PLACAR

Cahill pede ‘ranking protegido’ para caso de Moore

WTA

Londres (Inglaterra) – Diante do anúncio da ITIA de que houve falha na punição por doping em caso acontecido em 2021, o australiano Darren Cahill, atual técnico de Jannik Sinner, pediu providências da WTA para o caso da britânica Tara Moore.

“Tara irá precisar de 18 a 24 meses para recuperar seu ranking se tudo acontecer de forma perfeita. Tênis é um esporte diferenciado em que você fica zerado depois de 12 meses”, escreveu ele, referindo-se ao sistema de classificação.

“A WTA precisa recuperar seu ranking ou ao menos providenciar um ranking provisório”, exigiu o treinador, referindo-se à regra do ‘ranking protegido’, em que se calcula a média de ranking de um tenista contundido nos três primeiros meses para seu eventual retorno.

Outro a se pronunciar foi o australiano John Millman, para quem a entidade precisa dar recompensa financeira diante das eventuais perdas ocorridas.

Moore foi uma das jogadoras que ficou afastada 19 meses das competições por um ‘falso positivo’ de dopagem, ao lado da chilena Barbara Gatica. A ITIA chegou ao veredito final dias atrás e reconheceu que o caso se deu por contaminação de comida.

A britânica se pronunciou nas suas redes sociais, lembrando de todo o tempo e reputação perdidos.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE