PLACAR

Rune: “Tenho jogado melhor, voltei ao meu nível”

Foto: Reprodução/TennisTV

Turim (Itália) – Depois de ter participado do ATP Finals como parceiro de treinos dos jogadores, em 2019, nesta temporada o dinamarquês Holger Rune volta à competição, desta vez como um dos classificados por terminar entre os oito melhores do ano. Porém, sua vaga na competição veio apenas na reta final de 2023.

“No começo da temporada eu não pensava muito nisso, mas à medida que nos aproximamos do final, objetivo que eu realmente queria alcançar. A corrida ficou acirrada para mim, então estou muito feliz e satisfeito. Agora que estamos aqui, vou aproveitar a oportunidade”, disse Rune, que foi o último jogador a garantir a vaga.

Problemas físicos minaram o lado mental de Rune na reta final do ano, mas uma semi no ATP 500 da Basileia e as quartas de final no Masters 1000 de Paris não apenas selaram sua classificação para o Finals, mas também trouxeram de volta a confiança.

“Especialmente nos últimos torneios, tenho jogado um tênis melhor, voltei ao meu nível”, disse Rune, que chegou a perder cinco jogos seguidos no segundo semestre. “Foi um período difícil para mim depois de Wimbledon, mas é normal. Às vezes você tem momentos bons e ruins, mas é importante aprender e eu definitivamente aprendi”, analisou.

O dinamarquês terá a árdua tarefa de estrear na competição contra o sérvio Novak Djokovic. “Você não pode esperar que ele erre um golpe ou que ele tenha um dia ruim. Ele perde provavelmente de quatro a cinco jogos por ano, então não tem dias de folga. A única coisa que pode fazer é tentar jogar o seu melhor tênis”, falou Rune.

“Gosto de jogar com ele porque é incrível dividir a quadra com uma lenda e sempre tivemos grandes batalhas juntos. A última vez em Paris foi (semana passada), foi outra boa batalha. Então tenho que aprender um pouco com isso e fazer um pouco diferente para poder conseguir a vitória”, disse Rune, que tem duas vitórias e duas derrotas contra Djokovic.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE