PLACAR

Mesmo sem levar quebra, Wild cai na última do quali

Foto: CBT

Basileia (Suíça) – Assim como fez na primeira rodada do quali para o ATP 500 da Basileia, o paranaense Thiago Wild voltou a mostrar grande consistência com o saque, mas desta vez isso só não foi o suficiente e mesmo sem sofrer quebras ele acabou superado pelo australiano Christopher O’Connell, caindo em dois tiebreaks, com o placar de 7/6 (7-4) em ambos os sets da partida.

Wild venceu 69% dos pontos de saque, sendo 12 deles em aces, e salvou os três break-points que enfrentou no decorrer do jogo. Porém, do outro lado, O’Connell foi ainda melhor e terminou com 73% de aproveitamento, sem dar uma chance de quebra sequer ao brasileiro. O australiano foi superior nos desempates e assim levou a vaga na chave principal.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Jogador de melhor ranking no quali da Basileia, o australiano fez um jogo muito parelho com Wild, terminando com apenas três bolas vencedoras a mais (34 a 31) e também dois erros não forçados a mais (8 a 6). A maior diferença entre eles apareceu no aproveitamento de segundo serviço, com o qual O’Connell venceu 61% dos pontos e o brasileiro 53%.

Apesar da eliminação, o paranaense ainda tem chance de entrar na chave principal como lucky-loser. Ele é o tenista mais bem colocado no ranking entre os finalistas do quali. Sua vitória solitária na fase classificatória lhe rendeu uma premiação de 8.780 euros e 10 pontos no ranking.

Em uma partida na qual os sacadores prevaleceram, o primeiro set não teve um break-point sequer disputado e a definição foi para o tiebreak, em que O’Connell abriu 6-1 e depois só administrou a vantagem, fechando o quarto set-point. Na segunda parcial, Wild salvou dois break-points no segundo game e mais um no quarto. Em novo desempate, ele baixou o nível e só venceu um ponto com o saque.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE