PLACAR

Struff fica com o prêmio de Retorno do Ano da ATP

Miami (EUA) – Depois de uma temporada difícil em 2022, na qual amargou uma acentuada queda de mais de 100 posições no ranking por causa de lesão, o alemão Jan-Lennard Struff tem muito a comemorar pelo o que fez em 2023. Além de ter disputado a sua primeira final de Masters 1000 e beirado o top 20, o jogador de 33 anos foi anunciado nesta quarta-feira como o vencedor do prêmio de Retorno do Ano no circuito masculino.

A honraria coroa um ano de grande recuperação de Struff, que ocupava a modesta 167ª colocação em janeiro e disparou após resultados de destaque. Embora não tenha levantado nenhum troféu em 2023, ele se tornou o primeiro lucky-loser finalista do Masters 1000 de Madri e também alcançou quartas em Monte Carlo, a semi em Sofia e ficou com outro vice em Stuttgart.

Tais campanhas lhe ajudaram a alcançar o melhor ranking da carreira, a 21ª colocação, obtida em junho. Ele termina a temporada pouco abaixo, no 25º posto. Por tudo isso, o experiente alemão acabou ficando com o prêmio numa disputa que também contava com outros três jogadores que superaram graves lesões para para se reestabelecerem no circuito: Dominik Koepfer, Gael Monfils e Alexander Zverev.

“Eu não poderia esperar isso, subindo tão rápido para o top 30, vindo de fora do top 150. Foi uma loucura o quão rápido aconteceu. Estou muito, muito feliz e animado por ganhar o prêmio de Retorno do Ano em 2023. Fui indicado junto com Sascha, Domi e Gael, que para mim merecem muito o prêmio também por suas temporadas, então parabéns por isso”, disse Struff, que também agradeceu à equipe e à família em sua mensagem de vídeo: “Sem vocês não seria possível”.

Nova lesão o afastou por três meses

Poucas semanas após o vice-campeonato na grama do ATP 250 de Stuttgart, um problema no quadril tirou Jan-Lennard Struff das quadras por cerca de três meses. Ele ainda tentou disputar Wimbledon, mas foi aconselhado pelos médicos a desistir.

“Tentei que me dessem infiltrações para poder competir em Wimbledon, e o médico disse que se eu fizesse isso, poderia arruinar a minha carreira. Fiquei vários meses sem pegar numa raquete, me dediquei a passar o tempo com a minha família e agora me sinto com vontade de recuperar o meu melhor nível”, disse no seu retorno em setembro, no ATP 250 de Zhuhai, onde foi até às quartas de final.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Reveja os melhores lances da final masculina de Wimbledon

Momento histórico: Hewett completa o Slam em Wimbledon

PUBLICIDADE