PLACAR

Fonseca revela ter entrado mais tenso do que na estreia

Foto: Fotojump

Felipe Priante

Rio de Janeiro (RJ) – Depois de conquistar uma vitória incrível em sua estreia no Rio Open, superando o cabeça de chave 7 Arthur Fils, o jovem carioca João Fonseca derrotou mais um grande rival na competição, eliminando nesta quinta-feira o chileno Cristian Garin, campeão do torneio em 2020, para alcançar as quartas de final.

“Estou vivendo um sonho, não caiu nem um pouco a ficha ainda, mas eu quero continuar nesse sonho cada vez mais. Estou muito feliz com minha trajetória até aqui, mas quero mais porque estou feliz com a maneira como estou jogando”, comentou Fonseca, que mais uma vez impôs seu jogo agressivo, tentando sempre comandar os pontos.

“Acho que em qualquer jogo eu tento comandar fazendo da minha maneira, que é o meu jeito, ser agressivo”, disse o tenista de 17 anos revelou, que entrou mais nervoso em seu segundo jogo no torneio. “Sabia que o Cristian era um cara mais experiente, que sabe como jogar nesses momentos de pressão e acho que hoje entrei um pouco mais tenso, ontem estava soltando o braço em qualquer bola”, observou.

“Mas consegui me adaptar super bem, me mantive focado e estou muito feliz como consegui sair com a vitória”, acrescentou Fonseca, que afirma ter evoluído muito na última temporada, não só fisicamente, mas tecnicamente e mentalmente. “Estou muito mais maduro. Só tenho que agradecer meu time porque a carreira é longa”, afirmou o promissor tenista brasileiro.

Depois de vencer os dois primeiros games da partida, o carioca viu Garin devolver o break imediatamente e depois anotar outra quebra para abrir 4/3 e saque. Para ele, conseguir evitar que o chileno descolasse no placar naquela situação foi fundamental para a vitória.

“Foi o momento crucial da partida, se não devolvesse a quebra ele ia jogar cada vez mais solto e eu ia ficar mais recuado. Neste momento a torcida me ajudou muito a me recuperar depois de sofrer uma quebra”, afirmou o campeão juvenil do US Open do ano passado.

Nas quartas de final, ele medirá forças com o argentino Mariano Navone, que veio do quali e já surpreendeu dois pelo caminho no Rio. Será a segunda vez que ele irão se cruzar, a primeira em nível ATP. O único duelo até então foi no challenger de São Leopoldo, em 2022, vencido pelo brasilero no tiebreak do terceiro set, com placar de 6/3, 1/6 e 7/6 (11-9)

“Navone é um conhecido meu, já tive um jogo com ele, acho que em minha segunda vitória em challenger, foi um jogo duríssimo, uma vitória no terceiro set. Sei que vai ser mais um jogo duro, Navone é um argentino que corre pra caramba, passa muitas bolas”, observou Fonseca sobre o rival de 22 anos e atual 113 do mundo.

Questionado sobre ser tratado como uma nova estrela do tênis mundial, por ter se tornado o primeiro tenista nascido em 2006 a vencer um jogo de ATP, Fonseca mostrou bastante humildade e freou a empolgação. “Estrela nada, estou começando minha carreira agora. Sou jovem, estou jogando tênis e feliz. A carreira do tenista é longa e só estou no começo”, encerrou.

5 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Gusmão
Gusmão
4 meses atrás

Força Fonseca.

Hares
Hares
4 meses atrás

Isso mesmo…Parabéns Fonseca!! Continue assim…dois pés no chão…não permitir que o sucesso advindo suba muito rápido a cabeça. Mental forte e preparo físico…que venha mais uma vitória!

Paulo A.
Paulo A.
4 meses atrás

Penso que entrará com boas chances contra o argentino, o que poderá lhe prejudicar pois não será mais o azarão…

Paulo Vinícius da Silva Reis
Paulo Vinícius da Silva Reis
4 meses atrás
Responder para  Paulo A.

É verdade. Meio que volta a realidade do nível Challenger, onde as vezes tem que encarar um cara do nível 200. Pelo menos, vai estar jogando em casa, com sua torcida.

Paulo A.
Paulo A.
4 meses atrás

Jogar sem pressão alguma é sempre bem mais fácil…

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE