PLACAR

Sinner se torna o primeiro italiano top 3 na Era Aberta

Foto: ABN AMRO Open

Londres (Reino Unido) – Um dia após conquistar o título do ATP 500 de Roterdã, Jannik Sinner se tornou o primeiro italiano a alcançar a terceira posição do ranking na Era Aberta. Na atualização desta segunda-feira, o jovem de 22 anos superou o russo Daniil Medvedev por apenas cinco pontos e obteve sua melhor marca da carreira.

Além de Sinner, apenas o compatriota Nicola Pietrangeli alcançou o top 3 masculino, mas ainda na fase amadora do tênis, fechando as temporadas de 1959 e 1960 entre os três melhores do mundo. Na fase profissional, as melhores marcas de um italiano na ATP pertenciam ao próprio Sinner e a Adriano Panatta, quarto colocado em 1976.

Um pouco mais abaixo, o australiano Alex de Minaur ganhou duas posições após o vice-campeonato no piso duro coberto holandês e retornou ao top 10, assumindo a nona colocação, sua melhor em toda a carreira. Ele deixou para trás o norte-americano Taylor Fritz e o grego Stefanos Tsitsipas, que saiu da faixa dos dez melhores pela primeira vez em cinco anos.

+ Clique aqui e siga o Canal do TenisBrasil no WhatsApp

Outro tenista que recuperou terreno foi o chileno Nicolas Jarry. Vice-campeão em Buenos Aires após eliminar o favorito espanhol Carlos Alcaraz na semifinal, o jogador de 28 anos ultrapassou dois concorrentes e subiu para o 19º lugar, um abaixo do seu recorde pessoal. Por sua vez, o britânico Cameron Norrie amargou a queda de três posições e deixou seu lugar no top 20, parando na 23ª posição, sua pior marca desde outubro de 2021, quando apareceu no 26º posto.

Já a maior ascensão em todo o top 100 foi do argentino Facundo Diaz, que subiu 28 lugares após o título em Buenos Aires e alcançou o melhor ranking da carreira com a 59ª colocação. Derrotado pelo próprio Diaz na semi, o compatriota Federico Coria deixou 21 adversários para trás e retornou à faixa dos 100 melhores, ocupando agora o 85º posto.

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
Ver todos os comentários
Horacio
Horacio
2 meses atrás

Com a saida de Tsisipas do top 10 é a primeira vez na historia da ATP que entre os dez primeiros não tem ninguem com backhand de uma mão.

Rbclima
Rbclima
2 meses atrás
Responder para  Horacio

Que estatística curiosa! BH de 2 mãos é, sem dúvida, mais eficiente.

Thiago Silva
Thiago Silva
2 meses atrás

Sinner vai longe. Parece extremamente focado, pés no chão.
Bem ao contrário de Carlos “milagre” Alcaraz que é completamente deslumbrado e sem noção .

PUBLICIDADE

VÍDEOS

Veja como foi a espetacular vitória de Fonseca sobre Sonego

Nadal pode ter feito seu último jogo oficial em Barcelona

PUBLICIDADE