PLACAR

Zverev se candidata, Iga monopoliza

Quem diria, um campeão em Roma decidido no saque. Alexander Zverev acertou incríveis 80% de seu notável primeiro serviço, só perdeu dois pontos nas 39 vezes em que encaixou a bomba e ainda ganhou sete dos 10 lances em que precisou do segundo saque. Claro que o chileno Nicolas Jarry não arrancou um break-point sequer, mas nem por isso deixou de fazer uma partida bem equilibrada, também na base da potência do saque, mas com percentuais suficientemente inferiores para entregar dois games de serviço e ficar com o vice.

Seria leviano se pensássemos que Zverev venceu apenas por causa do serviço. Sua campanha em Roma foi consistente, ainda que não um primor. Sequer cruzou com qualquer top 10 e fez rodadas decisivas contra Taylor Fritz, outro que depende demais do saque, e diante do pouco experiente Alejandro Tabilo, esse sim um oponente bem perigoso, que ficou muito perto da surpresa. Aliás, é um nome que merece ser olhado com cuidado quando sair a chave de Roland Garros.

Sascha viveu um grande momento no saibro em 2022, encarando de igual para igual o multicampeão Rafael Nadal até acontecer a torção grave de tornozelo. Além disso, já somou outras duas finais em Roma, com um título em 2017. O bi deste domingo o coloca de vez como candidato a ir bem longe em Paris, ainda mais diante de tantas incertezas entre Novak Djokovic, Carlos Alcaraz e Jannik Sinner e o momento irregular de Casper Ruud. Num torneio tão aberto, por que não dar créditos a Sascha?

O próprio Jarry pode concorrer a uma ‘zebra’. Ainda o acho um pouco inconsistente na base, o que o leva a depender demais do saque e de um saibro mais veloz, um fator imponderável em Paris. Seu forehand é imponente, porém o esforço para cobrir o lado esquerdo custa erros. Admirável no entanto a agilidade para seus 2,01m e a confiança que tem nos momentos duros.

Se o masculino verá este Roland Garros sem um grande favorito em sua largada, Iga Swiatek segue nadando de braçadas no saibro europeu. Se as condições mais velozes de Madri permitiram que Aryna Sabalenka virasse ameaça a seu título então inédito, Roma sacramentou um domínio assustador sobre o circuito. A número 2 do mundo não teve qualquer chance e nem ela tirou um set da polonesa.

No esporte, e mais do que tudo no tênis, ninguém vence na véspera. No entanto parece que apenas a soma de um dia ruim com uma atuação impecável das adversárias poderá impedir que Swiatek chegue ao tetracampeonato de Paris. Vai chegar lotada de confiança e com alguns elementos importantes acrescentados ao saque, seja o primeiro mais contundente pelo centro e o segundo mais alto na cruzada, assim como uma devolução cada vez mais agressiva. Seu trabalho de cobertura de quadra continua impecável, o que lhe concede contragolpes muito precisos o tempo todo.

Sabalenka é uma tremenda competidora e consegue tirar qualidade mesmo sobre o saibro e fora de suas condições físicas ideais. Ficou assustada no começo de partida final com a atitude proativa da polonesa e jamais achou um plano B. Falta-lhe na terra certa compreensão de que precisa fazer a adversária jogar, diminuir o padrão Las Vegas que impõe o tempo inteiro. Nos pisos mais velozes, há margem para reação. No saibro, fica bem mais difícil.

Começa Roland Garros

O tênis brasileiro já tem Beatriz Haddad Maia e Thiago Wild garantidos na chave principal de simples e quatro nomes iniciam a luta para chegar lá. As tarefas parecem mais possíveis para Thiago Monteiro, em ótima fase, e Felipe Meligeni e Laura Pigossi, que pegaram quadrantes promissores para atingir ao menos a terceira e última rodada. A dificuldade maior está com Gustavo Heide, até porque seu retorno no saibro europeu não empolgou.

O quali masculino tem a ilustre presença de Dominic Thiem, duas vezes finalista, que já anunciou aposentadoria no fim da temporada. De forma até inesperada, ele não ganhou convite. Teve sorte e deve passar se jogar decentemente. Outro setor curioso é o do cabeça 1 Cristian Garin, que tem chance de decidir a vaga com Diego Schwartzman, que foi semi em 2020.

Enquanto rolam o quali e as esperanças, teremos uma situação um tanto atípica no circuito desta semana pré-Slam. Tenistas com evidentes chances de grande campanha em Paris optaram por jogar aquecimentos, casos de Novak Djokovic e Casper Ruud , com companhia de Taylor Fritz e Ben Shelton, em Genebra e de Ugo Humbert e Francis Cerúndolo em Lyon. Sinais evidentes de que todo o calendário de saibro não foi suficiente para eles.

Cabeças e dificuldades definidas

Ainda não se sabe se Sinner irá mesmo a Paris, mas se felizmente ele jogar teremos quatro campeões de Slam e mais três finalistas entre os 10 principais inscritos. Isso reforça ainda mais a imprevisibilidade desta edição de Roland Garros.

Ao ganhar Roma, Zverev garantiu a cabeça 4, atrás de Djokovic, Sinner e Alcaraz, deixando Medvedev, Rublev, Ruud e Hurkacz na vaga de 5 a 8. A importante faixa de 9 a 12, em que se evita cruzar com os quatro favoritos nas quartas, terá Tsitsipas, Dimitrov, De Minaur e Fritz, deixando o problema para Rune, Paul, Shelton e Humbert.

Nomes competentes como Jarry, Khachanov, Baez e Cerúndolo fogem dos oito favoritos na terceira rodada, perigo que ronda Tabilo, Tiafoe, Korda, Etcheverry, Musetti, Navone e Norrie. É porém um grupo perigoso. Até agora, a única ausência de peso garantida é a de Jiri Lehecka.

No feminino, Swiatek, Sabalenka, Gauff, Rybakina, Pegula, Vondrousova, Sakkari e Qinwen Zheng são as oito cabeças, pela ordem. Bia garantiu a condição de cabeça 14 e isso a coloca no risco de cruzar com uma das quatro líderes do ranking já nas quartas e com uma das tenistas entre cabeça 17 e 24 nas oitavas, lista que tem Svitolina, Alexandrova, Kostyuk, Azarenka e Pavlyuchenkova. Um bom sorteio é importante.

170 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Hemerson
Hemerson
29 dias atrás

Zverev jogou para ganhar e ganhou. Era o melhor preparado. E será candidato forte em RG. Qdo se machucou em RG já tinha ganhado bem do Alcaraz e estava equilibrando um mau começo contra Nadal. Tomara que a armada chilena colha mais bons resultados em RG.
Iga é terrivel, não se assusta com gritos e pauladas, a rapidez e percentual de acertos é impressionante. O rosto fechado, concentrado, passa uma idéia que deve assustar algumas adversárias e os golpes assutam à todas.

André Aguiar
André Aguiar
29 dias atrás

Sabatek no saibro (1 x 5) está virando rivalidade entre aspas, caminhando celeremente para uma freguesia semelhante à do Fedal no saibro (2 x 14).

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Cadê o Sérgio Ribeiro para desconsiderar o saibro? Ou isso só vale para o Federer?
Sei.
A conferir.
Rsrsrsrsrs Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Saibro = 2 x 14 Nadal . Hard + Grama + Indoor =14 × 10 Federer. O Craque Suíço detém o recorde de 65 Vitórias CONSECUTIVAS na Grama. Infelizmente com Nadal também fugindo dos preparatórios , na Grama Rápida, jogaram apenas 4 partidas na superfície com 3 x 1 para Roger . Mesmo assim o Suíço possui 19 Títulos na superfície contra 10 de Pete Sampras. O Sérvio aparece na sequência com 8 . Quem manda ser fujão…Sei . A conferir.Rsrsrsrs , Abs!

André Aguiar
André Aguiar
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Com relação ao Djoko, não sei se foi fuga ou autopreservação. O fato é que a decisão de cumprir um calendário enxuto desde há muito tempo, mostrou-se acertada, dada a sua pujança física aos 37 anos, sem sofrer lesões nos joelhos ou nas costas, as quais maltrataram deveras o suíço. Já o Nadal encurtava a temporada de grama porque geralmente vinha exausto da maratona vitoriosa no saibro.
Disso aproveitou-se o terceiro maior vencedor de Slams da história do tênis masculino, que fez de Halle praticamente um quintal de sua casa, ganhando até nome de rua por lá.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Autopreservação depois de perder as Três FINAIS que conseguiu atingir . Em Halle para Tommy Haas em 2009 e duas em Queens pra Nadal e Cilic ( 2019 ) . Daí direto de RG para WIMBLEDON…rs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Direto de RG para Wimbledon e ganhar tudo.
Que lástima!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Realmente uma lástima o OCTACAMPEÃO ser outro Tenista rs . Abs!

Paulo F.
Paulo F.
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Que lástima ser HEPTA em Wimbledon, nossa…
Mais lástima é ser MONO em RG.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Paulo F.

Fez 5 FINAIS em RG . Não foi somente o Craque Suíço que perdeu TODAS as FINAIS para o Touro em Paris . Existe um ” goat ” que além de também perder , possui 2 x 8 com Nadal no mesmo SLAM rs. Abs!

Paulo F.
Paulo F.
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Um tem TRÊS títulos em Roland Garros.
Outro tem apenas UM.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Lástima realmente deve ser o Octa ser também tri-vice do fujão!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

E derrotando o ” goat ” lá mesmo lhe tirando o N 1 em 2012 rs . Quem sabe derrotando Alcaraz ou SINNER ele finalmente passe Pete Sampras…Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

É incrível o exercício que fazes para justificar o que não se justifica.
O único significado plausível para fujão é não ter capacidade mental de enfrentar uma situação. Como pode ser 7 vezes campeão de GS na grama sendo fujão? Coloque Eastburne de lambuja aí, para dar de brinde.

Somente sendo SR para equalizar essa conta.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Tua dificuldade num texto tão simples é simplesmente impressionante. Onde está escrito fujão de WIMBLEDON criatura ?????. Fujão dos preparatórios. Leia -se Queens e Halle. Não vencia largou de vez . Daí estar atrás até mesmo de Sampras. O verdadeiro “Rei da Grama” possui 19 Títulos na superfície com direito a 65 Vitórias CONSECUTIVAS. Contra 8 conquistas do ” goat ” . Isso já foi postado quinhentas vezes … Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

E onde eu escrevi fujão de Wimbledon?
Eu sei de sua abobrinha sobre “FUGIR DA GRAMA”, não só de Wimbledon.
O que você não sabe é que é impossível alguém fugir da grama e se tornar HEPTA do maior torneio nessa superfície do mundo, por enquanto.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

O cara já participou de DEZOITO edições de WIMBLEDON. Na grama mais rápida dos ATP 500 ele se aventurou muito pouco ( não venceu nenhum) . Quem não sabe das coisas diz que é impossível. Borg também optava em pular indo direto de RG . E levou 5 edições consecutivas que Federer igualou. Na boa , Fabriciano. Não lês nem o que postas . Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Porque caro Sr. Não Entendes Nada, nem Borg tampouco Novak Djokovic jamais fugiram de grama coisa nenhuma.
São caras excepcionais que saem da terra para grama com a mesma desenvoltura capaz de lhes garantir troféus em ambas.
O dois juntos têm em RG+Wimbledon 21 troféus. Pouco não?
Ao contrário de um Pistol Pete, que sempre foi figurante no saibro.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

A lógica de seu raciocínio me espanta. O cara é fujão depois de imprimir um trivice ao goat da shopee em WB (WB 2014, 2015 e 2019)?

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Sr. SR tenta projetar as fugas do Terceirão do Finals 2014, RG 2016, toda a temporada de saibro 2017-2018 e RG 2021 pra cima do Djoko, que menospreza o tal de Halle desde a década retrasada.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Do jeito que está menosprezando o ATP 250 de Genebra preparatório para RG . Fugia porque não vencia kkkkk. Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Agora está em má fase. Na boa, sempre menosprezou.

Rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
27 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

E de quebra perdeu o N 1 em WIMBLEDON 2012 caindo na Semi para Federer . Não adianta , o Craque Suíço até hoje prevalece no All England Club ( OCTACAMPEÃO) e no USOPEN ( Pentacampeão consecutivo ) . Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Divide o USO com o oráculo Sampras e com outros caras da era amadora, além de ter ganhado o último no longínquo ano de 2008 com 26 anos. Jamais foi soberano lá. Djoko ganhou com 31 e 36 anos.

Rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
26 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Será que Jimmy Connors era da era amadora ? . Ninguém conseguiu levar WIMBLEDON e USOPEN na história 5 vezes CONSECUTIVAS como Roger Federer, informadissimo Piloto . Rsrsrs, Abs!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Connors tem 5 também. São outros 3 da era amadora que têm 7 títulos.

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
26 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Não adiantou nada, pois tem 4 majors a menos em relação ao recordista.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
29 dias atrás

Iga vive um momento incrível, de fato é uma favorita indiscutível para RG. Aryna não me parece capaz de encara-la de igual para igual la, vamos acompanhar.
O masculino esta absolutamente aberto, pois Djoko não esta bem, Alcaraz e Sinner são incógnitas (o italiano talvez nem participe), Rafa é carta fora do baralho e apostar em Zverev em GS nunca foi um bom negócio. O sorteio das chaves talvez nos de um direcionamento melhor…

Sandra
Sandra
29 dias atrás

Dalcim, gostaria imensamente que Djokovic ganhasse , mas acho difícil , vc não acha que de todos Alcaraz teria mais chance ? Acho que a contusão não é tão grave quanto a do Sinner, e vendo esses jogadores sacarem tanto , qual seria a chance de Djokovic que está sendo quebrado facilmente ?

Joselito
Joselito
29 dias atrás

Com as dúvidas sobre os principais favoritos (Alcaraz, Nole, Nadal), Zverev se coloca como um dos candidatos a levar, porém, contudo, entretanto, é um cara que sempre amarela nos GSs.

Paulo H
Paulo H
29 dias atrás

Dalcim, como estão nossas duplas para RG? Temos chance de avançar até a final? E a Bia, vai jogar duplas também?

Atilio
Atilio
28 dias atrás
Responder para  Paulo H

Zverev é um grande jogador mas sem um GS é difícil igualá-lo ao Stan, ainda que tenha tido um ranking melhor. Marcelo Rios foi n.º 1 do mundo mas nunca conseguiu um GS, ninguém o coloca entre os 20 melhores jogadores de tênis de todos os tempos. O fato é que, para o tênis, um GS vale bem mais do que o ranking. Acredito eu…

Jorge Miguel
Jorge Miguel
29 dias atrás

Essa lesão do sinner no quadril e do alcaraz no cotovelo só comprova o tanto que o esporte de alto rendimento é cruel .

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
22 dias atrás
Responder para  Jorge Miguel

COMO ASSIM? DESENVOLVE…

Antonio Vizintin
Antonio Vizintin
29 dias atrás

Dalcim, Wawrinka foi top 10 de 2013 até 2017, já Zverev é top 10 desde 2017, com exceção de 2022.
Mais de 20 títulos,dois Finals, uma Olimpíada, já foi n2 do mundo.
Quem tem uma carreira melhor, Wawrinka ou Zverev?

Ernesto
Ernesto
29 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Concordo com o Antônio.
Zverev tem 42 milhões em Prize Money, contra 36 do Stan.
E, foi número 2 do mundo. Stan foi número 3z

Wendel
Wendel
29 dias atrás
Responder para  Ernesto

O suíço é superior sem dúvidas

Andre Borges
Andre Borges
29 dias atrás
Responder para  Ernesto

Stan eh infinitamente maior que Sacha, mas infinitamente. Nem que o Sacha some as três próximas vidas ele se aproxima.

Ernesto
Ernesto
29 dias atrás
Responder para  Andre Borges

O ranking mais alto do Sasha e o prize money dizem o contrário. Concordo que os 3 slam do Stan, tbm falam alto. Mas teriamos que dar pontos né. Ranking mais alto vale quanto? Prize money vale quanto? GS vale quanto?

Joselito
Joselito
28 dias atrás
Responder para  Ernesto

Os caras são apaixonados pelo backhand de uma mão. Não adianta discutir que vai dar murro em ponta de faca.
Wawrinka ganhou 3GS, mas foi muito freguês dos big 3. Perdeu feio para todos. Para o Nadal e Federer nem se fala.
Como você disse, estatisticamente, Zverev já tem uma carreira superior a do Wawrinka. Isso com 27 anos. Basta pesquisar “goat list” no google para comprovar.

Jonas
Jonas
28 dias atrás
Responder para  Ernesto

2 Slams em cima do Djoko, 1 em cima do Nadal, isso em pisos diferentes. Wawrinka é maior. Mas Zverev ainda é novo e já ganhou muito. Se ele vencer um Slam pelo menos, aí já tem discussão.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Jonas

Fora que eliminou Djoko no AO 2014 e Federer em RG 2015.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
29 dias atrás
Responder para  Antonio Vizintin

QUE COISA MAIS ESQUISITA o sujeito citar números e sequências de dois tenistas, comparando a trajetória de um com a trajetória do outro, e ainda assim, perguntar a um segundo sujeito “Quem tem uma carreira melhor”. Juro que não consigo entender…

Andrade
Andrade
29 dias atrás
Responder para  Antonio Vizintin

3 Grand Slam fazem toda diferença, com certeza Wawrinka tem uma carreira melhor, até o momento.

Andre Eduardo
Andre Eduardo
27 dias atrás
Responder para  Antonio Vizintin

Stanimal é muito, mas muito maior que Zverev. Vencer 3 SLAMs com o Big 3 “no auge” é a prova inapelável de sua superioridade frente a carreira do alemão.

Andre Borges
Andre Borges
27 dias atrás
Responder para  Andre Eduardo

Um venceu 3 Slams em pisos diferentes batendo o GOaT em duas finais, mas veja o outro tem prize money maior ‍♂️‍♂️‍♂️‍♂️‍♂️‍♂️‍♂️

Andre Eduardo
Andre Eduardo
27 dias atrás
Responder para  Andre Borges

Pois é, xará. É cada uma que a gente lê por aqui…

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
26 dias atrás
Responder para  Antonio Vizintin

Bom, se vc perguntar a um tenista se ele preferiria ganhar 3 slams ou 2 finals e uma olimpíadas, eu acho que nós saberíamos a resposta. A resposta taí.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

RODRIGO LIGHTMAN, isso é relativo, porque o tenista pode optar considerando o que já tenha conquistado em sua carreira, ou seja, não se trata apenas de mera questão de preferência. Nadal, por exemplo, que já tem dois ouros olímpicos( um em simples ), 22 slams( venceu os quatro ), 38 Masters 1000 e nenhum ATP Finals, possivelmente escolhesse o Finals, mas sem que isto fosse propriamente uma preferência sua. Considerando que o ponto alto nas contendas do tênis são os slams e não os jogos olímpicos ou o Finals, algo me diz que tenistas como o alemão amarelão e o grego mimado prefeririam ter em sua estante ao menos um troféu nível 2000, já que ambos não tiveram competência para amealhar nenhum. A meu ver, também ex tenistas como Marcelo Ríos e Dinara Safina, que jogavam bola pra caramba e passaram a vida inteira martelando, também optariam por um slam. Logo, reitero que sua conclusão, RODRIGO, é relativa…

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
29 dias atrás

Como joga essa polonesa! Fenômeno do esporte!

Carlitos Miguel Paez, mi hijo
Carlitos Miguel Paez, mi hijo
29 dias atrás

Dalcim, 5 Masters 1000 em 2010, 10 finalistas diferentes. Já tinha visto isso antes no tênis?

Roberto Canessa
Roberto Canessa
29 dias atrás

Dalcim, você vê risco de Djokovic não se classificar pra o Finals?

Marcelo Costa
Marcelo Costa
29 dias atrás

Sábado após a incontestável vitória da Iga fui ler alguns comentários, não me espantei, pois, sei que há dois tipos de hate, os que simplesmente não gostam de tênis feminino, e aqueles que não gostam do jogo da polonesa ou preferem a Bielorrússa e então rola a enxurrada de críticas do jogo dela, que pasmem não tem talento, que na grama não terá êxito e a enxurrada de sandices que só um passivo agressivo é capaz de escrever.
Em tempos de universalização de comentários, creio que seria melhor como era antes, qdo só se destilava veneno após ficar passando bolinha no clube onde esses “críticos ” jogavam, foram dar voz deu nisso.
Mas como tênis tem placar e uma contagem final vence o melhor , ou no caso, a imensamente melhor mesmo que seja no saibro.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
29 dias atrás

Dalcim, diz aí para nós o que é o “padrão Las Vegas de jogo”, please…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
29 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

JANTA-SE?

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Prezado, Agassi morava ou mora ainda, não sei.
Rss.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
28 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, também não sei se Andre Agassi mora em Las Vegas hoje em dia, mas faltou você observar que ele não só mora ou morou por lá, mas que nasceu na cidade dos cassinos. Nesse caso, minha segunda colaboração a você e a JOSÉ NILTON é que em Las Vegas nasce-se…

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

casa, de casamento

Gustavo
Gustavo
27 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

O que acontece em Vegas fica em Vegas…

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
28 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

tem outra também, o que acontece em Las Vegas, fica em Las Vegas.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

EM 1996, NICOLAS CAGE ganhou o Oscar e o Globo de Ouro na categoria de melhor ator, pelo excelente “Despedida em Las Vegas”, filme de 1995, dirigido pelo britânico Mike Figgis..

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Tendo Elizabeth Shue como sua parceira.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, é verdade, e ela também foi indicada ao Oscar, só que perdeu a disputa para Susan Sarandon, co-protagonista de “Os Últimos Passos de Um Homem”, dirigido por Tim Robbins…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Nesse, a Sarandon era uma freira que acompanhou esse homem (Sean Penn) no corredor da morte.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

LUIZ FABRICIANO, ela esteve brilhante…

Julio Marinho
Julio Marinho
29 dias atrás

Fale, Dalcim!
Bom dia!
Acho sim que Zverev ganhou um fator confiança muito importante a seu favor. Para seu próprio bem, ele tem apenas que ser mais decisivo naquele momento de fechar. Mas se render com o saque e regularidade como fez nessa final, será difícil demais batê-lo. Não é exagero colocá-lo como principal favorito a meu ver, pois o momento de Djok, Alcaraz e Sinner é muito desfavorável hoje. Claro que eles são melhores e em condições normais poderiam levar vantagem, mas tênis também é momento. E acho que ele leva ligeira vantagem sobre os outros campeões no saibro (Rublev, Tsitsipas e Rudd). Bom, vai ser mais uma chance para ele tentar mostrar que não treme mais nas rodadas finais e faz seu melhor jogo render. A bem da verdade, ele perdeu aquela final do US Open para o Thiem, mas mereceu vencer por 80% do jogo. Massacrou nos primeiros dois sets, mas aí a mente veio e tornou aquele joga em uma das coisas mais bizarras que já vi. Aquele quinto set então tinha saques que com potência parecida da praticada no meu clube.
Diria que esse Slam para o tênis masculino é o mais imprevisível e aberto dos últimos 29 anos. Só espero que não seja um campeão inexpressivo mal em do top 10, mas nem isso a gente pode dizer. Já imaginou Tommy Paul ou Tabilo vencendo? Ótimo para eles, mas acho que o tênis não ganha muito. Mas enfim, quem sou eu para decidir. Pelo menos, será interessante de ver.
No feminino, nos há muito. Máquina Iga confirmando e fazendo história. Ela é tão focada que as chances de surpresas realmente diminuem. E todo mundo está tremendo de ver ela na frente. Só tem uma que não: Rybakina. Abraços!

Pancho Delgado
Pancho Delgado
28 dias atrás

Dalcim, pra a história, seria importante pra Zverev não ganhar GS?
Claro que ele ai querer ganhar, é bastante óbvio isso, mas claramente pra mim ele é o melhor tenista da história que nunca ganhou GS, então ele tá na história já de alguma forma, algo que ele perderá se ganhar um GS.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Pancho Delgado

PANCHO DELGADO, só alguém muito ruim de pesquisa sobre tênis, relapso com a história do mesmo e preso apenas às partidas e jogadores do momento, para considerar o alemão amarelão “o melhor tenista da história que nunca ganhou GS”, ainda que eu lhe compreenda, por conta do fator livre arbítrio. De todo modo, vou refrescar sua memória, citando alguns nomes de tenistas que pertenceram ou pertencem, no mínimo, ao mesmo patamar que Alexander Meneghel, tanto na esfera masculina quanto na feminina, que é para não parecer machista, como muitos nesta confraria; os tenistas são: Magnus Norman, Thomas Enqvist, Àlex Corretja, Karolina Plisková, Nikolai Davydenko, Vera Zvonareva, Davi Nalbandian, Dinara Safina e Marcelo Ríos. Pois é, já que você fez uso da expressão “história”, taí…

Marcelo Costa
Marcelo Costa
27 dias atrás
Responder para  Pancho Delgado

Marcelo Rios discorda disso, só pra ficar em um exemplo

Maurício Luís *
Maurício Luís *
27 dias atrás
Responder para  Marcelo Costa

Exatamente. Ele foi número 1 do mundo.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
28 dias atrás

O ALEMÃO AMARELÃO E O GREGO MIMADO têm disputado a tapa quem é o melhor ex candidato a substituto da tríade Federer/Djokovic/Nadal. Para demonstrar que há um empate técnico na parada, ambos até conquistaram um Master 1000 por cabeça, neste 2024, por ora, anômalo. Reis da cocada preta na fase pré baby Johnson, representada por alguns molequinhos bons de bola e mal saídos das fraldas, os caretas devem estar se achando. Entretanto, ainda que tenham méritos pelas conquistas dos tais mil pontos cada nos últimos dias, não dá para levar nada tão a sério, num cenário que, além da retirada de cena do extraordinário Roger Federer, conta com Djokovic, Sinner, Alcaraz, Medvedev e Nadal, caindo os pedaços fisicamente. Juntando os cacos de um Zverev cada vez mais com a faca nos dentes, e de um Tsitsipas com sangue “nozóio”, o sonho da dupla é empunhar o canecão prateado em nove de junho do corrente, para que, a posteriori, os desavisados de plantão os considere bons pra caramba. Mas verdade seja dita, até Wawrinka, Murray e Thiem, que lhes foram simultâneos e ainda estão na ativa e com slams na sacola, são melhores que eles com um pé nas costas. E não são dois mil pontos no bolso daqui a três semanas que os tornarão garotos dourados de repente. Eles são o que são, ou seja, bons tenistas e que, por vezes( eu disse por vezes ), podem até fazer subir a régua em alguma medida…

marcos
marcos
27 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Muito bom o texto Valmir, um show !

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  marcos

Muito obrigado pela deferência, MARCOS…

levI sIlvA
levI sIlvA
28 dias atrás

Dalcim, por algum motivo estranho, esse post não figura ali no topo quando clicamos em “Blog do Tênis” na lista, ok?
O último que aparece, seria o anterior a conquista do Zverev…

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
28 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

POIS É, MESMO UMA COISA não tendo nada a ver com a outra, isso me faz lembrar da nossa refrega a respeito daquela minha postagem que aparecia para você, enquanto que para mim, não, ou seja, pode muito bem ter havido falha humana, o que, aliás, não cogitei anteriormente, preferi sugerir alguma falha no mecanismo do blog…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
27 dias atrás

O Yannick Hanfmann não é nenhum prodígio, nenhuma sumidade, mas também não é nenhuma galinha morta.
O Djokovic, assim como todo líder do ranking, se ganhar, é porque “não fez + que a obrigação”. E se perder, vai ter que abrir um guarda-chuva blindado diante da chuva de críticas e memes irônicos.
Um ATP 250 não é nada pra ele, mas diante do seu desempenho neste ano, mais do que nunca as atenções estarão voltadas pro multicampeão.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

A chave de Lyon está muito mais acessível para ser campeão do que Genebra. Por outro lado, Djoko terá testes reais contra Hanfmann, Griekspoor, Fritz e Ruud, se seguir avançando.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

“SE PERDER” para o Yannick não Noah, vão dizer que ele ainda sente os efeitos da violenta pancada com a garrafa de plástico em seu quengo…

Paul McCartney
Paul McCartney
27 dias atrás

Dalcim, não sei se você acompanha a F1, mas de uns tempos pra cá eles mudaram drasticamente, e hj a audiência só aumenta, eu, inclusive sou mais fã agora do que era na época de Rubinho, Massa e Zonta.
Eu sei que é muito difícil se fazer mudanças, mas quais mudanças drásticas você faria para melhorar o circuito?

As minhas:

Finais em dia de semana com mais frequência, desde a temporada passada implementaram isso, mas só na Ásia

US Open terminando no fim de Agosto, 15 ou 20 dias depois seria a final da Copa Davis, formato 32 seleções, e o país vencedor pode levar até 2000 pontos, mas a pontuação contando por jogador, podendo cada seleção ter 10 jogadores

Laver CUp, que eu acho excelente, mas não tem sido mais tão bem aproveitada como antes, seria no final da temporada, o último torneio do calendário, que poderia ser um evento de uma semana juntando Next Gen + Laver Cup, Next Gen de domingo a quinta, e Laver Cup de sexta até sábado. Vencedores da Laver Cup classificam o país automaticamente pra a Davis do ano seguinte, e iria roda rodar o mundo, embora a Laver CUp faça isso a Next Gen não, e piso escolhido por sorteio.

ATP Finals mudando de sede a cada ano, também por sorteio, podendo ser na grama, no saibro ou na quadra dura.

GS em 2 semanas, é claro, porém a partir da segunda semana já pode ter ATP 250, pra os eliminados em primeira rodada não ficarem uma duas semanas sem fazer nada. Teve isso em 2020, não sei pq abandonaram

Mais torneios de seleção, valendo ponto pra ATP, como a Laver CUp e a United

Manteria 9 Masters 1000, mas 9 ATP 500 e 9 ATP’s 750, não podendo ser na mesma semana, só podendo ter 250 na mesma semana destes.

Masters 1000 até pode ter 2 semanas, ou uma e meia, mas na segunda semana do torneio, já pode ter 250

WTA e ATP juntarem o calendário pra pelo menos nos Masters 1000 ter duplas mistas

Duplas masculinas sem esse negócio de Super Tie Break

GS simples tudo bem terminar no tiebreak, mas um tie break normal, n um super tie break, pq eu n vejo lógica nenhuma nisso, só não é pior que o 12-12 tie break, embora o 12-12 seja mais marcada pela amarelada história do que pela regra em si

Não tem aquele negócio de descarte de pontos. Ou seja, se o tenista jogar 30 torneios, vai somar pontos no 30, tem que dar méritos pra que tem resistência pra jogar muitos torneios, como a leda David Ferrer

Fim da temporada não ter só torneios em quadra dura, ter torneios no saibro e na grama, principalmente pós US Open.

Pontuação entrar até o Finals, depois disso só no ano que vem, mas não deixaria de ter ATP’s 250, pois essa pausa prejudica jogadores que se lesionaram durante a temporada e ficaram muito tempo parado, e ainda pós Finals só poderem jogar apenas Challenger

Ranking tanto pra grama quanto pra saibro e quadra dura, ou seja, no AO e no US Open o ranking seria dos 32, mas a ordem se daria pelo aproveitamento em quadra dura,justamente pra os melhores se pegarem no fim.

Durante o período de Finals ( ou Laver CUp) até a United CUp, pode ter pisos diferentes do tradicional, como madeira, carpete ou saibro azul, mas claro, desde que não prejudique a segurança do atleta

Qualy não valendo ponto nenhum, assim como tenista que entrar no Mastees entra sem ponto nenhum, pq as vezes o cara já ganha 10 pontos por entrar. Só começa a valer ponto depois que o tenista ganha a primeira rodada

Essa pode até ser descartável, mas ter disputa de terceiro lugar, com o terceiro ganhando 20% a mais dos pontos de que sai na semi

Torneios de seleção só iriam até 750 pontos, e o número de jogadores por seleção varia de acordo com a pontuação, ou seja, 750, 5 jogadores, 500,4 jogadores, 250 três jogadores, e todos os torneios com a mesma pontuação tem q ter o mesmo padrão

Masters 1000, todos com o mesmo número de jogador pro chave, ou seja, ou chave de 128, tirando os cabeça, ou de 64 tirando os cabeças

Jogador eliminado como Rublev foi em Dubai não perde pontos, apenas premiação, pois ele conseguiu aqueles pontos vencendo os rivais.

Paul McCartney
Paul McCartney
27 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Acho q hj em dia com as pessoas querendo as coisas mais rápidas, um torneio que se prolonga durante o ano me parece obsoleto, a Copa Davis devia se concentrar em determinada data.
Por isso entendi perfeitamente a mudança de formato, mas entenderia ainda mais se ela tivesse de fato tudo em um período só de duas semanas.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Paul McCartney

PAUL McCARTNEY, com essa sua viagem longeva, ao estilo Corrida Maluca, acho mais conveniente o JOSÉ NILTON tratar com o Ringo Starr, já que John e George são inacessíveis…

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
26 dias atrás
Responder para  Paul McCartney

Acho que uma mudança urgente deveria ser a inclusão de um M1000 na grama.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Rafael Azevedo

RAFAEL AZEVEDO, minha sugestão é que “um M1000 na grama” poderia ser realizado em Liverpool, cidade em que PAUL McCARTNEY nasceu…

André Aguiar
André Aguiar
27 dias atrás

Saíram as listas de entrada de Wimbledon. Por enquanto, só para a chave principal de ladies e de gentlemen. Bia, Wild e Monteiro incluídos, naturalmente. Nadal também. Eu, que não sou nadalete, confesso que estou um pouco emocionado com essa turnê de despedida. Tomara que ele consiga jogar dignamente os 3 Slams restantes, sem pegar um top 10 logo de cara e sem lesão para atrapalhar.
A lista do quali sai na próxima segunda-feira. A boa notícia é que, além das presenças do Meligeni e do Heide, a do João Fonseca também deverá ser confirmada. Ele é o n° 229 no live ranking. O último a entrar deve ser o 235. Com os resultados até agora de Genebra, Lyon e dos três Challengers dessa semana, só restam dois tenistas que podem ultrapassá-lo, a saber, Skatov em Augsburg e o Sekulic em Kachreti, mas só se chegarem à final. Lembrando que os que estão jogando o quali de RG só incorporarão os pontos eventualmente ganhos no ranking que sairá depois do fim do torneio, ou seja em 10/06.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
27 dias atrás
Responder para  André Aguiar

Muito boa a sua análise, André.

André Aguiar
André Aguiar
26 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Valeu, Maurício!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
27 dias atrás

Parabéns ao goat incontestável do tênis e atual número 1 do mundo pelos seus 37 anos de idade. Que venham mais Big Titles para ampliar a sua hegemonia. Idemo!!!

Paulo Almeida
Paulo Almeida
27 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

Número 1 do mundo com 37 anos?
Ninguém nunca vai chegar perto.

Parabéns para o GOATaço!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Este realmente imbatível. O Craque Suíço atingiu 36 anos e 10 meses , vencendo ATP 500 de Roterdã e com seus oponentes em forma. O ” goat ” atingiu perdendo TODOS os últimos 5 Torneios , e com seus três principais oponentes lesionados. Feito impensável do ” goat ” …rs. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Como #1 inconteste do mundo!

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
27 dias atrás
Responder para  Paulo Sérgio

“ESTA É A ÚLTIMA canção/Que eu faço pra você” – Paulo Sérgio, na infame e oportuna “Última Canção”, do Carlos Roberto Nascimento…

Belarmino Jr
Belarmino Jr
27 dias atrás

Dalcim, na sua opinião o Heide tem bola pra top 100?? Até onde vc acha que ele pode chegar?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Belarmino Jr

BELARMINO JR, “na sua opinião o Heide tem bola pra top 100? Até onde vc acha que ele pode chegar?”

Paulo A.
Paulo A.
26 dias atrás

Caro Dalcim, saberia informar se o ingresso para o qualy de RG dá acesso a todas as quadras, à escolha de quem assiste ou são lugares e quadras marcadas?
Tenho visto alguns jogos, de otimo nível técnico, e com uma atmosfera festiva e muito divertida na arquibancada. No 1o dia na Suzanne Lenglen havia até uma bateria e alguns pistões, divertidíssimo.

Paulo A.
Paulo A.
26 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Que massa. Ano que vem estarei lá. Merci beaucoup.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
26 dias atrás

Neve e agora chuva nesse Genebrão. Onde que o Craque foi se meter…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Felizmente já fechou o jogo de hoje.
Saiu de um 0x3 e 30×40 no segundo set, aplicando um “pneu”.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
26 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Pneu moral, rsrs.

Vítor Barsotti
Vítor Barsotti
26 dias atrás

Dalcim, que pena essa ocaso da carreira do Thiem tão precoce e apagado hein. Gostava muito de vê-lo jogar, especialmente no saibro. Achei que em algum momento ele recuperaria seu jogo mas não passou nem perto disso. Confesso que tá duro de achar alguém pra torcer pós-Big3, viu…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
26 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Eu acredito que a mudança de empunhadura pesou tanto quanto o emocional. Muito difícil mudar assim e querer os mesmos resultados. Porque alguns tipos de efeito nos golpes só se consegue dependendo do tipo de empunhadura.

Paulo Almeida
Paulo Almeida
26 dias atrás

Não foi uma boa partida do Djoko. Sofreu pra fechar o primeiro set e escapou de levar um 4-0/5-0 no segundo, mas depois emendou 6 games seguidos.

Bela homenagem em quadra com bolo e tudo para o lobo comedor de fígados escabeche!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
26 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Até o segurança se divertiu com o chocolate suíço oferecido pelo sérvio.

Gustavo
Gustavo
26 dias atrás

A Wozniacki, que foi contra a Halep receber convites, provou do próprio veneno ao não receber convite para RG
Kkkkk

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
26 dias atrás
Responder para  Gustavo

A CAROLINE WOZNIACKI nunca gostei dela, sempre me pareceu uma criatura fútil…

Última edição 26 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Maurício Luís *
Maurício Luís *
26 dias atrás

Boa noite, Dalcim. Hoje gostaria de perguntar sobre o torneio WCT.
Li em algum lugar, muito tempo atrás, que o poderoso Rod Laver, apesar de ter feito o Grand Slam, nunca conseguiu ganhar o WCT. Era o antigo Finals ou não? Foi simplesmente extinto ou foi substituído por outro? Grato desde já.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
26 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Muito obrigado e bom dia.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

WCT perturbou até 1989 , caro Maurício. Mas no Brasil ( Ibirapuera lotado ) : 1974 Borg 2 x 1 Arthur Ashe , 1975 Laver 2 x 0 Pasarell, 1976 Borg 2 x 0 Guillermo Vilas . A partir daí ATP tomou conta em Sampa . Mas no acordo citado pelo Dalcim , estes resultados foram computados . Ps. Em 74 e 76 , Thomaz Koch caiu nas Semis para o Sueco. Mas o bateu em Bastad em 75 nas Quartas jogando muito. Abs!

Maurício Luís *
Maurício Luís *
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Brigadão, Sérgio.

Paulo A.
Paulo A.
26 dias atrás

Emocionante esse qualifying de RG para nós, brasileiros, com a inédita perspectiva de termos quatro guerreiros chegando à chave principal. Não é lá muito provável mas também não chega a ser impossível. Espero que o emocional e pressão não os impeçam de jogar bem e avançar. Seria maravilhoso.

Maurício Luís *
Maurício Luís *
26 dias atrás

Nadal x Zverev… Aff… vai voar pena pra tudo que é lado.
Se por um lado estão considerando que o multicampeão ibérico não deu sorte, por outro lado o alemão também não deve estar pulando de alegria “dessa altura” não.

Sandra
Sandra
26 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

E o começo do fim para o Nadal ! Ou então o fim do Zverev se não ganhar

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
25 dias atrás
Responder para  Sandra

Essa resposta foi boa, bem isso.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Sandra

SANDRA, a respeito do “começo do fim para o Nadal”, caso perca para o alemão amarelão, eu até concordo. Por outro lado, considerar que será “o fim do Zverev se não ganhar” a partida contra o espanhol, é uma enorme viagem sem noção da sua parte. Você só pode estar de brincadeira, já que Alexander conta apenas 27 anos de idade…

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
24 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Se o Zverev não ganhar do Nadal, vai ganhar de quem? O Nadal ganhou 14 vezes, mas esse era outro Nadal. O Nadal de hoje não consegue nem sacar direito.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Claro que não. Até Djokovic disse hoje que Nadal em RG , jamais não será o favorito. Mas a lesão cruel de Sasha na Semi de 2022 contra Rafa ( 6 x 7 , 6 x 6 ) , lhe custou bastante pois estava pronto para assumir o N 1 depois do Show contra Djokovic nas Olimpíadas. Lembrando sempre que STANIMAL venceu seu primeiro SLAM próximo aos 29 anos e Zverev possui 27 . Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Ps . Favor desconsiderar Sasha assumir o N 1 em 2022 depois de bater Djokovic nas Olimpíadas ( 2020 ) . Alcaraz é que terminou como N 1 em 2022 . Apagão total . Sorry !!! . Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

2021

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Será o alemão o terceiro homem a bater Nadal em Rolanga?

João Sawao ando
João Sawao ando
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Sim o alemão bate o nadal

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás

“FELIZ POR VENCER EM DOIS SETS, mas ainda posso melhorar”. Um dia após proferir esta frase com teor, digamos, ficcional, por conta de sua vitória sobre a americana Emma Navarro, Beatriz, como de costume, não nos surpreende e leva uma surra da russa Luidmila Samsonova, ou seja, foi Beatriz sendo Beatriz mais uma vez. Samsonova comprovou que é no mínimo duvidosa a fábula de que a brasileira pode melhorar. Para tanto, até pegou um Goodyear emprestado com a dona do mundo, Iga Swiatek…

Rodrigo Lightman
Rodrigo Lightman
25 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

VALMIR BATISTA, por que você tem tanto rancor da Bia? Ela é a melhor tenista brasileira da era aberta disparada. Não acho que ela vá ganhar um master 1000 ou fazer uma nova semi final em algum Slam. Inclusive eu acho que agora ela vai começar a despencar no ranking. É por causa das respostas clichês nas entrevistas ou por causa da falta de variação e a dificuldade em ler o jogo?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás
Responder para  Rodrigo Lightman

RODRIGO LIGHTMAN, eu não tenho “tanto rancor da Bia”, minhas avaliações a seu respeito é basicamente em cima do que ela não tem jogado( faz tempo ), acarretando em você e outros desta confraria o que ela não tem merecido de aplausos, justamente por não estar jogando nem para um pingado na padaria da esquina. Se você pegar as publicações de mais ou menos um ano e meio para cá do JOSÉ NILTON e consequentes comentários sobre tais artigos, perceberá que os louros a Beatriz se devem ao fato de ela se manter entre as vinte primeiras do ranking há cerca do mesmo um ano e nunca por ela ter jogado ou estar jogando bola pra caramba ou porque tem conquistado títulos, a propósito, durante o referido período, Be atriz conquistou apenas um mísero troféu e mais nada. E antes que você me venha com Roland Garros/2023, devo salientar que a boa campanha até a semifinal foi um fator isolado, e além do mais, isto não é troféu. O que quero dizer( e digo ), RODRIGO, é que minhas opiniões a respeito de Beatriz são reações em cima dos exageros cometidos por nossos( seus? ) colegas de confraria. Eu é que não vou ficar tendo surto de patriotagem apenas porque tem uma brasileira em jogo. Mas pode ter certeza que se ela jogar bola como se deve, emplacar mais de duas ou três boas sequências nos torneios e conquistar dois ou três troféus importantes( !!!! ) por ano, além de bater palmas para ela, farei o mesmo aos torcedores estilo futebolês desta confraria…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Valmir da Silva Batista

Tens minha anuência.
O sérvio #1 pelo qual sempre torci, está viajando na contramão da brasileira.
Teve um ano magnífico em 2023 e um péssimo 2024 até agora.
Mas, como ao contrário da brasileira, já ganhou tudo, então, não se pode, como diz você, falar que NÃO JOGA BOLA PARA CARAMBA, não é mesmo?

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
24 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Muito obrigado, LUIZ…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás

Bom sorteio pro Djoko em RG e melhor partida do que a de ontem em Genebra.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Quando o Sr vai lembrar que o coitado do Holandês, jogou mais cedo TRÊS Sets contra Shapovalov ????!. O Sr deu seus costumeiros chiliques lá no Site ( como tem fanáticos para ouvi-lo) , mas também não lembrou que Casper Ruud continua firme no fortíssimo ATP 250 …. Rsrsrs, Abs!

Guilherme
Guilherme
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Copiando-colando o próprio comentário q fez lá na matéria sobre a vitória do Djokovic…

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás
Responder para  Guilherme

Kkkkkkkk

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Guilherme

Leia o comentário novamente lá no Site . Parece idêntico mas não é. Embora ambos espelham a realidade caríssimo rsrs. Abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

A palavra que foi tirada deste comentário pela moderação, é absurda. Não tem nada além de uma brincadeira. É decepção diária com uma perseguição que ultrapassa todos os limites. Absolutamente lamentável não respeitar um colaborador de tanto tempo. Está muito claro o real objetivo…

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Exato Dalcim.
Brincadeiras só são permitidas a quem concede que se brinque.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

E é óbvio que este que concede és tu , espertissimo L.F . 2 kkkkkkkk. Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Enganas, para variar.
Jamais permitir brincadeiras comigo, vindo de você.
Lembras do “mané”?

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
23 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Mané é uma gíria Carioca . E é óbvio que não é teu caso , mal humoradissimo , L F 2 . E que na tua imensa cultura paulista , não conheceu MANÉ Garrincha. Abs!

Gustavo
Gustavo
24 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Primeiro, não é perseguição pq muitos de nós já tivemos nossos comentários ou bloqueados ou editados qdo nos excedemos e/ou desrespeitamos colegas.

Segundo, vc querer tratamento diferenciado pq participa sempre e há muitos anos é a famosa carteirada “vc sabe com quem tá falando?” ou o jeitinho brasileiro que todos nos odiamos qdo políticos e autoridades fazem.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
24 dias atrás
Responder para  Gustavo

Tu não sabes qual a palavra que não deveria ser retirada , a meu ver , e eu não sei a que Gustavo estou me referindo. Seria o Juiz de Calça Jeans ??? . Simples assim . Abs !

Paulo Almeida
Paulo Almeida
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Jogou 1 set e meio hoje e descansou bastante graças à chuva. Resposta completa para o Sr. por lá.

Rsrs, abs!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Paulo Almeida

Descansou bastante ???? . Já entrou indo a 5 x 7 no primeiro set contra o ” goat ” …Sei . Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

O holandês não foi o primeiro a jogar mais de um jogo por dia na história, tampouco foi o primeiro a perder por isso.
Alguns até já ganharam.

levI sIlvA
levI sIlvA
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Guga em Cincinnati 2003, encerrou a categórica vitória sobre Tim Henman na SF e cerca de 2 horas depois, fez outro jogo contra Patrick Rafter. Vitória maiúscula, por 2 Sets a 0 numa de suas maiores apresentações, pra sagrar-se campeão…!!!

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  levI sIlvA

Até tu , caro Levi ? . Então é ótimo jogar uma partida inteira e mais outra no mesmo dia ? . Veja a matéria e a declaração de Djokovic. Pela mor … Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  levI sIlvA

Aquilo foi um primor de jogo.
Rafter, fiel ao seu saque-voleio, tomava passadas de backhand a torto e a direito. Guga com um percentual de saques perfeitos, astronômicos. Um dos melhores jogos/torneios dele.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fabriciano

Ótimo. Logo o ” goat ” não deveria reclamar como sempre faz dos organizadores…Abs!

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
25 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

Quem está reclamando é você.
Nenhuma novidade.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
25 dias atrás

Até aquela sorte nos sorteios já era, possivelmente Rafa deve cair na primeira rodada de RG. Claro q um resquício de esperança sempre existe, mas não há como negar a realidade…

Maurício Luís *
Maurício Luís *
25 dias atrás
Responder para  Luiz Fernando

Ele não tem quase nada a perder. Se ganhar, a chave se abre. E se perder, não perdeu pra qualquer um.

Luiz Fernando
Luiz Fernando
24 dias atrás
Responder para  Maurício Luís *

Sem dúvida, de acordo, mas a maior chance é perder, concorda?

Maurício Luís *
Maurício Luís *
25 dias atrás

Zverev logo após o título em Roma: ” Agora posso sonhar de novo”.
O “sonho” dele: Nadal logo de cara. Ou seria pesadelo?
B I A – – – Pelo andar da carruagem, ela não vai conseguir defender pontos de semi em RG, fato que ninguém irá estranhar. O que me causa estranheza na verdade é ver comentário irônico aqui no blog no qual o colega parece sentir prazer a cada derrota dela.
Ainda bem que ela está ocupada com coisas + importantes. Está lá em cima, e esses pedregulhozinhos vindos tão de baixo não a alcançam.

Roberto Mesquita
Roberto Mesquita
25 dias atrás

Favoritos em RG: entre os homens Djoko e Zverev. Entre as mulheres: Iga e Rybakina.

Luiz Fabriciano
Luiz Fabriciano
24 dias atrás
Responder para  Roberto Mesquita

Discordo apenas do Djoko.

Valmir da Silva Batista
Valmir da Silva Batista
25 dias atrás

JOSÉ NILTON, já que nossa confraria é adepta da tal moderação textual, gostaria de lhe pedir que ao editar os comentários dos seus colaboradores, o faça com um pouco mais de desvelo, a fim de que a grafia, a concordância e sobretudo o sentido, não acabem comprometidos…

Última edição 25 dias atrás by Valmir da Silva Batista
Rogério Pedroso
Rogério Pedroso
25 dias atrás

Será que só eu que vi esse adversário do Monteiro passar o pé na marca e chamar a juíza? Bom, pelo menos tomou a entubada que fez por merecer…

Marcos Castillo
Marcos Castillo
24 dias atrás

Fase ótima do Monteiro! Excelentes resultados em Madri e Roma e agora a merecidíssima classificação para a chave principal de Roland Garros.
Voltou tb a estar entre os 100 melhores do mundo no que se propõe a fazer.
Resumindo, passeou por cidades maravilhosas, comeu umas paellas e uns risotos, sentiu o carinho da torcida e ainda vai voltar com uma milha no bolso.
Mês difícil para os experts e haters.

Paulo
Paulo
24 dias atrás
Responder para  Marcos Castillo

Atleta come isso aí?

Marcos Castillo
Marcos Castillo
22 dias atrás
Responder para  Paulo

Com certeza. Carboidrato, proteína e gordura são a base da alimentação dos tenistas.

Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br
Paulista de 63 anos, é jornalista especializado em esporte há mais de 45 anos, com coberturas em Jogos Olímpicos e Copa do Mundo. Acompanha o circuito do tênis desde 1980, tendo editado a revista Tênis News. É o criador, proprietário e diretor editorial de TenisBrasil. Contato: joni@tenisbrasil.com.br

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals