei para pesquisar.

Não são menos exigentes. Você que não entendeu o princípio. 3 sets delas equivalem a 5 sets deles. São esforços proporcionais que respeitam as diferenças.

Dalcim pode confirmar, mas os jogos femininos também lotam estádios, têm boas vendas de ingressos. A balança está se equilibrando de forma lenta, é verdade, mas progressiva.

Abraço.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
17 dias atrás

Rybakina é muito introvertida e pessoas assim são mais ansiosas! Digo isso por experiência própria! Juntando isso com a alergia respiratória é uma verdadeira tragédia pro sono!

Paulo Justos
Paulo Justos
17 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

A Iga também é introvertida. Só acho que talvez seja a hora dela rever os tratamentos que ela vem realizando porque parece que não tem sido eficiente.
E se ela voltar a ter uma lesão física, aí que é provável vermos ela aposentar mais cedo.

Marcelo Reis
Marcelo Reis
17 dias atrás

Pessoal, obrigado!

A questão que o Carlos citou é importantíssima. Uma atleta profissional não consegue gerenciar jornada dupla: a cria e o trabalho. Não dá. E por que não? Bem, infelizmente, na nossa sociedade, a mulher tem dupla ou tripla jornada. O ideal seria que ambos os pais/mães dividissem as tarefas de forma mais equânime possível. Na prática, isso é raro. E sei que o problema é muito mais cabeludo do que aparenta.

Agora, no caso de um casal de atletas, como citado, por que o pai também não pausa a carreira para contribuir na criação? Dorme pouco, dá banho, limpa, leva ao médico, brinca etc. É OBRIGAÇÃO do pai fazer isso. Eles fazem? Aponte um! Enfim, um tópico simples gerou essa discussão relevante. Saímos ganhando.

E sobre dormir mal/alergia, disso eu entendo. Eu tomava remédio controlado para dormir até 2022. A privação de sono é brutal em diversos campos: raciocínio cai, reflexos ficam lentos, força e disposição … adeus! Se a Rybakina sofre com isso, ser top 4 já é um milagre em si, acreditem.

Boa noite a todos! Amanhã tem mais jogo!

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
16 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Olá, Marcelo! Agradeço a citação. Mas o que eu quis dizer é que, além da maior fragilidade do organismo da mulher em comparação com os homens, como você bem explicou, existe também uma atribuição muito importante dada pela natureza à mulher, que é a maternidade. Além do cuidado com o corpo que todo atleta da ativa, homens e mulheres, têm que ter para não levarem sequelas para após a aposentadoria, a mulher tem que ter cuidados também com o corpo visando a situação de gestação. Afinal de contas, toda pessoa que nasceu saudável deve muito desse privilégio à própria mãe que tomou os cuidados necessários durante a gravidez para que a sua cria nascesse em boas condições de saúde. Porque a mulher que não se cuida pode levar algum problema para o filho ou filha em caso de gestação. Imagino que os dirigentes das entidades que organizam as competições esportivas devem ter consciência dessa diferença entre homens e mulheres e procurem estruturar os torneios respeitando os limites de cada gênero.

Marcelo Reis
Marcelo Reis
16 dias atrás

Compreendo, faz sentido! É um contínuo pré e pós gestação. Puxado!

Marcelo Krebs
Marcelo Krebs
17 dias atrás

Pras outras o calendário é melhor Rybakina? Sua saúde que é muito frágil pra n. 3 ou 4 do planeta.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
17 dias atrás

a Rybakina é show (linda demais ) e joga bem , mas …..primeiro , ela não é vibrante nem lutadora tipo a “gritolenka” ou a Iga , percebe-se um certo conformismo com o andamento do jogo e com o resultado do mesmo , se ganho td bem , se perdeu , td bem tbm .
Segundo: ela não é uma grande “atleta”, quero dizer ela não é rápida mas bem é pesadona pro tenis ,e por seu altura tem dificuldades em bolas mais baixas , sejam estas fundas ou curtas , defesas com os joelhos quase encostando não chão, ou dobrando o corpo até quase sentar , (como a Iga faz até com facilidade ) ,ela não consegue fazer , então o jogo dela depende esencialmente do primeiro saque , que é muito bom , porque aí ela consegue dominar a maior parte dos pontos , mas se não esta em um dia bom nesse quesito , vai sofrer . Pontos fortes dela ,saque , subidas a red , bons voleios . Go Ryba , vamos pra outra. Apenas minha opinião.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE