PLACAR

Rybakina é bastante exigida e vence de virada

Foto: WTA

Montréal (Canadá) – A estreia de Elena Rybakina no WTA 1000 de Montréal foi bastante exigente. Em jogo iniciado terça-feira à noite e retomado na tarde desta quarta por conta da chuva, a número 3 do mundo precisou de três sets e 2h41 para superar a norte-americana Jennifer Brady por 6/7 (7-3), 7/6 (7-5) e 6/3.

Esta foi a 36ª vitória na temporada para Rybakina, que já venceu neste ano os WTA 1000 de Roma e Indian Wells, além de ter ficado com o vice em Miami e no Australian Open. A cazaque agora enfrenta a norte-americana Sloane Stephens, que nem precisou entrar em quadra pela segunda rodada do torneio, beneficiada pela desistência de Victoria Azarenka por lesão abdominal.

Superada por Rybakina nesta quarta-feira, Brady já foi número 13 do mundo e finalista do Australian Open de 2021. A norte-americana de 28 anos ficou quase duas temporadas sem jogar por conta de lesões no joelho e no pé direito. Ela retornou ao circuito no início de julho, jogando um ITF no Canadá, e depois fez bons jogos em Washington e Montréal. Na última segunda-feira, salvou dois match-points contra a top 20 Jelena Ostapenko.

O primeiro set da partida teve uma quebra para cada lado apenas dois break-points disputados. Brady chegou a liderar por 3/1, mas permitiu o empate no oitavo game. A norte-americana liderava o tiebreak por 4-2 quando a partida foi suspensa por chuva e adiada para a tarde desta quarta-feira. Na volta, ela venceu três pontos seguidos e fechou a parcial.

A partida continuou com domínio das sacadoras e pontos definidos em poucas trocas de bola. E diferente do que havia acontecido no jogo entre Iga Swiatek e Karolina Pliskova no início da rodada, o vento já não era mais um fator determinante. A primeira quebra do segundo set só aconteceria no 4/4, depois que Rybakina venceu um raríssimo rali longo. Mas a cazaque não aproveitou a chance de sacar para o set. Ainda assim, levou a melhor no segundo tiebreak da partida e venceu a parcial.

O set decisivo começou com games longos e oportunidades para os dois lados. Rybakina salvou três break-points antes de conseguir a última quebra da partida. A cazaque conseguiu manter a vantagem até o fim e definiu com um ace, seu 12º no jogo. Ela liderou com folga a estatística de winners por 44 a 19 e cometeu 40 erros não-forçados contra 28 da rival.

Kasatkina também avança, Muchova reencontra Iga
A número 14 do mundo Daria Kasatkina venceu um duelo russo contra a 34ª colocada Anna Blinkova por 6/2 e 7/5. Kasatkina enfrenta nas oitavas a tcheca Marie Bouzkova, 37ª do ranking e algoz da francesa Caroline Garcia na última terça-feira. A russa venceu os dois duelos anteriores.

Já a tcheca Karolina Muchova, 17ª do ranking, venceu a romena Sorana Cirstea por 7/5 e 6/4. Muchova reedita a última final de Roland Garros contra a número 1 do mundo Iga Swiatek. A polonesa levou a melhor no duelo mais recente e o histórico de confrontos está empatado por 1 a 1.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE