PLACAR

Esta é segunda vez que Djokovic dá w.o. em sua carreira

Foto: Gonet Geneva Open

Por José Nilton Dalcim
Da redação

Desistir de entrar em quadra na rodada seguinte para seguir no torneio é coisa muito rara na espetacular e longa carreira do sérvio Novak Djokovic. Isso aconteceu em apenas duas vezes em seus 1.324 jogos disputados, em que venceu 1.105 e perdeu 219. Para efeito estatístico, a ATP não considera como derrota quando o tenista não entra para competir.

A única vez em que Djokovic se viu forçado a abandonar um torneio sem entrar em quadra havia acontecido nas quartas de final do Masters de Paris, em 2011, quando enfrentaria Jo-Wilfried Tsonga, então devido a um problema no ombro. A desistência desta terça-feira, ironicamente também em quartas de Paris, mas em Roland Garros, foi devido ao menisco do joelho direito.

O sérvio no entanto já parou no meio de outras 14 partidas devido a problemas físicos, seis delas em torneios de Grand Slam e duas em Roland Garros, quando enfrentava Guillermo Coria na segunda rodada de 2005 e diante de Rafael Nadal nas quartas de 2006.

Em Wimbledon, Nole precisou desistir na semifinal de 2007, novamente diante de Nadal, e bem mais recentemente quando fazia quartas e encarava Tomas Berdych, em 2017.

No Australian Open, o abandono em meio à disputa aconteceu em 2009, nas quartas de final frente a Andy Roddick. Por fim, aconteceu a mais recente no US Open de 2019, quando já perdia por 2 a 0 para o suíço Stan Wawrinka nas oitavas de final.

Djokovic também ficou impedido de competir por completo em duas finais, a de 2006 em Umag, ainda no tiebreak do primeiro set frente a Wawrinka, e em Cincinnati de 2011, no segundo set em que enfrentava Andy Murray.

25 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Casagrande
Casagrande
13 dias atrás

Acho que ele é daqueles que nomarmalmente entra, mesmo com dúvidas, e se não dá, desiste no meio do jogo. Foram 14 vezes. Acho que o Federer é ao contrario. Gostaria de saber.

Última edição 13 dias atrás by Casagrande
DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
13 dias atrás
Responder para  Casagrande

Federer também desistiu de alguns jogos sem entrar em quadra (WO). Mas ele tem um recorde impressionante de nunca ter desistido após entrar em quadra, isso tanto em simples quanto dupla. São mais de 1400 jogos sem desistir.

CARLOS LIMA
CARLOS LIMA
13 dias atrás

No começo da carreira ele desistia muito por estar perdendo os jogos. O Federer chegou a questionar isso.

Geraldo
Geraldo
13 dias atrás
Responder para  CARLOS LIMA

Verdade. Mas leva-se em conta o fato de que ele não sabia ainda do problema de intolerância ao glútem. Depois que descobriu o problema, parou de desistir no meio dos jogos.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
13 dias atrás

Melhoras para o tenista, mas pelo menos o torneio se livrou do seu jogo horrível e sonolento de assistir.

Joselito
Joselito
13 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Acho que vocês “federetes” pararam no tempo e já podem migrar para o beach tenis, pickleball.
Já estão no esporte errado. Nunca mais vão ver saque e voleio na vida. Basta pegar os 10 primeiros do ranking para comprovar.
O cara que vier hoje com saque e voleio, vai tomar ao menos umas 20 passadas e outros 20 lobs durante um set.
Chega de saudosismo.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
13 dias atrás
Responder para  Joselito

Federer era tão competente no saque voleio, rede e base. O tenista tecnicamente mais completo da história.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
13 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Por que era freguês do Djoko?

groff
groff
13 dias atrás
Responder para  Joselito

E o que é que entrou no lugar, Joselito? Paredão? O tênis “moderno”, em que a bola freia e sobe alto, acabando com as esquerdas de uma mão, também acabou com a movimentação vertical (hoje uns 90% da movimentação é só de lado, como caranguejos), e se quem gostava de um jogo mais dinâmico está no esporte “errado”, como você diz, vocês estão vendo partidas que parecem mais o quê? Pong, aquele jogo antigo de vídeo game?

Joselito
Joselito
13 dias atrás
Responder para  groff

Todo esporte evolui. Hoje se um time de futebol faz um a zero, é goleada. Eu preferia ver dez gols em uma partida. Mas não é a realidade mais. Nem por isso o jogo é mais feio.
Se aparecer alguém que jogue como Federer hoje e for bem no ranking e nos resultados, vou aplaudir. Mas falar que o jogo do navak é feio e sonolento, pode mudar de esporte, pois o top 10 joga todo desse jeito. O Alcaraz imprime um pouco mais de intensidade e um pouco de variação, mas o jogo é baseado no jogo de base.
O pessoal tem que entender é que Federer era um exímio sacador. Isso permitia se aventurar mais a rede. O indicador de serviço dele é o sexto da história da ATP, se não me engano.
Cada um luta com o que tem.
Se Djoko tivesse o saque dele, tinha ganhado tudo. Não ia sobrar título para ninguém.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
13 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

Jogo horrível e sonolento ? Sério isso ? O seu ódio faz você não enxerga o óbvio.

O jogo do sérvio está cada vez mais interessante de assistir pela variação que ele emprega nos jogos. Ele é talvez dos tops o que mais vai à rede, executa drops (deixadinhas) constantemente, inclusive passou a empregar o drop de direita, não raras vezes arrisca saque/voleio e no fundo de quadra sustenta ralis de tirar o fôlego.

Pelo visto você já sofreu muito com o sérvio para escrever essa bobagem. Você é torcedor do Federer nobre ??

Paulo Almeida
Paulo Almeida
13 dias atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Danilão, é o Vitor Hugo/Renato/Robert Souza.

Fernando
Fernando
13 dias atrás

É a idade. O joelho não aguentou pelo esforço do Djokovic. Aí começa o declínio gradual do sérvio. Entendo esse problema, porque já tive um problema ósseo pelo excesso de esforço. O máximo que Djokovic irá conseguir é mais um ou dois Slams antes da aposentadoria porque está ficando velho e os jovens cada vez melhores. Faz parte do ciclo.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
13 dias atrás
Responder para  Fernando

Puxa, que bom!
Ele conseguirá um ou dois Slams até o final da carreira porque está ficando velho.
Eu imagino todos os novos que ficaram velhos sem ganhar nenhum.

Belarmino Jr
Belarmino Jr
13 dias atrás
Responder para  Fernando

Não ganha nem atp 250… Tomou uma surra em Genebra!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
13 dias atrás

O que mais impressiona é a quantidade de gente que ficou feliz com a notícia da lesão! Que mundo mesquinho estamos vivendo! Que triste!!!

Vera
Vera
13 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Fernando infelizmente , característica de seres que se alegram e tentam apagar a luz do outro para tentar que sua opacidade e insignificância sobressaem. lamentável!

Fernando Venezian
Fernando Venezian
13 dias atrás
Responder para  Vera

Vera, tantas coisas tristes acontecendo, desastres naturais, guerras e pandemias! Mas o ódio das pessoas não diminui

Mara Suff
Mara Suff
13 dias atrás
Responder para  Vera

Que colocação esdrúxula, utilizando palavras bonitas e fruto de bordões. O que está em discussão é que o ex número 1 já não atende mais as expectativas de ser um grande jogador. Compreensível, a idade não perdoa. Faz parte.

Leonel
Leonel
13 dias atrás

Nao sei o que é mais ruim. Assistir a mesmice de ver o Djoko mito “ganhando maaaisss uma vez” um Slam(cansativo) ou ver alguém sem carisma algum estar numa semifinal “picolé de chuchu”.

Eduardo
Eduardo
13 dias atrás

Que pena

persivaldo
persivaldo
13 dias atrás

Torneio encerrado, parei de assistir.

Marcia Dalcim
Editor
13 dias atrás
Responder para  persivaldo

Olá Persivaldo, editei sua mensagem por estar toda em letras maiúsculas, o que não é permitido. Obrigada por participar.

helio
helio
13 dias atrás

Ainda bem que vamos assistir jogos mais interessantes do que o jogo mecânico e sem graça desse ex numero 1 que está se despedindo

Lucio
Lucio
13 dias atrás

No jogo das oitavas ele apresentava está cansado. Achei muito estranho

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE