PLACAR

“Só estou aqui porque é Roma”, afirma Berrettini

Foto: Giampiero Sposito

Roma (Itália) – Na véspera de sua estreia no Masters 1000 de Roma, o italiano Matteo Berrettini falou sobre sua condição física no momento. Depois de abrir bem a temporada de saibro, com título no ATP 250 de Marrakech, ele caiu na estreia em Monte Carlo e volta a competir só agora dentro de casa. Atual 95 do mundo, ele comentou sobre os sucessivos problemas físicos que enfrentou nos últimos anos.

“Às vezes paro e digo que deve haver um ritual vodu para justificar esses problemas. Então a parte racional me diz que é apenas um vírus ou algo assim. É muito difícil começar de novo porque entrar num torneio e pensar se vai conseguir jogar é diferente de pensar se vai jogar bem ou mal”, comentou Berrettini, destacando a dificuldade de superar as incertezas em cada volta às competições.

Mesmo assim, o italiano segue firme e tenta recuperar sua melhor forma, que o levou a ser o número 6 do mundo. “Às vezes é cansativo e percebo que estou exausto, aí limpo a cabeça e entendo que estou disposto a encarar porque adoro jogar tênis. Aqui fiz algumas preparações finais, já tinha jogado esta manhã em outro clube”, falou o tenista de 28 anos.

“Estou aqui porque é Roma, não tenho conseguido treinar muito ultimamente, mas estou tentando estar na melhor forma possível para o jogo com Napolitano. O Foro Itálico mudou muito e melhorou, é bom estar de volta e será bom reencontrar o apoio da torcida”, acrescentou Berrettini, que terá estreia 100% italiana no saibro romano, enfrentando o compatriota Stefano Napolitano.

O grande histórico de lesões faz Berrettini entender bem o momento do compatriota Jannik Sinner, que não compete em Roma por problemas físicos. “Já estive no lugar dele e sei o que significa desistir deste torneio. Porém, Sinner é muito jovem e jogará como protagonista por muitos mais anos”, afirmou o italiano.

“Isso faz parte do tênis. Que conselhos eu daria a ele? Depende do período e do momento. Infelizmente para ele, as lesões têm sido uma constante, mas ele é bem cuidado e é tão maduro que pensa no futuro quando decide. Simples assim”, finalizou Berrettini.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Agassi recorda trajetória de drama e sucesso em Roland Garros

Os melhores lances de Iga Swiatek rumo ao tri no Foro Italico

PUBLICIDADE