PLACAR

Pegula salva cinco match-points e conquista Berlim

Foto: ecotrans Ladies Open

Berlim (Alemanha) – Depois de ficar fora de toda a temporada de saibro na Europa, Jessica Pegula conseguiu um grande resultado e na grama venceu o torneio mais forte da preparação para Wimbledon. A atual número 5 do mundo conquistou o WTA 500 de Berlim superando na final a russa Anna Kalinskaya, 24ª do ranking, por 6/7 (0-7), 6/4 e 7/6 (7-3) em 2h38 de partida neste domingo.

Aos 30 anos, Pegula chega ao quinto título de WTA e o primeiro na grama. Sua galeria de troféus tem ainda dois torneios de nível 1000, em Guadalajara e Montréal, e mais dois 250, em Washington e Seul. O ano de 2024 tem sido de muitos problemas físicos para a norte-americana. Ela ficou fora dos torneios no Oriente Médio em fevereiro por lesão no pescoço. E recentemente, não jogou Roland Garros e os torneios europeus no saibro por uma lesão nas costelas, que exigiu tratamento para evitar uma fratura por estresse.

Pegula voltou ao circuito na semana passada em ‘s-Hertogenbosch e caiu ainda na segunda rodada. Já nesta semana em Berlim, ela também venceu Donna Vekic, Katerina Siniakova e Coco Gauff, em uma semifinal que foi interrompida por chuva no sábado e só concluída na manhã deste domingo.

“Esta é provavelmente a melhor preparação na grama que já tive antes de Wimbledon. Espero que valha a pena. Sinto que passei por muita coisa esta semana, com algumas partidas longas e muitos atrasos devido à chuva também”, disse Pegula após a partida. “Tive que lidar com todas essas situações, que também são possíveis em Wimbledon. Então foi uma boa preparação mental também”.

“Foi um jogo maluco, com muitos altos e baixos, mas fico muito feliz por ter jogado o meu melhor no final e vencido”, comenta a norte-americana, que também agradeceu ao público, durante a premiação. “Obrigada a todos fãs que vieram para essa final e me apoiaram até o fim. É ótimo ver um estádio, com o nome da Steffi Graf, lotado para acompanhar o tênis feminino. É por isso que nós jogamos”.

Já a vice-campeã Anna Kalinskaya segue sem um título de WTA, depois de ter disputado também uma final de nível 1000 em Dubai em fevereiro. A russa estreou vencendo a espanhola Rebeka Masarova, contou com desistências das top 10 Marketa Vondrousova e Aryna Sabalenka, por lesões no quadril e no ombro, respectivamente. E no último sábado, bateu Victoria Azarenka na semifinal. Ela debuta no top 20 após a boa campanha.

Russa chegou a sentir o quadril, mas venceu o primeiro set

Pegula aproveitou o melhor aquecimento e ritmo depois de ter disputado os últimos pontos da semifinal contra Coco Gauff minutos antes e saiu vencendo por 3/0. Kalinskaya pediu atendimento em quadra para tratar um desconforto no lado direito do quadril e foi ao vestiário.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Na volta, a russa devolveu a quebra, mas Pegula recuperou a vantagem logo na sequência. A norte-americana liderou por 5/3 e não aproveitou a chance de sacar para o set. Kalinskaya só foi buscar o empate no décimo game e dominou o tiebreak. Com golpes mais retos dos dois lados, ela soube se aproveitar das condições mais rápidas da quadra e deixou Pegula na defensiva.

Mudança tática de Pegula a partir do segundo set

Logo na abertura do segundo set, Pegula conseguiu uma quebra e abriu 3/1 no placar. Kalinskaya igualou o set, mas a norte-americana voltou à frente no sétimo game. Ela fazia bom uso dos slices de backhand para quebrar o ritmo de jogo mais agressivo da russa e sacou muito bem em seus dois últimos games no set.

A russa retomou o domínio da partida no início do terceiro set e chegou a liderar por 4/1, mas cedeu o empate no oitavo game. Depois vieram dois games longos, com Kalinskaya escapando de um 0-40 para fazer 5/4 e Pegula salvando quatro match-points antes de confirmar o serviço. A norte-americana ainda escaparia de mais um match-point para forçar o tiebreak.

O game-desempate começou melhor para Kalinskaya, que contou com uma dupla-falta de Pegula, mas a norte-americana conseguiu se recuperar com um winner de devolução e contou com alguns erros da adversária para passar à frente no placar e consolidar a vidada.

8 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Marcelo Reis
Marcelo Reis
25 dias atrás

A Pegula jogou 5 sets (!) em um espaço de tempo absurdamente curto, menos de 1 hora, pelo que percebi. Não dava para espaçar mais não? Fica a questão.

De toda forma, tirou forças não sei de onde e ainda deu um jeito de virar o jogo, salvar esses match-points e ainda levar o caneco. Está de parabéns!!!

Marcelo Reis
Marcelo Reis
24 dias atrás
Responder para  Mário Sérgio Cruz

Obrigado, Mário! Então foi isso! Peguei o jogo no fim e achei que tinha sido jogado tudo no mesmo dia! Menos mal! :)

Ana
Ana
24 dias atrás

Pegula voltou muito bem. Achei surpreendente pra quem acaba de retornar após lesão. Não era favorita, acho eu, apesar do ranking. E manteve a frieza ao salvar 4 (ou 5?) match points. Mandou muito bem!

Fábio
Fábio
24 dias atrás

A gula da Pegula

Fernando
Fernando
24 dias atrás

“Ela não vencia um torneio desde agosto do ano passado, em Montréal.”

A Pegulla venceu um 250 em Seul, em Outubro do ano passado.

Ricardo
Ricardo
24 dias atrás

na hora h, a americana demonstrou ser mais cancheira

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE