PLACAR

Djokovic luta por cinco sets e vence duelo sérvio

Foto: Garrett Ellwood/USTA

Nova York (EUA) – Mais uma vez, Novak Djokovic mostrou o quanto é difícil enfrentá-lo em uma melhor de cinco sets. Mesmo saindo atrás no placar no duelo sérvio contra Laslo Djere, 38º do ranking, Djokovic não se abalou com a desvantagem de dois sets a zero e buscou a virada. Ele ficou em quadra por 3h45 e saiu vitorioso em mais uma sessão noturna no Arthur Ashe Stadium, marcando as parciais de 4/6, 4/6, 6/1, 6/1 e 6/3 para chegar às oitavas de final do US Open.

Tricampeão em Nova York, Djokovic já sabe que voltará a ser número 1 do mundo depois do torneio e dá mais um passo rumo ao 24º título de Grand Slam. O sérvio de 36 anos consegue sua oitava virada, depois de ter perdido os dois primeiros sets e a segunda no US Open. A primeira foi na semifinal de 2011 contra Roger Federer. E seu histórico de quinto sets segue bastante positivo, 38 vitórias e apenas 11 derrotas, com mais de 77% de aproveitamento.

O adversário de Djokovic nas oitavas de final será o croata Borna Gojo, 105º do ranking, que venceu o tcheco Jiri Vesely por 6/4, 6/3 e 6/2. O confronto entre eles é inédito no circuito e Gojo, de 25 anos, chega às oitavas de final de um Grand Slam pela primeira vez na carreira.

Já Laslo Djere, de 28 anos, chegou à terceira rodada de um Slam pela quarta vez na carreira e a primeira em Nova York. Seu melhor ranking foi o 27º lugar, pouco depois de ter conquistado o Rio Open de 2019. Este ano, o sérvio conseguiu a maior vitória da carreira, contra o então número 3 do mundo Casper Ruud em Auckland.

Djokovic conseguiu sua oitava virada de depois de dois sets abaixo
A partida já começou com uma quebra de serviço a favor de Djere, que logo depois escapou de um 15-40 para sair vencendo por 2/0. E apesar de ter enfrentado games longos em seu serviço durante todo o primeiro set, o atual 38º do ranking sobreviveu à pressão, salvando ainda mais um break-point antes do fim do set. Sacando pra o set, contou com três erros de Djokovic e definiu a parcial usando uma curta e trazendo a disputa para a rede, antes de ganhar o ponto com um winner de backhand na cruzada.

A vantagem no placar deu confiança a Djere, que fez um segundo set de alto nível. Com 87% de primeiros serviços em quadra, ele não enfrentou break-points e cedeu apenas três pontos em seus games de serviço. Jogando de forma agressiva e buscando as linhas, fez 12 winners na parcial. A única quebra aconteceu já na reta final do set, permitindo que ele fizesse 4/3 e saque e sustentasse a vantagem até o fim.

Djokovic foi ao vestiário no intervalo entre o segundo e o terceiro set. Na volta, conseguiu sua primeira quebra na partida e fez dois games de saque muito rápidos para já abrir 3/0. Ele ainda voltaria a quebrar para ampliar a vantagem na parcial e ganhar ainda mais confiança. Djere confirmou o serviço quando já perdia por 5/0 para evitar o ‘pneu’. E no game seguinte, Djokovic escapou de um 0-40 para diminuir a diferença no placar.

Até quando Djere fez um ponto espetacular, Djokovic ganhou o game


Antes do quarto set, foi a vez de Djere passar alguns minutos no vestiário. Ele voltou à quadra sacando muito bem, como não fazia desde o segundo set, mas perdeu chances em momentos importantes e sofreu quebras em games que teve 40-0 e 40-15. E até mesmo quando fez um winner espetacular com o backhand na paralela, ele perdeu o game de saque. O que se viu na reta final do set, ainda que Djere tenha devolvido uma das quebras, foi um um domínio total de Djokovic. Ele não dava nenhum ponto de graça e desgastava ao máximo o físico e o mental de seu adversário, que não conseguia mais sustentar os ralis longos. Mesmo sendo um set bem mais disputado que o terceiro, o placar foi o mesmo, outro 6/1.

À essa altura da partida, o quinto set parecia uma mera formalidade. Os sinais de desgaste de Djere eram evidentes, ele chegava desequilibrado nas bolas e aumentava consideravelmente o número de erros. Não demorou para que Djokovic conseguisse a quebra para sair vencendo por 3/0. O tricampeão já não corria mais riscos em seus games de serviço e até baixou um pouco a intensidade durante os saques do adversário. Bastou cuidar bem dos saques, mesmo salvando um break-point no último game, para depois confirmar o lugar nas oitavas.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE