PLACAR

Collins chega à 3ª final do ano, volta ao top 10 e enfrenta Keys

Foto: Chryslėne Caillaud/Internationaux de Strasbourg

Estrasburgo (França) – A temporada de despedida de Danielle Collins do circuito profissional segue com resultados positivos. Campeã do WTA 1000 de Miami em março e do 500 de Charleston em abril, a norte-americana de 30 anos e número 12 do mundo garantiu vaga também na final do WTA 500 de Estrasburgo, no saibro francês. Ela superou nesta sexta-feira a Anhelina Kalinina, 56ª do ranking, por 7/6 (7-3) e 6/2.

Ex-número 7 do mundo e finalista do Australian Open de 2022, Collins tem quatro títulos no circuito e disputará a sexta final da carreira. Ela também voltará ao top 10 do ranking, ultrapassando Jeļena Ostapenko e Daria Kasatkina. E na corrida para o Finals, que considera apenas os resultados de 2024, ocupa a quarta posição.

“Eu estava animada para vir jogar aqui depois de Roma. Fiz ótimas partidas nesta temporada de saibro e enfrentei adversárias difíceis”, disse Collins, que vinha de uma semifinal no WTA 1000 de Roma, onde foi superada pela vice-líder do ranking Aryna Sabalenka.

Kalinina havia derrotado Vondrousova pela manhã

A norte-americana lembrou ainda que Kalinina teve que disputar uma rodada dupla, por conta da chuva no dia anterior. Mais cedo, a ucraniana eliminou a tcheca Marketa Vondrousova, principal cabeça de chave e número 6 do mundo, por 5/7, 6/3 e 6/2. Foi sua quinta vitória contra top 10 na carreira e a segunda na temporada.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Foi um jogo difícil e senti pena dela hoje, por ter que jogar duas partidas no mesmo dia… Acho que ela se saiu muito bem, estava se movimentando bem e fazendo bons golpes”, avaliou Collins. “Mas no final, acredito que o cansaço começou a aumentar um pouco. É triste quando isso acontece, porque ela fez um ótimo torneio”.

Keys tenta confirmar boa fase no saibro com um título

Adversária de Collins na decisão deste sábado às 10h (de Brasília), Madison Keys superou nesta sexta-feira a russa Liudmila Samsonova por 6/1 e 6/3 em apenas 1h17 de partida. As duas finalistas já se enfrentaram duas vezes, em 2018 e 2020, com uma vitória para cada lado.

Keys tenta coroar o bom momento no saibro europeu com título. Ela de 29 anos e atual 16ª do ranking chegou à semifinal de Madri e às quartas em Roma nas últimas semanas, sendo superada apenas pela número 1 do mundo Iga Swiatek em ambos os torneios. A norte-americana tem sete títulos no circuito, o mais recente na grama de Eastbourne no ano passado, e disputará a 13ª final da carreira.

7 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Rodrigo
Rodrigo
26 dias atrás

Que fase da Collins. E o tenis feminino é uma gangorra mesmo, Samsonova atropelou a Bia e no dia seguinte é atropelada pela Keys.

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
26 dias atrás
Responder para  Rodrigo

Como sexa Keys fosse uma jogadora mediana. Que comparação

Rodrigo
Rodrigo
26 dias atrás
Responder para  DENNIS SILVA

Vc entendeu completamente errado, eu disse da instabilidade do tênis feminino, completamente errado sua interpretação.

James Garcia
James Garcia
26 dias atrás
Responder para  Rodrigo

A única coisa que não é gangorra é a consistência da Bia em perder todas

Rodrigo
Rodrigo
26 dias atrás
Responder para  James Garcia

Nem todas, pelo menos a primeira rodada ela passa rsrs

Fernando S P
Fernando S P
26 dias atrás
Responder para  Rodrigo

Relembrando que ela chegou às QF neste torneio, ou seja, na terceira rodada.

João Sawao ando
João Sawao ando
26 dias atrás

Torcendo pela collins

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Alcaraz e Murray: treino entre campeões em Queen's

Os melhores lances da campeã Boulter na grama de Nottingham

PUBLICIDADE