PLACAR

Sinner tem trabalho de novo, mas segue firme rumo às semifinais

Foto: Mathias Schulz/Terra Wortmann Open

Halle (Alemanha) – Assim como aconteceu em seus dois primeiros jogos no ATP 500 de Halle, o italiano Jannik Sinner acabou deixando um set pelo caminho, mas mesmo assim o número 1 do mundo segue firme na competição e já está nas semifinais. Ele garantiu vaga na penúltima rodada ao bater o alemão Jan-Lennard Struff nesta sexta-feira com parciais de 6/2, 6/7 (1-7) e 7/6 (7-3).

O adversário do líder do ranking na semifinal ainda não foi definido e sairá do último jogo das quartas de final no dia, que terá de um lado o chinês Zhizhen Zhang e do outro o norte-americano Christopher Eubanks. Ele nunca cruzou com o primeiro e tem duas vitórias em dois jogos contra o segundo.

Muito preciso com o saque no primeiro set, Sinner não deu brechas para o adversário da casa e não enfrentou um break-point sequer contra. Do outro lado, Struff não manteve o desempenho que o levou às quartas de final e faturou apenas 53% dos pontos de serviço, contra 84% do italiano, que conseguiu pressioná-lo e obteve duas quebras.

A primeira delas veio no sexto game, quando o alemão encarou 0-40, até salvou os três break-points seguidos que encarou, mas depois cedeu mais um e acabou quebrado. Dois games depois, novamente Struff não foi bem com o saque, evitou dois set-points, mas não resistiu ao terceiro e viu Sinner abrir 1 a 0 com autoridade.

Struff foi um pouco mais firme na segunda parcial, mas sem apresentar seu melhor tênis. O aproveitamento com o saque subiu para 70% e o ajudou a evitar novas quebras, com um break-point salvo no quarto game e mais três no sexto. Ele levou a definição para o tiebreak, em que jogou muito bem, perdeu só um ponto e empatou o jogo.

Como aconteceu no set anterior, o alemão conseguiu se salvar todas as vezes que foi pressionado com o saque, evitou cinco break-points logo no primeiro game e depois mais dois no nono. Sinner cedeu sua primeira chance de quebra em toda a partida, no sexto, mas também confirmou. Novamente a definição foi para o tiebreak, que desta vez foi dominado pelo italiano.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Marcelo Reis
Marcelo Reis
21 dias atrás

Para o bem ou para o mal, a grama é um piso que costuma “nivelar” atletas de níveis diferentes. Se este oponente, inferior no ranking, tiver um bom saque … então! Não à toa temos muitas surpresas neste piso.

Sérgio Ribeiro
Sérgio Ribeiro
21 dias atrás
Responder para  Marcelo Reis

Djokovic sabendo disto não arrisca há muito. Chega invicto no Saibro Verde de WIMBLEDON, treinando em quadra semelhante. E acabou se dando bem. É o Quarto maior vencedor na Grama Sagrada da história rs. Abs!

Paulo Sérgio
Paulo Sérgio
21 dias atrás
Responder para  Sérgio Ribeiro

O que importa é WB

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Wimbledon seleciona os melhores backhands de 1 mão

Os históricos duelos entre Serena e Venus em Wimbledon

PUBLICIDADE