PLACAR

Rybakina dá ‘pneu’ em Sabalenka e conquista Brisbane

Foto: Brisbane International

Brisbane (Austrália) – Protagonistas da final do último Australian Open, Aryna Sabalenka e Elena Rybakina iniciaram a temporada de 2024 se enfrentando em mais uma decisão. Mas depois da conquista da bielorrussa no ano passado em Melbourne, a cazaque teve uma atuação dominante na final do WTA 500 de Brisbane e ganha confiança para o primeiro Slam da temporada. Rybakina precisou de apenas 1h12 para marcar as parciais de 6/0 e 6/3.

Aos 24 anos, Rybakina chega ao sexto título de sua carreira profissional no circuito, agora com 15 finais disputadas. Ela também diminui a diferença para Sabalenka no histórico de confrontos, agora com três vitórias em oito jogos. Os outros dois triunfos da cazaque foram no ano passado, na final de Indian Wells e nas quartas de Pequim.

Rybakina não perdeu nenhum set ao longo da semana em Brisbane. Ela estreou vencendo a australiana Olivia Gadecki. Depois, cedeu apenas um game à belga Elise Mertens nas oitavas. A cazaque só precisou jogar um set contra Anastasia Potapova nas quartas, já que a russa abandonou por lesão muscular na região abdominal. E na semi, derrotou a jovem tcheca de 19 anos Linda Noskova. A atual número 4 do mundo recebe 500 pontos na WTA e US$ 220 mil.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Já Sabalenka segue com 13 títulos no circuito em 25 finais disputadas. A jogadora de 25 anos também perde a invencibilidade de 15 jogos em solo australiano. Ela defendia nesta semana os pontos do título do WTA 500 de Adelaide 1, conquistado na primeira semana de 2023. A vice-líder do ranking fica com 325 pontos e um prêmio em dinheiro de US$ 135 mil.

A final de Brisbane começou com um ritmo arrasador para Rybakina, que confirmou rapidamente seus dois primeiros games de serviço e foi bastante agressiva nas devoluções de saque para colocar a adversária mais distante da linha de base e em situações defensivas durante os ralis. A cazaque não enfrentou break-points no primeiro set e cedeu apenas quatro pontos em seu serviço. Sabalenka teve a chance de fazer seu primeiro game quando perdia por 5/0, mas cometeu uma dupla falta. E pouco depois, Rybakina consolidou o ‘pneu’.

O segundo set começou com games longos, e novamente Rybakina conseguiu prevalecer nos pontos mais importantes. Ela confirmou o serviço e logo depois quebrou novamente para sair vencendo por 2/0. Só então, Sabalenka conseguiu fazer seu primeiro game na partida, devolvendo a quebra, mas logo depois pediu tempo médico de três minutos para tratar de um desconforto no adutor da coxa esquerda. Não demorou para que Rybakina retomasse a vantagem. A cazaque abriu 4/1 no placar e se manteve em situação confortável até o fim do jogo.

Rybakina disparou 7 aces na partida e liderou a estatística de winners por 19 a 15. A cazaque cometeu apenas 8 erros não-forçados, sendo só um no primeiro set, contra 20 de Sabalenka. Além disso, quebrou cinco vezes o serviço da adversária e só enfrentou um break-point em toda a partida.

8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás

Ao que parece, Aryna não apareceu para jogar no 1o set e, quando despertou no segundo, já era tarde demais. Acho muito legal quando as tenistas se abraçam ao fim do jogo. Algumas são tão antipaticas que sequer olham na cara de suas colegas, vide a Ostapenko.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás

Impossível prever o futuro, mas se a cazaque não se lesionar como em 2023, ela busca a liderança do ranking. Nem a Iga segura essa grandona! Uma verdadeira metralhadora!

Marcos
Marcos
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Concordo plenamente! Pra mim a melhor do.circuito disparada.

Flávio
Flávio
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Fernando Venezian,embora a bela Ribakina e a Iga apresentam jogo feio devido a falta de qualidade técnica das duas onde a maioria das tenistas não tem qualidade técnica e vivem só de pancadaira,exceto Jabeur,Marketa, Muchova, Kenin e mais ou menos a Coco,porém acho a Iga mais eficiente aliás é mais eficiente do atual tênis feminino,por isso acho que ela leva uma vantagem só que a Ribakina não pipoca para a polonesa.

Samuca
Samuca
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Você não acha a Gauff no mesmo nível??? Acho a Gauff num momento melhor que Rybakina

Fernando Venezian
Fernando Venezian
1 mês atrás
Responder para  Samuca

A Gauff tá num momento incrível, mas é tecnicamente inferior à cazaque na maioria dos fundamentos. Só é superior na questão defensiva.

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás
Responder para  Samuca

Nah, tênis da Gauff é defensivo demaaaais, ganha na consistência e nos erros alheios mas, falta poder ofensivo ali pra brigar pela ponta do ranking ao meu ver..

Ubiratan (Black)
1 mês atrás
Responder para  Fernando Venezian

Nessa época do ano passado era o que eu questionava, qual das 3 que estavam em outro nível jogava um melhor tênis. E minha tendência no momento, mesmo em dúvida com uma e outra se sobressaindo, estava para Ribakina e esperava vê-la em destaque no ano. Mas não aconteceu, ganhou ótimos títulos nos primeiros meses mas parou. E nesse período era o momento de levar o AO. Vários grandes torneios ficaram ou com Iga e Sabalenka ou com outras que tomaram seu lugar de destaque e títulos, como Vondrousova, Muchova, Gauff, Samsonova e até mesmo a Sakkari finalmente ganhou outro título.
Para desafiar a liderança de Iga só tinha a Sabalenka, que vinha jogando tanto que a única dúvida era quando, em qual torneio seria a número 1. Não foi como se esperava, numa grande final entre as duas mas aconteceu.
Iga iniciou com mais de 11 mil pontos, sobrando muito e foi caindo e equilibrando com Sabalenka entre 8-9 mil. Iga conseguiu recuperar o número 1 e alguma folguinha de pontos com o Finals, mas essa foto final não representa o ano, foi um momento e pontos adicionais. Ribakina era para ter chegado perto das duas, ter ganho pelo menos algum 1000 no segundo semestre mas caiu no ranking. Era para ter sido pelo menos a terceira força mas tivemos outras campeãs ocupando espaço e ganhando os principais pontos.
Tênis, cada torneio é uma história. Iga no momento mostra um tênis bem acima de todo mundo, teve o Finals e confirmou na UC. Ribakina, que não mostrou força no Finals, ressurge pontualmente nesse torneio, mas foi “só” Sabalenka, faltou outras top 10 e top 20. Tudo pode acontecer, claro, mas ano passado minha aposta nela pelo que vinha fazendo era 10 vezes maior. Essa semana está aí e depois o AO, dois torneios com grandes tenistas, teremos mais uma fotografia. Veremos em breve quem serão os nomes das semanas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE