PLACAR

Wild mantém embalo e vence a primeira em Masters 1000

Foto: Profimedia

Indian Wells (EUA) – Depois de ter passado pelas duas rodadas do quali com vitórias em sets diretos, Thiago Wild aproveitou o embalo e venceu pela primeira vez um jogo de chave principal de Masters 1000. O número 1 do Brasil e 65º do mundo estreou em Indian Wells na madrugada desta quinta-feira com vitória sobre o norte-americano J.J. Wolf, 94º do ranking, por 6/2 e 6/1 em exatamente 1h de partida.

Esta é apenas a segunda participação de Wild em uma chave de Masters 1000. A primeira foi há três anos, em Miami, onde ele também furou o quali, mas caiu na estreia da chave principal. Com a vitória na estreia em Indian Wells, o paranaense de 23 anos soma 30 pontos, além dos 20 que fez no quali, e já garante a premiação de US$ 42 mil.

Apesar da boa campanha nas quadras duras dos Estados Unidos e de estar com o melhor ranking da carreira, Wild ainda tem pontos a defender nas próximas duas semanas, referentes a um título e um vice-campeonato de challengers no Chile no ano passado. Por isso, ele terá o desconto de 128 pontos na próxima atualização do ranking, apenas depois de Indian Wells, e ainda corre risco de perder posições. O tenista também está inscrito para o challenger de Phoenix, que acontece na semana que vem.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no whatsapp

O próximo adversário de Wild em Indian Wells será o russo Karen Khachanov, número 15 do mundo, que entra diretamente na segunda rodada. O confronto com o rival de 27 anos é inédito no circuito e acontece nesta sexta-feira, por volta de 20h30 (de Brasília). Se vencer, o brasileiro ganha mais 20 pontos e sua premiação no torneio sobe para US$ 59.100.

Superado pelo brasileiro na estreia em Indian Wells, Wolf ainda não tem vitórias na temporada, tendo sido eliminado também nas primeiras rodadas de Brisbane, Auckland e do Australian Open. O norte-americano de 25 anos e ex-top 40 não vence um jogo desde o quali do Masters 1000 de Paris em outubro do ano passado.

Diante da nítida falta de ritmo de seu adversário, Wild dominou a partida desde o começo. Ele já teve break-point logo no segundo game da disputa e não demorou para conseguir sua primeira quebra. O brasileiro abriu 4/2 e ampliou a vantagem dois games mais tarde.

No segundo set, Wild seguiu sem ter o saque ameaçado e disparou quatro dos cinco aces que fez na partida. Com duas novas quebras, ampliou seu domínio na partida e definiu a vitória em sets diretos.

46 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Jacques
Jacques
1 mês atrás

Jogou muito bem, o wolf não ta com ritmo mas tem aquela otima direita, inclusive mas veloz que a do proprio wild… tem que aproveitar essa confiança no saque, que foi inclusive o aspecto que ele foi mal no jogo contra o fils, mas que fez a diferença hoje… nao deu chance pro cara encontrar o ritmo com essa ótima variação!

José Alexandre
José Alexandre
1 mês atrás

Passou o trator

Claudio Marçal
Claudio Marçal
1 mês atrás

Wild passou por cima! Wolf totalmente fora de ritmo! Detalhe pra Wild usando tênis Nike, apesar de ainda continuar vestindo Joma. Novas oportunidades surgindo com o novo ranking! e que venha o CX9!

Thiago
Thiago
1 mês atrás
Responder para  Claudio Marçal

Interessante, não reparei. Vai mudar o patrocinador de material esportivo?

Richard Krajicek
Richard Krajicek
1 mês atrás
Responder para  Claudio Marçal

Com todo respeito ao Wild e aos princípios da presunção de inocência e do devido processo legal, vc realmente acha que nos dias atuais a Nike patrocinaria um jogador denunciado por violência física e psicológica contra a mulher antes do término do processo?

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás
Responder para  Richard Krajicek

Zverev tem processos idênticos rolando e mantém o patrocínio da Adidas..

Casagrande
Casagrande
1 mês atrás
Responder para  Refaelov

Mas o Zverev JÁ TINHA CONTRATO ANTES da denuncia! Acho que o ponto que levantou o Richard é válido.

Richard Krajicek
Richard Krajicek
1 mês atrás
Responder para  Refaelov

As situações são mto distintas. O vínculo entre Adidas e Zverev já existia antes do surgimento da denúncia contra ele. A Nike passaria a patrocinar o Thiago agora, após o início do processo, algo mto improvável nos dias de hj. Vale lembrar que a Nike rescindiu com o Neymar pq ele se recusou a colaborar com investigações sobre assédio sexual.

Sem falar na diferença de currículo abismal existente entre o Zverev e o Thiago.

Jorge Luiz
1 mês atrás
Responder para  Richard Krajicek

Não envergonhe o Krajicek pelo amor de Deus

Eduardo Prestes
Eduardo Prestes
1 mês atrás
Responder para  Richard Krajicek

Cerca de 80% das denúncias de agressão sexual sofridas pir mulheres são falsas e 17% exageradas. Somente 3% são agressões tealmente violentas e dignas de atenção policial. Uma delegada de delegacia especializada trouxe esse dado estarrecedor, que é o que percebemos no cptidiano. Essa misandria, essa perseguição aos homens foi longe demais. Até o direito à presunção à inocência foi retirado dos homens. O que aconteceu entre o Tiago e a namorada dele é assi to privado, só eles sabem o que aconteceu.

José Nilton Dalcim
Admin
1 mês atrás
Responder para  Eduardo Prestes

‘Uma delegada disse’… Quando trouxer dados tão polêmicos e delicados como esse, Eduardo, seria muito importante citar claramente as fontes de sua informação. E a questão que envolve Zverev ou Wild, já que estamos num veículo de tênis, não se tratou de ‘agressão sexual’ em si, mas de agressão física e psicológica. Grato!

Pedro Franceschi
Pedro Franceschi
1 mês atrás
Responder para  Richard Krajicek

Acho que já está patrocinando. Ele jogou com uns 3 ou 4 modelos difernetes de tenis da nike em indian wells.

Tenista top 60 do mundo, está em evidencia

Luiz Otavio
Luiz Otavio
1 mês atrás

Sacou bem melhor e garantiu o jogo. Agora é Franco atirador e pode surpreender.

Jorge Luiz
1 mês atrás

Massacre

Leonel
Leonel
1 mês atrás

Se jogar bem e com consistência acho que é jogo para decidir em tiebreaks. Importa que o Wild virou uma realidade com técnica e o lado mental muito forte. Vai jogar solto pois não é o favorito. É só lembrar que ganhou do Medvedev e quase ganhou do Rublev então mais um russo pra respeitar o Wild pq os outros dois russos jogam.melhor que o kachanov. Bora assistir e torcer e quem sabe pegar Jarry na próxima. Só alegria pro torcedor. Agora a Bia vai ter alguém pra se inspirar.kkk. “ganhar jogos menores em 2 sets” pra se desgastar menos na maratona de Indian Wells. Bamos Bia.

Andre
Andre
1 mês atrás

Wolf tem cacoete que não acaba mais, precisa se cuidar. Primeiro jogo adrenalina pura gostei do jogo, parabéns Tiago, vamos em frente….

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

Hj nem deu pra avaliar muito, adversário totalmente descalibrado, sustentou pouquíssimas trocas de bola, tava terrível nas devoluções.. de positivo(além obviamente do placar) o aproveitamento >60% dos 1°s serviços em quadra.

R2 contra o Caixa9 vai ser um nível totalmente diferente de exigência, além do ranking o Russo vem num bom 2024(já levantou caneco inclusive)..

Thiago
Thiago
1 mês atrás

Rapaz, que sorte o Selvagem tá dando. Só pegando pereba. E, melhor ainda, fazendo a parte dele com louvor – passando o trator.

Torcer para o Kacha entrar nesse ritmo tb e levar uma sapatada.

Bukele
Bukele
1 mês atrás

Wild transformou os 3 primeiros jogos dele em 3 jogos-treino. Destruiu todo mundo. O Wolf veio totalmente sem ritmo de jogo, só pra pegar o checão, e foi destruído pelo Wild. Bom, agora que o bicho pega: Khachanov n.15 do mundo já é jogo de alto nível, mas é vencível. Se o Wild ganha, pode pegar Jarry ou Marozsán, em tese um pouco mais fáceis que o Khachanov, mas difíceis também. Os 3 estão em níveis próximos do Cameron Norrie. Não é impossível de ganhar mas vão ser batalhados.

Luiz
Luiz
1 mês atrás

Pontapé no traseiro do cabelo de boneca

Matheus Ferreira
Matheus Ferreira
1 mês atrás

O americano estava sem ritmo,mas o Wild não tem nada haver com isso,foi lá fez o seu jogo e passou o trator no americano pra sair com a vitória,e que venha o cx9.

Ivan
Ivan
1 mês atrás
Responder para  Matheus Ferreira

Nada a ver usar o VERBO haver nesse tipo de situação.

Jose Carlos
Jose Carlos
1 mês atrás

Alguém saberia dizer quando foi a ultima vez que algum simplista brasileiro masculino havia vencido uma partida de chave principal de um Masters 1000? Foi Monteiro ou Bellucci?

José Nilton Dalcim
Admin
1 mês atrás
Responder para  Jose Carlos

No ano passado, Monteiro passou uma rodada em Miami, Madri e Roma.

Paulo Mala
Paulo Mala
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

É estranho que justamente quando ele conseguiu essas vitórias, ao mesmo tempo ele sai do top100 pra não retornar até agora… Era a hora de se afirmar. Enfim, favas contadas…

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

N é estranho justamente pelo q a galera tá levantando aqui nos comentários: as 1°as rodadas dos Masters 1000 dão pouquíssimos pontos, a ponto de ser mais negócio ir jogar CHL msm, pensando em pontuação..

Some-se isso ao fato do Monteiro ter(dae inexplicavelmente) dado out em ene CHL 100/125 e em ATPs 250 e se tem esse cenário dele saindo do top 100 msm com essas campanhas nos Masters..

Última edição 1 mês atrás by Refaelov
Bukele
Bukele
1 mês atrás
Responder para  Paulo Mala

O Monteiro saiu do top 100 porque focou excessivamente em torneios grandes como os Masters 1000 em 2023. Não pontuou neles, então o ranking que ele fez em 2022 evaporou,ficou sem pontos. Não houve um bom planejamento pra ele manter o ranking. A realidade do circuito funciona assim: Challenger é fácil, dá 75, 80, 100, 125 pontos pro campeão, mas paga pouco. ATP 500, Masters 1000, dá um cheque gigantesco, mas pra pontuar neles é muito mais difícil porque você é quase sempre obrigado a derrotar tenistas do top 50, top 20 pra pegar a mesma pontuação de um título de challenger. Então, o jogador precisa ter uma noção realista do nível em que ele está, se ele aguenta torneios maiores. Cada um faz sua escolha: o tenista pode escolher ir atrás do dinheiro ou dos pontos, os 2 ao mesmo tempo você só consegue se jogar no nível de um top 50.

Guilherme ES Ribeiro
Guilherme ES Ribeiro
1 mês atrás

Wild atropelando até aqui. Agora é azarão na segunda rodada. O que vier é lucro. Seria sua segunda maior vitória na carreira, só atrás daquela contra o Medvedev

Marco Antônio Varella
Marco Antônio Varella
1 mês atrás

Na verdade, nem precisou jogar muito bem. O americano está bem fora de ritmo. Como o Wild não tem nada a ver com isso, atropelou o lobo.

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
1 mês atrás

Não entendi. Ele ganhou 30 pontos, hoje, e se vencer caixa9 vai ganhar mais 20? Ir para a terceira rodada de um M1000 só da 50 pontos, é isso mesmo?

José Nilton Dalcim
Admin
1 mês atrás
Responder para  Rafael Azevedo

Sim, a pontuação dos Masters 1000 é de 10 pontos (rodada 1), 30 pontos (rodada 2), 50 pontos (rodada 3) e 100 pontos (rodada 4), como você pode conferir em https://tenisbrasil.uol.com.br/tabela-de-pontos-do-ranking-masculino

Rafael Azevedo
Rafael Azevedo
1 mês atrás
Responder para  José Nilton Dalcim

Valeu, Dalcim

Pedro Oliveira
Pedro Oliveira
1 mês atrás
Responder para  Rafael Azevedo

E ainda reclamam da decisão do monteiro de jogar um challenger fraco na bolivia e pegar os mesmos 30 pontos em uma semi sem jogar contra top 150

Marco Antônio Varella
Marco Antônio Varella
1 mês atrás
Responder para  Rafael Azevedo

É verdade. Chegar nas oitavas de final de um M1000 dá o mesmo número de pontos que vários challengers dão em caso de conquista, mas é muito mais difícil. Vale, porém, pela grana.

Gusmão
Gusmão
1 mês atrás

Parabéns Wild.
Força para a próxima partida.
Tem que bater dos dois lados para desestabilizar o Kacha.
Acredita que dá para avançar.

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás

Dos tops Kachanov eh um dos mais ganháveis. Se entrar inspirado e sacando bem Wild tem muita chance.

Andre Borges
Andre Borges
1 mês atrás
Responder para  Andre Borges

Sabia….

Fernando Romero
Fernando Romero
1 mês atrás

Ótima Vitória. Mas o backhand está péssimo

Thiago
Thiago
1 mês atrás
Responder para  Fernando Romero

Exatamente

Jacques
Jacques
1 mês atrás
Responder para  Fernando Romero

Ele tem esse problema no backhand nao e de hoje, por causa da maneira dele de pegar na bola sem spin ele joga com pouca margem, e conforme os erros vem ele se sente inseguro e começa a fugir dela pra usar o forehand, consequentemente ele fica mal posiconado em quadra… se ele melhorar o bh da pra galgar nesse ranking, ja que o saque e o forehand sao de primeira linha

Scott
Scott
1 mês atrás

Deixou o Wolf e o Lara Boneca sem rumo de casa!

Márcio
Márcio
1 mês atrás

Wolf totalmente descalibrado, o brasileiro jogou firme e não deu chance alguma. Kachanov favorito, mas Thiago embalado gosta de jogar partidas importantes, vamo q vamos!!!

Renato Manso
Renato Manso
1 mês atrás

Os pontos somados até aqui estão corretos? E se ganhar a segunda rodada só fará 20 pontos ? Achando pouco para um master 1000

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás
Responder para  Renato Manso

Ganhará +20 pontos no caso: 50 no total da chave principal + 20 do Qualy.

Bukele
Bukele
1 mês atrás
Responder para  Renato Manso

Sim, a pontuação das 4 primeiras fases dos Masters 1000 é completamente patética e desequilibrada. Você é obrigado a derrotar pelo menos um tenista do top 25 e outro do top 40 pra ganhar míseros 100 pontos. É mais fácil ganhar um challenger do que fazer isso, a diferença é que no Masters 1000 você ganha 50, 80 mil dólares na 3a ou 4a rodada, e no challenger só 10 mil se for campeão. Mas a pontuação devia ser revista.

Última edição 1 mês atrás by Bukele
trackback

[…] o paranaense Thiago Wild manteve o embalo e superou a primeira rodada na competição californiana, batendo o tenista da casa J.J. Wolf com autoridade, marcando parciais de 6/2 e 6/1 em apenas 60 […]

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja os melhores lances da rápida final masculina de Miami

Collins segura os nervos e bate Rybakina: veja o melhor da final

PUBLICIDADE