PLACAR

Fritz lamenta dia ruim com o saque e elogia Djoko

Foto: Manuela Davies/USTA

Nova York (EUA) – O norte-americano Taylor Fritz não conseguiu incomodar o sérvio Novak Djokovic como se esperava antes da partida entre eles pelas quartas de final do US Open. O tenista da casa acabou derrotado em sets diretos, culpando o dia ruim com o saque por um placar mais elástico, sem ter chances de vencer uma parcial sequer.

“Precisava sacar muito melhor e não perder tantos pontos com meu saque. No que diz respeito à devolução, não posso pedir muito mais. Esqueça o primeiro set, mas no segundo e no terceiro, estive bem em muitos games de retorno e tive chances de quebras em ambos os sets”, afirmou o norte-americano, que venceu apenas 53% dos pontos com o serviço.

“Se eu pudesse realmente servir melhor, acho que de acordo com os padrões que sei que posso fazer, talvez eu pudesse ter um pouco mais de chance e a partida seria mais próxima. Obviamente Novak sendo Novak, ele me faz sentir como se estivesse sacando pior do que estava, em outras partidas eu acho que não seria tão punido por perder tantos primeiros saques”, acrescentou Fritz.

Colocando apenas 55% das primeiras bolas em quadra, Fritz até teve bom desempenho quando jogou com elas, faturando 73% dos pontos. Só que quando precisava usar o segundo serviço, Djokovic o punia e então o desempenho do norte-americano despencava, indo para apenas 28%.

Questionado sobre as condições climáticas, ele reconheceu o calor e a grande umidade, mas disse que não influenciou no desempenho. “Acho que nunca me incomodei muito com o calor. Sinto que estava muito úmido e isso te esgota. Não ajudou o fato de fecharem parcialmente o teto, com isso, porque acho que deixou menos quente, mas muito mais úmido dentro do estádio”, analisou.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE