PLACAR

Alcaraz se pronuncia sobre lesão e não garante ida a Madri

Foto: Barcelona Open Banc Sabadell

Barcelona (Espanha) – Após anunciar, no último domingo, sua desistência do ATP 500 de Barcelona por causa da mesma lesão no antebraço que o tirou de Monte Carlo na semana passada, Carlos Alcaraz foi pessoalmente ao Real Club de Tennis, onde o torneio catalão é disputado, para dar mais detalhes sobre sua recuperação. Sem responder uma única pergunta dos jornalistas, o espanhol de 20 anos fez um longo relato e revelou sua atual situação.

Segundo o número 3 do mundo, o desconforto no braço direito ao bater o forehand continua e ele seguirá com o tratamento sem pular nenhuma etapa. A princípio, seu desejo é de retornar às quadras no Masters 1000 de Madri, mas admitiu que isso pode não acontecer caso o quadro não evolua como o esperado.

Veja na íntegra o pronunciamento de Carlos Alcaraz nesta segunda-feira em Barcelona:

“Como todos sabem, não poderei jogar aqui em Barcelona, ​​​​mas queria vir e explicar pessoalmente com minhas próprias palavras. Este é um clube que adoro muito, passei grande parte da minha vida aqui, por isso gostaria de contar a minha situação atual.

Tudo começou em Monte Carlo, no primeiro treino. Depois de uma hora senti um desconforto bastante significativo no antebraço, algo que pensei que não seria grande coisa, mas junto com minha equipe tratamos da melhor maneira possível, fazendo os exames necessários para ver o que eu tinha ali. A ideia era jogar em Monte Carlo, mas não pude porque os prazos não foram cumpridos.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Voltei para casa para ver se com recuperação, paciência e dias de descanso conseguiria chegar o melhor possível a Barcelona. No sábado de manhã fiz um exame, no qual saíram algumas imagens bastante positivas, algo que me deu esperança de jogar este torneio, mas para nós o teste decisivo foi no domingo. Foi o primeiro dia que bati com meu forehand desde aquele dia em Monte Carlo e não foi como esperávamos. Novamente notei a mesma coisa: a cada vez que aumentava a intensidade na direita, sentia mais desconforto.

Foi uma decisão difícil. Este torneio é muito importante para mim, muito especial, e tomar a decisão de não vir foi muito complicado tanto para mim quanto para a minha família e para a minha equipe. Agora vou colocar toda a minha concentração na recuperação, pois terei um pouco mais tempo de margem.

Meu objetivo é ir ao Masters 1000 de Madri, mas no momento não há nada claro. Disseram-me alguns prazos, que cumpri bem, mas ainda não tenho esses bons sentimentos. Não quero ter pressa, não quero dizer que estarei 100% em Madri, embora seja essa a minha intenção. Vamos treinar, vamos fazer tudo o que estiver ao nosso alcance para que essas sensações sejam melhores e adequadas para jogar uma partida de tênis a 100%.

Espero poder curtir a torcida de Madri e jogar em casa, isso seria super importante para mim. Espero ver todos vocês lá e que também possa desfrutar de todo o amor por Madri. Espero que tudo corra bem.”

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás

Tem um vídeo bem interessante no YouTube, com o título “3 Razões que fazem o Forehand do Alcaraz Ser Tão Potente”. Nenhuma das razões nele apresentadas parece causar problemas no braço, mas a força do golpe sem dúvida pode. A simples força excessiva também pode ter causado problemas no braço e punho do Del Potro. Acho que a equipe do Alcaraz deveria avaliar isto e ver se tem alguma forma de contornar ou reduzir os efeitos colaterais deste excesso de força e, se não for possível, orientá-lo a normalmente bater mais leve do que consegue, só indo ao máximo algumas poucas vezes, o que é bem melhor do que não poder jogar.

Davi Poiani
Davi Poiani
1 mês atrás
Responder para  Marcos Ribeiro

Exatamente. Na média, os golpes do Sinner também são tão potentes quanto os do Alcaraz (embora o Alcaraz de quando em quando solte aquelas marteladas, aqueles rojões estilo Del Potro). Mas na mecânica do movimento do Sinner, há a nítida impressão que ele faz menos esforço, por assim dizer, com um movimento bem limpo. Pura técnica do italiano.

O Alcaraz precisa se cuidar pois é um pouco preocupante ter tantas lesões assim no início de carreira. Algum ajuste pode ser pertinente.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE