PLACAR

30 anos sem Senna: piloto era fã de tênis e assistiu final de RG

Senna jogando com uma Rossignol F200, a mesma utilizada por Mats Wilander (Foto: Site oficial/Ayrton Senna)

Por Matheus Dalcim
Da redação

O dia 1º maio será sempre uma data muito triste para o esporte brasileiro. Há exatos 30 anos, falecia, em decorrência de um acidente no GP de San Marino, o piloto de Fórmula 1 Ayrton Senna, tricampeão mundial e um dos maiores ídolos da história do país. Não à toa, esta quarta-feira tem sido um dia de homenagens àquele que foi um verdadeiro representante nacional nas pistas pelo mundo.

Em meio a tantas lembranças, TenisBrasil resgata a forte ligação que Senna tinha com o tênis. Afinal, ele era um verdadeiro fã de esportes e costumava praticar diversas atividades. Apaixonado pela modalidade de raquete, o piloto frequentemente assistia aos jogos do circuito e inclusive acompanhou de perto a final feminina de Roland Garros em 1992.

Senna nas quadras

Segundo consta em seu site oficial, Ayrton utilizava os momentos de folga para jogar tênis com os amigos, dentre eles Galvão Bueno e Reginaldo Leme, que se consagraram como os porta-vozes das conquistas do piloto ao longo de sua carreira na Fórmula 1.

O próprio repórter e comentarista já contou algumas dessas histórias que viveu ao lado do tricampeão, em uma entrevista especial para a SennaTV em 2017. Segundo Regi, Senna não era dos mais talentosos jogadores com a raquete na mão, mas fazia a diferença com o seu preparo físico, o que tornava os duelos amistosos muito mais disputados entre eles.

Presença ilustre na Philippe Chatrier

No dia 6 de junho de 1992, a então iugoslava Monica Seles e a alemã Steffi Graf se enfrentavam na final de Roland Garros, repetindo a decisão de 1990. Assim como dois anos antes, Seles levou a melhor e faturou o tricampeonato no saibro parisiense com um triunfo por 6/2, 3/6 e 10/8.

No entanto, um dos momentos que mais chamou a atenção do público na transmissão oficial foi a presença de Ayrton Senna, que acompanhava atentamente cada lance da partida nas tribunas da Philippe Chatrier.

Influência na carreira de Guga

Cinco anos mais tarde, Roland Garros e o mundo conheceriam um outro brasileiro que viria a se tornar tricampeão: Gustavo Kuerten, que triunfou três vezes naquela mesma quadra central do Aberto da França. Grande fã de Senna desde a adolescência, Guga citou algumas vezes a influência do piloto em seu desenvolvimento como atleta e lamentou o fato de não tê-lo conhecido.

Por meio do empresário Braguinha, que incentivou a carreira de ambos, eles teriam um jantar marcado para acontecer em Lisboa justamente naquele 1º de maio de 1994, data do trágico acidente em Ímola. O tenista ainda dava seus primeiros passos no circuito profissional e nunca teve esse encontro.

“Não conhecer o Senna é um buraco que ficou na minha vida. E isso vira um motor para realizar muita coisa. Teria ganhado uns quatro ou cinco Grand Slam a mais com as dicas dele. Seria um privilégio. A figura do Ayrton em si era a maior referência quando eu virei um tenista profissional. Acho que o Brasil necessita, é carente de autoestima, e o Senna simbolizava isso. Quando criança achava que podia chegar naquele lugar [de me tornar campeão]”, disse o catarinense em entrevista para o globoesporte.com, publicada em junho de 2017.

Preparador físico de Senna também era ligado ao tênis

Uma das figuras mais importantes da carreira de Ayrton Senna no automobilismo foi o preparador físico Nuno Cobra, que também atuou por diversos anos com tenistas brasileiros. Entre os nomes com os quais Cobra trabalhou estão os irmãos Jaime e Edu Oncins, Cássio Motta, Cesar Kist, Cláudia Monteiro, Patrícia Medrado e Luciana Corsato.

“Acho que depois do que ele realizou com o Senna, o Cobra virou meio que um guru na área de preparação física. O livro dele, ‘A Semente da Vitória’, é indispensável na prateleira. Ele sempre foi um preparador bem holístico, que se preocupava desde a mastigação alimentar até questões mentais, enfatizando uma postura sempre otimista”, destaca Medrado, que foi orientada por Nuno na década de 1980.

A tenista baiana também lembra de uma passagem em que encontrou Cobra e Senna treinando solitários na pista de atletismo do Centro Olímpico de São Paulo, na rua Pedro de Toledo. “Aquilo me chamou muita atenção porque não tinha ninguém em volta, apenas os dois trabalhando juntos”, recorda a ex-número 1 do Brasil e top 50 de simples.

13 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Haroldo Guimarães
Haroldo Guimarães
20 dias atrás

Parabéns pela matéria Dalcim, exaltou o ídolo mas de forma concisa e de falas de pessoas que tem coerência. Só pra falar de brasileiros, acho Piquet e principalmente Emerson melhor que ele, mas a Globo fez o povo brasileiro idolatrar ele de forma que não gosto, mas dinheiro é tudo no mundo. Torci pelo Senna e talvez se tivesse vivo não teria deixado uma certo alemão ser hepta. Deus abençoe a todos. grande abraço

José Nilton Dalcim
Admin
20 dias atrás
Responder para  Haroldo Guimarães

A pesquisa e texto na verdade são do Matheus Dalcim, mas realmente está muito bom. E não concordo com você… rsrs… Para mim, Senna foi o melhor de todos.

eduardo
eduardo
20 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Concordo

Beto_poa
Beto_poa
20 dias atrás
Responder para  Haroldo Guimarães

quando comecei a acompanhar F1 em 1980 então com 11 aninhos ( kkk ), o meu ídolo era o Piquet e continuou sendo assim até o fim da sua carreira mesmo com o Senna no auge. Eu gostava do estilo agressivo e habilidoso de pilotar do Senna e torcia pra ele pois representava o Brasil, a rivalidade Senna-Prost é considerada uma das maiores da historia e tive o orgulho de acompanhar essa batalha entre 2 dos maiores pilotos de F1. A mídia tanta brasileira quanto internacional gostava muito dessas rivalidades e Piquet X Mansell também é muito famosa. O pai do Piquet era apaixonado pelo tênis e queria que seu filho se tornasse jogador enviando ele para os Estados Unidos aprender o esporte.

Shermann
Shermann
20 dias atrás

Sensacional com S de Senna!!! Que matéria maravilhosa!! Logicamente o ídolo máximo do esporte Brasileiro (pra mim), Ao lado de Guga. Parabénssss

Marcelo Reis
Marcelo Reis
20 dias atrás

Amigos, Ayrton Senna não foi, nem de perto, o maior vencedor e detentor de recordes da F1. Porém, alguns deles desafiam o tempo: https://www.agazeta.com.br/mais-esportes/5-recordes-de-senna-que-ainda-nao-foram-quebrados-30-anos-apos-sua-morte-0524

Embora ele tenha conquistado “só” 3 títulos mundiais, ele é considerado pela grande mídia e pelos próprios pilotos, como sendo o melhor piloto da história. Basta uma pesquisa no Google, seja em português, mas especialmente em inglês, que veremos isso. Até pesquisas feitas pela própria FIA. Nelas, encontramos uma inacreditável unanimidade: Ayrton foi o melhor da história. Até mesmo Schumacher e Hamilton afirmam isso claramente nas pesquisas e nas entrevistas (vide YouTube).

Para além de piloto, ele era muito envolvido politicamente na F1. Lutava por melhorias aos pilotos e à F1, pois sabemos que a F1 gira em torno das cifras – ele também tinha um gênio muito forte e por isso não era incomum ter embates fervorosos com alguns. Enfim, Isso me lembra do dia da morte dele: o Barrichello já tinha voado literalmente em seu carro e já podia ter morrido ali. Depois, o Roland Ratzenberger morreu. Senna e outros pilotos fizeram de tudo para cancelar o evento. Estava clara a falta de segurança! Mas … o $ falou mais alto. Deu no que deu.

Assistam ao documentário Senna(2010), dica de amigo! É excelente.

Acabei me excedendo no tamanho do texto. Raramente escrevo tanto. Mas estou falando de um gênio. Estou perdoado.

Fábio
Fábio
20 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Ótimo texto!

João Sawao ando
João Sawao ando
20 dias atrás

Sem dúvida nenhuma Senna foi O melhor dos brasileiros. No dia que faleceu eu estava no restaurante Alice tamboridegy em roseira na presidente Dutra.dia 1 de maio e um dia triste para os brasileiros

Fernando S P
Fernando S P
20 dias atrás

Um exemplo de disciplina, de comprometimento e de patriotismo.

Federer eterno GOAT
Federer eterno GOAT
20 dias atrás

Piquet > Senna

Davi Poiani
Davi Poiani
20 dias atrás

Senna foi um dos maiores gênios da história, em qualquer esporte. Provavelmente o brasileiro mais admirado e reverenciado que já nasceu neste país. Ídolo incontestável e para muitos o melhor piloto entre todos. Grande alma e um excelente caráter que deixou um legado gigantesco.

Carlos Alberto Ribeiro da Silva
Carlos Alberto Ribeiro da Silva
20 dias atrás

A morte do Ayrton Senna acredito que foi o acontecimento que causou a maior comoção no povo brasileiro. Todos ficaram tristes, dos mais ricos aos mais pobres, dos mais famosos aos mais anônimos. Talvez, em 2016, a queda do avião com o time da Chapecoense tenha causado um comoção parecida, mas penso que a maior ainda foi pela morte do Ayrton Senna.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE