PLACAR

Monteiro lamenta falta de ritmo na estreia após uma virose

Foto: Philippe Montigny/FFT

Paris (França) – Depois de ótimos resultados nos Masters 1000 de Madri e Roma e de furar o qualificatório de Roland Garros, o cearense Thiago Monteiro não passou da estreia na chave principal do Grand Slam francês. Com um início de partida muito abaixo do que vinha apresentando, o canhoto de 29 anos demorou para reagir diante do sérvio Miomir Kecmanovic e caiu pelo placar de 6/2, 6/1, 4/6 e 7/5.

Diante do começo ruim, Monteiro revelou que acabou sentindo a falta de ritmo depois de contrair uma virose ainda na sexta-feira. “Eu joguei bem abaixo do que vinha apresentando. No início do jogo, principalmente, eu estava um pouco fora de ritmo, já que os últimos dias não foram muito bons. Eu peguei uma virose no dia da última rodada do quali, nem sei como consegui jogar aquela partida, e acabei perdendo alguns dias de treino para recuperar o corpo. Acho que isso acabou me custando um pouquinho naquele início”, explicou o número 2 do Brasil em entrevista ao jornalista Márcio Arruda em Paris.

Apesar disso, Thiago afirmou que suas condições físicas eram boas e também deu créditos ao adversário por conseguir impor um grande volume de jogo. “No domingo eu já treinei e me sentia bem. Hoje eu entrei estando 100%, mas senti essa falta de ritmo no início. Ao mesmo tempo o Kecmanovic começou muito bem, teve todos os méritos de jogar em altíssimo nível desde o começo e foi muito difícil de acompanhar.”

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Eu fui me adaptando e depois consegui entrar no jogo e me sentir melhor, mas ele foi sólido a partida toda. Contra esses grandes competidores é sempre importante começar bem e deixar o placar o mais próximo pelo maior tempo possível. Me coloquei numa situação difícil de voltar pra partida e ele jogou bem o tempo todo, mérito dele total”, acrescentou o brasileiro.

Ainda sobre o jogo, Monteiro lamentou a reação tardia e destacou seus pontos positivos após as duas primeiras parciais. “No terceiro set comecei a sacar melhor, cheguei a ter um break abaixo, mas aí emplaquei três games seguidos e comecei a me sentir melhor no jogo. Tenisticamente falando, tive um bom nível nos dois últimos sets, sendo que o quarto realmente escapou por detalhes, cometi dois erros no 5/5 que acabaram me custando a quebra e ele fechou o jogo de uma maneira muito contundente”, avaliou.

Saldo positivo no saibro

Mesmo com a derrota na primeira rodada de Roland Garros, Thiago Monteiro encerra sua temporada de saibro europeia com muitos motivos para comemorar. Se, antes de chegar a Madri, ele era o 118º do mundo, ele sai de Paris com um lugar garantido no top 80, depois de alcançar a terceira rodada na capital espanhola e fazer oitavas em Roma. Nessas três competições, ele precisou disputar o quali e conseguiu uma vaga na chave principal.

“De maneira geral, foram excelentes semanas aqui em Paris, com três vitórias no quali e um jogo na chave principal contra um cara que é extremamente duro de encarar. Tive uma campanha super positiva não apenas aqui, mas nas últimas quatro ou cinco semanas alcancei os meus melhores resultados em Masters 1000, vitória sobre top 10, furei o quali de um Grand Slam agora volto para o top 80. Sem dúvida, foi uma gira de torneios muito positiva”, comemorou.

Próximos passos na temporada

Com o retorno ao top 100, o tenista cearense garantiu ainda uma vaga direta para a chave principal de Wimbledon, em lista que foi fechada na semana passada. Com isso, ele deve voltar ao Brasil para uns dias de descanso e depois retorna à Europa para iniciar a preparação para o terceiro Grand Slam da temporada e quem sabe para os Jogos Olímpicos de Paris, no qual ainda aguarda a confirmação de uma vaga.

“Vou descansar uns dias em casa e me preparar para essa próxima sequência na Europa, onde devo jogar uns dois ou três torneios na grama e na sequência outros dois ATPs no saibro, em Bastad e Umag. Depois, quem sabe, as Olimpíadas, que é o meu grande objetivo”, finalizou.

Leia também:

Diaz Acosta desiste de RG e ajuda classificação olímpica de Monteiro

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Daniel Macedo
Daniel Macedo
15 dias atrás

A gira foi realmente muito positiva. Pena esse problema de saúde, mas é a vida. Tomara que tenha sorte em Bastaad e Umag. Pra mim essa gira de saibro européia pós roland garros, junto com a gira sulamericana é onde estão as chances do nosso grande Monteirão das Massas buscar seu caneco ATP. Depois grama, o que vier é lucro. E tomara olimpíadas, que dessa vez vai ser mais generosa com os saibristas.

Scott
Scott
15 dias atrás

Devia pular a temporada de grama. Não vai fazer nenhum ponto. O negócio é pegar o cheque de Wimbledon e focar no saibro

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
15 dias atrás
Responder para  Scott

Discordo, é bom para treinar na grama e dependendo do sorteio , alcançar até umas 4as e em WB uma 2a ou 3a rodada , porque não??/ O saibro já está focado .. e ficar parado não é bom.

Alexandre
Alexandre
15 dias atrás

Não entendo porque ele nunca joga Gstaad. Condiçōes ideais pro jogo dele

Daniel Macedo
Daniel Macedo
15 dias atrás
Responder para  Alexandre

Boa questāo. Boas condições pro jogo do Monteiro, saibro rápido de altitude. Bellucci faturou 2 de seus 4 ATPs por lá.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Toda a comemoração de Alcaraz na conquista de Roland Garros

Jannik Sinner é o 29º homem a liderar o ranking profissional

PUBLICIDADE