PLACAR

Autoridades de Eastbourne temem desvalorização da WTA

Caroline Garcia (Foto: Rothesay International/LTA)

Eastbourne (Reino Unido) – Enquanto a WTA trabalha em conjunto com a LTA para o retorno do WTA de Queen’s após mais de 50 anos ausente do calendário feminino, os organizadores e autoridades de Eastbourne temem as consequências da inclusão de um novo torneio na gira de grama britânica. Isso porque o novo evento tomaria a posição de ser o único WTA 500 do país, enquanto Eastbourne seria rebaixado para o nível 250.

Mais do que uma simples queda de categoria, a mudança pode causar consequências para toda a cidade, impactando não apenas a chave do torneio, que seria menor e atrairia menos estrelas do circuito, como também diminuindo a visibilidade e poder de atração do evento, o que economicamente traria prejuízos.

Diante dessa possibilidade, a presidente-executiva da Câmara de Comércio de Eastbourne, Christina Ewbank, vem tentando evitar algo que já parece bem definido para o próximo ano. “Pedimos à LTA que pense nos jogadores que adoram jogar em Eastbourne e nos empregos que serão perdidos caso se mudem para Londres. Por favor, não contribua para a economia de dois níveis deste país, onde Londres se torna cada vez mais rica e o resto do país sofre”, lamentou.

Do outro lado, o executivo-chefe da LTA, Scott Lloyd, tentou explicar as razões para fazer essa mudança. “A realidade daquele local [Eastbourne] é comercialmente limitada até certo ponto. Dado que investimos anualmente nessa infraestrutura temporária para o Queen’s, achamos que teremos sucesso em vender ingressos e dar ao evento feminino esse nível de visibilidade, que é maior. Não se trata de concentrar nossos torneios em Londres, por assim dizer. Ainda apoiamos absolutamente nossos outros locais”, argumentou.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Ao menos para 2024, o WTA 500 de Eastbourne está garantido para acontecer na última semana de junho, antecedendo a disputa de Wimbledon. Outros eventos de nível 500 no piso original do tênis acontecem em Berlim e Bad Homburg, ambos na Alemanha.

O torneio de tênis de Eastbourne foi fundado em 1974, há exatamente meio século, justamente um ano após a última edição feminina disputada no Queen’s. A vencedora naquela oportunidade foi a norte-americana Chris Evert, batendo na decisão a anfitriã Virginia Wade. No entanto, é Martina Navratilova quem detém o recorde de títulos em simples, com 11 troféus ao todo. A atual campeã em Eastbourne é a também americana Madison Keys.

Pelo Brasil, Beatriz Haddad Maia teve a melhor campanha de uma tenista do país, ao alcançar a semifinal em 2022, depois de conquistar dois títulos seguidos na grama inglesa, em Nottingham e Birmingham.

Queen’s pode ter chave feminina após 50 anos, diz jornal

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE