PLACAR

Bia encerra sequência negativa e supera estreia em Bad Homburg

Foto: Chryslėne Caillaud/Internationaux de Strasbourg

Bad Homburg (Alemanha) – Terminou nesta segunda-feira a sequência de resultados negativos de Beatriz Haddad Maia, que não vencia desde a estreia em Estrasburgo. A número 1 do Brasil bateu a alemã Tamara Korpatsch na estreia no WTA 500 de Bad Homburg com parciais de 6/1 e 7/6 (8-6).

Cabeça de chave número 4 na grama germânica, a brasileira terá agora pela frente um jogo duro. Após eliminar a lucky-loser da casa na primeira rodada, em 1h55 de confronto, ela espera pela vencedora do confronto entre a convidada canadense Bianca Andreescu e a russa Anna Blinkova.

Depois de amargar três derrotas seguidas, duas delas em sets diretos, a canhota paulista não poderia largar melhor na partida, conseguindo uma quebra logo no primeiro game. Ela levou um susto em seguida e enfrentou um break-point, mas se salvou e abriu 2/0 de cara.

O susto no segundo game foi um ponto fora da curva nos seus games de serviço durante o primeiro set, perdendo apenas quatro pontos no total (76% de aproveitamento.). Bia não apenas foi firme no serviço, mas também pressionou a rival alemã e anotou mais duas quebras para fazer 6/1 e largar na frente.

Jogo fica mais duro no 2º set

A segunda parcial foi mais equilibrada do que a anterior, principalmente pela elevação de nível de Korpatsch, que subiu o aproveitamento de saque de 43% para 57%. A alemã inclusive teve quebra de vantagem sobre Bia, mas não a aproveitou.

Pressionada no sexto game, salvando dois break-points, Korpatsch bateu o saque da brasileira em seguida e chegou a sacar em 4/3, só que Bia tratou de devolver a quebra logo em seguida e deixou tudo igual em 4/4. Ela chegou a ter um match-point no décimo game, mas a alemã se salvou com o saque.

Bia voltou a ter chance de fechar o jogo no 12º, novamente no serviço da adversária, e mais uma vez Korpatsch conseguiu escapar, salvando mais dois match-points para levar a definição para o tiebreak, no qual a paulista largou mal e amargou um mini-break contra logo no primeiro ponto.

Contudo, depois disso a canhota paulistana dominou as ações e venceu cinco pontos em sequência, três deles no saque da tenista da casa, abrindo confortável vantagem de 5-1.

Trabalho extra para fechar o jogo

Para selar sua 16ª vitória na temporada, a brasileira teve um contratempo extra. Sacando com 6-2 no placar, ela teve o jogo paralisado por causa de uma torcedora que passou mal e foi atendida. Houve uma boa espera, com direito até a reaquecimento no retorno à disputa e drama para fechar.

A grande vantagem de Bia foi embora com os quatro match-points seguidos que ela perdeu. Mas ela não se abateu e conseguiu um novo mini-break para fazer 7-6 e ter o oitavo match-point no total. Desta vez ela não desperdiçou e garantiu a vaga na segunda rodada em Bad Homburg.

45 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Oscar Riote
Oscar Riote
21 dias atrás

Ufa! Que sufoco contra uma jogadora fraca. A alemã possui apenas 37% de Win rate na grama.

Paulo A.
Paulo A.
21 dias atrás
Responder para  Oscar Riote

Pra variar, o tiebreak foi um sufoco! Mas passou. Tomara que vá melhorando para a próxima.

Beto_poa
Beto_poa
21 dias atrás
Responder para  Oscar Riote

ok, ganhou um WTA 250 e é fraca.

Oscar Riote
Oscar Riote
21 dias atrás
Responder para  Beto_poa

Fraca sim, justifiquei mostrando a porcentagem dela. Na Wta está cheia de jogadoras que vence um só torneio e depois não faz mais nada

Guilherme E.S. Ribeiro
Guilherme E.S. Ribeiro
21 dias atrás

Boa Bia. Confirmou seu favoritismo. Veremos quem vem nas oitavas. Bora Bia. Torcendo muito para voltar aos grandes momentos

Paulo A.
Paulo A.
21 dias atrás
Responder para  Guilherme E.S. Ribeiro

Ela irá deslanchar em Wimbledon! Vai nos recompensar com uma grande campanha lá

Blumenau
Blumenau
21 dias atrás
Responder para  Paulo A.

Cara, você é muito otimista, mas vai apostar nela, arriscar seu dinheirinho? Sei não, hein?

Andy Schmid
Andy Schmid
21 dias atrás

Jogo normal de duas jogadoras medianas.

Frank
Frank
21 dias atrás
Responder para  Andy Schmid

Valeu, trator!

flavio
flavio
20 dias atrás
Responder para  Andy Schmid

vc tbm é bem mediano e não tem nada de errado nisso.

Rockton
Rockton
21 dias atrás

Qualquer que fora a adversária será jogo dura para a Bia. Mas segunda rodada já é muito bom para ela.

Blumenau
Blumenau
21 dias atrás
Responder para  Rockton

A Bia está em vantagem por 3×0 com a Blinkova, mas como eu sempre digo “Ranking e estatística não ganham jogo”, vamos ver como vai ser quarta-feira. Se estiver num dia iluminado e colocar a cabeça no lugar e foco no jogo pode ir até a final. Vamos ver o início do jogo que vai dizer tudo.

Sadi
Sadi
21 dias atrás

Eh impressionante como o mental dela eh ruim… tem gente q nasce com o DNA d vencedor, amar competir, vencer e outros q nascem para ser coadjuvante, trabalhar em repartição pública sem pressão

Andy Schmid
Andy Schmid
21 dias atrás
Responder para  Sadi

Assino embaixo em três vias carimbadas!

Ton volei
Ton volei
21 dias atrás
Responder para  Sadi

Pessoal, Aqui é para falar da Tenista Bia Haddad N° 1 do Brasil e Top 20 no mundo….
Contar a própria história e frustrações deixa para o psicólogo

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Ton volei

Uai, ele falou da #1 do Brasil mesmo.
O problema é querer que patriotismo vença jogos.

Renato B
Renato B
21 dias atrás
Responder para  Ton volei

Perfeito comentário!!

Fernando S P
Fernando S P
21 dias atrás
Responder para  Ton volei

Capturaste bem a essência do comentário. O Sadi se vê como um vencedor. Dada a sua autoimagem inflada e a sua arrogância, ele acredita ter um mental superior ao de uma Top 20.

Daniel Macedo
Daniel Macedo
21 dias atrás
Responder para  Ton volei

Exatamente

Carlos Alberto Ribeiro da Silv
Carlos Alberto Ribeiro da Silv
21 dias atrás
Responder para  Sadi

A mentalidade vencedora a gente treina ao longo da carreira e da vida. Falar depois que acontece é fácil. Faz uma lista de três jogadores e três jogadoras da nova geração que você acha que nasceram com um DNA de vencedor (a). Na minha opinião a força mental dá a possibilidade do jogador(a) jogar o seu melhor nos momentos de pressão. Mas as vitórias dependem também da capacidade física e capacidade técnica de cada um. Para concluir, entendo que quem não tem a mentalidade tão forte, pode treiná-la e passar a ser forte mentalmente, o que torço para que aconteça com a Bia.

Blumenau
Blumenau
21 dias atrás

Venceu, mas ainda não convenceu, adversária fraquíssima, treino de luxo remunerado. Complicou um segundo set que estava tranquilo. Bora ver contra Andreescu ou Blinkova que são bem mais capazes. Se passar pode chegar até na final. Só precisa botar a cabeça no lugar e parar de dar essas cacetadas no segundo serviço da adversária quebrando a bola ao meio. Pra que tem técnico, por que não orienta pra colocar em jogo, mas dificultando a recepção? “Porrada” pura não ganha jogo.

Rocky Balboa
Rocky Balboa
21 dias atrás

Sofreu no segundo set com uma jogadora de baixo nível que nem passou do qualy (entrou de LL). A coisa está feia, próximo jogo já vai tomar uma sapatada.

Burigoto
Burigoto
21 dias atrás

Hoje foi visivel que Bia Haddad esteve mais confiante no seu jogo. Positiva, vibrante e auto motivada. Este é o caminho para fortalecer seu mental e readiquirir confiança. Teve um aproveitamento melhor no serviço facilitando seu jogo. A adversaria realmente esta em um nivel abaixo da Bia. Seu saque não incomodou e foi mais erratica nas devoluções.
Para a segunda rodada Bia terá um teste mais dificil. Tem que continuar a sacar melhor e ser mais assertiva nas devoluções e continuar com a postura decidida, tipo faca nos dentes. Hoje foi um treino de luxo. Que seja o inicio de bons resultados. Fortes emoções ! rs

Vanessa
Vanessa
21 dias atrás
Responder para  Burigoto

Que alívio finalmente encontrar um comentário de quem realmente assistiu o mesmo jogo que eu.

Rogério Maceió
Rogério Maceió
21 dias atrás

Impressionante como para esconder suas frustrações algumas pessoas desmerecem as conquistas alheias, a Bia não merece ser tratada com tanto desrespeito por alguns, nenhuma má fase vai apagar o que ela já conquistou, quem dera estivessemos todos entre os 50 melhores de nossas profissões. Vai Bia segue seu trabalho enquanto esses ratos agourentos roem os próprios cotovelos.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Rogério Maceió

Eu sou top5 na minha atividade profissional.
Posso falar?

Rogério Maceió
Rogério Maceió
21 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Parabéns por ser top 5 e pode falar a vontade, não muda em nada a minha opinião

Burigoto
Burigoto
21 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Top 5 ? Parabéns!!! Com ctz ñ chegou onde está por acaso. Com ctz sua fala será condizente com seu sucesso.

Daniel Macedo
Daniel Macedo
21 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Qual atividade? Ser hater?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Daniel Macedo

Hater? Não meu caro! Nem de longe.
Não falo dela, como atleta, nem de nenhum outro por antipatia ou pura implicância. O que faço é análise técnica e não por paixão patriótica. Já torci várias vezes por ela, mas minha torcida em nada ajuda para que a mesma vença um jogo.

Frank
Frank
21 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Valeu, TOP CIncun.

Adalberto
Adalberto
21 dias atrás
Responder para  Rogério Maceió

Assino embaixo em 50 vias!! kk…
VQV BIA!

Thiago
Thiago
21 dias atrás
Responder para  Rogério Maceió

Concordo em partes. Esse papo de “se você não é top 20 na sua profissão, não pode criticar a Bia” não faz qualquer sentido. Somos torcedores e, naturalmente, olhamos de fora. Por essa ótica, não poderia haver colunistas esportivos, apenas aqueles que tivessem sido ex-jogadores de extremo êxito em suas carreiras.

Ninguém vai apagar o que a Bia conquistou até aqui, e não foi pouca coisa não. A cobrança vem justamente porque ela é (bem) melhor do que vem apresentando esse ano. Ninguém tem esse grau de cobrança em relação à Pigossi, por exemplo.

Do mais, todos torcemos para que ela vire a chave novamente e possa fazer grandes campanhas. Uma hora encaixa!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
21 dias atrás
Responder para  Thiago

É isso aí.
Se todos os opinadores fossem os “caras”, imagina como seria o mundo.

Vanessa
Vanessa
21 dias atrás
Responder para  Thiago

Entendo o que você disse, mas alguns comentários aqui são apenas maldosos e depreciativos, inclusive, desmerecendo todas as conquistas que a Bia teve até agora sempre falando que o lugar dela seria em ranking menor, entre outras bobagens.

Antônio Luiz Júnior
Antônio Luiz Júnior
21 dias atrás

No sufoco, como quase sempre, mas, finalmente conseguiu vencer numa estreia. Espero que possa readquirir a confiança, e seguir em frente…

Jota Gê
Jota Gê
21 dias atrás

Relato sobre o tie break do segundo set ficou confuso:

— Abriu 5-1 e bastou administrar a boa margem para garantir a vitória…
— A grande vantagem foi embora com 4 match-points seguidos que perdeu…

Ou seja, na verdade, não soube administrar a vantagem.
Felizmente, não deixou a vitória escapar.
Tomara que retome a confiança na grama, como em 2022.

Thiago
Thiago
21 dias atrás
Responder para  Jota Gê

O pessoal do site vai escrevendo conforme o jogo se desenrola. Claramente o redator queimou a largada e acabou deixando o texto original. rsrs

Fred Magalhães
Fred Magalhães
21 dias atrás

Venceu, não convenceu, mas venceu. Bola pra frente.

trackback

[…] próxima fase, Blinkova será a adversária da paulista Beatriz Haddad Maia, que mais cedo eliminou a lucky-loser alemã Tamara Korpatsch por 6/1 e 7/6 (8-6). As duas já se enfrentaram três vezes no circuito profissional e Bia levou a […]

Claudemir
Claudemir
21 dias atrás

Muitos estão falando da Bia recuperar a confiança e do mental dela. Não estou vendo nada disso. A confiança está ok e o mental da Bia, é um dos melhores do circuito. Mas quero levantar outro ponto; será que essas quedas de intensidade da Bia, principalmente a partir do segundo set, não é resistência física? Lembremos, que ela é uma jogadora alta e um tanto pesada, com 29 anos nas costas. Talvez não esteja aguentando manter um ritmo alto, durante toda a partida.

Burigoto
Burigoto
21 dias atrás
Responder para  Claudemir

Então Claudemir , seu ponto de vista faz sentido sim. Como ñ temos como ver a intensidade dela nos treinos, fica difícil cravar q seja a parte física. Agora, qto a mobilidade da Bia é notório que por vezes ela é lenta para se deslocar com maior agilidade. Ela tem um biotipo excelente. Poucas jogadoras hj tem essa integradora. Por isso eu concordo em parte com sua fala.

Vanessa
Vanessa
21 dias atrás
Responder para  Claudemir

Desculpa, mas ao meu ver você não vinha assistindo os jogos da Bia. O mental dela estava em colapso, era visível o seu desconforto e desistência rápida dos jogos. Jogos que no passado ela teria lutado muito para virar. Hoje ela me pareceu mais motivada. A pausa excessiva no tiebreack do segundo set tirou a sua concentração e a adversária aproveitou, méritos dela. Mas na virada de quadra ela voltou pro eixo e fechou o jogo.

Última edição 21 dias atrás by Vanessa
Oscar Riote
Oscar Riote
21 dias atrás
Responder para  Claudemir

Olhando de fora, fisicamente ela parece em grande forma e magra.
A movimentação não é boa mesmo e nunca vai ser melhor que jogadoras mais baixas que dominam o circuito.
O tenis feminino é assim desde sempre com muitas oscilações e quebras de saque. Raro são as que são consistentes como a Swiatek, Barty ou Serena

Fernando Venezian
Fernando Venezian
21 dias atrás

Importante foi quebrar a barreira mental de vencer o tiebreak! Já tomou inúmeras viradas em outras ocasiões!

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE