PLACAR

Queniana de 19 anos faz história com 1º título profissional

Angella Okutoyi garantiu o primeiro título profissional para seu país desde 1994 (Foto: Reprodução/Twitter)

A queniana de 19 anos Angella Okutoyi fez história no último domingo ao conquistar seu primeiro título profissional. Ela venceu o ITF W15 de Monastir, em quadras duras na Tunísia, superando na final a norte-americana Isabella Harvison por 6/2 e 7/6 (7-2). Okutoyi venceu cinco jogos na semana e cedeu apenas um set. Ela já havia disputado uma final em Nairóbi em novembro e 2022 e tem outros dois títulos de duplas, um deles justamente em Monastir, no início de julho.

A conquista de Okutoyi é a primeira do Quênia no tênis profissional em simples desde 1994, quando Paul Wekesa conquistou um challenger em Andorra. A ainda jovem tenista tem recolocado seu país no mapa do tênis, especialmente com o título de duplas no torneio juvenil de Wimbledon no ano passado, além das vitórias do Australian Open na categoria. Por conta dos bons resultados, a procura pelo tênis no Quênia cresceu de forma significativa, especialmente entre as crianças.

“O trabalho duro compensa. Meu primeiro título profissional W15 e não vai ser o último”, escreveu Okutoyi nas redes sociais. Ela aparece atualmente no 1.152º lugar no ranking de simples da WTA. Ela se mudou para os Estados Unidos no início do ano e tem participado também do circuito universitário norte-americano, estudando em Auburn.

Angella chegou a viver em um orfanato de Nairóbi com a irmã gêmea Roselida quando era criança, já que já que elas perderam a mãe, logo após seu nascimento em 2004. Depois, elas passaram a viver com a avó. A tenista falou ao site da ITF sobre as dificuldades que passou na infância e no início da carreira.

 

“Minha mãe faleceu dando à luz a mim e minha irmã gêmea e desde então moro com minha avó, que nos criou sozinha”, disse Okutoyi. “Foi muito difícil. Naquela época também, sua filha estava doente e tinha problemas nos pulmões que exigiam oxigênio. Ela tinha que usar todo o seu dinheiro para cuidar da filha e às vezes trabalhava em muitos empregos. Começamos do nada. Outras crianças riam de nós e nos xingavam. Viramos piada, mas mantivemos a cabeça baixa e lutamos na quadra”.

“Quando comecei a jogar tênis, era difícil e lembro que tinha vezes que jogava e não comia o dia todo. Dormi com fome por noites consecutivas, com água a única coisa que teria o dia todo”, acrescentou a queniana. “Eu venho de uma família muito humilde e foi muito difícil para minha avó, mas ela continuou, foi muito forte e sempre me apoiou. Eu tiro minha coragem e força dela”.

Número 1 juvenil, Korneeva conquista título em Portugal

Líder do ranking mundial juvenil com títulos do Australian Open e de Roland Garros em sua categoria, a russa Alina Korneeva conquistou seu terceiro título profissional e o mais importante da carreira. A jogadora de apenas 16 anos venceu o ITF W100 de Figueira da Foz, disputado no piso duro em Portugal. Apesar da pouca idade, ela já aparece no 220º lugar do ranking profissional.

Korneeva veio do quali em Figueira da Foz e venceu sete jogos na semana, com apenas um set perdido, para a britânica Harriet Dart na estreia da chave principal. A vitória na final foi sobre a francesa Carole Monnet, 165ª do ranking, por duplo 6/0. A russa também venceu em torneios da ITF em Casablanca no ano passado e Pretória neste ano.

“Estou muito feliz com este torneio e com a final porque joguei muito bem da primeira à última bola”, disse Korneeva. “Senti que se errasse três bolas seguidas, ela começaria a jogar cada vez melhor. Então o segredo era jogar todas as bolas sem emoção e não errar muito. Eu nunca venci uma jogadora tão boa por 6/0 e 6/0 antes”.

Jornalista de TenisBrasil e frequentador dee Challengers e Futures. Já trabalhou para CBT, Revista Tênis e redações do Terra Magazine e Gazeta Esportiva. Neste blog, fala sobre o circuito juvenil e promessas do tênis nacional e internacional.
Jornalista de TenisBrasil e frequentador dee Challengers e Futures. Já trabalhou para CBT, Revista Tênis e redações do Terra Magazine e Gazeta Esportiva. Neste blog, fala sobre o circuito juvenil e promessas do tênis nacional e internacional.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals