PLACAR

Em reação incrível, Djokovic chega ao 39º Masters

Foto: Western & Southern Open

Cincinnati (EUA) – Com enorme resiliência, o sérvio Novak Djokovic foi valente e conquistou o título do Masters 1000 de Cincinnati em uma enorme virada para cima do espanhol Carlos Alcaraz, que chegou a ter um match-point no tiebreak do segundo set, mas não aproveitou a oportunidade e acabou superado pelo atual vice-líder do ranking, que marcou parciais de 5/7, 7/6 (9-7) e 7/6 (7-4), depois de 3h50 de batalha.

Este foi o 39º título de Masters 1000 que o sérvio leva para casa e o terceiro no torneio, onde foi campeão pela primeira vez em 2018, se tornando então o primeiro da história a vencer todos os Masters do circuito. A final deste domingo foi a 135ª da carreira de Djokovic, que tem 95 títulos no total e mais 40 vice-campeonatos.

Pela primeira vez desde 2012 os dois primeiros colocados no ranking fizeram a final do Masters 1000 de Cincinnati e assim como aconteceu em Wimbledon, quem largou na frente ficou com o vice. Djokovic vingou a derrota no All England Club e assim empatou o confronto com Alcaraz, agora com dois triunfos para cada lado.

A vitória sobre o atual número 1 do mundo foi a 1069ª da carreira de ‘Nole’, que agora se isola na terceira colocação entre os mais vitoriosos na ATP, deixando Ivan lendl e Rafael Nadal para trás, ambos com 1.068. Ele está atrás apenas do suíço Roger Federer, que é o segundo colocado, com suas 1.251 vitórias, e do norte-americano Jimmy Connors e seu recorde de 1.274 triunfos.

Djokovic foi o melhor jogador em quadra na primeira metade do set inicial, chegando a abrir 4/2 com uma quebra de vantagem. Só que Alcaraz tratou de devolvê-la logo em seguida e depois empatou por 4/4. O espanhol aos poucos foi crescendo na partida e no 11º game obteve o segundo break, para no game seguinte confirmar o serviço e assim marcar 1 a 0 no placar.

Apesar de ter chegado para a final com quase metade do tempo que Alcaraz precisou, foi Djokovic que teve problemas físicos e sentiu o forte calor em Cincinnati. Depois de uma grande largada, ele foi perdendo ritmo do decorrer do primeiro set e terminou a parcial mostrando uma baixa de energia. A situação ficou mais clara no começo do segundo set, pedindo atendimento médico logo após ser quebrado no terceiro game.

O sérvio deu a entender que não estava tão bem, conversou com os médicos e resolveu seguir em quadra. Mesmo sem demonstrar sua melhor forma física, depois de estar perdendo por 4/2, ele seguiu lutando e devolveu a quebra no oitavo game. Sem novos breaks e com Djokovic já bem mais ativo, a definição foi para um disputado tiebreak, no qual Alcaraz até teve um match-point, mas não o aproveitou e levou a pior no final.

No terceiro set, Djokovic se mostrou já muito melhor e mais ligado, elevando o nível físico novamente. Sacando muito bem, o sérvio não vinha enfrentando break-points e conseguiu pressionar os serviços de Alcaraz, que evitou duas chances de quebra no quinto game, e mais quatro no sétimo, quando mesmo assim acabou amargando uma quebra.

Djokovic teve seus primeiros match-points no nono game e ambos foram evitados pelo rival espanhol, o segundo deles com uma incrível passada na corrida. O sérvio teve então que sacar para fechar, enfrentou um game duríssimo, no qual salvou três break-points, perdeu dois match-points, um deles com uma dupla falta, e no final acabou quebrado.

Foi então a vez de Alcaraz sofrer para confirmar, enfrentando quatro chances de quebra no 11º. Em seguida, ‘Nole’ fez seu game sem sustos e a definição foi para o tiebreak, que começou com uma dupla falta do espanhol e 3-0 para o sérvio no placar. Após ceder o empate por 3-3, o sérvio cresceu na reta final, fez 7-4 e enfim selou a suada vitória sobre o número 1 do mundo.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE