PLACAR

Sinner não garante ir a RG: “Apenas se estiver 100%”

Foto: Internazionali BNL d'Italia

Roma (Itália) – Mesmo depois de anunciar sua desistência do Masters 1000 de Roma, o italiano Jannik Sinner foi até o Foro Italico no último domingo e concedeu uma entrevista coletiva aos jornalistas para dar mais detalhes sobre a lesão no quadril. Além de não disputar o torneio em casa, o número 2 do mundo também colocou em dúvida sua participação em Roland Garros, que começa daqui a exatos 20 dias.

“Só jogarei em Roland Garros se estiver 100%. Se houver qualquer dúvida, vamos analisar. Agora terei um período sem jogar e temos que ver como trabalhar a partir da próxima semana. A preparação para Roland Garros claramente não será a ideal, mas daremos o nosso melhor para chegar lá nas melhores condições possíveis. Jogar em Paris sem tempo de quadra em Roma não é fácil”, destacou em tom preocupado.

Sinner começou a sentir o problema no quadril ainda durante sua participação no torneio de Madri, mais precisamente antes da partida de terceira rodada contra o russo Pavel Kotov. Inicialmente, o jogador de 22 e sua equipe pensaram que a lesão não era grave, mas uma ressonância magnética nos últimos dias mostrou que a situação exige cuidado.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

“Fizemos uma ressonância magnética e vimos que tinha algo que não estava 100% certo. Voltei para Munique, realizei outros exames e os resultados me fizeram tomar essa decisão difícil de pular o torneio mais especial do ano para mim. Tenho que aceitar, mesmo que isso seja doloroso para mim e para os fãs”, lamentou.

Apesar disso, o tenista diz não se arrepender do que fez até aqui e acredita não ter cometido nenhum erro no gerenciamento da contusão. “Algumas lesões podem ser evitadas, outras não. Até agora fizemos um ótimo trabalho. No ano passado joguei uma temporada inteira sem lesões e seguia ileso até agora. Embora esteja um pouco cansado, gosto sempre de jogar e fui o primeiro a dizer ‘vamos tentar jogar aqui em Roma também’. Cuidar do corpo é muito mais importante que tudo, porém, se eu tivesse que voltar no tempo não saberia o que fazer melhor ou diferente”, reforçou.

Presidente da FITP lamenta ausência do principal jogador do país

Ao lado de Jannik Sinner durante toda a coletiva, o presidente da Federação Italiana de Tênis e Padel, Angelo Binaghi, também respondeu algumas perguntas e revelou como foi o momento em que recebeu a notícia da desistência de Sinner no Aberto de Roma.

“O telefonema de ontem do Jannik foi uma facada fria. Eu esperava que o perigo [da lesão] tivesse passado depois da vitória contra Khachanov em Madri. Seria a primeira vez em 47 anos que um italiano seria o verdadeiro favorito para vencer o torneio. Acho que foi a escolha certa, graças à sua equipe, que é a melhor possível”, relatou.

Por outro lado, o dirigente demonstrou todo o seu apoio ao atleta e espera que ele se recupere o quanto antes. “Como já disse em Bolonha, o objetivo dele e do tênis italiano deve ser o médio prazo, não vencer um grupo da Copa Davis ou mesmo um torneio importante como o Masters 1000 de Roma. Devemos aprender com as derrotas. Em momentos como este, devemos encontrar forças para recomeçar e com Jannik recomeçaremos mais fortes do que antes”, acrescentou Binaghi.

2 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Henrique
Henrique
12 dias atrás

Sei?!

Rafael Lucena
Rafael Lucena
12 dias atrás

Na minha opinião, tá mais que certo. Saibro já não é sua superfície favorita, portanto ele não é favorito pra RG. Já ganhou 1 slam esse ano, 1 masters 1000 e um ATP 500, pode seguramente pular RG e pegar o número 1 depois, já que não defende muitos pontos lá. Melhor perder uns pontos agora (e ficar 100% pra jogar melhor depois) do que forçar, ficar pelo meio do caminho por agravar a lesão e perder ainda mais torneios posteriormente onde, aí sim, ele entra como um dos principais favoritos.

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Nadal leva público italiano ao delírio com incrível reação

Conheça o que aconteceu nos bastidores do WTA 100 de Madri

PUBLICIDADE