PLACAR

Osaka: “Sinto que posso conquistar muitas coisas”

Foto: Corinne Dubreuil / FFT

Paris (França) – Apesar da frustração pela derrota na segunda rodada de Roland Garros, Naomi Osaka avalia de forma positiva sua participação no torneio, especialmente por ter levado a número 1 do mundo e tricampeã Iga Swiatek ao limite. A japonesa ficou em quadra por 2h57, chegou a liderar o último set por 5/2 e teve um match-point, mas acabou permitindo a reação da polonesa, que venceu os últimos cinco games da partida. Ainda assim, o jogo deixa a impressão de que a ex-líder do ranking e que detentora de quatro títulos de Grand Slam ainda pode desafiar as melhores do mundo.

“Provavelmente, foi a partida mais divertida que joguei desde meu retorno até agora”, disse Osaka, que se tornou mãe no ano passado e voltou ao circuito em janeiro. “A atmosfera da torcida incrível e sinto que todos no estádio estavam se divertindo também. Foi um jogo memorável para mim”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Acho que meu jogo bom contra qualquer uma. Eu fui criada sem medo e ainda sinto que posso conquistar muitas coisas”, explica a jogadora de 26 anos, que tem dois títulos do Australian Open e dois do US Open. “Eu me preparei para esse jogo da mesma forma que foi para enfrentar a Serena pela primeira vez. Acho que entrar em uma partida com medo de alguém é inútil. Eu só queria me focar em mim mesma e, independentemente do que acontecesse fora da quadra, não tentei me concentrar nisso”.

A jogadora de 26 anos falou sobre as emoções sentidas após a dura derrota. “Chorei quando saí da quadra, mas então me lembrei que no ano passado, quando eu estava grávida, eu assisti à Iga vencer este torneio. Era um sonho poder jogar contra ela. Quando penso dessa forma, acho que estou indo muito bem”.

“Também estou tentando não ser muito duro comigo mesma. Sinto que joguei contra ela em sua melhor superfície. Sou uma jogadora na quadra dura, então adoraria enfrentá-la em minha superfície favorita e ver o que acontece”, explica a japonesa, pensando no segundo semestre. “Eu também disse na Austrália que estou me preparando para estar no melhor nível em setembro”.

Após encerrar a participação em Roland Garros, o foco da japonesa é na grama. Ela recebeu convite para o WTA 250 de s’Hertogenbosch, na Holanda, que acontece na semana seguinte à do Grand Slam francês. “Um dos meus objetivos quando voltei é ser melhor no saibro e na grama. E preciso dedicar muitas horas em quadra e espero jogar muitos torneios. Estou muito animada porque sinto que é um novo desafio para mim”.

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Flávio
Flávio
21 dias atrás

Se não pipocar pode voltar ao auge ,mas aí vai ter que resolver a questão emocional porque hoje não tem desculpa e foi feio pra quem foi ex-número 1 e ganhadora de 4 slam.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
21 dias atrás
Responder para  Flávio

Procure um psiquiatra. Seu problema é sério.

Flávio
Flávio
20 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Vou te ignorar porque tem argumentos fracos.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
21 dias atrás

Muito bom que a Naomi esteja motivada para recuperar o seu melhor nível. O tênis feminino ganharia muito se isso acontecesse. Acho que é a única jogadora do momento que pode chegar no nível da Swiatek, Sabalenka e Rybakina. A Coco Gauff está com 20 anos, tem muita qualidade e também potencial para estar nesse grupo de elite. No momento a Gauff acho que está um pouco abaixo, mas pode elevar o seu nível a qualquer momento. Vamos ver o que acontece.

Ricardo
Ricardo
21 dias atrás

nao existe na historia do tenis um match point perdido do jeito que foi

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE