PLACAR

Bia: “Feliz com minha mentalidade em quadra”

Foto: Bad Homburg Open

Bad Homburg (Alemanha) – Depois de vencer sua partida de estreia no WTA 500 de Bad Homburg, Beatriz Haddad Maia falou sobre sobre a vitória sobre a alemã Tamara Korpatsch. Ela avalia de forma positiva a mentalidade que teve em quadra, especialmente depois de ter passado por alguns momentos de oscilação no segundo set. Foram necessários oito match-points para que conseguisse fechar o jogo e ela fica feliz por ter se mantido positiva e sem se frustrar pelas chances perdidas.

“Feliz com minha mentalidade em quadra. Eu vinha de uma derrota na primeira rodada na semana passada e sabia que teria que lutar um pouco comigo mesma e estou muito feliz com a forma como lidei com tudo isso e não desisti”, disse Bia, após a vitória por 6/1 e 7/6 (8-6) em 2h06 de partida nesta segunda-feira.

“O jogo na grama pode mudar muito rápido e você não pode hesitar e nem pensar muito no que aconteceu. Eu estava com 6-2 no tiebreak do segundo set, estava pronta para sacar. E acho que qualquer pessoa que joga tênis sabe como é esse esporte. Estou muito orgulhosa de mim mesma porque tive muitas chances de ficar frustrada, mas consegui me manter positiva”, avaliou a número 1 do Brasil e 20ª do mundo.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Houve uma paralisação na partida depois que uma espectadora passou mal nas arquibancadas. E isso aconteceu exatamente no momento em que Bia tinha um dos match-points a favor no tiebreak do segundo set. “A saúde é a coisa mais importante na vida, não é legal ver um momento como aquele, com uma pessoa passando mal. Espero que fique tudo bem com ela. Estava muito quente hoje, agradeço a todos que puderam vir, não era fácil. E espero que na próxima rodada possam torcer por mim”.

O próximo jogo de Bia no torneio será apenas na quarta-feira, quando ela enfrenta a russa Anna Blinkova, 66ª do ranking, que bateu a canadense Bianca Andreescu por 6/4 e 6/2. A brasileira venceu os quatro três anteriores entre elas. “Ela é uma amiga e uma jogadora que luta muito, tem bastante experiência e sabe enfrentar as melhores. A quadra de grama é um ambiente perigoso e vou tentar ser disciplinada, como fui hoje, e lutar por cada ponto”.

Escolha do calendário e próximos passos

Bia também deu entrevista para o Tennis Channel na Alemanha, onde falou sobre sobre suas escolhas no calendário e a temporada de grama. Ela conquistou dois títulos no piso em 2022, em Nottingham e Birmingham, e chegou às oitavas de final de Wimbledon no ano passado. “Não é fácil fazer essa transição do saibro para a grama, é difícil para todo mundo. O mais importante é não querer ser perfeita epensar sempre no próximo ponto, vi o vídeo do Roger Federer falando sobre isso, e me ajudou muito.

“Eu e minha equipe estamos sempre tentando aprender e buscando situações para melhorar o meu jogo. Obviamente, o foco principal é nos Grand Slam, mas em qualquer torneio que eu estiver, quero vencer. Ano passado, joguei logo na semana seguinte à da semifinal de Roland Garros e senti uma dor muito forte. Também não consegui jogar bem em Eastbourne e não fiz a preparação ideal para Wimbeldon. Amo jogar os torneios ingleses, tenho ótimas lembranças deles, e este ano eu decidi tentar algo diferente. Novos torneios, novos ambientes. Eu me sinto bem aqui”, explicou a paulistana de 28 anos.

Ela também falou sobre a disputa de Wimbledon nas duplas, ao lado da carioca Ingrid Martins. “Eu vou jogar com minha melhor amiga, a Ingrid Martins. Nós jogamos dois torneios juntas e perdemos para as campeãs no match-tiebreak, tanto em Madri como em Berlim. Tenho que pensar de uma forma positiva, estamos chegando lá”.

Inspiração em Guga e o desejo de ajudar novas gerações

Foto: Luiz Cândido/CBT

Perguntada sobre sua relação com Gustavo Kuerten e seu impacto para o tênis brasileiro, Bia expressou palavras carinhosas ao ídolo e o papel de inspirar novas gerações de atletas no país. “Eu não posso me comparar com Guga ou a Maria Esther, não estou na mesma prateleira. Espero poder fazer 10% do que eles fizeram. Guga é o meu ídolo e uma inspiração para mim”.

“Tenho muito orgulho do que eu e meu time temos feito, não só por mim, mas pela nova geração. Estamos criando oportunidades, vendo mais torneios e patrocinadores. Mais pessoas estão acompanhando e entendendo o que está acontecendo o jogo. E um privilégio para mim representar o Brasil e a América do Sul. O circuito não é fácil para nós”, avaliou a tenista, que é uma das quatro sul-americanas no top 100 da WTA.

“Meu primeiro sonho é ganhar um Grand Slam, mas o outro é fazer a diferença na vida de alguém. Acredito que com a raquete eu posso ter mais voz para buscar um país melhor. O Brasil é um país grande e tem muita gente que não tem casa ou comida, especialmente muitas mulheres. E eu tento ajudar essas pessoas”.

15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
JBG
JBG
21 dias atrás

Pelo menos em entrevistas e pensamentos houve uma evolução, pés no chão, é isso aí Bia. Parabéns vou torcer sempre, para você e todos brasileiros.

Eduardo Luís Coelho
Eduardo Luís Coelho
21 dias atrás

É isso aí Bia!
Com humildade com certeza você vai chegar lá. Quem sabe será neste torneio. Edtou torcendo sempre por você.

Paulo A.
Paulo A.
21 dias atrás

Como não admirar uma jogadora como a Bia??? E ainda por cima ela é brasileira.

Neto
Neto
21 dias atrás

É como o Fino falou semana passada: “agora, pra recuperar a confiança, a Bia tem que ganhar do jeito que for e que der. Nada de querer jogar bonito, etc. O que importa é vencer.”
Parabéns, Bia!
Vamos nessa!!

Aurelio
Aurelio
21 dias atrás

E fácil torcer por uma pessoa tão boa quanto a Bia, ser humano nota 10.

Agora, a verdade é que ela está engolindo de colherada o “evangelho” que o seu técnico está pregando (ao invés de pensar com a própria cabeça).

Dizer que o problema todo dessa temporada 2024 “é só mental” é tapar o sol com a peneira.

Está claramente iniciando os jogos “cheia de gás” e deixando a bola cair nos segundo e terceiros sets. Praticamente na segunda metade do ano e o preparo físico ainda não chegou no nível que precisava; e a parte técnica, que não está lá essas coisas, cai ainda mais na hora que o físico não ajuda. O saque vai piorando vertiginosamente ao longo das partidas.

Que ela possa enxergar a realidade o quanto antes, para que possa voltar a jogar no nível que já mostrou que tem.

Blumenau
Blumenau
20 dias atrás
Responder para  Aurelio

Pra isso tem jeito, trocar toda esta comissão técnica

Refaelov
Refaelov
20 dias atrás
Responder para  Aurelio

“Dizer que o problema todo dessa temporada 2024 “é só mental” é tapar o sol com a peneira..”

Perfeito amigo, infelizmente ela/o staff parecem convictos disso..

Fernando Venezian
Fernando Venezian
21 dias atrás

A próxima adversária será duríssima! Bater a ótima Andreescu em sets diretos é uma tarefa complicada!

Paulo H
Paulo H
21 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Andreescu perdeu.

Fernando Venezian
Fernando Venezian
21 dias atrás
Responder para  Paulo H

Paulo, vc não entendeu, leia novamente

Rodrigo
Rodrigo
21 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Heheheeh ( interpretação de texto )… boa

Blumenau
Blumenau
20 dias atrás
Responder para  Fernando Venezian

Conjugação verbal, armadilha, para melhor entendimento, sem complicações e sentido dúbio deveria ser no passado: “foi”.

Burigoto
Burigoto
20 dias atrás

Aí esta a Bia, que ñ esquece a sua missão q vai mto além de ser vencedora nas quadras. Sabe mto bem o seu papel como “ser humano”. Uma campeã !

Sliceman
Sliceman
20 dias atrás

Muita explicação. Foca no jogo. E melhora o saque, o voleio, o slice, se não é ladeira abaixo.

Blumenau
Blumenau
20 dias atrás
Responder para  Sliceman

E troca de técnico.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE