PLACAR

Djokovic vence fácil na estreia e volta ao número 1

Foto: Garrett Ellwood/USTA

Nova York (EUA) – Na partida que encerrou o primeiro dia de competições do US Open, Novak Djokovic confirmou o amplo favoritismo contra o francês Alexandre Muller, 84º do ranking, e marcou as tranquilas parciais de 6/0, 6/2 e 6/3 em apenas 1h36 de partida. Com o resultado, o sérvio também assegura a volta à liderança do ranking mundial.

Djokovic é o recordista de semanas como número 1 do mundo, com 389 no total. O veterano de 36 anos iniciou o US Open apenas 20 pontos atrás de Carlos Alcaraz, atual líder do ranking. Mas enquanto o espanhol foi campeão do ano passado e tem 2 mil pontos a defender, o sérvio não atuou na última edição do Grand Slam nova-iorquino. Dessa forma, bastava uma protocolar vitória na estreira para garantir o retorno à liderança.

Tricampeão do US Open, Djokovic tem como principal meta em Nova York chegar ao 24º título de Grand Slam, o que o faria igualar a marca da australiana Margaret Court entre os maiores vencedores de Slam em todos os tempos entre homens e mulheres. Atualmente, ele divide com Serena Williams o recorde de títulos de Slam no tênis profissional, com 23 conquistas cada um.

O próximo adversário de Djokovic será o espanhol Bernabe Zapata, 76º do ranking, que venceu o convidado local de 19 anos Ethan Quinn, 475º colocado, por 6/4, 6/4 e 6/3. O confronto contra Zapata é inédito no circuito profissional para o sérvio.

A tranquila vitória de Djokovic começou a ser construída com ‘pneu’ no primeiro set. Diante de um rival bastante passivo em quadra e que fez só dois winners, o sérvio teve total controle dos ralis de fundo e estava confortável para definir cada ponto. O sérvio conseguiu três quebras e só perdeu oito pontos em todo o set. O domínio de Djokovic continuou na segunda parcial, com uma quebra logo no game de abertura. O sérvio chegou a liderar por 4/1, perdeu um game de saque pela primeira vez na partida, mas voltou a quebrar na sequência.

Muller se soltou um pouco mais no terceiro set, especialmente por conseguir confirmar seus games de forma mais tranquila. O francês não perdeu nenhum ponto no saque até o 3/3. Mas não demorou para que Djokovic voltasse a encontrar o tempo de bola ideal para as devoluções e retomasse a pressão sobre o serviço do adversário. A quebra definitiva aconteceu no sétimo game. E depois disso, bastou ao tricampeão manter o próprio saque antes de quebrar de novo e confirmar a tranquila vitória.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE