PLACAR

‘Tive sorte’, admite Wild, que vai enfrentar vice do Rio

Foto: ATP Tiriac Open

Bucareste (Romênia) – Classificado para as oitavas de final do ATP 250 de Bucareste, Thiago Wild precisou lutar por mais três horas e ainda contou a infelicidade do italiano Luca Nardi, que torceu o tornozelo na reta final da partida e ficou visivelmente limitado pela contusão. Sem nada com isso, o brasileiro continuou aplicado em quadra e venceu a partida, mas admitiu uma dose de sorte.

“Tive uma sorte ali no final com a infelicidade da lesão dele. Mas ao mesmo tempo não chegaria até lá se não tivesse lutado por cada bola e não chegaria lá se não lutasse por três horas”, ponderou o número 1 do Brasil na entrevista em quadra após marcar as parciais de 6/3, 6/7 (5-7) e 7/6 (7-2).

Mais tarde, Wild voltou a comentar o ocorrido e lamentou a lesão do adversário. “Foi um grande jogo, fiquei triste por ele, mas isso pode acontecer com qualquer um de nós. O importante foi ter ficado no jogo e lutado até o final. Não é a maneira que gostaria de ganhar, espero que o Luca se recupere rápido, mas é claro que estou feliz de estar na segunda rodada”, disse o paranaense de 24 anos.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

O adversário de Thiago Wild nas oitavas de final será o argentino Mariano Navone, atual 52º do mundo e cabeça 5 da competição, que eliminou o também italiano Luciano Darderi por 6/3 e 6/2 em 1h33 de partida. Aos 23 anos de idade, Navone nunca tinha vencido uma partida sequer de ATP até surpreender e chegar à final do Rio Open, em fevereiro, depois de furar o quali. Depois disso, ele ainda fez semi no ATP 250 de Marrakech, e chega embalado com dez vitórias nos últimos 12 jogos que disputou.

Wild e Navone nunca se encontraram no circuito da ATP, mas já duelaram três vezes em challengers na Argentina. O anfitrião venceu as duas primeiras, em 2021 e 2022, enquanto o brasileiro levou a melhor no duelo mais recente, no ano passado.

Wild e Darderi se retiram das duplas
Wild também jogaria a chave de duplas em Bucareste ao lado do italiano Luciano Darderi, mas a parceria se retirou da competição. Segundo os organizadores, por uma lesão no punho do italiano. Os adversários seriam os atuais campeões do Rio Open e cabeças 4 da competição, o gaúcho Rafael Matos e o colombiano Nicolas Barrientos, que conhecerão os novos rivais apenas na terça de amanhã, horas antes da estreia. Caso superem a primeira partida, Matos e Barrientos enfrentam nas quartas de final o espanhol Pedro Martinez e o chileno Alejandro Tabilo, que bateram o monegasco Romain Arneodo e o austríaco Sam Weissborn por 6/3 e 7/6 (7-4).

15 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
CARLOS LIMA
CARLOS LIMA
1 mês atrás

Deu sorte, o jogo estava para o Italiano. Mas se manteve no jogo salvando 5 match points, lembrando que o Belluci ja perdeu um campeonato para um adversário de uma perna só. Precisa melhorar a esquerda e não cair tanto seu primeiro saque.

Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás
Responder para  CARLOS LIMA

O italiano tropeçou numa bola embaraçosa do arsenal do Wild.

Heitor Rodrigues de Figueiredo
Responder para  CARLOS LIMA

Eu lembro foi em Houston no saibro. Só não lembro quem era o adversário , só lembro que era um americano. coisas de Bellucci.

Refaelov
Refaelov
1 mês atrás

O recém aposentado Steve Johnson

Heitor Rodrigues de Figueiredo
Responder para  Refaelov

Que fase. Lembro desse jogo Belluciou.

Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás

Na verdade Thiago vinha se recuperando com lances bem jogados exigindo muito do Nardi. O italiano infelizmente torceu o tornozelo tentando pegar uma bola manhosa vencedora jogada pelo brasileiro. Sendo assim, podem até achar que foi sorte mas na verdade foi jogo jogado. Avante Wild!

Rafael
Rafael
1 mês atrás
Responder para  Balbino Neto

Vc é o novo Estevam?

Thiago
Thiago
1 mês atrás
Responder para  Balbino Neto

Não viaja. Wild levantou um 15×40 e não conseguia fechar o game. Ao passo que o Nardi tava passeando nos seus games de serviço. Claro, me refiro ao 3o set. Antes foi bem pegado o jogo.

Balbino Neto
Balbino Neto
1 mês atrás
Responder para  Thiago

2×1

Evandro
Evandro
1 mês atrás

Não dá para cravar nada, agora. Argentino na melhor fase da carreira, embaladíssimo. Wild totalmente recuperado na parte mental e com o arsenal que sabemos que tem. Vai vencer quem estiver melhor no dia!

Rocky Balboa
Rocky Balboa
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Navone é passador de bola, jogador sem potencia mas com regularidade…Se o Wild estiver em um dia bom (consistente) acredito que ganha.

Thiago
Thiago
1 mês atrás
Responder para  Evandro

Espero estar errado, mas acho que Wild não passa. Ele só joga como um top quando sabe que vai pegar outro. Do contrário, a impressão que dá é que ele se acha melhor (mesmo não sendo, necessariamente) e o mental vai embora. Quando pega um top, fica no jogo o tempo todo. Como ele conhece o Navone, a tendência é dar aquela voada. E o argentino é muito, mas muito consistente e está numa fase sensacional. Se fosse no hard, acho que Wild levava.

Grau
Grau
1 mês atrás
Responder para  Thiago

Tenho a mesma opinião. Se acha melhor do que os adversários com rankings próximos ao dele e se irrita quando suas jogadas não entram com a facilidade que ele esperava. Daí perde a cabeça e já era

Leonel
Leonel
1 mês atrás

Wild tá pegando jogador perto do seu ranking.isso é bom porém ele joga melhor com pessoal top 30.

gustavo
gustavo
1 mês atrás
Responder para  Leonel

ele ja ganhou de 3 top 20 este ano e um top 10…..

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE