PLACAR

Fonseca e as marcas de precocidade no tênis brasileiro

Foto: Millennium Estoril Open

Por José Nilton Dalcim
Da redação

O enorme salto de qualidade que mostra em suas primeiras aventuras no circuito profissional de primeira linha já levaram o carioca João Fonseca, no momento com 17 anos e sete meses, a quebrar duas marcas relevantes de precocidade no tênis brasileiro. E, a seguir nesta linha ascendente, ao menos mais duas devem cair nas próximas semanas.

Fonseca se tornou nesta terça-feira o mais jovem tenista nacional a somar três vitórias em nível ATP desde o surgimento do circuito profissional, em maio de 1968. Ele supera por dois meses de diferença outro grande talento dos anos 1990, o canhoto Marcelo Saliola. Os dois são os únicos a atingir essa quantidade de triunfos de primeira linha antes de completar 19 anos.

Outro recorde já obtido por Fonseca veio em sua estreia no Rio Open de fevereiro. Ele se tornou o primeiro brasileiro com menos de 20 anos a derrotar um top 50 logo em sua primeira vitória de ATP, ao superar o então 36º colocado, o francês Arthur Fils. As outras estreias vitoriosas haviam sido de José Amin Daher sobre o 62º do ranking, quando o paulista hoje falecido contava com 20 anos e 6 meses, e a de João Souza em cima do 63º, aos 21 anos e nove meses. A vitória sobre Fils também foi a segunda mais expressiva de um adolescente brasileiro, atrás de Saliola, que ganhou do então 12º colocado ainda aos 17 anos e 9 meses.

Atual 276º do ranking, o carioca entrou no top 300 do ranking há três semanas e só fica atrás do mesmo Saliola em termos de precocidade, já que o paulista atingiu a marca com 17 anos e quatro meses, em abril de 1991. No entanto, Fonseca vislumbra outro recorde e pode se tornar o mais jovem brasileiro entre os 250 primeiros caso entre para esse grupo até 20 de junho. Com a vitória notável sobre Lorenzo Sonego em Bucareste, ele tem chance de avançar à 267ª posição e, em caso de quartas de final, deverá beirar o 240º.

Vale por fim lembrar que Fonseca ainda tem ótima chance de se transformar no mais jovem brasileiro a conquistar um evento challenger, façanha que escapou semanas atrás na decisão de Assunção. O recordista é Jaime Oncins, que venceu Lins em 1989, aos 19 anos e um mês.

Veja abaixo levantamento exclusivo sobre todas as principais marcas de precocidade do tênis masculino brasileiro:

Primeira vitória em nível ATP
16a e 10m – Marcelo Saliola, em outubro de 1990, em São Paulo
17a e 3m – Fernando Roese, em novembro de 1982, em Itaparica
17a e 5m – João Fonseca, em fevereiro de 2024, no Rio de Janeiro
17a e 8m – Danilo Marcelino, em novembro de 1983, em Itaparica
18a e 4m – Jaime Oncins, em outubro de 1988, em São Paulo

Mais alto ranking de adversário em primeira vitória de ATP
36 – João Fonseca sobre Arthur Fils, no Rio de Janeiro, 2024
62 – José Amin Daher sobre Alberto Tous, em São Paulo, 1987
63 – João Souza sobre Simon Greul, em Santiago, 2010

Mais jovem a somar três vitórias em nível ATP
17a e 7m – João Fonseca (2024)
17a e 9m – Marcelo Saliola (1991)
19a e 8m – Cássio Motta (1979)
19a e 11m – Thiago Wild (2020)
19a e 11m – Gustavo Kuerten (1996)

Mais relevante vitória em nível ATP antes dos 18 anos
12 – Marcelo Saliola sobre Emilio Sanchez, em Brasília (1991), aos 17a e 9m
36 – João Fonseca sobre Arthur Fils, no Rio (2024), aos 17a e 7m
100 – Fernando Roese sobre Angel Gimenez, em Itaparica (1982), aos 17m e 3m

Mais jovens brasileiros a entrar no top 300
17a e 4m – Marcelo Saliola (abril de 1991)
17a e 7m – João Fonseca (abril de 2024)
17a e 11m – Jaime Oncins (junho de 1988)
18a e 5m – Fernando Roese (janeiro de 1984)
18a e 9m – Gustavo Kuerten (junho de 1995)

Mais jovens brasileiros a entrar no top 250
17a e 9m – Marcelo Saliola (setembro de 1991)
18a e 11m – Fernando Roese (julho de 1984)
19a e 1d – Gustavo Kuerten (setembro de 1995)
19a e 2m – Roberto Jábali (julho de 1989)
19a e 4m – Thiago Wild (novembro de 2019)

Mais jovens campeões de nível challenger
19a e 1m – Jaime Oncins, em Lins (1989)
19a e 2m – Roberto Jábali, em São Paulo (1989)
19a e 7m – Thiago Wild, em Guayaquil (2019)

18 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Evandro
Evandro
1 mês atrás

O de mais jovem a entrar no top 250 tem dia e hora para cair: amanhã, a partir de 7h

Arthur
Arthur
1 mês atrás

Rapaz, esse mlk joga demais, será que depois de anos vamos ter um novo guga? Na minha opinião esse mlk ainda vai ser top 10 um dia, joga demais

Marcos Antonio Vargas Pereira
Marcos Antonio Vargas Pereira
1 mês atrás
Responder para  Arthur

Não é necessaria a comparação , cada um vai ter sua história a do Guga já foi escrita a do João está no inicio.

Evandro
Evandro
1 mês atrás

Jannik, Carlos e João = Roger, Rafael e Novak, em diferenças de idade. Novo big 3?

Última edição 1 mês atrás by Evandro
Beto_poa
Beto_poa
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Zverev e Tsitsipas também eram fenômenos aos 17 anos e não se tornaram big 2. Dimitrov ou Gasquet também eram fenômenos aos 17 anos e nunca ganharam GS.

Guilherme do ES Ribeiro
Guilherme do ES Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Beto_poa

Zverev foi número 2 do mundo, Tsitsipas foi 3, Dimitrov também. Não ganharam slams, mas ganharam Master 1000 e Finals. Gasquet não foi o que prometia, mas foi TOP 10 e ganhou mais de uma dezena de títulos de ATP. Qualquer brasileiro que tiver uma carreira como a destes caras eu ficaria muito feliz. E acredito que o atleta em questão também. E seria o 2° melhor brasileiro na história, atrás apenas do Guga. Quem me dera ter brasileiros com esses currículos .

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás
Responder para  Guilherme do ES Ribeiro

Assino embaixo! E tivemos um fenômeno bem mais precoce que o João, o Saliola, que simplesmente desistiu de jogar tênis profissional muito antes de realizar o seu potencial. Sempre há esse perigo, ainda mais para um garoto milionário como o João, que não precisa do tênis para viver bem…

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Paulo A.

Saliola bem mais precoce? Concordo que ele foi mais precoce, mas bem mais precoce acho que não, aliás, os números dos dois estão bem próximos em comparação, com pouca diferença a favor do Marcelo, ao menos por enquanto, porém o João tem chance de quebrar uma das marcas do Marcelo esta semana, confirmando o que eu disse, que os dois estão com números bem parecidos.

Thiago
Thiago
1 mês atrás
Responder para  Paulo A.

Eu discordo. João me parece um apaixonado pelo que faz. A grana da família vem pra dar o suporte, que talvez (não conheço a história) um Saliola, e tantos outros, não tenham tido.

Thiago
Thiago
1 mês atrás
Responder para  Guilherme do ES Ribeiro

Excelente!

Bruno
Bruno
1 mês atrás

Dalcim, fiquei curioso para saber a história da carreira e de vida desse fenômeno, para mim desconhecido Marcelo Saliola..

João Sawao ando
João Sawao ando
1 mês atrás

Dalcim. Ô Marcelo Saiola não ganhou do Emílio Sanches com 14 anos?

Marcelo Sato
Marcelo Sato
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Aos 14 ganhou seus primeiros pontos ATP, recorde mundial , se não me engano.

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás

Parabéns. Excelente levantamento.

Fernando
Fernando
1 mês atrás

Esse ranking mostra o tanto que o Saliola era sinistro e o João tb! Parabéns Dalcin pela entrevista com Saliola. Ainda hoje a pressão e cobrança que ele sofreu atinge 90% ou mais dos nossos jovens e pouco se fala sobre isso.

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás

Faltou “Omais jovem campeão de Torneio ATP”

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE