PLACAR

Vida longa ao tênis com Iga, Alcaraz e Cia

Há tempos que se fala em ‘troca da guarda’ no tênis. Mas agora com Iga Swiatek, Carlos Alcaraz & Cia pode-se dizer que o Big 3 e o feminino estarão bem representados no circuito mundial por muito tempo. Este novo grupo é formado por tenistas vencedores, talentosos e carismáticos. Com isso, renovam e fazem crescer o interesse pela modalidade, com muitos fãs se mostrando apaixonados pelo esporte da bolinha amarela.

A tão comentada renovação do masculino começou com o surgimento de uma geração que era liderada pelo austríaco Dominic Thiem. Ele era comumente chamado de ‘o mais velho entre os novos’. Na realidade ainda hoje esses jogadores seguem formando um grupo forte, como bem demonstrou no recente Roland Garros o alemão Alexander Zverev.

Só que na época da chegada desses tenistas ao circuito surgiu uma questão muito bem defendida pelo ex-número 1 do mundo, o russo Marat Safin. Ele proferia a todos os cantos do planeta que “são bons jogadores, mas não ganham de Novak Djokovic, Rafael Nadal e Roger Federer”.

Embora Safin tenha sido ao longo de toda sua carreira um jogador polêmico, não se poderia de forma alguma discordar dessa opinião. Fica apenas a dúvida se Djokovic, Nadal e Federer no auge de suas formas também perderiam para esses mais recentes astros do tênis. O sérvio segue na luta e mostrou-se ainda capaz ao eliminar de Roland Garros o italiano Lorenzo Musetti, de apenas 22 anos.

Safin em sua época rivalizou com Gustavo Kuerten e o sueco Magnus Norman, entre outros. Essas disputas sempre caracterizaram o tênis mundial, como exemplos icônicos John McEnroe e Bjorn Borg ou Chris Evert e Martina Mavratilova. Hoje Alcaraz e Jannik Sinner prometem seguir o mesmo destino, assim como Iga e Aryna Sabalenka.

As próximas semanas prometem ser emocionantes com novos desafios, agora numa superfície traiçoeira e bem diferente como a grama. Por isso, mesmo sem se falar em reinados, o certo é esperar mesmo vida longa ao tênis.

9 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
12 dias atrás

Por que não destacar o Sinner?

Luis Ricardo
Luis Ricardo
11 dias atrás
Responder para  Oswaldo Euclydes Aranha

uai…. o Dalcim destacou o Sinner no comentario , vc não leu ?

Kario
Kario
12 dias atrás

Acho q a Osaka, em forma, volta pro numero 1. Eu vou torcer pra ela se manter em forma, mas atras da Iga.

Aryno Swionteko
Aryno Swionteko
12 dias atrás

Chiquinho! Quem vai formar o novo Big3 ao lado de Sinner e Alcaraz?

JOÃO LUIZ MELLO BORIN
JOÃO LUIZ MELLO BORIN
9 dias atrás
Responder para  Chiquinho Leite Moreira

Acho que se o Rune colocar a cabeça no lugar, deixar o técnico trabalhar sem a interferência da mãe, ele chega longe. Aliás percebo que pais no box, ou pai técnico do filho, acaba atrapalhando mais que ajudando. Vejo que os pais do Alcaraz ficam lá torcendo apenas, a autonomia do trabalho fica pro Ferrero e os restante da equipe.

Oswaldo Euclydes Aranha
Oswaldo Euclydes Aranha
10 dias atrás

O Dalcim sim o Chiquinho não

Didier
Didier
9 dias atrás

Coco Gauff tem 20 anos, dois slans ( simples e duplas), é n°2 do mundo e jornalista ignora. Por que?, Serena tem 31 slans ( simples e duplas) e 4 ouros olímpicos, mas o jornalista Tb ignorava. Por qual razão?

Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.
Jornalista especializado em tênis, com larga participação em diversos órgãos de divulgação, como TV Globo, SporTV, Grupo Bandeirantes de Comunicações e o jornal Estado de S. Paulo. Revela sua experiência com histórias de bastidores dos principais torneios mundiais. Já cobriu mais de 70 Grand Slams: 30 em Roland Garros; 21, no US Open; 18 em Wimbledon; e 5 no Australian Open.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Quando os tenistas se machucam, mas ainda vencem

ATP seleciona as 10 melhores jogadas do ATP FInals