PLACAR

Bia destaca paciência no 2º set e estreia dupla com Stefani nesta terça

Foto: Mubadala Abu Dhabi Open

Abu Dhabi (Emirados Árabes) – Depois de vencer sua partida de estreia no WTA 500 de Abu Dhabi, Beatriz Haddad Maia destacou a paciência que teve diante da chinesa Xiyu Wang, especialmente no segundo set. Bia, que não havia sofrido quebras no set inicial, estava perdendo a parcial seguinte por 3/0 e ainda salvou um set-point antes de definir a disputa.

“Antes do jogo eu estava me preparando mentalmente para ser mais paciente e não ficar frustada. E como eu falei com o meu técnico, nos momentos mais difíceis eu tentei ser humilde e aceitar o que estava acontecendo. Fiz o meu melhor e tentei pensar só no próximo ponto”, disse Bia na entrevista em quadra, após a vitória por 6/2 e 7/6 (7-4) sobre Wang.

A número 1 do Brasil e 13ª do mundo foi perguntada sobre a evolução que teve nos últimos anos, chegando à semifinal de Roland Garros e ao top 10, e também falou sobre o apoio recebido por torcedores brasileiros em diferentes lugares do mundo.

“Eu resumo em uma palavra, resiliência. É o que descreve a mim e ao meu time a cada dia. Trabalhamos muito duro por isso”, comenta a paulistana de 27 anos. “Tem brasileiros em todo lugar, eu sempre digo isso! É ótimo receber esse apoio mesmo tão longe de casa em muitas semanas do ano. É um privilégio poder representar as mulheres do Brasil e da América do Sul”.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

Bia foi semifinalista em Abu Dhabi no ano passado, e por isso tem 185 pontos a defender nesta semana. Sua próxima adversária pode ser a convidada filipina de 18 anos Alexandra Eala, 187ª do ranking, ou a polonesa Magda Linette, 55ª colocada. Ela ainda não enfrentou jovem filipina no circuito e venceu Linette no saibro de Roma no ano passado.

Jogo de duplas às 4h desta terça-feira
Antes de pensar em seu segundo compromisso na chave de simples, Bia também estreia na chave de duplas nesta terça-feira, em parceria brasileira com Luísa Stefani. Elas entram em quadra às 4h (de Brasília) para enfrentar a cazaque Anna Danilina, que já foi parceira tanto de Bia quanto de Stefani recentemente, e a ucraniana Nadiia Kichenok.

Stefani falou sobre a oportunidade de jogar junto com Bia: “Animada para a estreia e de formar uma dupla totalmente brasileira com a Bia. Faz tempo que não jogamos juntas, então estou super empolgada para começar o torneio aqui. Estamos treinando bem nos últimos dias, melhorando e aperfeiçoando tudo o que deu para tirar da gira da Austrália”, afirma a paulistana. “Danilina e Nadiia são boas jogadoras e bem experientes, que conhecemos bem. Bia já ganhou simples hoje e vamos buscar fazer um bom jogo para sair com a vitória”.

Leia mais:

Bia confirma favoritismo e supera estreia em Abu Dhabi

Bia e Luisa são cabeças de chave 2 no WTA de Abu Dhabi

4 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
André
André
19 dias atrás

Notaram o saque do match-point? 192 km/h, até no masculino é um serviço bem respeitável…

Gabriel
Gabriel
18 dias atrás

se adquirirem um bom entrosamento, essa parceria Stefani/Haddad Maia tem tudo para chegar aos Jogos Olimpicos entre as favoritas ao ouro, junto com Republica Tcheca, Japão, EUA… ainda mais com essa possibilidade das russas virem a ser impedidas de competir.

Ubiratan (Black)
18 dias atrás
Responder para  Gabriel

É, tem pressão de todo lado, países ameaçando boicote, mas acho que os russos e bielorrussos irão poder participar com uma bandeira neutra. Esperar!

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
18 dias atrás

A Bia está na parte debaixo da chave, que parece mais favorável. Se ganhar na segunda rodada, enfrentará quem passar do jogo entre Jabeur e Raducanu. Depois, na rodada seguinte, pode vir Kasatkina, Krueger, Cirstea ou Sakkari. Das possíveis adversárias, acho que a Bia tem histórico negativo contra a Raducanu e Cirstea. A Krueger é da nova geração dos EUA, nascida em 2004. Então, se a Bia conseguir manter o controle emocional tem chance de defender a semifinal do ano passado.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Bopanna entra para a história do tênis aos 43 anos

A emoção de Hsieh e Mertens com o novo título de Slam

PUBLICIDADE