PLACAR

Gauff fecha semana perfeita com seu maior título

Gauff não perdeu sets na campanha para o título em Washington (Foto: Mubadala Citi DC Open)

Washington (EUA) – A semana perfeita de Coco Gauff no WTA 500 de Washington terminou com a conquista do maior título de simples de sua carreira. A jovem norte-americana de 19 anos marcou sua quarta vitória sem perder sets, superando na final deste domingo a grega Maria Sakkari por 6/2 e 6/3 em 1h25 de partida.

Gauff tinha apenas três títulos de WTA 250 na carreira, o mais recente conquistado em Auckland no início da temporada. Ela também havia vencido nas quadras cobertas de Linz em 2019 e no saibro de Parma em 2021. Ano passado, foi vice de Roland Garros, superada pela número 1 do mundo Iga Swiatek na final.

Com o resultado, Gauff é a campeã mais jovem da história do torneio e também a terceira norte-americana campeã em Washington, evento que subiu da categoria 250 para 500 a partir deste ano. Sloane Stephens venceu a edição de 2015, enquanto Jessica Pegula conquistou o título em 2019. Além delas, outra finalista foi Lauren Davis, que ficou com o vice em 2016, superada pela belga Yanina Wickmayer.

Durante a semana em Washington, Gauff também derrotou Hailey Baptiste, Belinda Bencic e a campeã do ano passado Liudmila Samsonova. Ela contou com uma dupla de treinadores. Além do espanhol Pere Riba, que é seu técnico principal, ela também tem o acompanhamento do veterano Brad Gilbert, que já treinou nomes como Andre Agassi, Andy Roddick e Andy Murray, além de ser comentarista de TV e ter livros publicados sobre tênis.

“Foi o nosso primeiro torneio como um time completo”, disse Gauff na quadra. “Estou feliz por termos conseguido esse resultado. Passei por momentos muito difíceis em Wimbledon, algumas semanas atrás. Estávamos todos sentindo isso. E estou feliz por ter conseguido me recuperar”, acrescenta a norte-americana, que havia perdido na estreia do Slam londrino.

Atual número 7 do mundo, a jovem norte-americana recebe 470 pontos pela conquista em Washington e mantém sua posição no ranking. Já Sakkari, nona colocada, soma 305 pontos e ganha uma posição. A grega de 28 anos tem um histórico muito negativo em finais, com apenas um título e agora sete vice-campeonatos.

“Não vou mentir, é bastante decepcionante perder mais uma final. Mas, ao mesmo tempo, um mês atrás eu não achava que estaria aqui. Foi uma semana incrível”, avaliou a grega, que foi eliminada na primeira dos dois últimos Grand Slam que disputou.

Na final que teve a arbitragem da brasileira Paula Vieira, Gauff teve um início de partida arrasador e saiu vencendo por 3/0, aproveitando um game com três erros e uma DF da Sakkari para conseguir a quebra. Ela ainda teve algumas chances de ampliar a diferença e não aproveitou. No game seguinte, a grega devolveu a quebra. Mas não demorou para que a jovem norte-americana recuperasse o domínio da partida, com duas novas quebras no fim do set.

Logo na abertura da segunda parcial, Sakkari conseguiu uma quebra de serviço e saiu vencendo por 2/0. Mas os erros não-forçados da grega e a solidez da norte-americana nos ralis de fundo fizeram a diferença e Gauff logo buscou o empate. Houve ainda uma troca de quebras antes do 3/3, após uma dupla falta da grega.

Na sequência, a tenista da casa fez um rápido game de saque e finalmente passou à frente no segundo set. Ela ganhou confiança na partida, voltou a quebrar e sacou para o jogo. Sakkari salvou o primeiro match-point num winner de devolução, mas Gauff não deixou sua segunda chance escapar. Gauff disparou 7 aces na partida e criou 10 break-points, aproveitando seis dessas chances. Ela explorou bastante o segundo serviço de Sakkari, vencendo 16 dos 24 pontos jogados nessas condições.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE