PLACAR

Campeãs no Chile superam Laura e Ingrid na estreia em Floripa

Foto: Cristiano Andujar

Florianópolis (SC) – A parceria de Laura Pigossi e Ingrid Martins se despediu ainda na rodada de estreia do WTA 125 de Florianópolis. As brasileiras foram superadas nesta quinta-feira pela alemã Julia Lohoff e a suíça Conny Perrin, que vinham de título em Colina, no Chile, na última semana. Lohoff e Perrin levaram a melhor com parciais de 7/6 (9-7), 4/6 e 10-7 em 1h46 de partida.

Pigossi e Ingrid chegaram a ter dois set-points no tiebreak da primeira parcial, mas permitiram a reação das adversárias. No segundo set, as brasileiras conseguiram três quebras. Mas no terceiro, Lohoff e Perrin não perderam pontos no saque. As algozes agora podem enfrentar a russa Amina Anshba e a norte-americana Quinn Gleason, principais cabeças de chave, ou a argentina Maria Lourdes Carle e a grega Despina Papamichail.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

“Foi um jogo duro de primeira rodada. As meninas vinham com bastante confiança, foram campeãs semana passada no Chile. Mesmo assim, tivemos muitas chances e perdemos algumas delas nos pequenos detalhes. Alguns games tivemos 40-30 e também tivemos duas bolas para quebrar. Essas coisas tornam o jogo diferente. Feliz de jogar mais uma semana com a Ingrid. Nós, brasileiras, estamos com um time muito forte. Isso que é importante”, disse Laura Pigossi após a partida.

Ingrid acrescentou: “Foi ponto a ponto e perdemos oportunidades no primeiro set que fizeram a diferença. No segundo set conseguimos aproveitar, mas os pontos mais importantes acabaram caindo pro lado delas e isso fez a diferença”.

Laura Pigossi segue para Buenos Aires, Ingrid encerra a temporada
Paulista de 29 anos e atual 138ª colocada no ranking de simples, Pigossi ainda jogará mais um torneio na temporada. Ela segue para Buenos Aires na próxima semana, onde jogará um novo WTA 125, tentando se reaproximar do top 100 e da vaga no Australian Open de 2024. “Agora é focar na próxima semana, que é a última para a Austrália. Talvez eu saia de cabeça de chave lá. Aqui em Floripa fiquei a cinco pontos para não ser cabeça. Tenho que focar no que venho fazendo e fazer os ajustes para ir melhor na próxima semana”.

Para Ingrid, o torneio em Florianópolis foi o último numa temporada marcada por feitos inéditos. A carioca de 27 anos conquistou seu primeiro WTA 250 na grama de Bad Homburg, chegou ao top 50 no ranking de duplas e conseguiu suas primeiras vitórias em Grand Slam, em Roland Garros e Wimbledon. No fim do ano, também foi semifinalista do WTA 1000 de Pequim, junto com Luísa Stefani.

“Fechar o ano com a derrota é meio amargo, mas faz parte, esse é o tênis, mas olho para trás e vejo toda a temporada e ver todos os caminhos que percorri, as etapas que passei e ver o trabalho. Foi muito positivo, isso me dá mais força e motivação para conseguir mais ainda no ano que vem”.

 

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Paulo A.
Paulo A.
2 meses atrás

Deu (muito) ruim esse torneios para as nossas guerreiras. Vamos ao próximo.

Jorge Luiz
Jorge Luiz
2 meses atrás

Meu Deus

Luiz
Luiz
2 meses atrás

Nenhuma destas brasileiras tem nível para um 125

DENNIS SILVA
DENNIS SILVA
2 meses atrás
Responder para  Luiz

Concordo. Quando ganha é um ponto fora da curva.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE