PLACAR

Halep confia na apelação e recebe apoio de Evert

Foto: Tennis Majors

Bucareste (Romênia) – A cruzada de Simona Halep na busca por reverter a dura pena de quatro anos de suspensão do circuito terá novo capítulo em fevereiro, quando será ouvida pelo Tribunal de Arbitragem do Esporte (TAS), a entidade máxima de apelação. A romena e ex-número 1 do mundo testou positivo para exame antidoping e ainda foi acusada de divergências no seu passaporte biológico.

“Já se passou mais de um ano e a cada dia fica mais doloroso e perturbador”, contou ela em entrevista ao Euronews. “Sei que não fiz nada errado e estou limpa. Foi um choque quando recebi a análise de urina, que deu positivo para uma pequena quantidade de substância proibida”.

Ela agradeceu o apoio de fãs e de tenistas e entre eles veio nesta sexta-feira o de Chris Evert, ganhadora de 18 troféus de Grand Slam e uma das mais importantes jogadoras da história. “Ela deu toda a vida ao seu treinador e a sua equipe, que controlavam sua carreira, sua nutrição e sua gestão. Acredito que ela é inocente. Ponto final.”

Sua defesa será na tese da contaminação cruzada, um lugar comum em casos de dopagem por quantidades pequenas. “Eles alegam que tentei melhorar meu rendimento, mas três dias antes fiz exame de sangue e urina e ambos deram negativo. Não poderia ter me dopado em três dias. Fiz muitos testes e todos deram negativo e por isso confio em mudar a suspensão no TAS”, afirmou. “Sempre respeitei a todos e me dediquei ao tênis”.

Caso não obtenha sucesso na audiência de fevereiro, Halep acha que será o fim de sua carreira. “Quatro anos são muito tempo, ao menos na minha idade. Para uma tenista que treinou e trabalhou durante 25 anos, será catastrófico. Provavelmente, terei de encerrar a carreira por algo que não fiz e não é minha culpa”, voltou a frisar a jogadora de 32 anos.

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Fernando S
Fernando S
6 meses atrás

Todos os atletas de elite utilizam PEDs. Até no amador existe um número crescente de casos (pelo menos nas academias e corridas de rua).
Algumas substâncias são escolhidas devido à sua rápida meia-vida. O que o Lance Armtrong ingeria durava apenas 3-4 horas no organismo. Ele passou por 500 testes antidoping sem nunca ter sido pego. Esse papo de “pequena quantidade” e “três dias antes” realmente não convence.
Se for analisado o passaporte genético de todos os atletas de elite, será possível encontrar alterações.

Paulo A.
Paulo A.
6 meses atrás

Simona será inocentada! Ela é uma grande atleta, não precisa se dopar!

Marcos
Marcos
6 meses atrás

que pena ! uma das poucas do circuito que tinha um jogo agradável de ver

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
6 meses atrás

Também acredito na inocência da Simona Halep. Quando fez o teste que motivou a suspensão, faltava um mês e meio pra ela completar 31 anos de idade, já havia passado por inúmeros testes na carreira, todos dando negativo. No US Open 2022 ela foi eliminada na primeira rodada. Naquele jogo claramente não teve melhora de desempenho em comparação com os torneios imediatamente anteriores. Naquela altura da carreira não faz sentido que ela tenha tentado se beneficiar com atitudes ilícitas e correr o risco de denegrir a grande imagem construída, a duras penas, ao longo da carreira. Torço pra que ela consiga cancelar a punição.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE