PLACAR

Copo meio cheio

Derrotas jamais podem ser considerados bons resultados para um tenista, ainda mais um top profissional. No entanto, é possível olhar com muito mais positividade do que sofrimento a campanha de Beatriz Haddad Maia em Abu Dhabi, seu primeiro torneio depois do frustrante Australian Open.

A queda diante de Daria Kasatkina num intenso duelo de fundo de quadra nas semifinais deste sábado mostrou justamente esses dois lados da moeda. Se por um lado houve vacilos e insegurança no saque ao longo de todo o primeiro set, em que perdeu quatro de cinco serviços, Bia mostrou poder de reação e soube controlar sua agressividade para remontar 0/2 na abertura da segunda série, vencer quatro games seguidos, escapar de break-points cruciais e empatar a partida.

Seria completa insanidade não reconhecer os grandes méritos da russa, especialmente sua opção pelas paralelas, senão para matar o ponto ao menos para abrir o buraco para completar o lance em seguida. Também fez inteligentes mudanças de ritmo com slices e até sacou bem mais do que costuma fazer, safando-se de perigosos apertos.

A parte dolorosa foi ver Bia desperdiçar os 2/0 com que abriu o set decisivo, exatamente como havia acontecido com Kasatkina, e depois perder o serviço já com 3/2 e o que parecia uma vantagem psicológica. Ainda assim, é preciso enaltecer o esforço defensivo da brasileira. Correu atrás de todas as bolas e com isso evitou por três vezes a quebra no oitavo game. Depois foi sua vez de ver a russa muito forte de cabeça para ganhar um interminável nono game e salvar mais dois break-points antes do tiebreak. Bia não foi bem no desempate e talvez aí possam se colocar na conta o abalo dessas chances perdidas e muito mais ainda o desgaste da semana.

Se há um ponto realmente a se destacar na campanha de Bia em Abu Dhabi, este foi a parte física. Mesmo depois de quase quatro horas de batalha contra Magda Linette, ainda teve pernas para ganhar no dia seguinte nas duplas e na sexta-feira dominar com autoridade a irregular Ons Jabeur. Jamais poderemos esperar que ela seja uma tenista rápida, no entanto é nítida a evolução de sua cobertura de quadra.

O sábado ainda veria Bia abandonar a semifinal de duplas por conta de dores nas costas e certamente do 1000 de Doha, que já começa no domingo. Luísa Stefani ficou na mão e daí fica fácil entender por que ela prefere ir atrás de parceiras pouco ou nada comprometidas com a chave de simples.

No fortíssimo torneio do Catar, Bia tem chave que pode ser muito dura. Estreia contra a chinesa Xinyu Wang, o que sugere paciência caso o piso esteja tão lento como em Abu Dhabi, e sua sequência poderá listar Vika Azarenka, Jelena Ostapenko e Iga Swiatek. De maneira correta, absteve-se da chave de duplas, onde Luísa volta a ter Demi Schuurs a seu lado e Ingrid Martins fará dueto com Fang-Hsien Wu.

E mais
– A próxima semana recoloca em quadra grandes nomes do circuito masculino. Carlos Alcaraz entra diretamente na segunda rodada de Buenos Aires junto a Cameron Norrie.
– Olhos voltados a Stan Wawrinka, que estreia contra Pedro Cachin, e Thiago Wild. Depois de cair logo de cara em Córdoba, tenta reagir contra um quali, pode então ter Djere ou Cilic e quem sabe chegar em Alcaraz.
– E vejam que o quali a enfrentar Wild pode ser Thiago Monteiro ou Felipe Meligeni. Os dois estão na rodada final neste domingo.
– Já o 500 de Roterdã tem como máxima atração Jannik Sinner. O campeão do Australian Open enfrenta Botic van de Zandschulp, depois pode ter Gael Monfils, Alexander Bublik e Hubert Hurkacz na semi.
– O lado inferior da chave tem Andrey Rublev e Holger Rune, que viu seu time ficar precocemente sem Boris Becker e Severin Luthi, mais um sinal muito negativo de que o dinamarquês continua sem rumo.
– Chama a atenção a final de Marselha deste domingo entre o local Ugo Humbert e o veterano Grigor Dimitrov, ambos novamente em momento de ascensão. O canhoto francês reencontrou seu jogo e está de volta ao top 20. Pode ser um dos grandes nomes da temporada.

68 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Maurício Luís *
Maurício Luís *
5 meses atrás

Pois eu diria que o copo está mais pra vazio do que pra cheio, infelizmente.
Esta contusão impediu a dupla de ir adiante, e mesmo que tivesse ganhado da russa, provavelmente nem disputaria a final. Mas pelo menos acrescentaria pontos a mais no ranking.
Agora é torcer pra que a contusão não seja séria e ela possa fazer boas campanhas, principalmente em RG, onde tem um caminhão de pontos a defender.

Andre Borges
Andre Borges
5 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Contusão???? Contusão do mesmo nível da do Wild antes da Davis neh?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
5 meses atrás
Responder para  Andre Borges

A Bia, não é da índole dela simular contusão. Totalmente descabida essa sua cogitação.

evaldo.moreira
5 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Mauricio,
Esse cidadão ai, calado , ele é um poeta, kkkkkkkkkkkkkkk

André Borges
André Borges
5 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Isso não tem nada a ver com índole, é um comportamento padrão no circuito. Um torneio 1000 começando no dia seguinte e a simplista fora da chave de simples é completamente padrão se retirar da chave de duplas, mas ninguém vai falar isso e correr o risco de ser punida pela WTA então dis que sentiu um “desconforto”. Vai jogar semana que vem normalmente como o Wild jogou a semana seguinte a Davis normalmente.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
5 meses atrás
Responder para  André Borges

Se o desconforto persistir, não é certeza não que ela vai jogar semana que vem normalmente. Acho que nem cartomante diria isto com tanta certeza.
Continuo acreditando que ela não mentiu.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Aí o sérvio Novak Djokovic pediu baixa do seu jogo de duplas mistas nas olimpíadas de Tóquio, com uma duplista que era estranha antes do evento e depois ficou completamente desconhecida, quase todos disseram que ele era um mau caráter por isso.
Quando dizem que a respiração do sérvio é motivo de contestação, talvez não estejam exagerando.

Ubiratan (Black)
5 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

RG? nossa, nem que ela tivesse saído travada como em WB eu teria essa preocupação tão distante quanto a recuperação. Eu esperando que fosse dizer que a preocupação seria agora em Doha! neste caso, como sabemos, são os famosos 100 pontos de QF de 500, um dos ganha pão desse turma do top 10 a 20 para manter o ranking. Como agora é um 1000, então ela precisará fazer oitavas para defender os mesmos 100. O que precisaria passar num possível segundo jogo contra Azarenka, que não é nenhuma coisa fácil. Quem pode falar melhor é Ostapenko, uma que todos consideram que vem jogando muito bem, que dos 4 torneios que disputou no ano, venceu 2 e foi eliminada nos outros, Brisbane e AO, exatamente pela Azarenka. Tenho certeza que quando viu a chave, pensou “ela novamente no meu caminho!!”. Vai torcer muito pra Bia ganhar o jogo, se for o caso, não tenho dúvida.

Renato
Renato
5 meses atrás
Responder para  Ubiratan (Black)

Podia pegar a Ostapenko de novo,pra tirar o carma….o ruim é que apesar de a Bia estar numa boa fase, a letã esta voando (joga muito de QQ forma).

Ubiratan (Black)
5 meses atrás
Responder para  Renato

Não sei se você falou da Azarenka pegar Ostapenko novamente ou, pelo que disse depois, se é pra Bia pegar. Se for Bia eu também prefiro, que seja ela a pegar Ostapenko e tirar a zica vencendo, finalmente.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 meses atrás

Era um duelo direto pelo TOP 13 , e Bia tinha que fazer mais nas devoluções do mediano Serviço de Kasatkina. Além de cair no Ranking ( agora TOP 14 ) , perdeu chance de voltar ao TOP 12 contra uma oponente totalmente bativel . Essa de Medvedev não ir defender seu título em Roterdã alegando cansaço não cola rs . Fez FINAL em 2023 exatamente contra SINNER . Vai perder 500 pontos e chance boa de entregar o TOP 3 para o jovem Italiano caso este leve o Título … Abs!

Alecsa
Alecsa
5 meses atrás

Pode se ter essa visão, mas ainda sinto que a parte mental ainda pega a Bia de surpresa e destrói suas chances de vitorias mais simples ou mesmo de evitar derrotas como ade ontem. Quando ela está focada e com bolas favoráveis ao jogo dela (elite tropheu é prova disso porque a bola tava rápida e destruidora) e ela dominou geral, a própria Daria sentiu na pele, mas quando as condições ficam contrárias ela se perde, aí entra a variação que falta pra Bia. Digo na opinião de leiga apreciadora…. Mas foi o trunfo da russa… Quando a pancada não resolvia, ia para o slice modulação a bola forçando o erro da Bia…. Quanto mais rápida a quadra melhor pra Bia, quando a bola tá lenta ela sofre… E não precisava ser assim… Mas sempre torço por ela.. fico feliz como eu tivesse ganho com a vitória dela…. E fico assim como tô agora
Porque ela realmente teve chance de ir pra final. Mas seguimos adiante que semana que vem já tem torneio pra torcer de novo… Espero que ela se recupere

Paulo A.
Paulo A.
5 meses atrás

É impressionante o espírito de luta da Bia! Ela deixa tudo em quadra; o mental dela melhorou muito embora, é claro, ainda tenha lapsos de concentração e desperdice algumas cruciais oportunidades. Ainda acho o jogo dela muito formatado para o saibro, com muito topspin e longas trocas de bola, algumas bem previsíveis, mas que bom que ela tem procurado alternativas como slices e subidas à rede, além de curtinhas. Bia é gigante.

Andrade
Andrade
5 meses atrás

Semifinal é sempre um bom resultado. Bia não é Iga Swiatek, a brasileira não irá vencer com folga as suas partidas, no atual ranking todos os jogos serão sempre disputados, desde a primeira rodada, por isso não acho o fim do mundo quando ela perde nas rodadas iniciais e muito menos quando chega a uma semifinal. Eu acredito que nossa Bia tem jogo pra se manter no Top 20. É muito bom ver uma tenista brasileira disputando os melhores torneios do mundo e com chances de avançar muitas rodadas. Obrigado Bia!

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
5 meses atrás

Acho que Bia sofreu muito pelo desgaste, mas teve suas chances, e infelizmente, as desperdiçou, sem contar a péssima atuação no tie break. Uma coisa que me chamou atenção no jogo, e essa é uma opinião muito pessoal, particularmente, não gosto quando a(o) tenista ri do próprio erro. Sinceramente, acho que o erro tem que ser zerado, e não pode abalar ou interferir no ponto seguinte, mas, sempre deve doer. Bia riu do próprio erro várias vezes, o que também comprova que em muitos momentos importantes, cometeu erros bobos. falta de fato maior variação de jogo, e é notório evolução em vários quesitos no seu jogo. Mas, ainda é muito ruim na rede, e em bola curta, seu saque tem que melhorar muito (é uma das mais altas do circuito), e sua devolução, principalmente de backhand é muito irregular. Acabou deixando Stefani na mão (culpa de quem faz dupla, com jogadora de simples que tem lastro para ir longe). Mas, essa é a BIA, jamais será a tenista. mais técnica ou a ais inteligente taticamente, seu jogo não tem plano B e nos resta aceitá-la como ela é. Vamos em frente, esta semana já tem mais um novo desafio…

André Aguiar
André Aguiar
5 meses atrás
Responder para  Antônio Luiz Júnior

Confesso que também acho esquisito aqueles risos da Bia em quadra, sobretudo quando perde o ponto. Se não for de nervoso, denota falta de concentração, ou pior, falta de ambição em passar à final, uma vez que já tinha defendido os pontos do ano passado. No jogo anterior contra a Jabeur, ela pareceu bem mais compenetrada.

Vanessa
Vanessa
5 meses atrás
Responder para  André Aguiar

Eu vejo esses risos como uma forma de aceitar “melhor” o erro, visto que logo em seguida ela fala algo como: “Vamos”; “Tá certo, vamos”. Como de estivesse tentando tirar da mente o mais rápido possível o erro, se perdoar e seguir em frente na partida (Ela se motiva em seguida) Quantas vezes já não vimos jogadores (as) que não se perdoam de um erro bobo, se preocupam demais com ele, perdem o foco e, por consequência, a partida?

André Aguiar
André Aguiar
4 meses atrás
Responder para  Vanessa

Não discordo disso. Só acho que tem jogo em que, não sei por que, ela exagera nas caras e bocas. Lembro do mesmo comportamento em um outro jogo duro e longo contra a ucraniana Kalinina em Roma no ano passado. Naquela oportunidade, deu até para ouvir uma reprimenda do Paciarone numa das trocas de lado: “você está muito teatral”.

Ubiratan (Black)
5 meses atrás

Sem dúvida ficou o desejo de quero mais diante das oportunidades que ela criou mas não confirmou.
Mas para mim do torneio o copo ficou quase cheio. Uma SF não é pra qualquer uma, e ainda chegou lá na pressão de quem tinha que defender os pontos e defendeu, pontos nada poucos. Cresceu ao longo do torneio, fazendo esses dois últimos jogos em grande nível contra adversárias do top 10 e 20.
Acrescentando sobre o momento atual de Bia e perspetivas futuras, mesmo depois de um grande resultado ainda tá caindo uma posição no ranking, ali colada na Kasatkina. Mas isso é só um detalhe no momento. Bia está se mantendo na faixa dos 3000 pontos, que por muitas vezes isso já daria no mínimo top 11. O sarrafo aumentou! era só do top 10 após subida da Zheng. Mas agora temos Bia como top 14 com ranking de top 10. O importante é que ela subiu seu sarrafo também. Na faixa do top 15 onde ela se manteve por muito tempo eram uns 2500-2600 pontos, o que mostra que Bia está bem acima do nível que ela sustentava ano passado. Na faixa do top 15 onde ela se manteve por muito tempo eram uns 2500-2600 pontos, o que mostra que Bia está bem acima do nível que ela sustentava ano passado. Na faixa do top 15 onde ela se manteve por muito tempo eram uns 2500-2600 pontos, o que mostra que Bia está bem acima do nível que ela sustentava ano passado. O importante é se manter nesse patamar no mínimo, mas tem tudo para subir alguns bons pontos de agora aos próximos meses. Tem 2 torneios de 1000 para terminar esse mês de Oriente Médio somando pontos. Tem 100 pontos agora, que não precisa mais QF, só oitavas mesmo, e nada depois em Dubai. Então, ela precisa fazer o dela, jogar bem em alguns dos torneios até Madri, que irá conseguir somar bons pontos para livrar parte do que virá em Roma e RG. E depois, como sabemos, até pelos problemas, Bia não somou muita coisa segundo semestre, então tem muito caminho livre para encher a cesta antes da perda do Elite.
Podia ser melhor de janeiro pra cá, mas balanço positivo até agora pelo crescimento de jogo e defesa de pontos, estes últimos principalmente que agora vai dar tranquilidade para ela jogar nos próximos meses.

Aurelio
Aurelio
5 meses atrás

Luisa teve a Ingrid como opção lá atrás e não quis. Pagou o preço. Muito justo.

Mais que isso, a Bia vinha carregando a dupla; a Luisa a cada 20 devoluções de saque só conseguia fazer 2 ou 3, o resto só furando ou espirrando para fora, pior que as meninas do júnior; estratégia previsível de ficar colada na rede 100% do tempo, tomando lob toda hora; sacando e subindo sempre apanhada com uma bola no pé na “terra-de-ninguém”.

Difícil porque fica evidente que a Luísa não faz esforço para melhorar seu jogo, só quer explorar o que já faz bem. O “técnico” (que mais parece um personagem de South Park) totalmente desqualificado e sem moral também não ajuda em nada.

Evaldo Moreira
5 meses atrás

Olha, não sei o teor correto das dores nas costas de BHM, e também, não vi comunicado nenhum do staff dela, a considerar que, a meu ver, esse calendário montado por ela, e toda a equipe, parece no minimo estranho.

Se uma competição é perta da outra, então o bom senso deveria falar mais alto, e para um calendário exigente da WTA, no minimo a atleta deveria preservar o fisico, e quando ocorre isso, já na metade da temporada, tem atletas, que ao não fazeram um calendário adequado, vão sofrer literalmente.

Não sei se repararam, mas não há um jogo da BHM, em que pese, não durou 1 hora, e todos passaram das 2 horas e ai vai, neste mesmo, apesar do bom fisico, ela ficou mais de 3 horas em quadra, e no outro então….e o resultado foi a desistência dela, e deixou a Luisa na mão, ou seja, semi-finais em simples e dupla, o que mostra que a BHM, está muito bem , no quesito fisico.

Já na segunda, BHM já vai estrear outra competição, pelo menos é o que mostra a matéria da tenisbrasil, se vai entrar em quadra, eis a questão e aguardar.

Band On The Run
Band On The Run
5 meses atrás

Dalcim, falando sobre o Brasil na Davis, já que a chance de sermos campeões é zero, vc num acha que deveria se valorizar quem lutou pela classificação do Brasil? Ou seja, Wild não ser convocado?
Se o Brasil tivesse alguma chance até poderia se debater sobre isso, mas não é o caso, então por uma questão até de honra, seria melhor o Wiild não ser convocado.

Sandra
Sandra
5 meses atrás

Dalcim, quem afinal ganhou o troféu de duplas de Abu Dabi ? Vi tanto walk over Que fiquei sem Faber !

Luiz Fernando
Luiz Fernando
5 meses atrás

Quatro jogadoras estão bem acima das demais: Iga, Aryna, Gauff e Ribakyna. Nos grandes eventos estas serão sempre favoritas, embora no feminino zebras sempre possam ocorrer…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
5 meses atrás

JOSÉ NILTON, aproveito o ensejo da matéria, para sugerir que você, e demais colaboradores desta casa, nos proporcione o prazer de declarar o que realmente esperam de Beatriz no futuro, em termos qualitativos e quantitativos, mas sem a influência nem sempre justa do ranking, e principalmente sem a patriotice alienada de costume. Pode ser?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
5 meses atrás

PAULO SÉRGIO, você acha que tanto Djokovic quanto Nadal e Federer estão errados, pelo fato do sérvio ter se comportado de forma no mínimo irresponsável a respeito das vacinas anti-covid, e pelo espanhol e o suíço terem associado seus nomes ao tênis saudita? Os três estão errados, é isso? Ou você está apenas aproveitando as escorregadas de Nadal e Federer, para passar pano a Djokovic, por suas cabeçadas no auge da pandemia?

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
5 meses atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Eu acho que deixei claro no meu comentário.
Cadê a coerência dos moralistas? Se é para condenar, condenem todos!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
5 meses atrás
Responder para  Paulo Sérgio

PAULO SÉRGIO, isso eu entendi, mas não ficou clara sua posição a respeito dos três, ou seja, você apenas questionou a falta de coerência dos moralistas da nossa confraria, sem, no entanto, se posicionar sobre as cabeçadas do sérvio, do espanhol e do suíço….

Última edição 5 meses atrás by Valmir da Silva Batista
Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
5 meses atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Ah entendi. Óbvio que sou contra a atitude dos três. Eu tenho dito na época que Djoko deveria ter tomado a vacina porque era uma atitude boba e que colocava o recorde de slam em risco, principalmente, depois de Nadal faturar os dois primeiros majors de 2022. No entanto, não vou deixar de torcer pelo Djoko por causa desse episódio e nem acho que sua atitude tire seus méritos como esportista. Avaliar alguém como pessoa só se eu conhecê-la pessoalmente e conviver por algum tempo.
O estranho são pessoas com discursinho moralista não se manifestarem quando seus queridinhos não criticam uma ditadura terrível, como a saudita.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
4 meses atrás
Responder para  Paulo Sérgio

PAULO SÉRGIO, compreendo e rezo pela mesma cartilha desprovida de hipocrisia. Detesto quando se faz uso de dois pesos e duas medidas, em se tratando de questão única a envolver pessoas diferentes, aliás, tal modus operandi é o prato preferido de muitos nesta confraria…

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
5 meses atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

*Eu disse na época que Djoko…

Bete Calazans
5 meses atrás

É fundamental lembrar que lesões são parte inevitável da prática esportiva e que devemos confiar na sinceridade dos jogadores, a menos que haja evidências concretas do contrário.

Evaldo Moreira
5 meses atrás

Juro pra vocês, que não implicância de minha parte, mas olha só que situação. Se não está em condições, não joga, é muito simples.

Não ficou em quadra, nem por 1:30 ? No mínimo não estava em condições de jogo , não vi ainda a pós entrevista da Bia, mas que é de uma falta de sensatez , isso sim , deve ser.

Pronto , falei , e pra variar, ela caiu mais uma posição no ranking, depois desta partida, vamos aguardar a real posição dela no ranking, e sobre a questão de jogar duplas, tá na hora né de decidir o que quer, pois já não dá mais .

Evaldo Moreira
5 meses atrás
Responder para  Evaldo Moreira

Agora, acabei de ver a materia: “á a vice-campeã do WTA 500 de Abu Dhabi no último domingo não teve vida longa em Doha. Menos de 24 horas após perder o título para a cazaque Elena Rybakina, a russa Daria Kasatkina voltou à quadra na capital do Qatar e não foi páreo para a compatriota Anastasia Pavlyuchenkova, que triunfou por 6/2 e 7/6 (7-2)”
Menos de 24 horas, que isso, ABSURDO, total, ao invés de descansar, e rumar para outro torneio, ela simplesmete vai e joga, e perde, depois vou o jogo para ver como foui a atuação dela, e da BHM também.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
5 meses atrás
Responder para  Evaldo Moreira

O staff da Bia ficaria honrado com a sua participação, envie seu currículo para:
Staffbiahaddad@nuncaserabomobastante.com.br

Evaldo Moreira
5 meses atrás
Responder para  Marcelo Costa

Envie você, se não entendeu a minha opinião, hahahaha

Evaldo Moreira
5 meses atrás

Boa noite,

Olha, eu vi nos principais sites, e vi no Instagram também, e a está 50 a 50 , uns condenam, outros criticam a Bia por ter jogado hoje. e ainda tem gente, como lá em baixo no meu coments, me mandando e-mail, dizendo que ficariam honrados, kkkkkkkkkkkkkkk, é muito infantil um sujeito desse.

Sempre que comento aqui, tento ser o mais imparcial possível, quando tenho que dizer que, não está correto, não está correto, quando tenho que dizer, show, top, vamos vamos, e assim por diante.

Não tenho culpa, se certos não compreendem o que tento dizer, pois de fato, volto a dizer que foi um erro, tanto da nossa Bia, quanto que, penso também, sobre a Daria Kasatkina, que foi outra que perdeu hoje.

Gente é simples, se teve dores nas costas, ou contusão, como alguns sites publicaram, o certo é a prudência, fato. Tem que descansar, avaliar e ver se realmente vale pena, e pelo visto, a Bia vai descer mais um degrau no ranking.

Volto a enaltecer os feitos brilhantes de Bia, mas na minha humilde opinião, em que pese, ela deveria ter pulado esse torneio.

Antônio
Antônio
5 meses atrás

Que vontade de rir… O copo que estava esvaziando-se está agora quase vazio. Pelo menos a premiação da WTA não pára de aumentar.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
4 meses atrás
Responder para  Antônio

Mas que coisa + ” engraçada “, hein? Só podia mesmo partir da sua pessoa uma coisa dessas. E não sei por que essa inquietação com a premiação da WTA. Porque é com ingressos e patrocínios… e não com o seu $$$.

Luis
Luis
5 meses atrás

Oi Dalcim, vou esta em Paris durante o Roland garros, sera que voce poderia me dizer onde seria melhor comprar tickets e se devo comprar tickets para a sessao diurna e noturna, tem uma que eh mais garantida de ver os melhores jogadores, meu filho eh fan do Nadal.. Obrigado

Luis
Luis
4 meses atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Obrigado Dalcim! E u e meu filho vamos curtir muito.
Se souber de algum lugar para comprar os tickets, por favor me avise. Muitos sites oferecem, mas não sei em qual confiar.

Marcelo Costa
Marcelo Costa
5 meses atrás

Meligeni escreveu um texto maravilhoso sobre os ataques sofridos a cada derrota da Bia, entre as mensagens de apoio, estavam Victoria, Sheila do vôlei, Pri daroit, entre tantas atletas que realmente sabem o que passa uma atleta nesse país misógino, ufanista e tomado por conhecedores do esporte.
Sugiro a leitura do texto creio que ela veio de quem realmente sabe, por ter estado lá, e até hoje comentar e por ter sido corroborado por quem é profissional do esporte.
Parafraseando uma das frases de apoio: ” Bia não se importe com quem te critica, você é meu farol “.

Edval Cardoso
5 meses atrás

Olá Dalcin
Eu estava vendo uns jogos do nosso Guga, me veio uma questão na cabeça. Vendo o back simples do manezinho, vc acha que ele teria as mesmas dificuldades que o Federer teve com o spin alto do Nadal na esquerda do suíço?

Última edição 5 meses atrás by Edval Cardoso
Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
5 meses atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Pois é, meu caro, mas STANIMAL fazia o contrário de Federer. Recuava bastante até pra receber, e apanhava do Touro no Saibro do mesmo jeito. Embora ambos tenham batido Djokovic em RG . Abs!

Sidney Rodrigues
Sidney Rodrigues
4 meses atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Sou e sempre fui fã de carteirinha do Guga, de quem até posso dizer que o conhecia, de tantos jogos que assisti, e de tantas conversas que tivemos (tenho até uma toalha de RG que ele me deu que guardo como troféu. Ao contrário de Federer, que gostava de bola da cintura pra baixo, Guga gostava de bola alta na esquerda, porque, com sua empunhadura, devolvia na diagonal, quase pondo o adversário pra fora da quadra, pra depois matar o ponto na paralela . Tenho certeza absoluta que, se Guga continuasse jogando em plena forma física, Nadal teria menos RGs e Federer menos USOpen.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 meses atrás
Responder para  Edval Cardoso

O Dalcim mais abaixo citou a possibilidade do contragolpe, caro Edval . Mas seria interessante ver também, o Miúra se virando com os mísseis do Manezinho de Backhand devastador, exatamente no Back do Canhoto rs . Abs!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
4 meses atrás

Estamos bem, Wild, Monteiro, meu Deus…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
4 meses atrás
Responder para  Luiz Fernando

BE ATRIZ…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 meses atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Não tenho como não concordar com ambos!

Eduardo Sterblitch
Eduardo Sterblitch
4 meses atrás

Dalcim, em relação ao s canadenses, Shapovalov e Aliassime, bom, o primeiro, com 24 anos, já podemos dizer que é uma decepção total, já Aliassime até que é uma decepção também, mas ao menos fez coisas mais relevantes.
Pois bem, fui ver o H2H de Aliassime contra Rublev, mas isso é o menos relevante, oq aconteceu foi que fiquei com a sensação de que estava vendo mais ou menos um jogador nível Ferrer, no caso, Rublev, contra um jogador nível Almagro, no caso Aliassime, porém no início a sensação era bem diferente em relação aos dois, eu via o canadense até com chances de ser maior que Ferrer, e via o russo talvez como um cara que flutuasse no top 10, mas que fosse mais um cara de top 20, hoje vemos que o russo tem quase que um imóvel no top 10 de tanto tempo q tá lá e parece que o canadense tem uma casa de praia no top 10, onde vai de vez em quando, mas oq fico na dúvida é oq fez com que as coisas chegassem a esse ponto? Pq Rublev se tornou tão maior q Aliassime quando na verdade o certo seria justamente o contrário, ao menos eram essas as expectativas?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
4 meses atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Eu acho que atribuir totais créditos ao treinador de determinado tenista é incoerente.
O protagonista, o talento, a força física e mental é e sempre será o tenista.
Pode até acontecer um caso raro em que o treinador tenha sido a peça fundamental.
Veja Federer, que teve vários treinadores, mais até que Nadal e Djokovic, porém, sendo vencedor sempre.
O que quero dizer com tudo isso é que tenho para mim, que se tio Tony não tivesse sido o treinador de Rafael Nadal, não teria sido o Tio Tony que o mundo todo conhece. Não fez nem cosquinhas com o Félix.

Evaldo Moreira
4 meses atrás

Como tem gente tosca, e que não aceita os comentários que são feitos, e além do mais, só sabem ver, no caso, as vitórias, e quando há derrotas, não aceitam as colocações devidas e/ou , ficam se doendo por causa das críticas que são feitas.

Ninguém aqui, deseja o pior para as pessoas, e muito menos diminuir os feitos, aqui e acolá…as pessoas precisam ler, ler e ler de novo, se não entendeu, leiam de novo para não passar vergonha, kkkkkkk.

Agora vou acompanhar a gira do saibro sulamericano, e após esse, vem o Rio Open, show show, e nessa semana teremos bons jogos, e gostaria de muito que Stan W ganhasse esse torneio, o cara merece.

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
4 meses atrás

A Bia de longe é a melhor tenista feminina brasileira da era aberta, e da história só perde para a Maria Esther Bueno. Já fez muito para nossos padrões. Mas não vejo ela ganhando Grand Slam. Ela alonga muito seus jogos, o que acaba comprometendo seu estado físico, e ganhar 7 jogos seguidos em duas semanas fica díficil. Outro ponto é que ela teria que acertar tudo nessas 2 semanas pelo estilo de jogo pancadaria. Não acho que nessa altura do campeonato ela conseguirá mudar muito seu jogo. Ela até pode beliscar um top 10 aqui e acolá.
O Wild infelizmente não vai conseguir muito mais do que ele tem feito, irá ganhar de um ou outro jogador top 10 mas não tem constância e nem concentração para seguir nos grandes torneios. Pode ser que ele ganhe mais um ou dois ATPs , mas só se for agraciado com um mental estável durante uma semana inteira. Espero estar errado e vê lo galgando dezenas de posições.
Agora quem chegará lá e será uma grande campeã, ganhando Slams e provavelmente tendo grandes chances de ser a número um do mundo é a Victória Barros. E não adianta vir com aquela conversinha que é cedo para falar alguma coisa, que é colocar muita pressão na menina.

Andre Bacelar
Andre Bacelar
4 meses atrás

Dalcim, você acha que já poderia fazer uma avaliação de uma nova fase do Wild. O cara foi treinar na Argentina, certo? Acho estranho que o mental dele ainda esteja tão ruim a ponto de perder 7 primeiras rodadas.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
4 meses atrás

Nadal adiou a volta. Já vi este filme antes. Ano passado. Espero que daqui pra frente o andamento seja diferente.
Um outro fato + triste ainda, embora não tenha a ver com tênis, foi o acidente de carro do Kelvin Kiptum, recordista mundial da maratona, que veio a falecer aos 24 anos.
O pai pediu investigação sobre o acidente.
Que Deus o acolha.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Nadal vai comparecer aos MASTERS Norte-Americanos e depois a Gira de Saibro , segundo Moya . Interessante o que ele disse sobre Djokovic e Alcaraz. Vale dar uma conferida. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
4 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Pois é, Sr. SR. Nadal disse pela SEGUNDA VEZ que Djoko é o GOAT; a outra eu até publiquei aqui.

Se o concorrente mais próximo na corrida diz isso, não há mais o que contestar.

Rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 meses atrás
Responder para  Paulo Almeida

Concorrente mais próximo? Jura ??? . Não é bem isso que pensa o Mundo do Tênis, diferentemente da Turminha de fanáticos da Kombi ( não todos rs ) . A importância do Piloto e seus seguidores aí sim é incontestável… Rsrsrs, Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
4 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Mundo do tênis = Sérgio Ribeiro, RODRIGO e Gilvan kkkk

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
4 meses atrás
Responder para  Maurício Luís *

Com o que disse hoje , pode apagar o que Moya mandou semana passada, caro Maurício. Não dá pra garantir coisa alguma a não ser a possível aposentadoria ao FINAL da temporada. Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
4 meses atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

É verdade. Nadal está beeem reticente quanto ao futuro. Nunca gostei do jogo abaloado dele, mas faz falta principalmente pra oferecer oposição ao Nole em RG. E agora, acho que nem isso.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon