PLACAR

Medvedev: “Esperava um ambiente ainda mais hostil”

Foto: Juarez Santos

Miami (EUA) – A barulhenta torcida chilena que apoiou Nicolas Jarry do começo ao fim no duelo com o russo Daniil Medvedev pelas quartas de final do Masters 1000 de Miami não foi suficiente para mexer com a cabeça do atual campeão do torneio, que entrou em quadra preparado para enfrentar mais até do que foi proposto pelos fãs chilenos.

“A verdade é que não fiquei nada surpreendido com a situação. Aliás, esperava um ambiente ainda mais hostil do que o que tínhamos e estava preparado para isso. Esperava um grande número de torcedores apoiando ele e contra mim, mas da minha parte isso sempre significa um ótimo clima em torno da partida”, afirmou Medvedev.

“Muitas vezes o árbitro de cadeira nos perguntou se estávamos prontos para retomar o jogo, mas não houve nenhum tipo de problema, em nenhum momento se tornou uma situação negativa. Acho que a atitude do público foi boa, acho que também teve um setor das arquibancadas que me apoiou, provavelmente não eram chilenos, então me fizeram sentir muito bem”, acrescentou o russo.

Sobre a partida, ele viu Jarry subir de nível à medida que o jogo avançava. “Acho que mostrei um bom nível de tênis no primeiro set, embora também não tenha feito nada de especial, apenas o suficiente para vencer. Naquele momento estava satisfeito, mas ele começou a melhorar muito, os ralis e os pontos começaram a ficar cada vez mais difíceis, ele até começou a sacar muito melhor”, falou Medvedev.

“No final, alguns pontos de tiebreak acabaram decidindo tudo, como tantas vezes acontece no mundo do tênis. Mesmo o match point não foi fácil para mim com aquele tremendo retorno, mas no final consegui lidar com a situação e seguir em frente”, complementou o russo.

Seu próximo obstáculo no torneio será o italiano Jannik Sinner, em uma reedição da final do ano passado e também da decisão do Australian Open no começo da temporada. “Ele está jogando cada dia melhor, dá para ver que ele entende com muita confiança, pude perceber isso em alguns jogos que pude assistir pela televisão esta semana”, afirmou o atual campeão na Flórida.

“Ele esteve em apuros algumas vezes neste torneio, mas sempre conseguiu se manter de pé e encontrar uma solução, é assim que os grandes campeões fazem. Para mim é um grande desafio, vou precisar melhorar muito o meu jogo e dar tudo de mim. Sei que não será um desafio fácil, mas estou motivado e quero ir lá e ir em frente, espero conseguir fazer melhor do que da última vez”, finalizou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE