PLACAR

De luto após bombardeio, Svitolina vence e se emociona em quadra

Foto: Jonathan Nackstrand/AELTC

Londres (Inglaterra) – O dia não foi fácil para a ucraniana Elina Svitolina, que entrou em quadra para enfrentar a chinesa chinesa Xinyu Wang de luto após um bombardeio russo que deixou mais de 30 pessoas mortas e atingiu um hospital pediátrico em Kiev. Ainda assim ela reuniu forças e conquistou uma grande vitória nesta segunda-feira, anotando parciais de 6/2 e 6/1 em apenas 56 minutos.

“Foi uma boa atuação”, destacou Svitolina na entrevista em quadra antes de deixar as lágrimas tomarem conta. “Hoje é um dia muito difícil para o meu povo, não foi fácil focar na partida depois de receber as notícias (sobre o bombardeio) logo de manhã. Estou feliz de ter conseguido jogar hoje e por vencer”, complementou a ucraniana, bastante emocionada.

Svitolina chega às quartas de final pela terceira vez em Wimbledon e sempre que alcançou tal fase conseguiu avançar para as semifinais, onde parou em 2019 e no ano passado, em suas melhores campanhas na competição. Sua próxima adversária será a cazaque Elena Rybakina, campeã de 2022 e que foi sua algoz no último Grand Slam, batendo a ucraniana nas oitavas de Roland Garros.

As duas já se enfrentaram quatro vezes no circuito, com dois triunfos para cada lado. Além da vitória em Paris, semanas atrás, Rybakina também levou a melhor na grama de Eastbourne em 2021. Svitolina derrotou a cazaque no primeiro duelo entre elas, em 2020 no saibro de Estrasburgo, e repetiu o resultado nos Jogos Olímpicos de Tóquio, disputados no ano seguinte.

Ucraniana controla e vence com autoridade

Mesmo com todas as questões extra-quadra, Svitolina conseguiu mostrar um grande tênis e controlou o jogo. Com 74% de aproveitamento nos games de serviço, ela não sofreu quebras, salvando os três break-points que encarou. A ucraniana cometeu apenas 10 erros não forçados, menos que a metade dos 23 de Wang, e ainda teve cinco bolas vencedoras a mais (21 a 16).

A primeira quebra da partida veio já no quarto game, com Svitolina abrindo 4/1 em seguida após salvar três break-points seguidos. Ela bateu o serviço de Wang outra vez para fechar o set inicial por 6/2. Na segunda parcial, a ucraniana deslanchou depois do 1/1, anotou duas quebras consecutivas e venceu os próximos cinco games para selar a vitória.

6 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Flávio
Flávio
7 dias atrás

É duro mesmo para a guerreira Svitolina, então eu não sou de falar de política pois infelizmente o ódio dos 2 lados dividiu o nosso país,mas farei um pequeno comentário é que o atual líder russo se comporta igual o genocida Stálin que é um absurdo, mas falando do jogo eu dizia que a Svitolina, que é mais jogadora do que a Sakkari, Bia e outras que sua carreira mostra isso,embora esteja no ranking abaixo é uma jogadora perigosíssima na grama e quem passar entre a mesma x Ribakina que tudo leva a crer uma final antecipada, mas pela imprevisibilidade do atual tênis feminino, principalmente Wimbledon, ainda assim prefiro ser cauteloso quem vencerá.

Paulo A.
Paulo A.
7 dias atrás

Pobres ucranianos! E eles estão prestes a serem abandonados à própria sorte, dependendo do resultado das eleições americanas. Ô povo sofrido.

Flávio
Flávio
7 dias atrás
Responder para  Paulo A.

Paulo A não sei cara, pois o homem laranja disse que vai acabar com o conflito então vamos aguardar, né.

Leonardo Hoffmann
Leonardo Hoffmann
7 dias atrás

Infelizmente a história do conflito vem de muito longe. A realidade não é bem essa da Ucrania ser uma coitadinha. Basta pesquisar em meios de comunicação diversos como o canal no YouTube Arte da Guerra do comandante da marinha Robson Farinazzo.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
7 dias atrás

Que vareio! A ucraniana tá implacável!

Márcio A. Tonussi
Márcio A. Tonussi
7 dias atrás

Nada justifica bombardear hospital infantil.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE