PLACAR

Alcaraz e Sinner fazem seu mais importante duelo

Foto: Miami Open 2023

Pela oitava vez desde novembro de 2021, Carlos Alcaraz e Jannik Sinner estarão frente a frente e este me parece o mais importante duelo direto que os dois jovens talentos já fizeram até agora, ainda que tenham decidido Umag em 2022 e se cruzado em quartas do US Open pouco depois.

Sim, porque esta semifinal em Indian Wells, que repete a do ano passado em que o espanhol venceu em dois sets bem disputados, vale não apenas a vice-liderança do ranking, até agora inédita para o italiano, mas principalmente deixará o vencedor com muita moral para o que vem por aí.

Sinner leva três relevantes vantagens a meu ver. Lidera o apertado histórico por 4 a 3, tendo vencido os dois mais recentes, ambos em pisos duros bem distintos, como o lento Miami e o mais veloz Pequim. Aliás, a última vitória do espanhol foi exatamente a semi do ano passado no deserto, que lhe permitiria ganhar o título em seguida diante de Daniil Medvedev.

Penso, no entanto, que o ponto crucial não está no histórico, porém no momento. Ainda que Carlitos tenha claramente subido de produção em suas duas últimas partidas, com direito a um placar de gabarito em cima de Alexander Zverev nesta tarde cheia de abelhas no estádio principal, quem está jogando o tênis mais vistoso, eficiente, agressivo e solto é o italiano.

A bola de Sinner está andando tanto que até nos faz esquecer que essa superfície continua mais abrasiva do que deveria. Isso, a bem da verdade, ajudou a segurar os saques de Thanasi Kokkinakis, Jan-Lennard Struff e Ben Shelton. A distribuição perfeita de bolas, a atitude ofensiva por excelência, o saque oportuno e as variações na rede o mantêm não apenas invicto em sets nesta semana como também lhe dão 16 vitórias seguidas na temporada e 19 desde a perda do título do Finals em novembro.

Daí que foi muito bem-vinda a subida de degrau do espanhol, que começou vacilante contra Matteo Arnaldi, não brilhou diante de Félix Aliassime e só então nos lembrou o Carlitos de outrora, superando Fabian Marozsan e principalmente dominando Zverev com seleção perfeita de golpes.

Mesmo com a ausência já anunciada de Novak Djokovic no Masters de Miami – confirmando o que insinuou na entrevista pós-Luca Nardi -, não há chance de Sinner ou Alcaraz ameaçarem seu reinado antes de Monte Carlo. E ainda assim terão fazer também uma campanha relevante em Miami, onde Sinner defende o vice e Alcaraz fez semi. E só então podem pensar em ganhar também no saibro monegasco, onde é bem possível que Nole evite ir.

Portanto, esta semifinal em Indian Wells tem um peso enorme para os dois e, caso ambos joguem seu melhor, há ótima chance de nos fazer ter um pouco menos de saudade do Big 3.

E mais
– Quem está jogando um tênis muito competitivo e versátil é Tommy Paul. Ele, que já foi tido como grande esperança americana quando ganhou Roland Garros juvenil, chega na sua segunda semi de Masters com boas vitórias sobre Ugo Humbert e Casper Ruud, além de ter encerrado o sonho de Nardi.
– Holger Rune não conseguiu repetir a partidaça da véspera, em que salvou match-point e virou em cima de Taylor Fritz com terceiro set impecável, e parou diante do sólido Daniil Medvedev, que devolveu várias vezes em cima da linha e foi bem mais à rede. O clima esteve quente no ‘tira-teima’ quando o garoto dinamarquês deu bolada no corpo que irritou o russo. Carlos Bernardes conteve os ânimos, mas Medvedev deu outra bronca na hora do cumprimento.
– Carol Wozniacki chegou a liderar o primeiro set em cima de Iga Swiatek, mas o físico foi caindo e acabou por desistir no comecinho do segundo set. Pena. A número 1 reencontra Marta Kostyuk, 32º, e tenta repetir Roland Garros de 2021.
– Coco Gauff superou outro dia de altos e baixos, somou incríveis 16 duplas faltas com o vento chato e tirou Yue Yuan em jogo de muita troca de bola. Será favorita contra uma renovada Maria Sakkari. A grega agora é treinada por David Witt, o ex de Jessica Pegula, e tem feito boas apresentações ousando mais nos voleios. Tirou nesta madrugada uma ascendente Emma Navarro, a norte-americana que tirou Aryna Sabalenka num jogo em que se chocaram a consistência das duas.

79 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

Dalcin, com todo respeito a sua expertise mas, vi muito menos essa “seleção perfeita de golpes” do Alcaraz e muito mais uma partida muito abaixo da crítica do Zverev, sobretudo no 2° set..

Com relação às semis: apesar do momento impressionante do Sinner, penso q a lentidão q o piso vem mostrando dá um leve favoritismo ao Alcaraz(principalmente com a partida a noite).. na outra semi o Urso é favorito com alguma margem..

Saudações!

Miguel BsB
Miguel BsB
1 mês atrás
Responder para  Refaelov

Meu caro, a seleção perfeita de golpes do Alcaraz foi seguir a tática de só ir na direita do Zverev, que é muito irregular…ganhou muitos pontos por ali, e evitou deixar o alemão jogar com o backhand.
Mas concordo que o Zverev jogou abaixo mesmo.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Miguel BsB

Além disso caro Miguel, o acerto na hora das curtinhas trazendo Sasha pra frente. O Alemão chegou atrasado na maioria. E nas devoluções, optou em recuar bastante em determinados momentos, mexendo com a cabeça do excelente sacador. Taticamente quase perfeito Carlitos levando Zverev ao desespero. Abs!

Marcos Ribeiro
Marcos Ribeiro
1 mês atrás

Eu também acho que é o Sinner x Alcaraz mais importante até aqui. E que os nervos de ambos serão bem testados. Acho que o Sinner ganha, pelo que está jogando e pela cabeça. Vamos ver, quero ver este jogo.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Assisti o jogo do russo chato e do dinamarquês até o final do primeiro set. Soube agora cedo q o primeiro venceu, o q não me surpreende, pois se trata de um cara focado em vencer, em ser competitivo. Compararia o russo a um predador que vai acuando a presa aos poucos, se aproximando dela cada mais, até dar o bote certeiro; já o segundo me passa a impressão daquele cara q sai na balada sem pretensão maior, se rolar algo rolou, se não rolar ele volta pra casa tranquilo e sem frustração. Não é preciso ser nenhum gênio pra adivinhar quem teria mais chance de vitória…

LuizStipp92
LuizStipp92
1 mês atrás

Dalcim, fugindo um pouco do tópico do texto. Qual a sua opinião sobre o circuito premium do tênis, proposto pelos Slams? Particularmente, achei a ideia horrível! O circuito funciona bem hoje, precisando só de alguns ajustes pontuais.

LuizStipp92
LuizStipp92
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Concordo. Um Masters antes do Australian Open, um na grama e um na América do Sul seria excelente.

Guilherme ES Ribeiro
Guilherme ES Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Perfeito. Concordo.

Fábio Duarte
Fábio Duarte
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Proposta muito elitista, aliás elitista demais, que prejudica bastante a renovação no tênis, e sem renovação o esporte “morre”. A preocupação deles deveria ser jogadores top 100, atp e wta criarem um fundo para apoiar tenistas jovens, custeando despesas para que eles possam viajar, competir…

Andre Eduardo
Andre Eduardo
1 mês atrás

Dalcin,

O que o Alcaraz precisa resgatar em seu jogo para voltar a ser “aquele Alcaraz” que estávamos acostumados?

Evaldo Moreira
1 mês atrás

Pelo que vi, no caso, o jogo do Alcaraz, que perfeição a rica, seleção de golpes, que o alemão atordoado, mesm que Zverev tenha estado em um dia ruim, não importa, alcaraz foi muito sólido e praticamente sufocou o tenista alemão, que a meu ver, fiquei sem o que faze, tentou umas curtas aqui e ali, e nada demais.

Acredito que será um jogo eletrizante, pois percebi nos últimos do espanhol, vend muito concentrado, e talvez isso explique, o porque que no começo do torneio, ele começou devagar, e como mesmo disse o Dalcim, subiu de produção nos dois jogos que fez adiante.

Agora esse Urso, não é bricadeira, o cara devolve lá nas cadeiras da arquibancada, kkkkkkkkkkkk, que fiquei impressionado, deve ser muito treino pelo visto, a maioria, em cima da linha. Agora se ele chegar a final, seja contra o Sinner ou contra Alcaraz, é bom ele ficar esperto, o que vai chover de bolas curtas, podem anotar.

Felipe Gonçalves
Felipe Gonçalves
1 mês atrás

Dalcim, na verdade o Sinner defende o vice em Miami. Ele perdeu a final do ano passado pro Medvedev.

Jonas
Jonas
1 mês atrás

Uma pena, parece que o Djokovic se encontra desmotivado. Lembro que há alguns anos o Becker deu uma declaração nesse sentido, dizendo que o sérvio relaxou, o que custou inclusive o topo do ranking naquela temporada. Pra jogar o que jogou no fim do ano passado falta muito e se não estiver motivado será uma tarefa impossível. Espero que ele se encontre. Pular Dubai e Miami demonstra falta de foco, a meu ver… o cara quer descansar, o que custa e muito em sua preparação.

No mais, o circuito continua fortíssimo. Sinner e Alcaraz são os nomes de destaque e ainda tem Medvedev, Zverev e Rune que podem bater qualquer um. Pra SF vejo o italiano levemente favorito, mas Alcaraz pode vencê-lo sim, em condições normais.

Guilherme ES Ribeiro
Guilherme ES Ribeiro
1 mês atrás

Não fosse a eliminação surpreendente do Djokovic, teríamos os 4 primeiros do ranking na semifinal. Sinner e Alcaraz deverá ser um jogão de tirar o fôlego

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás

Jetzt Geht’s los, Sinner!

Daniel
Daniel
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

O Sinner é italiano

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás

Com relação à Novak Djokovic:
Um tanto previsível essa desistência de Miami.
Assim se antecipa e se dedica totalmente à preparação no saibro, pois no saibro está seus dois próximos grandes objetivos: RG e Olimpíadas de Paris.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

Um dia tínhamos que concordar, caríssimo P.F . Roland Garros e Ouro Olímpico é muito mais que motivação. Como não precisa de Miami pra nada ( Dia 1 de Abril já se torna o mais velho N 1 da história) , acredito que já comece no quintal de casa em Monte Carlo onde já bateu Nadal. Tem Torneio no Saibro a dar com o pau pra chegar forte em Paris . Abs !

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Muito legal a ideia do marketing da Netflix de fazer o suspense com o N nos recadinhos para a câmera.

Para mim, a Netflix ainda sobra na turma. Além disso de todos o acervo ter a opção com legenda, a plataforma é maravilhosa, a navegação flui, as informações de que precisamos são fáceis de acessar, é rápido, prático, sempre tem lançamento, sempre tem algo para assistir e tem para todos os gostos e estilos.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Gustavo

Assinado.
Fiz a Globoplay, minha nossa, uma porcaria.
A Starplus demora um ano para entrar.
Se for para assistir um tênis, com o jogo já começado, é um desespero angustiante a espera para entrar no jogo.

Gustavo
Gustavo
1 mês atrás

Muito legal a ideia do marketing da Netflix de fazer o suspense com o N nos recadinhos para a câmera.

Para mim, a Netflix ainda sobra na turma. Além de todo o acervo ter a opção com legenda, a plataforma é maravilhosa, a navegação flui, as informações de que precisamos são fáceis de acessar, é rápido, prático, sempre tem lançamento, sempre tem algo para assistir e tem para todos os gostos e estilos.

Carlos Henrique
Carlos Henrique
1 mês atrás

Olá!
Para mim, hoje o tênis está assim, em termos de patamares (que podem sofrer variações tendo em vista pisos):

Nível 1: Carlos Alcaraz e Sinner

Nível 2 (podem ganhar, mas não são favoritos diante do nível 1): Novak Djokovic, Medvedev, Rune.

Nível 3: Zverev, Tsitsipas, Rublev, Ruud, Hurkacz, Paul, Dimitrov, De Minaur.

Nível 4: Shelton, Umbert, entre outros.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Carlos Henrique

Rune no mesmo nível do Djoko? Vc deve estar muito bem humorado hoje kkk…

Carlos Henrique
Carlos Henrique
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Eu digo atualmente, com o Djoko um pouco errático. Mas o Rune oscila entre o 2 e o 3.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Carlos Henrique

Esse Canhoto Shelton que saca acima de 200 km/h e já aos 21 mostra melhoras no jogo de base , Olho !!! . Abs!

Renato Veneziano Toniol
Renato Veneziano Toniol
1 mês atrás
Responder para  Carlos Henrique

Carlos, embora nesse início de temporada o Djokovic vem mostrando algumas fragilidades, eu ainda acho muito precipitado tirá-lo da lista de favorito aos títulos.
Todos já vimos inúmeras vezes ele se reinventar e ressurgir após cenários complicados, embora certamente chegará uma hora em que finalmente perderá a hegemonia e haverá a esperada troca de bastão, porém, aguardemos um pouco para cravarmos isso.
Hoje, eu colocaria no nível 1, Djokovic, Alcaraz, Sinner e Medvedev.

Alvaro Armbrust
Alvaro Armbrust
1 mês atrás
Responder para  Carlos Henrique

Eu só passaria o Rune pro nivel 3 e incluiria o Fritz no 3 também. Até mais do que o Paul – de resto assino embaixo. Entendo que sua lista é uma boa foto do momento.

Rafael Valença Azevedo
Rafael Valença Azevedo
1 mês atrás
Responder para  Carlos Henrique

Gostei do exercício.

Na minha visão Djokovic está obviamente no Nível 1. Ele jogou dois torneios individuais no ano, e teve um desempenho muito abaixo. Mas, isso ainda é tolerável. Se ele continuar nesse desempenho atual, ele sairá do Nível 1 direto para o Nível 4 ou 5, rsrs.

Meu Nível 2 está o Medvedev sozinho, com o Rune no Nível 3.

Abraços!

Doll´s Hair
Doll´s Hair
1 mês atrás

Que horas que será o jogo do Djokovid?

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás
Responder para  Doll´s Hair

Depois do jogo do Terceirão.

Rafael Valença Azevedo
Rafael Valença Azevedo
1 mês atrás

Muito bom ver o Alcaraz recuperar seu nível de tênis. É um dos melhores jogadores para se assistir do circuito, quando está nesse nível avassalador. Pena pelo alemão, gostaria que ele ganhasse um título de slam na carreira, mas é visível que ele está um passo atrás de Alcaraz, Sinner e Djokovic (se voltar à forma), além de meio passo atrás de Medvedev. Então, acho muito difícil pra ele.
As semi prometem!

Dominique DeCoco
Dominique DeCoco
1 mês atrás

Dalcim, o que achava de uma volta do Grand Slam CUp? Seria bem vinda? E se fosse, quantos pontos vc daria pra esse campeonato?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Alguém já disse aqui que o ranking facilita a vida de quem está no ‘topo’. Entra como cabeça-de-chave, às vezes adiantado. Verdade. Mas tem o outro lado também.
Tomemos como exemplo Alcaraz e Sinner. Ambos perseguem o número 1, mas tanto um quanto outro tem pontos de montão a defender. Alcaraz defende o campeonato de Indian Wells e semi de Miami. E Sinner já defendeu a semi de IW mas ainda tem que defender o vice-campeonato de Miami do ano passado.
Conclusão: ambos próximos do líder do ranking, porém com pouca margem de evolução no quesito pontuação.

DANILO AFONSO
DANILO AFONSO
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Maurício, o foco deles tem que ser no ranking da temporada.
Alcaraz e Sinner não estão dando importância que não somarão muitos pontos no ranking de entrada, pois sabem que tais pontos farão diferença lá na frente na luta pelo posto de n.1, principalmente porque o sérvio até o momento fez poucos pontos na atual temporada e a tendência é cada vez mais reduzir seu calendário.

Eu nunca me esqueço da temporada 2016 após o término de Wimbledon, quando mesmo após Murray vence o Slam britânico, ninguém comentava a chance do Murray alcançar o posto de n. 1 por estar uns 5000 pontos atrás do Djokovic no ranking de entrada.
Eu que policiava constantemente o ranking da temporada, estava preocupado com a pequena distância de cerca 1000 pontos a favor do sérvio.
O DALCIM foi o primeiro profissional do segmento a postar um texto vislumbrando a expectativa do Murray assumir a liderança do ranking, o que de fato ocorreu após uma arrancada impressionante do escocês na segunda metade do segundo semestre e derrotas prematuras do do sérvio. Abs !!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  DANILO AFONSO

Danilo, até concordo, mas o ranking de entradas, como o próprio nome diz, facilita pro tenista na questão do chaveamento. No mais, é o que você disse mesmo.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Maurício, isso é uma questão apenas de “ponto de vista”, como imposto de renda. Só paga quem realmente tem dividendos, caracterizados como renda e quanto menos renda, menos se paga.
Alcaraz e Sinner só estão gerando essa sua preocupação agora porque há um ano atrás somaram bastante, ou seja, se agora estivessem tranquilos, seria sinal que não foram longe ano passado e certamente não seriam 2 e 3 do mundo agora, respectivamente.
Portanto, como poupança, juntaram e agora têm que se esforçar para guardar.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Pois é… A Emma Raducanu fez uma ótima “poupança” saindo do quali e vencendo o US Open e depois teve que sacar até os centavos.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Exato, quem não trabalha bem, perde dinheiro.

Robson Couto
Robson Couto
1 mês atrás

A desistência de Djokovic de Miami para mim indica que agora ele deve fazer uma nova “pré temporada” dessa vez para voltar buscando títulos (provavelmente em Madrid), pois percebeu que já não consegue mais vencer jogando mal, como conseguia muitas vezes em outras temporadas.

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás
Responder para  Robson Couto

Eu fiquei com a mesmíssima impressão amigo, justamente ao contrário doq a maioria aqui tá achando, minha impressão é q essa desistência foi uma “confissão” q n fez uma preparação adequada e agora buscará corrigir a rota pro saibro..

Claudio Ortiz
Claudio Ortiz
1 mês atrás

Oi Dalcim
Na verdade o Medvedev não deu bronca na rede…ele falou pro Rune que não viu o pedido de desculpas e poderiam conversar melhor no vestiário. O Rune respondeu q estava tudo resolvido
Abraço

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
1 mês atrás
Responder para  Claudio Ortiz

Terminou tudo em paz…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Olá Dalcin! Acompanho Tenisbrasil assiduamente (quase todo dia entro) há uns 15 anos mais ou menos e por isso fica óbvio que adoro o site e admiro seu trabalho. Me permita uma pequena crítica. Entendo que o site precisa de inovação constante, mas a última mudança dificultou a visualização. De ver as notícias do blog mais antigas (antes era só rolar pra baixo) e também as chaves e os resultados. O link para ATP é mais completo porém da outra forma a visualização era bem melhor.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Esse é outro Luiz Fernando guarde seus negativos pro original kkkkkkkkk! Aqui é diversão garantida kkkkkkk…

Rodrigo S. Cruz
Rodrigo S. Cruz
1 mês atrás

Não sei se um comentário meu duplicou. Se foi é que postei duas vezes seguidas porque não tinha ido…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Rodrigo S. Cruz

Já te respondi no post passado lá no meio da confusão.

Mitzi
Mitzi
1 mês atrás

Grande jogo ! Não vou perder !

Neri Severo Malheiros
Neri Severo Malheiros
1 mês atrás

Não há dúvida quanto a ser o duelo mais importante dos dois e provavelmente do próprio torneio caso mantenham o nivel demonstrado até agora. Concordo igualmente a respeito da melhora de Alcaraz, embora o desempenho de Zverev tenha ficado muito aquém de alguns recentes ótimos resultados. Por isso, aposto na regularidade de Sinner para chegar ao merecido segundo lugar.

Quanto à final feminina, se a polonesa já tinha uma considerável vantagem pela consistência e postura em jogos decisivos, o fato de ter disputado apenas 72 games nas cinco partidas anteriores contra 134 games da grega nas mesmas cinco, ou seja, quase o dobro e uma verdadeira maratona, amplia sua teórica vantagem e favoritismo.

Sakkari não só terá que superar seus fantasmas em finais como terá que comprovar que ainda tem fôlego e realmente está bem preparada fisicamente como declarou em uma das entrevistas. Coco, a outra semifinalista perdedora, disputou 115 games, 43 a mais que Iga.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Três primeiros games da partida do futuro Big2 com equilíbrio, mas tive a impressão do Sinner mais solto. Tudo aponta para uma partida muito equilibrada…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Sinner está colaborando com o andamento do torneio. Que coisa, q atropelo. Por enquanto nada de equilíbrio como eu imaginava…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Equilíbrio, creio q a maioria absoluta de quem acompanha tênis esperava isso. Ainda vejo Sinner um pouco mais agressivo e com mais potência, mas Alcaraz se recuperou de forma magistral na partida. Coisa de um grande jogador, um grande campeão, sem dúvida. Vamos pro set3!!!

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Alcaraz é um craque, fisica, tecnica e mentalmente. Claro q os problemas físicos do italiano romperam uma parte do equilíbrio da partida, mas a vitoria decorreu muitos mais dos seus méritos do q de qualquer outro fator. É o favorito p amanha, seja contra quem for…

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Luiz Fernando

Finalmente concordamos em gênero, número e grau . Imagina a cara do P.F. que define o Tourinho Assassino ( está no TOP 2 desde setembro de 2022 ) , como “Beiçola da mídia” . Aqui é mesmo diversão garantida kkkkkkk. Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Você chama o maior vencedor de slam, masters 1000 e atp finals de antivax. Qual o problema do colega fazer o mesmo com Alcaraz?

Rob
Rob
1 mês atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Os fatos!! O cara é antivax declarado….e o outro é o melhor que apareceu, junto com o ruivo.

Paulo F.
Paulo F.
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Ué, não deixa de ser o Beiçola da Mídia.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo F.

O que mais te irrita em Carlitos ( assim como acontecia com Federer). , é a sua imensa popularidade. Até mesmo JANNIK SINNER sofreu com a torcida ontem. Isso não tem nada a ver com mídia e sim com um imenso carisma…O Esporte agradece a presença de um atleta como Carlos Alcaraz, justamente no ocaso do Big 3 . Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás

É, acabou a aura de invencível do Sinner. Passou longe de DjokoGOAT 2011 com 43 vitórias seguidas.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

*43 desde a Davis 2010 e 41 a partir de 2011.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

O ” goat ” conseguiu perder na Semi do ATP FINALS 2010 para o Craque Suíço ( levou o Caneco pra cima de Nadal ) , e depois de 43 partidas sem derrota , caiu novamente pra Roger Federer novamente numa Semi , só que em Roland Garros 2011 . Tadinho do ” goat ” … Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Sr. SR,

Quando você diz que o GOAT “conseguiu perder” para o Terceirão no Finals 2010, você trata este como uma zebra ou um bagre. Ele ainda era o favorito no único Finals parrudo de sua carreira, batendo um sérvio em ascensão (mas ninguém sabia do desempenho que ele teria em 2011) e um Nadal campeão da temporada.

Pois é, perdeu em Roland Garros, porém antes venceu no Australian Open, Dubai e Indian Wells, só cedendo um set. Tadinho mesmo!

Rsrsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

Sr Paulo Almeida. Sem essa de parrudo coisa de criança. E’ doído enfrentar um senhor de 38 anos , tomar 98 WINNERS em WIMBLEDON 2019 e na sequência ser ELIMINADO novamente no ATP FINALS 2019 . Aí o N 1 caiu no colo do Touro . Que dureza!!! Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
1 mês atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Kkkkkkkkkkkk

Vai repetindo eternamente que os 94 winners doem mais do que o 40-15 e o TRIVICE em Wimbledon.

P.S.: já vi os draws dos outros Finals e foram mamão com açúcar mesmo.

Rsrsrs, abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
30 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Ele não aprendeu ainda que 94 e 0 dão no mesmo, diferente de um 40×15 que deu no que deu!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
1 mês atrás
Responder para  Paulo Almeida

Na verdade foram 94 WINNERS. Como será o ” goat ” contra Tourinho Assassino e SINNER aos 38 anos … ? . Rsrsrs, Abs !

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás

Melhores tenistas da história em talento e técnica:

1- Federer 1- Hingis

2- Laver 2 – Evert

Maurício Luís *
Maurício Luís *
1 mês atrás

Eu vinha insistindo com minha filha pra ir aprender a jogar tênis. Ela não manifestava interesse. Nesta semana, na minha pequena cidade S. João da Boa Vista, levei-a pra ver as meninas jogarem: Carol Meligeni, Ana Candiotto e outras. Tirou foto e conversou com elas, e depois, do nada, falou que queria aprender.
Então esse é o papel do esporte: incentivo, interação… E nunca vi tanta gente assistindo. Só faltou gente pendurada nas árvores. Não tinha mais lugar pra ninguém nas pequenas arquibancadas e em volta das quadras.
Obrigado Carol e Ana Candiotto pela simpatia e carinho com os fãs. Não nos esqueceremos de vocês.

Ronildo
Ronildo
1 mês atrás
Responder para  Maurício Luís *

Muito legal esta experiência Maurício

Sandra
Sandra
1 mês atrás

Dalcim , a Swiatek chegou a jogar com a Serena , caso sim , quem ganhou ? Aliás quem poderia parar a Swiatek ? Ela só ganha !!!

Jonas
Jonas
1 mês atrás

Não torço nem torcerei pelo Alcaraz, mas gostei de sua postura ontem, fez (finalmente) ajustes pra tentar encontrar uma saída contra um adversário melhor no momento. Vi até o espanhol dando balão, coisa bem rara em se tratando dele.

Sobre Sinner, achei inacreditável o tanto de Forehand que ele errou ontem ou na rede ou isolando a bolinha. Mas foi um jogaço ainda assim. É bom saber que depois que o Big 3 sair definitivamente de cena teremos jogadores diferenciados, o que certamente é o caso da Sinner e Alcaraz. Faz lembrar, guardadas as devidas proporções, de Djoko x Federer.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
1 mês atrás

Tres primeiros games medíocres do Alcaraz, quantos erros, pior do q no set1 de ontem…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
30 dias atrás

Alcaraz venceu o set1 no tiebreak mas o russo me pareceu um pouco melhor em quadra. Mas como eu disse ontem, o espanhol é um craque e soube encontrar um caminho pra se recuperar depois dos 3 primeiros games desastrosos. Vamos pro set2…

Luiz Fernando
Luiz Fernando
30 dias atrás

A derrota desses chatos da eterna nextgen é uma vitoria do esporte. Alcaraz dominou o set2, após uma queda pra mim inesperada do russo, q normalmente não é de entregar nada. Venceu o melhor, venceu quem deveria para o bem do esporte…

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals