PLACAR

Bia perde outra para Pavlyuchenkova e cai na estreia

Foto: China Open

Adelaide (Austrália) – Vinda do qualificatório com ótimas vitórias, a russa Anastasia Pavlyuchenkova manteve o embalo e derrotou a paulista Beatriz Haddad Maia na primeira rodada da chave principal do WTA 500 de Adelaide. A brasileira não conseguiu fazer valer a condição de cabeça de chave 5 nesta segunda-feira e caiu em sets diretos, com o placar final de 6/3 e 6/4.

Esta é a segunda derrota de Bia em três jogos na temporada e também a segunda contra Pavlyuchenkova, que havia levado a melhor na única vez que se cruzaram antes, ano passado em Hong Kong. A russa terá pela frente uma rival tcheca, encarando a vencedora do duelo de compatriotas entre Katerina Siniakova e Karolina Pliskova.

A canhota paulista não estava em um dia inspirado com o saque, até conseguiu anotar os mesmos quatro aces da rival, mas teve aproveitamento de apenas 54% e sofreu três quebras. Do outro lado, Pavlyuchenkova faturou 68% dos pontos de serviço e só foi quebrada uma vez.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Mesmo com trabalho para confirmar os games de serviço, Bia foi mais firme no primeiro set e cedeu apenas um break-point, sofrendo a quebra no quarto game. Ela teve a chance de devolver o break na sequência, mas não aproveitou a chance. Com 71% de aproveitamento no saque, Pavlyuchenkova administrou bem a vantagem até o fim e abriu 1 a 0.

Na segunda parcial, a russa começou quebrando, mas no game seguinte a canhota paulista deixou tudo igual. Em desvantagem no placar, Bia não conseguiu pressionar a rival e acabou sendo pressionada, perdeu o serviço no quinto game e no nono salvou três match-points com o saque. Pavlyuchenkova se manteve firme em quadra e selou a vitória em seguida.

Bia tem como próximo compromisso em simples o Australian Open, onde nunca passou da segunda rodada. No ano passado ela caiu na estreia, derrotada pela espanhola Nuria Parrizas. Em 2022, 2019 e 2018 venceu um jogo e perdeu logo depois. Nas duplas, ela joga Adelaide com a norte-americana Taylor Townsend, cabeças de chave número 3, enfrentando a russa Alexandra Panova e a norte-americana Alycia Parks.

31 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Leo
Leo
1 mês atrás

Pelo jeito, o finals B foi só ilusão…
De volta pra realidade de bolas centralizadas e derrotas para jogadoras de ranking baixo

Marco Aurélio Fernandes Galduróz Filho
Marco Aurélio Fernandes Galduróz Filho
1 mês atrás

Foi um atropelo e um samba de uma nota só. Sempre me preocupa ewee tipo de atuação, muito mais do que o resultado.

Nico
Nico
1 mês atrás

Uma pena, a adversaria tava inspirada, acertando tudo.

Wallace
Wallace
1 mês atrás
Responder para  Nico

Sim, mas o caminho era afundar na esquerda. Insistiu na direita e tomou uma sacolada de winner. Fora a devolução que estava abaixo da crítica.

Nelson Freire
Nelson Freire
1 mês atrás

Infelizmente ela foi vencida hoje. A adversária jogou muito melhor. Problemas de movimentação da Bia, facilitaram o trabalho da Pavlyuchenkova. Realmente nada boa a partida de hoje da Bia. Tem que analisar bem a fundo essa derrota junto com sua equipe. Ainda bem que na foi no Ausopen

Wallace
Wallace
1 mês atrás
Responder para  Nelson Freire

Como piorou as pernas em relação ao elite trophy. Sem contar a devolução de top 300!?

Celio
Celio
1 mês atrás

Acho louvavel a Bia estar no posto 11 do ranking, realmente é para poucos, mas seu desempenho em GS é bem abaixo do que esse ranking mostra, exceto talvez em Roland Garros. A sua declaração no começo deste ano de que acha plenamente possivel ganhar um GS e ser a numero um foi infeliz, pois isso induz ao publico uma grande expectativa, o que não é bom para ela, cria uma carga maior de responsabilidade. Vejo seu jogo atual muito abaixo de uma Swiatek, Sabalenka,Rybakina, Gauff, pois elas em grandes torneios passam tranquilamente nas primeiras rodadas o que não ocorre com a Bia. Mas ainda assim é um grande feito.

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Celio

Mas o jogo dela só é abaixo dessas 4 mesmo, ela tá no bolo logo abaixo. Teoricamente ela pode ser #5 do mundo. E Slam é tiro curto se até abilolados como Gáudio e Raducanu ganharam, pq a Bia não pode?

André Aguiar
André Aguiar
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Discordo. Acho que o atual nível de jogo da Bia está abaixo também do da Pegula, Jabeur, Muchova, Krejcikova, Ostapenko e Kvitova. Não quer dizer que não possa ganhar destas, como aliás já ganhou de algumas, incluindo a Swiatek. Mas em cinco jogos, acho que ganha apenas um.

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  André Aguiar

Não concordo, ela está nesse bolo aí. Semanas melhor que elas, semanas pior, mas está nesse bolo.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

ela não tem a cabeça forte pra estar nesse “bolo” cara , ela tem “momentos” , (alguns jogos) mas não tem regularidade e sem isso não da , simples assim.

Fernando S
Fernando S
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Não entendi o tiro curto, já que precisa vencer sete partidas para alcançar o título.

André Borges
André Borges
1 mês atrás
Responder para  Fernando S

Tiro curto (duas semanas de alto nivel) em relação a ser #1 onde vc precisa de regularidade em 53 semanas.

Fernando S P
Fernando S P
1 mês atrás
Responder para  Celio

Existem sites que calculam os pontos obtidos em cada tipo de torneio. A posição da Bia coincide com seu ranking em grandes torneios.

Ubiratan (Black)
1 mês atrás

Não deu, o jogo não entrou, ficou difícil e faltou aproveitar as poucas oportunidades.
Esse é a situação que ninguém espera e nem quer. A sensação de ser eliminada na primeira rodada deve ser péssima. Já é para quem assiste, imagine para quem perdeu.
Agora é a história de sempre, próxima semana tem uma nova oportunidade para escrever um final diferente. Ver os erros, treinar, melhorar e seguir pro AO com a confiança renovada.
Até para isso é bom seguir com pelo menos duas vitórias nas duplas para voltar com a sensação de algo dando certo. E se manter dentro de quadra na pressão, tendo que confirmar game difícil, salvar BP, quebrar os adversários, sacar e devolver com o game no limite e reverter.
Vamos lá, Bia!! vencer e ter alegrias nas duplas e levar próxima semana na simples.

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

Bia apresentando o msm problema de sempre: um saque q simplesmente n machuca nem próximo doq deveria pela envergadura dela..
Sem esse diferencial(que a BR deveria ter), qlqr jogo contra adversárias com a mão pesada vira essa trocação franca imprevisível..
N foi um jogo ruim da Bia, a Russa tá longe de ser fraca mas, é frustrante sim a impressão q passa q a Brasileira e o seu estafe simplesmente n veem esse gargalo óbvio no seu jogo..

Márcio
Márcio
1 mês atrás

A russa além de ser uma excelente tenista veio motivada pelas vitórias do qualy, ficou difícil pra Bia. Espero que no AO seja outra história.

andré
andré
1 mês atrás

Essa russa tem um jogo enjoado contra a Bia, se jogasse assim todas as partidas estaria numa posição muito melhor. Ela gosta das bolas baixas bem cruzadas, tanto forehand quanto backhand, acertando num ponto fraco da brasileira que é a movimentação lateral. Quando tem um índice de acerto elevado, daí complica. Jogos assim não tem tanto o que reclamar, Bia teve pouquíssimas brechas…

Ivan
Ivan
1 mês atrás

No último game do jogo, quando a russa empatou em 15 x 15, a Bia tornou a cometer um velho erro que sempre comete nessas partidas contra boas jogadoras, passou a mandar bolas simples no meio, ao invés de angular e criar dificuldades, permitindo à russa mandar no ponto. Ali poderia ter feito 0 x 30, o que poderia mudar a história do jogo. Agora é focar no AO.

Eduardo
Eduardo
1 mês atrás

Estranho seria se vencesse. rs
H2H 2×0 pra Russa.
Normal aqui!

Paulo A.
Paulo A.
1 mês atrás

Incrível como jogou bem a russa! Bia lutou muito, como sempre, mas era o dia da adversária e não houve o qie fazer. Lamentável mas é seguir em frente…

Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
1 mês atrás

Sem comentários, vai ter que se re-inventar pra top 10. Ou top20 ou 15 é seu limite.

Leo
Leo
1 mês atrás

Alguns dos velhos problemas continuam, como saque que não machuca como deveria, movimentação ruim, bolas centralizadas e falta de variação ou um plano B.
O problema foi aquele inesperado Elite. Daí pensaram que estava tudo bem no jogo dela e ela comecou a pensar em slam e numero 1. Será um ano de muito sofrimento para os torcedores…

Luiz Eduardo
Luiz Eduardo
1 mês atrás

Imagino o quanto a Bia esteja frustrada com esse resultado, perder na primeira rodada para uma qualifier nao creio que estivesse nos planos dela. Bia foi pra trocação quando a russa estava com mais peso de bola, mais precisao e por incrivel que pareca melhor movimentacao, parece que faltou um plano B alem de enfiar a mao na bola. Com esse percentual de saque tera muitas dificuldades, ela ja sacou melhor no ano passado. Tempo para esses ajustes para o AO.

André Aguiar
André Aguiar
1 mês atrás
Responder para  Luiz Eduardo

O percentual de acerto do primeiro saque não foi ruim (76%), sendo até superior ao da adversária (73%). O problema é que o saque da brasileira não machuca. Tanto que o percentual de pontos ganhos com o primeiro saque foi de apenas 56%, contra 71% da russa.

Luis Ricardo
Luis Ricardo
1 mês atrás
Responder para  Luiz Eduardo

não faltou o plano B , ela “não tem” plano B , nunca teve…..simples assim

GUSTAVO BELOFARDI
GUSTAVO BELOFARDI
1 mês atrás

entra ano e sai ano é a mesma coisa
Muita pancadaria é 0 variação de jogo. Qualquer atleta que enfrentar a Bia e perceber isso, tende a conseguir vence-la. Ou ela muda um pouco essa postura de só pancadaria e jogar só com o coração, ou não vai conseguir evoluir mais no ranking.

luiz
luiz
1 mês atrás

Bom dia. ja disse e a teimosia continua. Todos e todas top10 , depois de um certo tempo contratavam tecnicos ex tenistas que foram top 30/20/10. O momento da Bia é um tecnico que a ensine a ganhar jogo. Foi isso que a Halep fez na final ano passado em Cincinatti. ganhou o jogo e jogando no backhand que sabemos é o lado mais fraco. Mas segue a bola amarela

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
1 mês atrás

Foi o terceiro jogo da Bia no ano. O resultado foi o contrário do esperado mas não dá pra fazer nenhuma projeção para o ano com base em três jogos. Acredito que a Bia e equipe tenham feito as avaliações necessárias pra buscar a melhora para os próximos torneios.

Ubiratan (Black)
1 mês atrás

Pois é! é analisar os erros e as dificuldades criadas. Mas ao contrário dos do contra, o top 10 está logo ali. Vão ter que sofrer procurando sempre um novo limite para Bia. E como Bia não vai deixar de perder então é só ficar de boca aberta que ela vai estar soltando restos lá de cima.
Agora do lado de cá é torcer para a redução de danos. Que caia pouco no ranking, só uma posição de preferência, que é o caso pra Ostapenko. O outro maior perigo é a Samsonova que pegou o melhor quadrante e precisaria avançar só duas rodadas. Se passar pela Siegemund terá nas oitavas a LL que perdeu pra Pavlyuchenkova no quali. Numa possível quartas já não terá Krejcikova que perdeu logo após Bia. Aí talvez pegue a Kasatkina. As demais que teriam que chegar na final, teoricamente pegariam Ribakina e Pegula nas semi. Que sejam ótimos jogos para se assistir mas que as principais cabeças levem.
É o que tem pra hoje! queria estar torcendo pra Bia, e suas concorrentes que se virassem e nos encontrassemos mais na frente, o que quero sempre. Mas agora é redução de danos.

André Barcellos
André Barcellos
1 mês atrás

Acho que Bia podia tirar eventualmente o spin das bolas nas quadras rápidas. Ela joga com muito top spin e isso é uma qualidade. Mas para jogadoras agressivas e com poder de fogo essas bolas ficam no jeito pra adversária mexer ela. A não ser que tivesse aqueeeele spin do Nadal, o que não é o caso. No fim do jogo a russa errou duas bolas baixas e rápidas no meio da rede, no mesmo game, mas Bia não percebeu. E não cacifou.
Fora isso, um azar ser uma adversária em franca ascensão no ranking, se recuperando de lesão há algum tempo e que teve boas vitórias no quali. Uma oponente indigesta pra primeira rodada.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Karlovic oficializa aposentadoria e recebe homenagem da ATP

O melhor duelo entre Djokovic e Murray? Reveja Qatar em 2017

PUBLICIDADE