PLACAR

Kyrgios acredita que ainda possa vencer um Slam

Foto: AELTC/Joel Marklund

Camberra (Austrália) – Em uma entrevista exclusiva ao Wide World of Sports, o australiano Nick Kyrgios falou abertamente sobre a temporada deste ano no qual mal conseguiu jogar, disputando apenas um torneio por causa de problemas físicos. Embora a recuperação esteja levando mais tempo que o previsto, ele segue animado para o retorno e diz que ainda quer vencer um Grand Slam

“Quero apenas poder dizer que ganhei um Grand Slam de simples antes de me aposentar. Acho que isso realmente me motiva”, afirmou o australiano de 28 anos, que já sabe qual deles é sua prioridade. “Wimbledon é o maior torneio do mundo, acho até os fãs que não conhecem tênis direito sabem o que é Wimbledon, sabem do seu prestígio”, disse Kyrgios.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“É o auge do tênis para mim. Se você vencer Wimbledon, ninguém quase poderá dizer nada para você. É nele que colocarei todo o meu foco e diligência. Esse é o que eu quero vencer e estive muito perto. Tenho aquele gosto de negócios inacabados na boca, então vou tentar o meu melhor para voltar lá”, afirmou o vice-campeão no All England Club no ano passado.

A grande temporada de 2022 serve de estímulo para o australiano, que acredita poder voltar a jogar naquele nível. “Ainda estou com fome, o que é bom. Estou no circuito profissional há quase 10 anos e ainda tenho aquela vontade de voltar ao topo e ter um ano como aquele se conseguir ficar saudável”, comentou o australiano, que atualmente está sem ranking.

“Nem sempre é natural que alguém fique continuamente com fome e queira voltar para lá. Isso é, antes de mais nada, o mais importante. Eu só quero deixar meu corpo bem, porque aí acredito que posso competir em Grand Slams novamente. Não quero apenas participar de torneios, sinto que sou um cara que pode brigar pelos Slam”, observou Kyrgios.

“Se eu não sentisse que ainda tenho lenha para queimar, simplesmente pararia. Sinto que ainda estou no meu auge físico, que meu nível ainda é um dos melhores do mundo. Sei o que sou capaz de fazer e tenho muitas pessoas ao meu redor e perto de mim que também acreditam na minha capacidade e acho isso super importante”, complementou o australiano.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE